Por Dentro do Episódio 7.01: “Dragonstone”

Voltando aos trabalhos do segmento “Inside the Episode”, David Benioff, D. B. Weiss e o elenco de Game of Thrones, discutem os acontecimentos do episódio de estreia da 7ª temporada da série.

No primeiro vídeo, é revelado que a cena nas Gêmeas não foi escrita originalmente como um cold open. No entanto, os produtores gostaram tanto da atuação de David Bradley (Walder Frey), que decidiram que esta seria a melhor maneira de iniciar o episódio.

Em seguida, David e Dan comentam a performance de Rory McCann (Sandor Clegane) ao encontrar o camponês e a garota mortos pelo inverno, e a maneira como o personagem foi humanizado através dos anos. Além disso eles exploram as motivações de Sandor em relação as religiões de Westeros, e a ideia de ser um homem que não crê em nenhuma delas, mas mesmo assim consegue enxergar algo nas chamas.

Sobre Sansa, Benioff explica que há um ressentimento sobre ela ter sido deixada de lado pelos lordes nortenhos, e que ela se sente responsável pela reconquista de Winterfell. Ele ainda acrescenta que ela vê Jon como uma pessoa muito inocente, que poderia se prejudicar ao subestimar Cersei.

Como é possível ver, eles adicionam que Cersei sempre foi motivada pelo amor aos filhos, e que agora que eles se foram, ela de dedicará à manutenção do poder pelo poder. E que, agora, nada poderá previnir que ela se transforme em um monstro. Eles destacam a ideia de Jaime, ao tentar fazê-la se dar um tempo para o luto, mas que Cersei não tem a capacidade de se dar a esse luxo, pois agora ela está focada em sobreviver. E que a sobrevivência como objetivo resulta no desejo de derrotar os inimigos.

Neste ponto, temos Daenerys se comportando de maneira completamente oposta, movida pela moral e pela preocupação com o bem estar das pessoas. Dany teme machucar inocentes, enquanto Cersei usa a morte de milhares de inocentes para se sentir segura.

Por último, eles explicam que Dany chegar à Pedra do Dragão é um ponto de total mudança na história. Segundo os produtores, há tanto peso na ideia de que Daenerys Targaryen está de volta à Westeros, que qualquer diálogo soaria desnecessário. E que todos os personagens ao redor de Daenerys respeitam este silêncio, e permitem que ela saboreie a experiência sozinha.

No segundo vídeo, intitulado Dany’s Homecoming”, Emilia Clarke, Nathalie Emmanuel e Peter Dinklage falam sobre como Pedra do Dragão “representou o fim de família de Daenerys, e o começo de sua vida”. E como é épica a sensação de retornar ao lugar onde ela nasceu.

Peter adiciona que esta é uma relação profunda para Tyrion, pois servir Daenerys não é como servir um membro da família – como foi o caso de Joffrey e Tywin. E Daenerys é uma mulher, o que modifica a dinâmica de sua posição e “traz complicações”, que ele acredita serem “adoráveis”.

Na terceira e última entrevista, intitulada Euron’s Proposal”, temos Pilou Asbaek, Lena Headey, e Nikolaj Coster-Waldau comentando a cena da chegada de Euron na sala do trono. Na visão de Pilou, Euron é arrogante, egoísta, burro e inteligente, mas humano. Ele conta que Euron nunca foi respeitado, e que a única maneira que ele encontra de conquistar o que deseja é roubando o que acredita ser seu. 

Lena acredita que Cersei se identifica com a crueldade de Euron, e o admira. Mas Cersei tem o prazer em manipular as pessoas, e ela vê que Euron pode ser perigoso, mas estúpido o bastante para ser manipulado. 

 


Assista ao trailer do episódio 7.02: “Stormborn”.

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados