Guillermo Del Toro explica diferença entre Game of Thrones e O Senhor dos Anéis

peter-jackson-del-toro1

Peter Jackson e Guillermo Del Toro

Por esses dias, o diretor de Pacific Rim (Círculo de Fogo, no Brasil), Guillermo del Toro, foi convidado para participar de um AMA (Ask Me Anything) no Reddit e, como foi colaborador na trilogia “O Hobbit” de Peter Jackson, perguntaram se ele prefere Game of Thrones ou O Senhor dos Anéis.

É, parece que ninguém está livre de responder essa pergunta ao menos uma vez na vida. Mas como a maioria das pessoas, ao invés de dizer qual das duas sagas ele considera a melhor, Del Toro fez uma comparação, explicando a diferença entre elas. E foi isso (ou mais ou menos isso) que ele escreveu:

sean-bean-lord-of-the-rings-game-of-thrones-102552

Sean Bean como Boromir em “A Sociedade do Anel” e como Ned Stark em Game of Thrones

Eu que raramente fui tão transportado pra dentro de um filme como eu fui enquanto “A Sociedade do Anel” se desdobrar dentro da tela. Eu considero Peter Jackson um dos mais talentosos diretores a encarar o gênero fantasia. Acredito que Game of Thrones opera em um nível diferente, embora dentro desse mesmo gênero. Game of Thrones tem uma complexidade sexual e social que faz dela uma história de fantasia muito diferente que não trata apenas da ameaça de um inimigo eminente, ou da pureza do mal, mas do mal relativo que se esconde dentro do coração de toda a humanidade. Portanto eu acho que as obras de Tolkien proporcionam uma experiência totalmente diferente da que proporciona Game of Thrones, mas ambas são um trabalho de mestre no que se refere à criação de mundos.

Importante salientar que Del Toro comparou as adaptações de ambas as sagas, e não os livros. Mas acho que acabou dando no mesmo, não? Concordam com ele?

[Fonte: comicbook.com]

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados

  • Martins

    Grande Del Toro!

  • Lucas Oliveira

    Sim,sim mas isso já estava claro.

  • Senhor dos Anéis é puramente maniqueísta, não tem como estabelecer uma comparação com GoT pois são propostas totalmente diferentes. Por mais que mil pessoas digam isso em várias entrevistas sempre vão insistir em voltar nesse tema…

  • GoT é bem melhor q Senhor dos Anéis.

  • Ele disse tudo. A principal diferença é essa mesmo, o Sauron está diluído no coração de todos os homens, assim como Gandalf. Não há bem e mal tão bem claro na vida, o que faz de GoT uma fantástia mais próxima da realidade que O Senhor dos Anéis…

  • Kakatua

    Estou começando a ficar impaciente, o que é maniqueista afinal de contas? Pesquisei no google e é a representação do bem e do mal da religião cristã, não seria então dizer que se utiliza arquétipos, o qual mesmo em crônicas de gelo e fogo é utilizado com os “outros”?
    E eu concordo com com Gullermo del Toro, é difícil comparar as duas obras, E o mundo de senhor dos anéis não é só a saga do anel, mas também o Hobbit e principalmente Silmarillion que mesmo sendo uma obra póstuma é um dos melhores livros de fantasia que eu já li, superando um pouco Crônicas de gelo e fogo em alguns pontos. Claro tenho certeza que muitos vão discordar do que eu falei e vão tentar refutar minha opinião com sua própria opinião, isso me leva a crer que tal pessoa está pensando que a minha opinião está errada e deve me corrigir por postar sua opinião, mas aí está a pergunta, existe uma opinião do seu próprio gosto pessoal errada? Só se eu mentisse é claro, que esta opinião estaria errada.

    Eu fiquei com raiva sobre maniqueísmo porque várias pessoas falam sobre isso com crônicas de narnia e whell of time em outro tópico e não param pra pensar que toda fantasia existe arquétipos do bem e do mal. Obviamente não estou criticando essas pessoas ou dizendo que essa não é maniqueista pois essa é a opinião delas dessas obras mas usar a desculpa que uma obra é maniqueísta é difícil de engolir no meu ponto de vista, não é mais simples dizer que não gosta da obra pelo rumo da história?.Agora que penso deveria postar no outro tópico mas vou deixar essa opinião que provavelmente será deletada…

  • Diego Natan Canteri

    A diferença é que Tolkien criou mitos e Martin faz uma espécie de ficção histórica de um mundo inventado.

  • GoT quebra muito essas linha do bem e do mal, não deixando ele muito claro. Mesmo a figura dos OUTROS é controversa. Existem teorias que quebram essa linha deles serem maus. Quem disse que os vilões são eles? Essa incerteza é justamente o que faz GoT especial. Não acho que histórias que usem o maniqueísmo sejam necessariamente ruim, Senhor dos Anéis é um bom exemplo disso. Contudo, é o excesso de maniqueísmo enjoa um pouco e o sucesso de GoT prova que há espaço para quebrar esses estilo também.

  • GalahadGraca

    As melhores obras de fantasia que eu conheço, mas o Senhor dos Anéis pra mim é nº 1. Sem contar que em vários aspectos Martin se inspirou em Tolkien.

  • na minha humilde e opinião pessoal, GoT é, em vários níveis, uma evolução de Senhor dos Anéis, mesmo que muitos não concordem. O maniqueísmo é um invenção religiosa fantástica. O ser humano não é nunca será apenas uma coisa…

  • A Terra Média é um “paraíso” se comparada a Westeros (lembrando que é só um dos continentes onde a treta rola solta). No meu ponto de vista, Martin conseguiu ser muito mais obscurantista que o próprio Tolkien, pois mesmo não vivenciando os horrores da guerra, usou parte disso pelo menos em “essência” para descrever toda desgraça de se viver em um mundo, não em processo de corrupção mas que já se perdeu e tenta sobreviver ou pelo menos minimizar o terror que já se estabeleceu na alma humana.

  • Don Ramon

    Idem.

  • Vaz

    Tolkien é o pai da fantasia moderna.

  • Vaz

    Maniqueísta em essência ou não, uma diferença que acredito agradar os leitores em GoT é o fato de não termos um “herói” que certamente sobreviverá a tudo. Tolkien é o pai da fantasia como a conhecemos e gostamos hoje, Martim é um escritor diferenciado com uma escrita própria, ambas as obras são ótimas. Mas hoje, prefiro ler algo menos previsível como GoT.

  • michel

    Assim como o Tolkien também se inspirou em outras obras, como a mitologia nordica por exemplo, mas isso não tira nada da excelência que é senhor dos aneis, só são obras de teor diferentes.

  • Anon Anonimo

    Martin reconhece Tolkien mas se inspirou na História na verdade.

  • Rodrigo MariMoon

    As diferenças que vejo:
    Tolkien se foca na fantasia do universo que criou; GRRM se foca na política.
    Tolkien escreveu histórias pra crianças e adolescentes; GRRM escreveu exclusivamente pra adultos.
    Tolkien criou personagens ótimos, que a gente gosta e tal… O GRRM os cria e nos faz se apegar a cada personagem individualmente, e nos fazer se sensibilizar, chocar ou impressionar quando um personagem morre – ou ressuscita, em dois casos.
    Tolkien criou uma história já toda “pronta e mastigada” pra gente ler/assistir; GRRM criou várias e várias tramas paralelas, pra agradar todos os gostos e nos deixar ansiosos a cada capítulo.
    Pois Crônicas de Gelo e Fogo, de uma outra perspectiva, é como uma história de zumbis – vulgo The Walking Dead -: ninguém ‘tá livre de ser morto a qualquer momento. E é isso que prende a atenção do leitor: ficamos ansiosos pra ver o que acontece com os personagens e lugares, e nunca sabemos quem fica vivo ou quem morre… E sempre nos surpreende.
    Por exemplo: alguém – seja quando você lia o livro ou via a série pela primeira vez – esperava aquela cachina no casamento do Edmure com a Roslin? Então…
    Diferente do Tolkien, GRRM sabe ser imprevisível…
    Gosto tanto de Game of Thrones quanto de Senhor dos Anéis, mas GoT sabe ser melhor XD!

  • Charles

    Pra mim, não há como comparar duas obras tão diferentes. São sim, duas historias sobre fantasia. Mas seria a mesma coisa de eu comparar Senhor dos Aneis com Superman. São historias de fantasia, mas são tão diferentes que não há nexo comparar as duas.
    Tolkien se apegou a luta do bem contra o mal. Coisa que para nós parece batida, mas na época dele, nao deixava de ser algo novo. Claro que el se baseou em varios contos, mitologias e historias. Mas isso nao faz de sua obra menos primorosa.
    Já Martin, criou um mundo diferente. Ele inovou ao colocar essa ideia de “ninguem esta a salvo”. cada personagem tem sua personalidade, que o faz ter certas atitudes,e que por sua vez terão suas consequencias.
    Para mim, as duas são incomparáveis. Ambas são incriveis, cada um do seu jeito.

  • Felisberto Albuquerque

    Concordo…

  • Felisberto Albuquerque

    São escritores de épocas diferentes, escrevendo personagens de um mundo fantasioso, com motivações diferentes. Ambos gênios.
    Li muito de ambos e considero Tolkien o MESTRE.
    ———
    Cito aqui outro escritor pioneiro nas obras do estilo Sword and Sorcery que não vejo ser lembrado: Robert E. Howard.
    A Atlantida de Kull, O Conquistador… A Era Hiboriana de Conan…. as lutas de Bran Mak Morn contra o domínio Romano …..e as aventuras de Salomão Kane, O Puritano eram DUCA mano.

  • Charles

    Concordo que o Howard é pouco lembrado, e o próprio Tolkien se influenciou com a obra dele.

    Muito bem lembrado

  • MBMR

    Tolkien e Martin OBRIGADO! E que venha o próximo!

    Talvez algumas pessoas preferisse um ao outro e suas adaptações por detalhes diversos.
    Vejo no geral que cada um em sua época fez trabalhos espetaculares e só tenho a agradecer.

  • RenanRCV

    Partilho da mesma opinião que vc. O problema é outros partilharem, rs.

  • Antonio Marcos

    kkkk
    GoT é muito melhor! Porque sem muito esforço consegue te prender 🙂

  • Roberto Pereira

    Eu acho muito difícil para um leitor comum que lê Got antes de SdA gostar do livro de Tolkien. Enquanto a trilogia do inglês foi concebida como um fino trabalho literário, os livros do Martin são quase um roteiro pronto pra ser filmado e – portanto – de muito mais fácil digestão pelo público médio de hoje.

    Para mim ambos são excelentes, mas cada um no seu quadrado.

  • $92986677

    Elas não são diferentes demais para comparar, pelo contrário ambas tem muitos elementos em comum, mas para encurtar, leia o comentário abaixo de @rodrigomarimoon:disqus, basicamente resume o que tenho a dizer.
    Gosto de ambas, porém GoT me espantou, surpreendeu, intrigou, em um nível completamente diferente de Tolkien, por isso costumo dizer que as duas se completam, você -precisa- ler/assistir Tolkien quando é criança e adolescente, e -precisa- ler/assistir GoT quando for adulto 😀

  • Gabriel Fernando

    kkkkkkkk GOT tem pouca ação, é mais um drama, mas é muito foda…
    Mas acredito que uma guerra ta por vim!!! e vai ser uma das mais epicas de todos os tempos!!

  • Meireles Alho

    Crônicas de Gelo e Fogo é com uma novela, por isso nos prendemos tanto. e fato de ninguém estar livre da morte é real em qualquer lugar no mundo. O que me surpreendeu mais foi a morte de Eddard Stark na primeira temporada e também no livro que li depois de ver a série

  • Guilherme Fonseca

    O Hobbit foi feito para crianças da década de 30 e 40, Senhor dos Anéis foi feito para adolescentes e jovens adultos, que seriam os filhos do Tolkien crescidos agora as outras obras dele, que seriam O Silmarillion, Os Filhos de Húrin e Contos Inacabados são para adultos, envolvem um drama mitológico gigantesco, tudo isso foi inspirado em algumas religiões, contos e mitologias, tem até um documentário no Youtube (acho que no History) que explica a fundo sobre as obras de Tolkien. JRRT praticamente inventou a fantasia que vemos hoje em filmes, livros, jogos e séries, outros autores se inspiraram nele, como GRRM e C.S. Lewis que fizeram isso com maestria, encantando fãs e críticos.
    Você está fazendo críticas diretamente contra o autor e não às suas obras, o que se denomina “Argumentum ad hominem”.

    PS: Eu não esperava Saruman ter ido a casa do Frodo e destruído o Condado, como ocorreu no fim do Retorno do Rei (coisa que Peter Jackson ficou com medo de fazer), depois de tudo que os hobbits passaram eles ainda não tiveram um final previsível e feliz.

  • Rafaela Bastos

    O trabalho de Tolkien é excelente, mas pra quem leu GoT primeiro, sem dúvida acharia SdA maniqueísta.

  • Vinicius Costa

    Acho meio errado comparar as duas coisas. O Senhor dos Anéis e toda a Terra-Média é MITOLOGIA. Quem lê os livros e até os contos que o Tolkien escreveu percebe muito bem isso. O Tolkien se baseou muito na mitologia – principalmente na nórdica – e criou uma história de mitologia, com deuses, magos, monstros e heróis. Basta procurar as histórias mitológicas europeias e você vai perceber a semelhança.
    Já o Martin se inspirou na história real do mundo para escrever. Então o próprio tom da coisa é diferente.
    Isso sem falar que foi o Tolkien quem pegou todos os conceitos de dragões, elfos, anões e monstros e compilou isso no mundo padrão de fantasia que continuou a ser usado no decorrer dos anos, e não tem um escritor de fantasia que não beba da fonte de Tolkien.

  • Charles

    Ummm, não sei. Concordo com algumas coisas, mas ainda assim acho muito ingenuo comparar duas coisas só porque são do mesmo tema.
    a época de Tolkien era outra, e ele criou um mundo muito completo. Martin é um gênio também, criou uma historia muito rica e com muitas tramas. Cada um é especial segundo sua particularidade. Não consigo comparar as duas.

  • Felisberto Albuquerque

    Duas partes importantes de O Senhor dos Anéis que, ficaram de fora da adaptação de Peter Jackson: Tom Bombadil e o Expurgo do Condado.
    O Expurgo serviria pra mostrar a mudança que toda a aventura trouxe a Frodo, Sam, Merry e Pippin.
    Realmente uma pena….

  • RT

    Se você ver o mapa da Terra Média vai ver que não é só em uma região que se desenvolve a mitologia. Tem o continente de “O Senhor dos Anéis”, Endor, que teve uma parte “Beleriand” que afundou. E tem Valinor, do outro lado do mar, conhecida como “As Terras Imortais”, ou continente de Aman onde se desenrolam histórias também . Sem falar da ilha Númenor que afundou também na segunda era. Tem tantas regiões quanto GOT. E em Senhor dos Anéis tem a questão dos orcs, que são mais terríveis que os homens que se encontram em Got. Que querem destruir tudo e todas as raças, além de brigarem entre si. Sem falar dos humanos que se corrompem lentamente, pela influência do anel que potencializa suas ambições internas ou por suas escolhas e intenções, evidenciando essa parte negativa do ser humano. Se você analisar bem, vai ver que grande parte desses dilemas de GOT também aparecem em SDA ou nas outras obras da Terra Média de Tolkien. Como na pior fase da primeira era, onde Turin metia os pés pelas mãos escolhendo por impulsividade ou tomando decisões precipitadas. Boromir, Turin, os doze reis que transformaram-se em espectros, humanos que se aliavam a Sauron ou Mordor, alguns homens de Númenor entre outros evidenciam também essa obscuridade humana. Os horrores da perda e possível ocupação do inimigo impiedoso sobre as terras dos derrotados, forçando os humanos a fugirem e viverem com medo também é abordado. Grande parte disso pode ser lido em O Silmarillion, além de O Senhor dos Anéis. A questão talvez seja a forma da narrativa usada, que pode evidenciar esses aspectos de maneiras distintas, ainda mais em O Silmarillion que é em formato de contos, e parecendo mais evidente em GOT. Mas que há em Tolkien há, só que descrito de uma forma diferente, em diferentes graus e abordando outros aspectos. E é claro, numa linguagem menos “adulta”.

  • Rodrigo MariMoon

    Foi mesmo ‘-‘… Fiquei chocado, e até ri de nervoso quando vi a morte do Eddard ^^’…

  • Rodrigo MariMoon

    Parece que todos partilham da mesma opinião que a minha XD… Kkkkk’.

  • Rodrigo MariMoon

    Tipo, nem me importei muito em ter cortado o Tom Bombadil, mas o Expurgo do Condado?! Teria sido o Grand Finale da trilogia!!! Eles chegarem lá, e o Condado parecer um campo de concentração, com orcs escravizando os hobbits… Teria sido maravilhoso! Mas entendi que o Peter Jackson queria fazer um final otimista pro Frodo, então bola pra frente, né XD…

  • Felisberto Albuquerque

    Finais otimistas é que menos tem nas histórias de Tolkien vide O Silmarillion, os Filhos de Húrin e Contos Inacabados…

  • Jegus

    Ao ler a primeira diferença apontada fica claro que você se baseia em uma leitura rasa da história contada em O Senhor dos Anéis. Que é o que a maioria dos que fazem essa comparação faz.
    Você fala As Crônicas de Gelo e Fogo tem sexo, incesto, assassinato (são livros adultos…); Tolkien fez isso anos antes. Filhos de Húrin prova isso.
    Não discordo que as personagens de Tolkien sejam em sua maioria planas, mas nenhuma morte escrita por George superou, na minha opinião, supera a morte de Arwën, que se desespera ao ver seu Rei morto.
    Você diz que tudo que Tolkien criou está “pronto e mastigado”, mas tudo que vemos de fantasia hoje é baseado no que ele fez. Não haviam grandes obras de fantasia, ou seja, praticamente tudo que é consumido deste gênero hoje é “pronto e mastigado” pois se baseia em Tolkien, esse seu comentário é absurdo. E falar de morte, como se as personagens criadas por Tolkien fossem eternas é ridículo, todos os personagens morreram ao seu tempo e isso foi contado pelo autor.
    Mas é perceptível que você não tem muita base para falar sobre o Legendarium, uma vez que fica claro no final de seu comentário que sua opinião se baseia somente na sua percepção de uma forma emotiva, um autor conseguiu de surpreender e outro não. Lamentável.

  • Rodrigo MariMoon

    Concordo.

  • Cid D´Avila

    O que você quer dizer com “pouca ação”?

  • mauricio braglia

    vou apanha com gosto agora.
    sem duvida nenhuma Game of thrones ultrapassa o senhor dos aneis é como uma lamburguini diablo e o ford modelo t…..
    obvio q sm tolkin nada de games of thrones até intendo o pq do sabonete na resposta do del toro “de problemas bastão os meu” kkkkkkkk
    é impossivel argumentar contra um coração apixonado e que gosta da fantasia de Tolkin é assim.
    eu gosto mas sou sinico rsrsrs
    por isso aprecio mais a crudesa pragmatica de games of thrones onde nada acontece convinientemente para salvar alguem q fez burrada. a estoria flui do autor e cada personagem segue seu caminho natural até a morte ou a pós morte.
    tolkin tem até nos seus livros menos leves como o simarilion o uma brandura ou comedimento para com a fluides dos resultados tudo se encaixa tudo ajuda o bom carater e o bem vence o mal, os seres claros matam os escuros o condado foi queimado mas no fim tudo bem sempre tem um consolo…. é legal serio, é mesmo é bom saber que Deus existe, a justiça funciona e todos ganham chocolate.
    ai vem o Martim e bum pras cucuias as fadas, o principe loiro ta traçando a irma e o monstrinho atrofiado é o unico q tem senso de justiça, isso se agente ficar no esteriotipo q é muito usado no Tolkin mas se formos a fundo nos personagem ai bem ai voltamos a lambirguini e o modelo t,

  • Felisberto Albuquerque

    Vários eventos das obras de Tolkien contrariam o que vc escreveu. Senão vejamos:
    – O que existe de sublime ao final da saga de Fëanor e seus filhos??? Ele é o principal responsável pelo Fratricídio que aconteceu em Alqualondë, onde os Noldor massacraram os teleri e levaram seus barcos…O juramento de Fëanor levou a si e a seus filhos direto para a desgraça e morte e para a Condenação de Mandos;
    – Não existe nada de sublime na história de Húrin e seus filhos meu caro…Pelo contrário e só danação e desgraça. Ao final, Húrin MORRE… seus filhos, Turim Turambar e Nienor se casam e AMBOS MORREM. Fora que suas ultimas palavras, próxima a localização de Gondolim levaram a Morgoth enviar orcs batedores que acabaram capturando o elfo Maeglin, sobrinho de Turgon…Esta captura levou a completa destruição de Gondolin.
    – A destruição de Gondolin onde Turgon morre, junto com Ecthelion e Glorfindel (estes últimos combatendo Balrogs)… a Destruição de Doriath pelos anões (marcou a eterna inimizade entre os anões)… a destruição de Nargothrond por Glaurung que tomou esta fortaleza para si…
    – O que tem de sublime na Nirnaeth Arnoediad e na Dagor Bragollach?? Os heróis morrem e o mal perdura na Terra Média… Humanos, elfos e anões sofrem as agruras de terem sido MASSACRADOS sem piedade pelos servos de Morgoth e milhares são escravizados;
    – O que temos de sublime no destino de Númenor?? Sauron consegue com que a ilha seja DESTRUÍDA….
    ————————-
    Isto que nem me aprofundei muito… isto são somente algumas passagens…. Tolkien não se resume ao Senhor dos Anéis e ao Hobbit… Leia Contos Inacabados, os Filhos de Húrin e o Silmarillion e vc vai ver que nem tudo “acaba bem” para os heróis.

  • mauricio braglia

    não e que tudo acaba bem mas que o bem sempre vence o mal….. hehehehe disse que nas obras do tolkien tem uma conveniencia de acontecimentos que levam ao heroi vencer.
    nesse caso de hurin , veja a desgraça de hurin e sua casa é quese “jó” o cara sofre horrores ele e seus filhos tem até uma de incesto ai nessa estoria, mas sempre com brandura com comedimento não ha a falta de destino que tem no game of thrones (lembrando q hurin atraiu a maldição dos noldor a si e sua casa ao se juntar a thurin) (desculpa se errei o nome do elfo nunca consegui guardar direito) onde nunca se sabe oq é coicidencia ou destino e te aprocima mais dos personagens.
    concordo q me esprecei mal quanto a lamburguine e o modelo t mas que a saga game of thrones é uma evolução e um aperfeiçoamento dos temas fantasia comparado ao tolkien é!.
    e lembrando iluvatar “tudo é para contribuir a minha obra” mais destino q isso rsrsrs
    mas estou seguindo seu concelho e procurando os contos inacabados simarilion ja foi faz tempo hehehe.

  • Felisberto Albuquerque

    Bom como ja foi comentado aqui a obra de Tolkien é mitológica… A obra de G.R.R. Martin é política.
    Sobre o bem vencer SEMPRE o mal, temos algo similar em ambas as obras. Em Tolkien temos finais agridoces em cada arco da história… O bem vence mas os heróis pagam um preço alto.
    Martim ja adiantou que teremos um final agridoce para ASOIAF. Muito provavelmente o bem irá vencer também, representando ai a luta entre humanos contra os Outros, mas teremos a morte de algum personagem querido do público.

  • Rodrigo MariMoon

    Cara, eu me baseei apenas em Senhor dos Anéis e em O Hobbit pra fazer essa comparação com Crônicas de Gelo e Fogo ‘-‘…
    E quando digo “tudo pronto e mastigado” é porque as histórias dele sempre têm um diálogo no começo do livro em que dizem o que farão no final da história. Por exemplo, em SdA: “Frodo, você deve ir até Mordor e destruir o Anel na Montanha da Perdição!” E o que rola no final? Frodo chega lá, e o Um Anel é destruído em Mordor! Em O Hobbit: “temos que ir pra Erebor, tomar nosso Reino de volta, derrotar o Dragão e pegar a Pedra Arken” O que rola no final do livro? Exatamente tudo isso que eles disseram no começo da história!
    Isto é, o Tolkien sabia criar uma ótima história, mas não sabia criar mistério; sempre começava os livros com um diálogo descrevendo o que farão no final. A vez em que eu me surpreendi foi com a morte do Boromir.

  • Rodrigo MariMoon

    Cara, eu me baseei apenas em Senhor dos Anéis e em O Hobbit pra fazer essa comparação com Crônicas de Gelo e Fogo ‘-‘…
    E quando digo “tudo pronto e mastigado” é porque as histórias dele sempre têm um diálogo no começo do livro em que dizem o que farão no final da história. Por exemplo, em SdA: “Frodo, você deve ir até Mordor e destruir o Anel na Montanha da Perdição!” E o que rola no final? Frodo chega lá, e o Um Anel é destruído em Mordor! Em O Hobbit: “temos que ir pra Erebor, tomar nosso Reino de volta, derrotar o Dragão e pegar a Pedra Arken” O que rola no final do livro? Exatamente tudo isso que eles disseram no começo da história!
    Isto é, o Tolkien sabia criar uma ótima história, mas não sabia criar mistério; sempre começava os livros com um diálogo descrevendo o que farão no final. A vez em que eu me surpreendi foi com a morte do Boromir.

  • Rodrigo MariMoon

    Nossa, me sinto lisonjeado por ser citado como exemplo :3… Kkkkkkkkk’.

  • mauricio braglia

    Bem lembrado! acho que vc ganhou nos argumentos rsrsrs.
    não é curioso como se pode ler o mesmo livro e absorver coisas diferentes?
    Se o Martim cumprir a promessa teremos um final Tolkieniano (se é que isso existe) kkkkkk
    mas sim relendo com mais cuidado e comparando algumas partes vemos nas entrelinhas nomes e citações de Tolkien em Martin.
    mordo a lingua e apanho de mim mesmo rsrsrs
    não tem como apartar e dizer tal obra é superior a outra pois numa analiza mais cuidadosa vemos o entrelace do genero com as diferenças dos dois estilos se separando e se mesclando um ao outro .
    Salve o genero fantazia e viva Tolkien e Martin, assim como Cornowell e igoldenn (não são fantasia mas são escelentes escritores com obras magnificas).

  • Cristiano Pinheiro

    Idiotice isso ! Gosto de ambas ! Mesmo preferindo a Terra média , Fantasia é para ser fantástica e não realística … Porem Em Guerra dos tronos, vemos algo que explora bastante o lado sexual e humano numa fantasia medieval, Isso é o diferencial da série, os personagens cagam, se machucam, transam e outras coisas . Martin da muita enfase a esses detalhes e isso tem uma enorme semelhança com a era medieval do nosso mundo, isso mesmo ! Martin pegou os homens da nossa era medieval e colocou num mundo de fantasia, e com isso esse mundo ficou, como posso dizer … menos fantástico e mais realista e até um pouco mais nojento ,como o nosso mundo é … Já Tolkien , como os humanos são baseados em poemas, em contos e em canções medievais,que são muito mais lindas e singelas nos leva uma experiencia muito mais fantástica , repleto de amor, amizade e batalhas do bem contra o mal… Ambos os mundos são muito bem construídos, eu viajo muito mais nas obras de Tolkien definitivamente ele me acalma ,de Martin me deixa apreensivo e até apavorado as vezes (issoé bom ta?!) .E não venham me dizer que eu sou um , fanático em Tolkien que eu não sou,estou no livro senhor dos anéis e no livro 3 de guerra dos tronos. É oque penso….