Nikolaj Coster-Waldau comenta teoria do ‘valonqar’ em Game of Thrones

O site The Huffington Post conversou com Nikolaj Coster-Waldau, intérprete de Jaime Lannister, sobre diversos tópicos interessantes de seus trabalhos recentes. Entre eles, sua nomeação como Embaixador da Boa Vontade da ONU (UNDP), sua campanha usando o Google Street View que angaria consciência sobre o aquecimento global e, é claro, Game of Thrones.

Nikolaj mostrou durante o papo que não é muito fã de uma teoria bastante aceita por uma massiva parte dos fãs dos livros de George R. R. Martin. Estamos falando da profecia do valonqar, que foi omitida da séria da HBO, e suas interpretações. Sabemos desta profecia em O Festim dos Corvos, quando Cersei se recorda e é atormentada pelo encontro que teve com Maggy, a Rã, durante sua infância. Após Cersei perguntar se ela e o rei teriam filhos, Maggy responde: 

Oh, sim. Ele dezesseis, e você três. (…) De ouro será sua coroa, e de ouro sua mortalha (…) E quando suas lágrimas a afogar, o valonqar enrolará as mãos em sua pálida garganta branca e a estrangulará até roubar sua vida.”

(para ler nossa análise completa sobre a profecia, clique aqui).

 

 

Nas palavras de Maggy, é possível sentir que o confronto de Cersei com o valonqar (que é uma palavra valiriana para irmã ou irmão mais novo, mas no trecho do livro é associada ao artigo masculino e pronome possessivo masculino) será sua perdição. Muitos interpretam na profecia dita pela bruxa da floresta, que Jaime eventualmente matará sua irmã, amante e rainha. Isso porque, nos livros, Cersei associa Tyrion ao valonqar, culpando o irmão mais novo por muitos de seus problemas. No entanto, Jaime revelar-se a pessoa da profecia seria bem mais a cara da prosa de As Crônicas de Gelo e Fogo, e aí está a popularidade da dita teoria.

Coster-Waldau reconhece a beleza contida nessa trágédia bastante esperada, mas o ator acredita que isso possa ser um pouco óbvio também: 

“É uma teoria… Tem uma coisa bela, romântica, trágica, nisso. É provavelmente demasiado óbvio também.” 

Entretanto, ele emendou a resposta esclarecendo que, naturalmente,”não tem ideia de como essa história poderá terminar“. Como a história termina no ano que vem, e a série da HBO tem trilhado um caminho diferente daquele que acompanharemos nos livros, é bem difícil saber se Nikolaj está sendo sincero em sua resposta.

Na época em que o episódio “The Wars to Come” foi ao ar, George R. R. Martin e os showrunners fizeram uma série de comentários sobre o papel de profecias em Game of Thrones. Além disso, George já disse alguma vezes que o papel da profecia em As Crônicas de Gelo e Fogo é ser o menos previsível possível, assim como Shakespeare escreve que “quando a Floresta de Birnam chegar ao Castelo de Dunsinane, MacBeth cairá”. Substitua a floresta por um homem camuflado infiltrado no castelo e aqui temos um dos grandes twists que Martin se inspira ao pensar em profecias.

Certamente, Nikolaj tem uma visão mais clara do que a nossa sobre o personagem de Jaime desenvolvido pela HBO. Mas a história do valonqar seria realmente tão óbvia assim? O que você acha?

Divida conosco suas impressões nos comentários.

 

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados