Windhaven: ficção científica de George R. R. Martin será publicada pela Leya Brasil?

ATUALIZAÇÃO: a editora Leya confirmou o lançamento do livro no Brasil, porém informou que não há previsão para a publicação.

Hoje, o artista francês Marc Simonetti – responsável por todas as capas dos livros de George R. R. Martin lançados no Brasil, divulgou como capa da sua página no Facebook a suposta cover art de Windhaven, ficção científica escrita por GRRM em parceria com a então estreante Lisa Tuttle em 1981 e que, segundo Marc, foi (ou será) publicado pela editora Leya no Brasil.

windhaven

Windheaven by GRR Martin and Lisa Tuttle published by Leya Brazil“, escreveu Simonetti na descrição da imagem

 Sinopse: Windhaven – George R. R. Martin, mundialmente famoso pela saga épica de A Guerra dos Tronos, alia-se a Lisa Tuttle na criação do mundo de Windhaven, um planeta que se tornou o refúgio dos humanos após um desastre espacial. Constituído por pequenas ilhas, clima impiedoso e mares infestados de monstros, Windhaven é uma terra que tem tanto de sonho como de pesadelo.

800px-Avilés._Lisa_Tuttle_and_George_R._R._Martin_(2)

Lisa e George

O livro, que foi indicado ao prêmio Locus em 1982, já foi publicado na língua portuguesa pela editora Saída de Emergência, em Portugal.

A pergunta é: será que a Leya vai mesmo publicar o livro, ou esse livro será como Sonho Febril, história de vampiros escrita por Martin cuja versão brasileira foi “anunciada” há algum tempo mas, até hoje, não saiu da arte de capa.

Vamos aguardar um pronunciamento da editora.

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados

  • Messinho’

    Pra quem já leu: é bom? (pergunta idiota, eu sei)

  • Cleyton Oliveira

    Não vejo como pergunta idiota, só pq Martin fez uma obra prima não quer dizer que ele tenha acertado a mão em todas as suas obras.

  • Messinho’

    Perguntei mais no sentido de “Tá, o livro é aclamado pela crítica. Mas é o público?”

  • Gomes, Allan Gomes

    A Leya não consegue nem manter uma regularidade na publicação de WildCards, imagina ficar dando conta desses livros mais “avulsos”

  • Patrick Ramos

    A Leya quando começou a lançar os livros das Crônicas de Gelo e Fogo era vista como uma editora promissora no gênero fantástico da literatura. Atualmente é encarada apenas como uma editora que apenas promete e não cumpre com as suas promessas. Fevre Dream foi só o primeiro caso. Ela anunciou o lançamento do livro em 2013 e dois anos depois a única coisa que temos é a arte da capa. Wild Cards também começou a sofrer com isso; a Leya prometeu lançar três livros por ano e até o momento só temos três ou quatro livros (não sei ao certo. Só li o primeiro livro e larguei de mão. Muito ruim). Mistborn do Brandon Sanderson também demorou a ser lançado e suas continuações são sempre postergadas e como último caso temos Acácia que, em teoria, a editora deveria publicar, mas nem demonstrou interesse em divulgar uma informação sequer a respeito.

    A meu ver a Leya ficou desestruturada depois que ocorreu o caso da supressão de um capítulo em “A Dança dos Dragões” e ao invés de se reerguer ela conseguiu se afundar cada vez mais e perder prestígio entre os fãs do gênero.

  • Argeu

    Na verdade o livro é da Lisa Tuttle, o Martin foi co-autor, ou seja, meio que orientou ela na criação do livro.