Análise do Episódio 4.10 ‘The Children’ (com spoilers)

O texto a seguir possui spoilers dos livros A Tomenta de Espadas, o Festim dos Corvos e A Dança dos Dragões que ainda não foram exibidos na série de TV. Leia por sua conta. The Children adaptou os capítulos: Jon X (pág 755), Jon XI (pág 786), Jaime IX (pág 744) e Tyrion XI (793), Arya XIII (pág 767) de ATdE; Cersei II de OfdC (pág 91), e Daenerys I (pág 35), Daenerys II (pág 132) e Bran II (pág 150) de ADdD.

THECHILDREN_DEST

Depois de ‘Fire and Blood’, Game of Thrones jamais consegui fazer um final de temporada que tivesse uma força tão considerável.

Em “2.10: Valar Morghulis“, tivemos uma amarga Casa dos Imortais em contraponto com o apoteótico e maravilhoso encontro de Sam com os White Walkers. Embora a cena dos seres cadavéricos marchando Além da Muralha tenha sido um dos melhores momentos da série, a sombra que a adaptação das aventuras de Dany na torre mágica de Qarth deixou (mesmo com a adorável participação de Khal Drogo) até hoje não foi superada pelos leitores de As Crônicas.

Em “3.10: Mhysa” tivemos o melancólico festim dos Freys, que desfilavam a cabeça de Vento Cinzento costurada ao corpo morto de Robb pelo norte em justaposição a Daenerys sendo a salvadora branca de escravos. A terceira temporada é costurada ao redor do Casamento Vermelho, e seu fim foi tão triste e desgastado quanto nossos próprios sentimentos estavam naquela época. Na época já se falava da falta do epílogo do livro, já que faria mais sentido que Nymeria encontrasse o corpo de Catelyn momentos depois da carnificina.

O clima depois das filmagens do Casamento Vermelho na equipe de Game of Thrones ficou pesadíssimo. Richard Madden, Oona Chaplin, Michelle Fairley, David e Dan se prenderam demais uns aos outros e se prenderam à tragédia da cena que é de fato a mais importante de toda a saga até agora. A decisão de respeitar a grande atriz que Michelle Fairley é e não usar Lady Stoneheart nas próximas temporadas veio exatamente deste momento. De deixá-lo sagrado, de mantê-lo intocado da maneira que ele é.

Nós, aqui do outro lado das coisas, não sabemos o que acontece ali dentro dos set de gravações. Os produtores se envolvem pessoalmente e emocionalmente com a equipe e isso se reflete em tudo. Toda série de TV funciona assim.

Já disse isso um punhado de vezes aqui: a série nunca será melhor do que os livros, e as pessoas continuam exigindo que ela seja. Como se precisasse fazer justiça ao livro. Como se de alguma maneira David e Dan pudessem contar uma história melhor do que a que o Martin começou, lá em 1991 (muitos de vocês nem eram nascidos, vejam bem). Eles não podem. Eles não irão conseguir, nunca.

O problema de se adaptar Game of Thrones vai muito além de não podermos sentir a maravilhosa sensação de horror, fascinação e medo que é ler o Epílogo de A Tormenta de Espadas logo após de ter sofrido tanto com os horrores dos capítulos que o antecedem. O problema é ver Brandon Stark encontrar O Corvo de Três Olhos e conversar com ele com a voz grossa de um homem que já está crescido. O problema é ter um ator tão maravilhoso para ser Tyrion que fica difícil enegrecer demais sua psique. O problema é ter 10 horas para contar uma história e mesmo assim parecer pouco, sempre. Mas eles vão lá e fazem tudo mesmo com esse monte de problemas. Entregaram uma temporada muito louca e intensa, com um season finale difícil de ser entendido para aqueles que leram os livros. Mas entregaram.

Pra entender o que aconteceu nesse season finale da quarta temporada, precisamos entender o que aconteceu com esses personagens analisando as coisas de uma maneira mais primitiva. A conclusão que se chega, e que é a que a maioria dos sites especializados em TV chegaram, é a aqui David e Dan brincaram com a ideia de fazer os personagens se auto destruírem quando perceberam que as coisas que eles queriam, eles na verdade não iam conseguir em primeiro lugar. Que a jornada durante a temporada não serviu de nada e que a vida chegou e os esmagou. E, quando a realidade finalmente bate a porta, eles meio que piram, jogam tudo pro ar, e finalmente se permitem chorar, gritar, matar.

22

É impressionante como esse foi um começo de episódio bonito. Game of Thrones raramente nos dá esse sentido de continuidade tão literal. Jon andando rapidamente pela neve, suja e cheia de cadáveres, enquanto Edd o observa do lado de cima. A Muralha de Gelo brilhando contra a luz do sol, o diálogo com Mance Rayder, os ótimos detalhes na composição do encontro e das falas foram muito bem pensados. O Mance de Ciarán não tem nenhuma semelhança com o dos livros, e sofreu com diálogos estranhos e um estado de espírito irritado durante as temporadas anteriores. O Mance que vimos nesse episódio, apesar da peruca estranha, parecia mais um Mance em que a gente podia entender, um cara desesperado, cansado, preocupado com seu povo e ainda assim duro e inteligente. Um Mance com um propósito. Aliás, melhor momento de Mance nesse episódio acontece quando Jon conta que Ygritte morreu. O semblante dele fica pesaroso de um jeito que é muito bonito. Tudo sobre Ygritte nesse episódio é belo.

Nos livros, a situação de Jon é um pouco diferente. Nós temos Alliser Thorne e Janos Slynt voltando de Atalaialeste do Mar e prendendo-o nas celas de gelo por traição. E então eles obrigam Jon a atravessar a Muralha para matar Mance. É engraçado como nessa primeira cena do episódio, vemos que a motivação deste personagem já é outra. E isso se descarrega por todos o episódio, por isso é difícil pra caramba analisar e comparar essas cenas. E será cada vez mais.

Pois Jon foi por conta própria. Jon não comeu ou dormiu. Lutou pra caramba e saiu pela neve, para acabar com aquilo de uma vez. E é muito bom como Jon sai para matar Mance, mas completamente inseguro e incerto do que iria realmente fazer.

Jon é falso nesse episódio. E isso é uma característica dos bons políticos.

Voltando a questão do livro, um ponto muito bacana sobre a questão de sabedoria de Mance é levantado quando vemos ele dizendo a Jon que sabe que a Patrulha está bem pobre em provisões: comida, bebida, armas. Esse é um lance legal sobre a calamidade em que eles se encontram e sobre a chegada do inverno. E principalmente é aqui que chega a questão do Banco de Bravos, o que nos leva a crer que veremos Tycho na temporada que vem. Ou será que Stannis financiará tudo? Ele tem dinheiro na série, nos livros o encontro com Tycho só acontece depois. Interessante.

Mas e a questão do Berrante de Inverno, hein? Ficou bem claro, especialmente nesse episódio, que os produtores da série não curtem brincar com todos os elementos que os livros dão. Mas olhem só, o Qhorin apenas saiu com Jon em busca dos selvagens para que eles descobrissem o tipo de ‘magia sinistra’ Mance tinha na manga. Qhorin morreu para que isso fosse descoberto, e Jon de fato acabou descobrindo de uma maneira ou outra. O meu ponto é que a morte de Qhorin nesse contexto mostra que ele sabia e imaginava todos os passos de Mance, tendo efetivamente contribuído para que Jon buscasse, conhecesse e possuísse a arma mágica.

Na série… não.

De repente… “CAVALEIROS CHEGANDO!”. Mance se desespera pensando que é uma artimanha de Jon, e Jon se desespera para tentar explicar. A cena que segue é muito boa: milhares e milhares de homens cavalgando em direção a Floresta Assombrada. Um veado em um coração flamejante estampa suas bandeiras amarelas. A visão aérea do exército é impressionante.

1

Muitos selvagens morrem na luta e Mance não suporta vê-los perecer, mandando todos recuarem. A poeira e neve revelam então Stannis e Davos, que perguntam se aquele é o rei para lá da Muralha. Enquanto Mance é duro dizendo que jamais se ajoelhará, Jon Snow é a personificação da diplomacia. O seu semblante, sua linguagem corporal, tudo mostra fascinação e medo de finalmente ter alguém com grande poder militar e idealístico para tomar conta da Muralha. Defender o reino.

Nos livros, logicamente, a chegada de Stannis é muito mais sangrenta e caótica. Temos Mance lutando e sendo atingido, temos Dalla em trabalho de parto e Varamyr correndo enlouquecido quando a águia de Orell, que era dele agora, pega fogo. (Aqui temos o gancho para o prólogo de A Dança dos Dragões).

A conversa sobre Ned Stark entre Jon e Stannis se dá em outro momento nos livros, já que Jon encontra-se com Stannis apenas em Castelo Negro, dias mais tarde. O que eu mais gosto desse primeiro encontro entre eles é quando Jon se lembra o que Donal Noye disse sobre os irmãos Baratheon. Donal, que foi quem fez o martelo de guerra de Robert, e a primeira espada de Stannis disse: ‘Robert era o verdadeiro aço. Stannis é puro ferro, negro, duro e forte, mas quebradiço, como o ferro se torna. Quebrará antes de se dobrar.’

No livro Stannis sabe que Jon é um warg. Sabe que Jon encontrou as adagas de obsidiana que Sam usou para matar o Outro. Sabe que ele é filho de Ned. Mas também sabe que era irmão de Robb. Isso deveria ter ficado um pouco mais evidente na série, a questão de Robb, a quem Stannis sempre considerou um jovem besta que queria roubar o reino pra ele. Mas ok, a cena do encontro foi bonita e eficiente do seu jeito. Eu gostei pra caramba.

No final deste encontro, no livro, Stannis oferece a Jon a selvagem Val, Winterfell e a oportunidade de ser legitimado como Jon Stark. É muito interessante porque, capítulos antes da batalha na Muralha, vemos Robb selar uma carta que garante a Jon Winterfell. Se é que essa carta algum dia chegue a ele, Jon já era o verdadeiro herdeiro de Winterfell sem que Stannis oferecesse essa proposta tão generosa. Eu gostaria tanto, mais tanto que tivéssemos visto Robb falar isso na série… mesmo que não servisse para nada.

21

No laboratório de Pycelle, que agora é de Qyburn, vemos uma das cenas mais interessantes do episódio. O ferimento de Gregor é terrível, devido ao veneno de manticora que Oberyn lhe deu de presente antes de partir. É absolutamente fascinante ver Qyburn interessado no Montanha, indo até a prateleira e pegando uma garrafa de vidro, um dreno enorme e alguns outros utensílios bizarros. E enquanto o sangue de Gregor se esvai para dentro de uma garrafa, não podemos deixar de pensar o quanto as motivações de Cersei são outras nos livros.

Em Cersei II de OfdC (pág 91) vemos que Qyburn pede para Cersei que ele possa cuidar e experimentar com Gregor, e ela permite. Até porque, Tywin precisava dele vivo para que os Lannisters enviassem sua cabeça para Doran Martell e não arranjar mais problemas com Dorne. A esse ponto Tywin já está morto e Cersei começa a renovar o pequeno Conselho, colocando Qyburn como o ‘novo Varys’. Já em A Tormenta de Espadas, é Pycelle quem cuida da Montanha, a pedido de Tywin, e seus gritos de agonia podem ser ouvidos por todo o castelo. Gregor tinha um problema de enxaqueca e leite de papoula não fazia mais efeito sob ele.

Assim que é bom. Quando Game of Thrones usa os meistres para a ciência, e não como religiosos ou algo do tipo.

19

“I will burn our House to the ground before I let that happen!”

E então Cersei vai conversar com papai e dizer que não se casará com Loras, e ficará ali para cuidar do filho. E mais, se o pai resolver contrariá-la ela contará para todo mundo a verdade. A verdade mais óbvia de todas. Sobre ela e Jaime. Sobre como Stannis esteve certo esse tempo todo. Ela não deixará Porto Real e o filho nas mãos do pai e de Margaery. “Destruirei essa casa antes de deixar isso acontecer” ela fala ao pai, uma das frases famosas que víamos nos trailers da quarta temporada no começo do ano.

Bem… Prometê-la a Loras não faz o menor sentido, Loras deveria estar na Guarda Real, mas na série ele é herdeiro de Jardim de Cima. O que talvez faça com que ele não se queime todo e fique desfigurado como vemos em OFdC, mas isso é assunto pra outra hora. O problema principal da atitude de Cersei é que, uma vez que ela ameace contar tudo, ela não estaria protegendo Tommen porcaria nenhuma. Eles seriam apedrejados e mortos em frente ao Septo de Baelor, isso sim.

Eu entendo que essa Cersei que protege seus filhotinhos da maneira errada é a mesma Cersei que quase tentou matar Tommen em Blackwater, para protegê-lo. E ela usa isso no próprio diálogo com o pai nesse momento. Eu queria poder criticar isso, essa motivação dela toda errada, mas não consigo. No final das contas foi bem construido no enredo da série. Mesmo que esse tenha sido um blefe e Cersei jamais tivesse coragem de literalmente acabar com tudo, a gente viu que a Cersei nesse episódio é tipo… a Cersei que a gente gosta de ver.

Em 4.05 First of His Name ela tentou manipular todos os jurados. Não conseguiu com Margaery e com Oberyn. Mas conseguiu com o pai, pois naquele momento ela ‘aceitou’ que a família precisava dos Tyrell pois os Lannister ‘estavam pobres’. E ela precisava ser a filha de seu pai, precisava que ele a ouvisse e que julgasse Tyrion. Depois que Tyrion já estava na merda, ela muda a postura e fala que não vai casar.

Eu não acredito em você.

Acredita sim.

17

I don’t choose Tywin Lannister. I don’t love Tywin Lannister. I love my brother. I love my lover.

A cena corta pra Jaime lendo sua página no Livro Branco, de novo. Esse momento dos livros foi repetido a exaustão nessa temporada. Na presença de Joffrey, Brienne e agora na de Cersei. É apenas nesse momento (Jaime IX) em que ela realmente acontece, mas tudo é muito diferente. Pois é o momento em que Jaime resolve que salvará o irmão, seu último pensamento no capítulo é o de que ele não quer mais ser o Jaime que ele lê no livro. E aí ele dá a Cumpridora de Promessas a Brienne e depois vê-se que ele tem algo mais em mente…

Na série, Cersei o beija, dizendo que confessou tudo pra Tywin, sobre eles dois, e que não terá vergonha do que os outros vão falar. Ela até beija a mão de ouro! E eles tem um intenso encontro em cima da mesa, com Cersei dizendo que não tem medo de ser vista se alguém chegar. Manipulação, amor ou os dois? É interessante que a série tenha prolongado a relação dos dois. O lance do incesto sempre foi o carro chefe da série e é realmente uma linguagem forte que ainda veremos bastante.

No livro, Jaime é quem se declara, dizendo que eles deveriam assumir a relação. Cersei rejeita dizendo que ‘Não somos Targaryens!” Quando Cersei se ajoelha, ela pega sua mão boa, não a ruim. Ela tenta abraça-lo, beijá-lo, mas ele a repele.

 

15
Nessa quarta temporada de Game of Thrones tivemos a oportunidade de ver um punhado de bons atores com boa dicção e presença fazendo ‘papel de uma cena só’. É o caso de Fennez, que teve uma maravilhosa presença e fez essa cena derradeira de Dany na temporada ainda mais bonita. Ele é velho e reclama que as condições dos refeitórios comunitários que Dany oferece ao seu povo é calamitoso, com muita miséria e violência. Para ele, que é um homem muito velho, é ainda pior. Por isso ele pede para poder voltar para seu antigo mestre (Mighdal), a quem ele era tutor dos filhos (ensinava línguas e história) e, dessa maneira, terá o conforto e cuidados necessários. Dany não acredita no que ouve, dizendo que os Imaculados logo restaurarão a paz e a integridade.

Essas contradições e conflitos ideológicos, pautas sobre direitos humanos, política, todos esses temas que permeiam Meereen são muito bons. A série de TV acertou na mosca dessa vez, porque é claro que nem ela nem Fennez estão sendo satisfatórios. Fennez no final das contas poderia muito bem ensinar línguas e história para as crianças que vivem aos montes nas ruas da cidade. Mas ele prefere a família que aprendeu a chamar de sua.

E Daenerys não percebe que falhou. O mundo novo que ela quer não é o mundo novo que muitas das pessoas querem. O conselho de Barristan é correto, mas ele está dizendo o óbvio. Quem ajudaria Dany de verdade e controlar essa situação?

Os jovens gostam do mundo novo que criou para eles, mas os idosos que são velhos demais para mudanças, só encontram miséria e medo“.

E como se não bastasse, o suplicante seguinte se aproxima, um homem extremamente humilde e que parece estar em grande pesar. Em seus braços, vemos uma trouxa de panos. Em baixo valiriano ele começa a chorar enquanto fala.

Não entendo minha rainha. Não entendo. Eu lhe trago… Ele veio do céu. O negro.

(Dany engole seco).

14

“A sombra alada. Ele veio do céu e… Minha garota. Minha garotinha.”

E chora desesperadamente perante a rainha de Meereen, enquanto exibe os ossos enegrecidos de sua filha que foi queimada viva por Drogon.

Drogon, que pela primeira vez ganha um nome da série. Acho que no fim da quarta temporada já era tempo, né? E falando em nomes, mais tarde sabemos que o nome dela era Zala e tinha três anos. Nos livros, seu nome era Hazzea e ela tinha quatro anos.

A coisa mais maravilhosa dessa cena é a pronuncia do baixo valiriano, que como o Elio do Westeros.org disse (concordo e me arrepiei quando li): é uma língua feita para o lamento.

Dany então segue para as catacumbas, onde leva Rhaegal e Viseryion. Ela os alimenta e os acorrenta, chorando. Sem olhar para trás Dany os abandona ali, e quando eles percebem o que está acontecendo começam a gritar pela mãe desesperados. Dany, chorando muito, os tranca. Daenerys falhou, e sua atitude não irá resolver as coisas. Trancar os dragões só os fará ainda mais bestiais e famintos, por viver, por voar, por conquistar. Um dragão não é um escravo, khaleesi.

13

a quebradora de correntes acorrentando os próprios filhos

Meistre Aemon profere as palavras da Patrulha no funeral em Castelo Negro. Enquanto Aemon e os patrulheiros acendem a pilha de cadáveres todos observam. Entre eles, Stannis, Davis, Shireen, Selyse e Jon… que é encarado pelo outro lado do fogo por Melisandre.

Mais tarde Jon visita Tormund, e diz que seu futuro agora pertence a Stannis. Tormund ri da cara de Jon quando percebe que Jon não estará disposto a se ajoelhar ao rei, percebendo que Jon passou tempo demais com os selvagens. Sobre Tormund: quando Jon atravessa a Muralha para encontrar Mance nos livros, ele é recebido pelo Terror dos Gigantes, que é gente boa pra caramba e engraçado. Quando Stannis ataca, o único que consegue fugir é justamente Tormund. Na série, quando o vemos preso dessa jeito… argh. Mas é um grande ator, merece estar no meio da confusão.

Antes de se despedir, Tormund pergunta a Jon se ele amava Ygritte, pois ela o amava muito. Afinal e contas, só falava em matá-lo o tempo todo. Tormund então pede para Jon levá-la para o norte, o norte verdadeiro. E é o que Jon faz.

O vemos, do outro lado da Muralha, acender uma pira para o corpo pálido e morto da garota que foi beijada pelo fogo. Ele mesmo fez tudo com as próprias mãos, sozinho. Suas vestes são apenas um manto selvagem e por alguns segundos mais tivemos a imagem de Ygritte, linda e morta. Que bonita homenagem a ela, a quem Jon nos livros lembra com bastante pesar, pensando que deveria realmente ter ficado na caverna, e vivido com ela, livres e felizes.

Jon chora enquanto vai embora, ouvindo o fogo crepitar.

tumblr_n78swdB7hw1tdxcbro1_500
Até este momento, apesar de muitas coisas, o episódio estava fácil de ser compreendido. Aliás, fechando o núcleo de Jon dessa maneira melancólica e bonita, é impossível não pensar o quanto essas cenas foram tão melhores do que muitas das do episódio nove. Mesmo sem o lance do CGI do exército de Stannis e mesmo que a cenas tenham sido tão menores em comparação ao livro. Elas foram mais bem escritas e olhem só, The Children é o episódio que os produtores mais sentem orgulho nesta temporada, o episódio pra quem eles enviaram a maioria das submissões ao Emmy. O episódio que eles prometerem ser o melhor season finale de todos os tempos.

Mas aí começa o segundo ato do episódio, onde vemos que a adaptação começou a ser louca e insana, experimental e criativa, boa e espetacular, mas também covarde. Muito covarde.

No extremo norte, vemos Bran enfrentando uma forte nevasca. Jojen está fraco e neva muito. De repente Bran e Jojen anunciam que eles finalmente chegaram e vemos o sol finalmente os aquecendo detrás e uma linda e gigantesca árvore coração. Quando descem e se aproximam, uma mão puxa Jojen para baixo e o filme do Ray Harryhausen começa.

11

Nos livros, as criaturas que os atacam neste momento são wights, zumbis que estão em decomposição, mas não esqueletos em animatronic. A série claramente fez uma homenagem a Jason and the Argonauts neste cena, mas eu não entendo muito bem o motivo. Bem, na verdade temos alguns. A maquiagem usada por um dos wights também foi enviada para concorrer ao Emmy, e de fato os efeitos foram algo novo para a série, mas wights rápidos ao estilo Guerra Mundial Z eram realmente necessários? Não banaliza o elemento magia que a série sempre se recusa a usar justamente para que não seja banalizado? Não vai completamente contra o cânone?

Mais tarde, no livro, a gente sabe que a Folha, a criança da floresta, repeliu as criaturas com tochas. Fogo, que é o elemento que a gente sabe que elimina de verdade os wights. Mas bolas de fogo… eram necessárias?

Os esqueletos são muito rápidos e fortes, e possuem machadinhos e punhais. Verão chega para ajudar (o Verão dos livros teria feito um estrago ainda maior), Meera é excelente na luta, Bran no corpo de Hodor também é impressionante. A cena é bem legal e empolgante, e se a gente se desenlaça do livro, percebemos que na verdade foi bom pra caralho. Mas aí vem o inevitável, que é o fato de que alguém precisaria se dar mal para aumentar a carga dramática do núcleo de Bran na cena. Pra fazer o esforço ter um significado maior. E aí eles escolheram apunhalar Jojen na barriga, repetidas vezes. E como se não bastasse, fazem Meera cortar seu pescoço para que ele não vire uma criatura. E para coroar a cena, fazem que uma bola de fogo o exploda pelos ares.

Fica bem claro que Jojen viveu em função de levar Bran até o Corvo, sabíamos que havia algo de muito sinistro sendo preparado para ele no fim dessa temporada. Nos livros tudo ainda é muito pior, Jojen é uma criança e vai adoecendo conforme a trama evolui. Em certo ponto ele não aparece mais e quando Folha dá a Bran um alimento pastoso com gosto de sangue, todo mundo imagina que aquele seja Jojen sendo comido pelo garoto Stark, sem que ele saiba. Essa é a teoria maluca conhecida como ‘pasta de Jojen’ e, só por ela existir, mesmo que meio exagerada e desacreditada, fica claro que Jojen nos livros está no fim de seus dias.

O problema é que os Reeds sempre foram personagens muito queridos pelos leitores e na série eles não tiveram a a oportunidade de serem bem desenvolvidos, com suas histórias sobre o passado de Westeros, com seus constantes ensinamentos a Bran, com a aura que a família Reed projeta sobre a história da família Stark. Portanto, sim, perdê-lo agora pareceu cedo demais. Ainda mais do jeito que fizeram. Ele meio que morreu três vezes e a gente não queria que ele morresse nenhuma.

10

Quando encontram folha, Bran percebe que sua voz era de uma mulher alta e doce, com uma estranha melodia. Sua pele era manchada como a de uma corça, e vestia um manto de folhas. Seus olhos eram largos e líquidos, dourados e verdes como os de um gato.

Agora vamos falar sobre Folha que, apesar dos hadoukens, foi muito bem personificada. Sua roupa feita de folhas e galhos, sua testa avantajada, seus olhos brilhantes, sua boca enegrecida, sua frieza… sua não humanidade. Muito. Bom. Folha é uma criatura velha, assim como o homem que ela cuida embaixo da árvore. E é interessante como ela não tem paciência ou vontade de ouvir Meera lamentar o irmão, assim como também não tem paciência para ficar explicando-se muito. Primeiro porque ela definitivamente terá tempo para fazer isso. Segundo porque ela é velha, mais velha do que qualquer ser vivo gostaria de ser.

No livro, quando eles chegam a caverna, Mãos Frias e seu alce (que acabou morrendo de frio em certo ponto) os acompanham há dias, os ajudaram a sobreviver, se aquecer, foi ele quem os guiou. Foi o Corvo de Três Olhos o enviou para buscar as crianças. Foi uma longa e mortal viagem e apenas alguém que conhecia de verdade aquelas terras poderia proteger todo mundo.

 

9

O Corvo de Três Olhos

Meera, ainda em estado de choque, diz que enquanto eles tentaram encontrá-lo, Jojen morreu. O velho diz que Jojen sabia exatamente como morreria, pois foi ele quem o chamou. Ele, o velho, os tinha observado desde o começo, com mil olhos e um. E sabe quem Bran é, mas que eles chegaram tarde. Ele diz que Jojen morreu para que Bran encontrasse o que perdeu. Bran então pergunta se voltará a andar. O velho diz que Bran nunca mais voltará a andar. Mas que ele irá voar.

Ao encontrarem o Corvo nos livros, os olhos de Bran se amedrontam com sua aparência cadavérica e apodrecida, e a maneira como aquela pessoa havia se tornado parte do que a caverna é. “Todas as cores se foram (…) O mundo era terra negra e madeira branca.” As raízes se enrolavam em suas pernas e subiam em seus ombros. O diálogo da série é bem parecido com o do livro, exceto pelos olhos de Bran se encherem de lágrimas quando ele percebe que o corvo não curará suas pernas. Nos livros, Bran tem a sensação de que o Corvo o fará voltar a andar, como qualquer criança de sua idade teria. Na verdade, confesso que eu também tive.

Todas as coisas relacionadas ao Corvo de Três Olhos, o último vidente verde, o mostro de Bran, estão meio que enraizadas (há!) na história da mitologia do norte, na dinastia Targaryen, no misticismo e em todos os elementos dos livros que a série ignora por falta de ‘espaço na narrativa’. Por isso, mesmo que a caracterização do Struan Rodger fosse ainda mais fiel ao velho completamente transformado que lemos no livro, os telespectadores jamais sentiriam a profundidade e as camadas que ele sugere ter.

 

7

No próximo arco da história vemos Brienne acordando com Podrick para logo mais encontrar Arya lutando. Na sequência de cenas mais empolgantes do episódio, vemos que David e Dan criaram para a série um encontro entre Arya e Brienne. O diálogo das duas é absolutamente incrível, desde a conversa fiada sobre seus pais e suas espadas até o momento em que Arya se recusa a ir embora com ela. Brienne se perdeu quando mostrou a bainha da Cumpridora de Promessas, que é seu passaporte Lannister e tudo o que Arya e Cão não queriam ver.

É muito interessante pensar que, na verdade, David e Dan criaram um cenário muito verdadeiro aqui. Se Brienne encontrasse Arya, essa seria exatamente a maneira que a menina lidaria com ela nos livros. Brienne não teria chance, nunca teve. Nem com Arya e nem com Sansa. O mais trágico disso tudo é pensar que Arya foi cuidada e protegida na série de uma maneira que ela nunca foi nos livros. Não passou por metade da violência, fome e abandono que Arya passou. E mesmo assim, parece certo que Arya viva sua própria vida. Ela está quebrada de um jeito que não se conserta mais, e a cada episódio isso fica mais nítido.

Assim como o Cão. E nesse sentido, voltamos ao tema da auto destruição. Todos os personagens aqui se agarram a possibilidade de algo que não é real. Mesmo que eles consigam o que eles procuram isso já não é mais o que eles precisam. Brienne e o Cão literalmente se matam e caem no tapa para decidir algo que não está nas mãos dele. A demanda de Brienne sempre foi e sempre será algo impossível e o Cão nunca mais encontraria paz em Westeros. Ele encontrou em Arya muito mais do que uma bolsa de dinheiro da tia Lysa, mas um sentido para continuar vivendo e lutando (no caso, literalmente). Mas Arya não é dele. E não precisa dele.

23

AAAAAARRRGGGHHHH

Brienne esqueceu o pão de Torta Quente, mas fez parte de uma das cenas mais legais da temporada. Como muitos de vocês levantaram, os cortes iniciais para dar ritmo no duelo de espadas foi muito estranho e maniqueísta. Mas na hora em que a luta passa a ser punho a punho, a coreografia é brilhante. Uma luta de homem e mulher que se torna de igual pra igual com uma mulher vencendo. Uma orelha voando pelo ar. Gritos de loucura e dor, chute das partes íntimas… Eles fizeram brilhantemente a personificação dos conflitos internos que rodeiam as injustiças pelas quais esses personagens passaram. Transformaram a dor em porrada real, o ódio interno em violência pura.

Quando o Cão pressiona o lâmina da espada entre as mão, sangrando, ali a gente já percebe que ele pirou, que ele não está pensando como um cavaleiro deveria, está vulnerável e pronto para o que os deuses decidirem dele.

E a memória de Catelyn é trazida aqui da maneira mais cruel possível. Ela está morta, Brienne não esteve lá para defendê-la. Por qual motivo? Adianta explicar agora? É como se os produtores estivessem dizendo sinceramente: ela morreu e Brienne não estava lá. Se nem Brienne estava lá vocês querem que a gente esteja, para trazê-la de volta?

Sim, queremos.

6

Rory McCann foi o melhor Sandor Clegane que poderíamos imaginar…

O Cão cai do penhasco feito uma bolota de carne e aço e Brienne continua a gritar insanamente: ‘ARYA! ARYA! ARYAAAAAA’. Mas Arya se camufla. E depois desce para encontrar Sandor que pede clemência para não sofrer mais. A memória de Mycah e de Sansa só servem para deixar Arya mais fria ainda. E o momento de Cão mais triste. Para Arya tomar as rédeas da própria vida e sumir dali, pra longe das pessoas que falharam com ela, uma, duas, vinte mil vezes.

O encontro de Brienne e Arya é bom porque Arya viu com os próprios olhos que ela, uma garota, pode ser quem ela quiser se ela insistir um pouquinho e não deixar de acreditar nela mesma. Brienne pode ser uma Lannister, mas é e sempre será uma excelente modelo para as meninas como Arya, eu, você, sua irmã, sua amiga.

Essa luta é bem parecida com a luta que Brienne tem na Estalagem do Entroncamento com Rorge (que ironicamente fingia ser o Cão, usando seu Elmo) e Dentadas, que dilacera o rosto de Brienne com os dentes. Bem, Arya e Cão já finalizaram eles na série. Depois que Gendry salva Brienne, ela acorda para encontrar Catelyn. Portanto, este seria o momento realmente perfeito pra Stoneheart aparecer. Não haverá outro tão perfeito. E por falar em momentos imperfeitos…

5

Adeus, irmãozinho.

Temos Jaime chegando e levando Tyrion através dos corredores das celas até chegar em uma abóbada, dizendo para o irmão subir as escadas e bater duas vezes e depois mais duas vezes para Varys. Eles se abraçam, se beijam (que beijo lindo e carinhoso). Tyrion responde ‘Jaime, obrigado por minha vida‘. E a coragem que transbordou em Jaime ao salvar o irmão, faltou aos produtores que não tiveram bolas de aço para fazer a audiência se chocar com uma relação quebrada. Algo que no fundo a gente sempre soube que ia acontecer, porque existe Tyrion Lannister e existe Peter Dinklage e eles não são a mesma pessoa. E sim, a gente adora esse Tyrion romantizado, fofo, adorável e gato.

Ao invés de tapas na cara e a confissão mentirosa da morte de Joffrey, temos Tyrion ‘magicamente’ decidindo seguir outro caminho até chegar a Torre da Mão. Lá ele encontra Shae, nua, chamando o pai dele de ‘meu leão’. Ela pega uma faca, os dois se estapeiam com ódio e ele a mata. A cena é forte pra caramba na TV, com Peter Dinklage a enforcando com a mesma corrente que ele a presenteou, seu rosto é horrorizado por medo, nojo de si mesmo, tristeza ódio. Ele a mata chorando e pedindo desculpas.

4

Shae dos livros se ajoelha e se desculpa pelo julgamento, diz que foi coagida, ameaçada. Mentindo ou não, era uma pessoa diferente. A Shae da série pega uma faca para se defender. Para ser culpada pelo que Tyrion fez. Para que Tyrion não fosse para um lado escuro demais.

A ideia é fazer Tyrion defender uma mulher que foi injustiçada pelo pai de alguma forma. Então também não temos Tysha, mas Shae como a mulher que Tywin trata como puta e leva um tiro por isso. No entanto, apesar de todo esse senso de ‘covardia’ que essa cena deixou pra quem já leu os livros, é inevitável não pensar que o diálogo final entre Tyrion e Tywin é forte pra caramba na TV.

Basicamente uma luta de palavras, mas não do tipo inteligente cheia de vinhos, queijos e ironias veladas. Dessa vez pai e filho discutem como pessoa normais discutem. Tyrion, com a besta na mão, se recusa a engolir o que o pai lhe sugere. Ele rebate cada ofensa, cada ordem, com infantilidade e relutância. ‘Eu não vou sair daqui. Eu não quero ir para outro cômodo. Você me julgou sim, pai. Eu era inocente e você sabia. Não a chame de puta de novo.’

3

‘Eu sou seu filho, sim’

E então a besta dispara, nas costelas do pai dele. Tywin mal pode acreditar e começa a dizer que Tyrion não é seu filho. Tyrion então diz que é seu filho sim, sempre foi. E dispara mais uma vez, dessa vez diretamente no coração.

No livro, o tiro é um só: na virilha.

Tyrion sai correndo e encontra Varys no lugar combinado. Varys o coloca em um baú de madeira e Tyrion é alçado para o navio, do lado de fora do castelo. Quando os sinos de Porto Real começam a tocar, anunciando a morte de alguém importante, Varys resolve partir com Tyrion e senta ao seu lado na galé mercantil. Nos livros a gente não sabe o que acontece com Varys. Provavelmente pode até ter acontecido a mesma coisa, mas Varys o abandonou depois, para planejar sua volta a Porto Real. Volta insana, que só acontece no epílogo de A Dança dos Dragões.

No final temos as lindas paisagens da Islândia com Arya finalmente chegando em Salinas e usando a moeda que Jaqen lhe deu para partir para Braavos. E então Arya parte para uma nova aventura, em direção ao amanhã e os créditos sobem.

2
O episódio é lindo e forte. Mas foi cheio de perdas, cheio de violência, morte, morte, morte. Faltou sim algo para fazer todo mundo ficar confuso, com medo, sem saber o que está acontecendo. Infelizmente isso a gente só encontra nos livros, mesmo.

The Children é um título que evoca o tema dos filhos (Tyrion, o filho vingativo, Arya a filha perdida, Jon o filho bastardo, a Filha da Floresta, Jaime e Cersei assumindo-se para o pai, a menina Zala que morreu, Rhaegal e Viseryon acorrentados pela mãe.) OK. Mas esse conceito acaba sendo algo literal demais, já que o tema da série de um modo geral é esse. É a questão da família e dos filhos tendo que sobreviver sozinhos desse mundo louco. Nada coroaria mais essa temática do que uma mãe zumbi querendo vingança. Eu compreendo do fundo do meu coração que os produtores prefiram que a memória de Michelle seja preservada em sua cena final que foi digna de mil prêmios (que ela não teve). Mas essas coisas malucas dos livros fazem parte da história. Dar as costas para essas coisas, mesmo que elas pareçam absurdas, é dar costas para a própria alma história que eles nos prometeram contar.

Aliás, essa ressonância temática que Game of Thrones sempre colocou muito bem durante as temporadas passadas foi quebrada diversas vezes aqui. Muitos títulos de episódios não tiveram muito sentido. A quarta temporada de Game of Thrones teve um punhado de cenas ‘inventadas’, na maioria das vezes bastante criativas e empolgantes, mas… o senso de desequilíbrio, para aqueles que leram os livros, será sempre sentido. Nesse season finale, onde as pontas se encontram, foi onde sentiu-se mais isso. Pois é como se o resultado dessas cenas inventadas não tivesse como ter sido outro: gente se matando a pedradas, se jogando de penhascos, se recusando a serem salvas, falando pra todo mundo que pratica incesto, acertando bolas de fogo em esqueletos. Berrando pelos ares, fugindo.

Os arcos de Bran e Brienne, por estarem muito a frente do senso cronológico dos livros, parecem estar ainda mais caóticos. Desesperadamente. Pelo bem ou pelo mal é isso o que aconteceu.

Eu vejo muito nos comentários aqui do site e por toda a internet uma grande discussão sobre Lady Stoneheart ser ou não importante. Ou até mesmo Jojen, que acabou morrendo daquele jeito que ficou parecendo cedo demais. O problema é que não se mede o que é importante pra alguém através do seu jeito de sentir as coisas. Ora, Verme Cinzento e Missandei também não são importantes, primo Orson também não é, as prostituas de Mindinho também não. Estupro de Cersei? Menos ainda. Os sonhos de lobo de Arya e Jon são importantes pra muita gente, pode não ser para tantas outras. Mas é algo que faz os livros ficarem tão mais bonitos, tão mais mágicos e interessantes. Aliás não só os lobos, mas qualquer momento em que vemos um lobo at all. Ou um dragão. Um Kettleblack, um Frey andando com os Boltons a caminho de Winterfell. E sim, uma zombie mama com o coração duro como uma pedra.

Ao invés de sentar e definir, essa season finale tem um senso de direção apontando para o futuro bastante evidente. Isso geralmente acontece em uma série de TV quando os roteiristas gastam todas as suas ideias e precisam trabalhar em novas. No caso de Game of Thrones isso faz todo sentido, uma vez que adaptar O Festim e A Dança simultaneamente será (está sendo neste momento) um trabalho bastante árduo, até porque o enredo mais fonte sempre esteve e sempre estará em A Tormenta de Espadas.

A trilha do Ramin Djawadi para esse episódio foi a mais linda da temporada inteira. Quando ouvimos a trilha (lançada digitalmente do dia 13) as músicas compostas para o episódio nove pareciam as mais fortes. Mas a canção The Children como trilha para algumas cenas, principalmente nas de Dany me fizeram chorar e arrepiar de verdade. Que coisa linda!

Alex Graves foi o cara mais polêmico da temporada, dirigiu quatro episódios, um deles se tratou justamente do estupro de Cersei que derrama aqui uma grande sombra no reencontro sexual dos irmãos. E agora ele volta para a season finale, criando grandes momentos para a história da série… Os esqueletos wights, o exército de Stannis e a briga de Brienne e Cão (sem a parte dos cortes malucos) foram sem dúvida artísticos, mas as pequenas coisas também importam como Jon e Melisandre se entreolhando através do fogo, o funeral de Ygritte, o uso das paisagens em Salinas. O cara caprichou.

Não há nada mais simbólico, no sentido de olhar para um futuro incerto, do que ver uma criança sozinha navegando para o horizonte em busca de aventuras, de uma vida nova. Nesse sentido, Game of Thrones termina quase como que com uma promessa, ou um pedido, para que a gente embarque com ela, para viajar e viver a história do jeito que a gente quiser. Na nossa imaginação, Game of Thrones sempre será melhor.

Por isso… Valar Leroslivros.

Hey, você! Eu e o Rafa Bacellar comentamos todos os capítulos do fim do livro A Tormenta de Espadas nessa edição do podcasteros. Seria muito bacana se você escutasse com a gente pra saber os detalhes do que essa temporada mudou em relação ao livro.

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados

  • Gianluca Sousa

    Não dá pra negar que, a partir do momento que a série começa a contar sua própria história, existe um certo “medo”. Não é o medo de mudar, ou ousar, mas de que a história não pareça real, uma história que nos faça acreditar como a dos livros faz. Os produtores podem chegar perto da visão e da escrita do George, mas, convenhamos, apenas ele sabe contar a história como queremos, e é essa história que queremos ver na tela – pelo menos, eu, sim. “Livro é livro, série é série”, eu sei. Mas acredito que a história é só uma, e se aquela que criarem pra série não for convincente – cada um com seu juízo de valor aqui -, é como viver entre dois mundos: simplesmente não tem como ter o melhor dos dois ao mesmo tempo.
    Do mais, venham logo os Martell sangue quente!!!

  • Devanil Júnior

    Acho que agora não tem mais jeito: é necessário saber separar as duas coisas. Quando você diz que os livros são muito melhores que a série, eu não consigo fazer esse julgamento. Devorei os livros mais rápidos do que qualquer outro, mas não tive nem 1/3 da emoção que tive com a série. São coisas completamente diferentes que não dá pra hierarquizar.

    E justamente por já ter lido os livros, gosto que a série me surpreenda, me traga coisas novas e diferentes. Acho que foi você que disse: os produtores são os únicos que ganham dinheiro fazendo uma fanfic do Game of Thrones =P Ótima análise, e até ano que vem 😀

  • Nicolas Dalmedico

    Está absolutamente confirmado que Stoneheart não vai aparecer na série? Já teve algum pronunciamento por parte da produção? A esperança que me restou era de que Bran com as habilidades novas que aprenderia com Corvo de Três Olhos “enxergaria” de alguma maneira (algum represeiro que talvez tenha restado no Tridente) a própria mãe sendo ressuscitada no começo da próxima temporada (ao invés de Arya), dando sequência para a história a partir do background construído por essa cena. D&D já cometeram gafes maiores a respeito do universo de Martin do que um represeiro no sul, acho que não seria tão mal. No caso, essa seria a cena em que Bran tenta pela primeira vez falar através do represeiro e falha (ao invés de tentar chamar seu pai).

    Outra coisa, só eu que senti falta do Corvo de Três Olhos ser um pouco mais caolho? Fiquei meio decepcionado com a falta de caracterização dele e da Folha.

  • Tassio Luan

    Já estou com saudades da série e das futuras análises. Concordo em tudo que foi dito nesta análise e mesmo com as mudanças feitas, o finale foi excelente. Agora, nossa vigília começa para a 5° temporada.

  • Egg

    Engraçado que no primeiro diálogo de Arya com o comandante ela fala em ter prata e tals para pagar uma viajem à Muralha, certo, cadê todo o Ouro que o Cão ganhou no Torneio do Mão ???! Arya “saquear” só aquela bolsinha de moedas dele …

  • Martins

    Cara, foi mais uma excelente análise… Parabéns!!

  • Evandro

    o ouro foi ”confiscado” pelo ordem sem estantarte

  • Don Ramon

    Eu também quero coisas diferentes. A narrativa integral do livro eu já conheço.

  • Joao Palmadas

    “O que talvez faça com que ele não se queime todo e fique desfigurado como vemos em OFdC”. Pode até ser que ele esteja mesmo muito mal, mas nós não vimos isso. E Cersei também não viu isso. Para todos os efeitos, o Loras se feriu tanto quanto o Davos morreu em OFdC.

    Vamos ver em ventos do inverno até onde essa história bate. Note que nos capítulos liberados não se fala nada de Jon Snow, nem de Loras.

  • JasonLannister

    Análise muito boa, parabéns! Bom, vamos a minha opinião pessoal, eu acho que Stoneheart é sim importante, eles vão colokar ela na proxima temporada, se não, como vai fikar a Brienne a temporada inteira? Tiraria muita expectativa, tanto da série tanto dos proximos livros.
    Volto a dizer: encheram tanta linguiça essa temporada, que deixaram muita coisa para o final que poderia ter sido melhor desenvolvida, como por exemplo o Stannis, poderiam deixar mais épico, afinal o exercito selvagem é enorme, ter colokado melissandre na batalha tbm, a morte de Tywin foi rápida, não teve toda akela conversa antes com o Varys, todo akele climax para sentir o que acontece a seguir.
    Um ponto positivo nesse episódio foi o encontro de Brienne e o Cão, ao meu ver, foi uma cena modificada totalmente compreensivel, precisavam de um final legal, oq abre uma brecha para a temporada que vem, onde o arco de Brienne pode ser a luta com Dentadas e o encontro com Stoneheart.
    A cena da Dany foi ótima! Uma cena necessaria que infelizmente marca o inicio de sua decandencia, e akele humanismo desenfreado que atrapalha ela daki pra frente.
    Todas as cenas com a Arya são ótimas, mostram bem sua situação e as provações que ela tem q passar..
    As vezes que pergunto se vamos perder esses personagens tão queridos! Quantas novas surpresas nos aguardam… proxima temporada será para mim a melhor, Martells e Greyjoys!

  • Valar Leroslivros, essa é mito, nem vejo a série mas adoro as suas análises pra ver em que ponto a série está.

  • Na verdade há represeiros ao sul, mas somente na Ilha das Caras, que fica no Olho de Deus, onde está Harrenhall.

  • Rodolpho R. da Silva

    Eu acho que a série está seguindo um ótimo rumo. Não acho necessidade de ela ser 100% fiel ao livro,o mais importante é ela transmitir o espírito da história, e isso ela já faz. É claro que sinto falta de algumas coisas que estão presentes no livro e que não foram abordadas na série, mas acho que ela é perfeita dentro daquilo que a HBO se propôs a fazer. Se fosse no cinema, não teríamos nem metada da metade da proximidade que a série tem dos livros, e temos de ser gratos por isso, porque são raríssimas as vezes em que podemos ver um adaptação tão bem arranjada. Apesar de ter pontos difíceis de engolir, como a morte do Jojen, a ausência do Mãos Frias, a “não-morte” do Balon Greyjoy e o desaparecimento da Qaithe, a série deu oportunidade de conhecermos melhor personagens que não são focados nos livros e ouvir diálogos inteligentes protagonizados por personagens geniais como o Mindinho, Varys e Oberyn. A série sempre acerta nesse ponto. O último episódio foi demais, ótima atuação e ótima produção. Senti falta de uma cena final, mas mesmo assim, já estou com saudades.

  • Gilson Filho

    Eles mesmo falam de dinheiro várias vezes. Como quando o Cão diz que não é ladrão, mas mata o velho que os ajudou e rouba a prata dele.

  • diegomarcelini

    O que me deixa apreensivo é a demora para anunciar uma atriz que interprete a Arianne, tenho medo que Dorne seja só Doran,Trystanne e algumas serpentes de areia aglutinadas, a esperança que eu tinha de um flashback da Cersei já foi quebrado com mais um recast da Myrcella (pfffff) , será um desafio manter o ibope da série agora que a história migra para as ilhas de ferro e dorne já que esses personagens não foram trabalhados nem mencionados corretamente, lembro que fiquei ansioso para conhecer o olho de corvo por tudo que foi dito sobre ele,e na série talvez ela nem apareça triste…

  • gino

    Pra mim , a Dany prender os dragões porque uma criança morreu foi idiotice ao extremo . Ela tinha que ligar o dane-se . Quem é mais importante ? Uma criança qualquer ou os dragões que ela chocou entrando dentro do fogo ? Enfim , o que está feito está feito . Mas eu acho que a Stoneheart e importante sim . Eles estão falando que não vão coloca-lá na temporada porque a atriz não “merece isso “pra sua personagem . Foda-se . Vô George não colocou ela assim nos livros pra ser enfeite , e Brienne sabe disso…

  • gino

    So espero que os produtores não caguem com o melhor dos Greyjoy , o Victarion

  • Tata Baughtter

    “Mas essas coisas malucas dos livros fazem parte da história. Dar as costas para essas coisas, mesmo que elas pareçam absurdas, é dar costas para a própria alma história que eles nos prometeram contar.”

    Ana, eu concordo em gênero, número e grau com você.

    Para muitos Lady Stoneheart não é importante, para muitos era, assim como Cold Hands, assim como a barba do Daario, como as célebres frases “Pra onde as putas vão?”, “…ela anda fodendo com Lancel e Osmund Kettleblack e provavelmente até com o Rapaz Lua, pelo que sei….”
    Sempre vai ser difícil agradar a todos, principalmente leitores que inevitavelmente ficam desejando ver adaptado aquela cena que imaginamos por tanto tempo…
    Mas cara, Assim é a Estória do GRRM, quem pode dizer o que é mais importante e o que não é?
    Ao tirar qualquer elemento, por mais que não altere o resultado final, deixa um pouco mais pobre…

  • Rodolfo Basso de Araújo

    Análise interessante, parabéns, mas quando diz que nunca criarão uma narrativa melhor não concordo, os livros de Martin são sim muito bons, mas não são perfeitos e insuperáveis, não para mim. Capítulos intermináveis sobre a viagem de Bran ou até mesmo uma certa repetição da narrativa em alguns momentos, não me entendam mal, amo a saga, mas não a idolatro….

  • Massi Marques

    Eu quero Lady Cat de volta!!!!!!

  • Juirew Lonenata

    mano… a sua ideia de que não colocaram a catelyn de novo por causa do emocional do elenco e dos roteiristas na minha opinião não tem o menos sentido, acho mais plausível a explicação do cara que dirigiu o episódio, ela iria aparecer pouco e não iria valer a pena colocar a atriz para tão poucas cenas, dependendo do próximo livro acho que irão coloca-la sim

  • Renatto

    Parabéns pelo o comentário do episodio! Ficou ótimo!

  • Felipe Lobato

    Sempre acabo gostando das análises da Ana, ela transmite muito sentimento quando escreve.

  • Juirew Lonenata

    mas as análises dela tem muito mimimi… lendo isso parece que a série está horrível… mas ta foda pra carai, pena que o tywin e o joffrey morreram, aqueles 2 eram mitos, joffrey fazia agente socar o sofá, e o tywin humilhava todo o elenco junto só com o olhar, charles dance deveria ganhar algum emmy

  • Luna

    Eu li os livros (não todos, comecei a ler o 4 e o 5 naquele esquema sincronizado e cansei), não tinha interesse nenhum em assistir a série, até q meu marido (que não leu os livros) começou a assistir.

    Sinceramente? A série tem seus pontos altos/positivos, mas sempre me dá a sensação de que é fraca como uma adaptação.
    Tem muita marca dos showrunners, muita coisa que acaba parecendo forçação deles em imprimir essa marca.

    Vira e mexe meu marido acha uma cena confusa, sente falta de uma explicação e vem me perguntar alguma coisa. No fim das contas, ele diz que é uma série boa, mas não é nenhum Breaking Bad.

    Outra série adaptada que estamos assistindo é The Walking Dead. Comecei primeiro com a série e partir pros quadrinhos. Tem grandes mudanças entre um e outro, principalmente nos personagens, mas não sinto que essas mudanças comprometem a qualidade da série como uma adaptação da história dos quadrinhos, bem ou mal, todos os elementos da história em quadrinho estão ali, independente da mudança da linha cronológica/afetiva/da personalidade de um personagem.

  • Eduardo Amorim

    ‘pasta de Jojen’ foi foda não tinha visto falar dessa teoria, Jojen esta doente pelo que parece no livro acho que ele morra em breve, mas nunca pensei que o Bran tivesse comido ele.kkkkkkkkkkkkkkk

  • Eduardo Amorim

    Não fala nada do Jon nem do Loras pra não adiantar se eles vão ficar vivos ou não.

  • Don Ramon

    claro. Se for essencial arrumam uma maneira.

  • jorge_lito

    Mais uma excelente resenha, acho que talvez seja a melhor em sua autoria Ana Carol.
    Eu li os livros e tenho que dizer que gostei pra caramba desse episódio.
    Sei que muita gente sentiu falta da Senhora Coração de Pedra, mas aí
    é que tá, ela não ter aparecido agora não impede de ela dá as caras na
    próxima temporada? Com certeza ela deve aparecer, assim espero. Mesmo que seja com uma atriz diferente e que fique sempre encapuzada e não mostrando o rosto.

    Meu único adendo é eu queria ver a conversa de Tyrion e Jaime no
    livro em que falam sobre Tysha e aí o anão guarda mágoa de Jaime e diz a
    famosa frase “tem andado a foder Lancel e Osmund Kettleblack, e
    provavelmente até o Rapaz Lua, tanto quanto sei…”, no qual essa frase
    fica matutando na cabeça de Jaime no livro 4. Também queria a frase de
    Tywin “para onde quer que as putas vão”.
    Essas duas frases eu sentir mais falta do que Coração de Pedra, pois
    a hora de fala-las era só AGORA. Acho que eles perderam a oportunidade.

    Mas como todo bom crítico, a gente tem que aprender a SEPARAR AS
    COISAS, isto é, livro é livro , série é série, não existe NENHUMA
    adaptação 100% igual, pois isso é impossível, por N motivos, então pelo
    que o episódio apresentou o capítulo foi espetacular. Não sei dizer
    ainda se é o melhor capítulo da série, mas sem dúvidas nenhuma o mais
    ousado.

    Sempre quando termina um episódio eu vejo os comentários das pessoas que leem os livros e de quem não lê. Vejo que na grande maioria das vezes sempre ocorrem divergências de opiniões, principalmente nesse episódio. Também escuto vários podcasts sobre a série, alguns de pessoas leram os livros e assistem a série e outros que só comentam a série, pois não leram os livros. Vi que quem não leu o livro, pelo menos a grande maioria achou o episódio espetacular, inclusive um podcast do site Cinealerta (que não leem os livros) eles sempre fazem críticas a série sobre coisas que a maioria adorou no episódio, por exemplo eles acharam o ritmo da terceira temporada fraco, não gostaram do combate entre Oberyn vs Montanha, entre outras coisas, mas essa semana foi o contrário, eles acharam o episódio espetacular, eles sempre analisam a série, APENAS a série, já os podcasts das pessoas que leem os livros dizem que faltou isso ou aquilo. No aguardo pra ver o Podcasteros pra ver a opinião de todos vocês e ver a da Angélica que não leu até essa parte nos livros.

    Abraço…

  • jorge_lito

    Gente é impressão minha ou teremos interação entre Varys, Tyrion e Illyrio em Pentos? Pelo menos no começo da 5 temporada. É o que dá pra entender, pois só assim para que Conleth Hill não ficar quase 2 anos sem aparecer na série…

  • juliana.

    Ótimo texto, parabéns pela análise (essa e as outras)! Imagino que seja um pouco trabalhoso fazer, rs, mas nós, leitores do site, agradecemos! 🙂

    Ainda não ouvi os últimos podcasts, mas pretendo fazer em breve! Sendo bem sincera, você acha que Lady Stoneheart aparecerá na próxima temporada? Queria muito ter visto ela em cena, mas foi como você falou, o epílogo do livro faria muito mais sentido na temporada passada, logo após o Casamento Vermelho. Agora ficaria desconexo, talvez… botar ela encontrando a Brienne agora seria muito prematuro; encurtaria demais o arco dela. Não consigo imaginar outro destino plausível pra Brienne na série, por isso ainda tenho esperanças de ver nossa mamãe zumbi na próxima temporada.

  • Don Ramon

    verdades.

  • Pati

    ela não ia ficar presa por todo um ano para fazer uma ou duas cenas, seria uma ou duas semanas de gravação e o resto do ano livre!!!! pelo amor de deus prq custaria tanto assim para a Michelle???

  • Julio Silva

    Eu acho que em um momento, os produtores da serie vao ser obrigados a colocar a Lady Stoneheart,seja interpretada pela Michelle Fairley ou por outra atriz,porque quem leu a A Dança, sabe que no final o Jaime se encontra desaparecido, e foi visto por ultimo na compania de uma mulher feia… que todos sabem, que era prisioneira e iria ser morta pela Lady Stoneheart. Ou seja, personagens importantes da serie vão cruzar com a Lady Stoneheart e não vai ter como a HBO ignorar isso.Concordam ou não?

  • Pati

    pode ser uma informação falsa, mas acho q ñ é, acho que o tio George faria isso com o Loras mesmo, é bem típico dele…

  • drmingus

    Existe um também em Corvarbor, da casa Blackwood. Está seca, mas está lá.

  • Eu não gostei muito do núcleo da Daenerys nessa temporada. Parece que ficou meio superficial e não real. Nesse último episódio as coisas melhoraram um pouco, gostei bem mais da intensidade das cenas (tanto da criança queimada quanto dos dragões), foram bem mais profundas e verídicas. A interpretação da Emilia enquanto acorrentava os dragões foi bem sensível, fiquei emocionada. Curti bastante. Já na cena da morte do Jojen, sinceramente, não entendi aquilo até agora. Ficou muito non sense, ao invés de ficar dramático, na minha opinião, ficou uma sequência até mesmo cômica. A junção dos esqueletos, das bolas de fogo, das apunhaladas na barriga do Jojen, que foi aquilo? Sério, eles se preocuparam muito com o visual e esqueceram da essência, completamente. Quero ver nas próxima temporada como vai ser retratar o Bran, por que ele vai ter 1,90m e uma voz mais grave ainda. Ele podia deixar o cabelo dele crescer pelo menos, e não usar mais aquela peruca bizarra.

    Boa análise Ana! Pena que foi a última desse ano 🙁

    Já to esperando a primeira da 5° temporada hahaha
    Beijo!

  • Nelson Bandeira

    Então Ana, li todas as sua análises da temporada. Muitas vezes discordo e até acho sua análise muita crítica. Mas, afinal, esse é o seu papel. Entretanto, sinto, algumas vezes, que a série te deixa frustrada justamente por não colocar as partes que você mais gosta (arrisco dizer que são os sonhos de lobo, a volta da Sra. Zumbi e a evolução de alguns personagens como o Sam). Fico feliz (mesmo sem ver meus favoritos Greyjoys!) em não ser um especialista em cinema, televisão, atuação e etc.
    A minha opinião é que mesmo nos livros GRRM não vai conseguir dar conta de todos os mistérios criados ou mesmo de todos os sub-plots de personagens coadjuvantes. Será que é relevante mover a trama para nos dizer onde está Benjen Stark ou mesmo Rickon? Iremos a Asshai? Sam voltará a ser importante para o resultado final? A Sra Coração de Pedra vai ter significância suficiente para aparecer na série?Enfim, são muitas teorias, muitas perguntas, poucas respostas e só mais dois (talvez 3) livros para responde-las. Acho que muita coisa vai ficar para discussão…
    Estou gostando da série por isso. Não são “As crônicas de Gelo e Fogo” que estão nos dando e sim “A Guerra dos Tronos”. Outra história, baseada na obra inacabada que torcemos para ter um fim genial, é que está na HBO. E quando a série alcançar os livros? E se eles tomarem a liberdade ir onde George ainda não foi? Odiaremos David e Dan apartir de então?
    É isso aí, muita complexidade, pouco tempo, orçamento insuficiente e um resultado muito acima da média.
    Obrigado pelas análises e pelo Podcasteros, sempre aprendo um pouco mais. O importante é a discussão e que esse resto de ano passe rápido para todos nós.
    Vocês fazem um ótimo trabalho!

  • Ecio Barbosa

    Eu li o “Valar leroslivros” e por um momento esqueci todo o restante da analise kkkkk

    Sinceramente, não entendo o que de tão fascinante as pessoas vem na stoneheart, sendo que com a saída da atriz da série era meio óbvio que ela não iria aparecer, sobre outras coisas que foram cortadas/esquecidas eu considero um semi-spoiler, explico:

    Como o GRRM participa da produção da série, ele mesmo já disse que sempre alerta quando os produtores alteram/cortam alguma coisa, por exemplo, se o GRRM já disse que apesar de serem wargs tanto o Jon como a Arya não vão desenvolver mais essa habilidade então os produtores nem perderam tempo com as cenas dos sonhos deles, o que me leva a crer que ou o GRRM não vá dar um papel muito significativo a stoneheart ou ainda não decidiu isso, sendo o mesmo para tantas outras mudanças que a série faz.

    Outro “achismo” meu é que os produtores fazem pequenas alterações para chamar a atenção do público leitor também, é a famosa tática de prender o telespectador pelo sentimento de aversão, olha a reação do público não-leitor para as mortes do Ned/Oberyn, é sempre “ah não vou mais assistir essa merda”, mas na próxima semana ta ligadão querendo saber o que vai acontecer, essas mudanças seriam para que o público leitor também seja surpreendido, sempre tem gente dizendo que vai parar de ver a série pq começou a dar spoiler dos livros etc, dúvido que 3% dos que falam isso realmente deixariam de assistir.

  • Eduardo Soares

    Ana como sempre arrasa em sua análise, vou sentir falta delas tanto quanto dos episódios. :/ Concordo com a falta dos pequenos detalhes como os sonhos de lobo, os lobos em si, os dragões, (Um Kettleblack, um Frey andando com os Boltons a caminho de Winterfell. E sim, uma zombie mama com o coração duro como uma pedra), e todos aqueles momentos mágicos que nos surpreendem nos livros, é como se cortassem a fantasia enquanto poderiam mostrar pequenos detalhes inventam cenas improváveis e desnecessárias, mas enfim adoro a série mesmo assim e não será igual mesmo, parabéns pela resenha continuarei acompanhando as novidades agora enquanto aguardamos o próximo livro e a próxima temporada…

  • Thiago Sampaio

    Excelente análise, agora resta esperar um ano pelas próximas. Ótimo trabalho da equipe, durante toda a temporada.

  • Daniel Batista

    Tai a teoria do jojen que eu postei e apagaram :/ poderiam postar mais sobre ela aqui no site.
    E a análise do episódio ficou ótima. Esse site ta cada vez melhor, já é meio que um ritual dar uma passada no gotbr sempre que ligo o pc.

  • AP

    A análise dela não tem muito mimimi, tem sim comparações com os livros o que a série coloca ou deixa de colocar em relação as obras do Martin,para mim a análise está ótima.

  • AP

    Acredito que Senhora Coração de Pedra aparecerá na próxima temporada como um prólogo,assim como Tywin forjando as duas espadas valirianas a partir da espada do Ned apareceu na quarta temporada,antes mesmo da abertura,para dar aquela sensação de badass na temporada

  • drmingus

    Adorei mais essa análise Ana. Muito boa mesmo e com críticas muito bem colocadas e embasadas. Desde o protagonismo do Robb Stark e da inserção da Talisa na estória, desisti de esperar que a série seguisse os livros, e por isso venho tentando sempre aproveitar o que a série me dá sem me apegar muito ao que dizem os livros. E por isso, eu gostei de que a série tenha mantido intacta a amizade entre Tyrion e Jaime, inicialmente porque mesmo sob o enfoque dos livros, acho que ela tem condições de sobreviver ao segredo que Jaime guardou sobre Tysha e ao veneno que Tyrion soltou ao revelar as infidelidades de Cersei. Logicamente, chocar a audiência com a ruptura entre os dois manteria o espírito de GoT, mas não vejo necessidade de sempre se manter esse espírito, ou de se fazer isso apenas nos termos do que o GRRM escreveu. Por fim, essa temporada acabou mais ou menos como acabou a Tormenta de Espadas. Acho que muita coisa terá de ser inventada na série, principalmente para a Sansa, cujo arco se adiantou mais. Mas como já tem mais duas temporadas garantidas, acho que todos os arcos chegarão ao final da Dança. Só espero que os caminhos que vierem a ser escolhidos para a série não percam a coerência e espero que antes do final dessas duas temporadas já tenhamos os Ventos de Inverno em mãos.

  • Thiago Barros Soares

    Duro adaptar livros tao longos e detalhistas. Só fico me perguntando o que fazer com Bran agora, já que nao há quase nada mais a contar dele, até onde os livros foram publicados. Quase o mesmo com Brienne, vai ficar anos sem voltar a aparecer na série, ou inventarao coisas só para mostrar ela?

  • Thiago Barros Soares

    Duro adaptar livros tao longos e detalhistas. Só fico me perguntando o que fazer com Bran agora, já que nao há quase nada mais a contar dele, até onde os livros foram publicados. Quase o mesmo com Brienne, vai ficar anos sem voltar a aparecer na série, ou inventarao coisas só para mostrar ela?

  • drmingus

    Apesar da clara inspiração no Jasão e os Argonautas, a foto do esqueleto que vocês colocaram é a cara do Eddie, mascote do Iron Maiden, no disco The Trooper.

  • Drtr Coulson, CHUPA ROLA VIADO

    Acabei de terminar de ler o terceiro livro e queria saber de algo. A Carta do Robb para Jon dá em algo posteriormente?

  • a verdade

    ter q esperar 1 ano pra próxima temporada é uma tortura. SOU FÃ DOS LIVROS E DA SÉRIE, JÁ ME CONFORMEI Q ALGUMAS COISAS DO LIVRO Ñ TEM COMO IR PARA SÉRIE.

  • a verdade

    tbm qndo li essa parte no livro, nunca imaginei q Bran estivesse “comendo o Jojen”

  • Juirew Lonenata

    acho que não cara, todos os prólogos foram fracos, o do tywin mostra que ele é foda, mas isso nós ja sabiamos, na terceira é o sam fugindo e encontrando a patrulha da noite, na segunda eu não lembro (acho que nem teve), o foda mesmo foi na primeiro com os white walkers, não acho que irião trazer a michelle pra um prólogo, se querem fazer essa fodastica cena, será no fim da temporada, mesmo que tarde demais

  • Laerte Bach

    tem um lugar q mostra um resumo de cada capitulo, em umas 5 linhas. as coisas importantes que acontecem em cada POV. alguem sabe onde posso encontrar isso?

  • Gildo Cravo Batinga Neto

    Se eles continuarem fazendo a série para o público em geral vai chegar o momento em que não vai haver série alguma, apenas um desses filmes de ação sem significado. Inclusive, a série se afasta cada vez mais do drama e segue para a ação.

    Eu realmente esperei ver Tyrion brigar com o irmão, e a morte de Shae foi deveras ridícula. Talvez, até mesmo o Bran devesse tomar a maldita sopa de sangue já que eles não esta num local muito agradável.

  • Maycon

    Eu só tenho a agradecer por todas essas resenhas. Eu li os livros a muito tempo e sempre tenho que escolher entre reler ou começar uma nova aventura em uma outra saga. Não sobra tempo para os dois. Tem diferenças que são gritantes e eu percebo,outras não. E principalmente a cronologia eu me perco em saber o que aconteceu em cada livro e em que ordem, Pelo fato da divisão do livro 4 e 5 e pela adaptação de três livros ao mesmo tempo da série.

    Nem sempre eu concordo com a opinião, como no de hoje teve “mimimi demais por falta da lady stoneheart (apesar de entender, porque quando falta personagens que eu acho incríveis também fico chateado como o ColdHands), mas não importa eu recebo tudo que queria resumido e comparada em textos de excelente estrutura e criativos. Pensando no trabalho que deve dar para produzi-los fico ainda mais grato pelo trabalho.

    Parabéns pelo excelente site e pelo excelente conteúdo. Um abraço a todos !!

  • Pablo Meireles da Rosa

    Que análise mais mal humorada. Os livros estão lá, imaculados, a série não os desonra e já se trata de outra história, que pode ser melhor que a do Martin sim, como visto no encontro de Brienne com Arya e o cão. A série está sendo benevolente com Brienne, excelente personagem com os piores capítulos no livro. As cenas finais do núcleo de Bran foram maravilhosamente adaptadas. Concordo que deram uma cagada na parte do Tyrion.

  • Guigo Rocha

    Bom eu vou tentar ser mais objetivo, já que no post de comentários eu escrevi quase um livro da saga…
    Eu achei o episódio, plasticamente e visualmente, o melhor até hoje. Até os dragões estavam bem feitos, os esqueletos, o clima e, principlamente, a fotografia de cada núcleo (os tons dourados de Dany e Lannisters contrastando com os azuis pasteis e cinza sombrio do norte… até mesmo com o beje sangrento de Arya). Então, ponto para a HBO que mais uma vez não deixou a desejar na parte visual.
    Em contra partida, achei o enredo além de confuso, fraco. GoT SEMPRE foi conhecida por usar o Ep. 9 como gancho para a próxima temporada e o 10 como um velório, uma mea culpa. E aqui eles subverteram esse papel. Agora, sinto que o episódio 9, na verdade, serviu para estancar a ferida do enredo e o 10 para criar os ganchos para a próxima.
    Eu vou fazer uma mea culpa: embora eu consiga enxergar, após muito sofrimento e #acharissoumaputafaltadesacanagem, que série de tv e série literária bebem da mesma fonte para expressar uma história de duas maneiras diferentes, eu concordo com a Ana: o problema não é modificar aspectos da história OU que não tem tanta importância OU que não fariam tanto sentido no universo de tv criado pela HBO. O problema reside em você descaracterizar certos pontos da história e costurar retalhos esperando ter sucesso. Não dá pra aceitar que, seja com pouca ou muita participação, algumas coisas não tenham aparecido na série. Nem que seja do modo da HBO. O fato é que eles provavelmente nunca quiseram adaptar o mãos frias, a Lady Stoneheart e outros personagens. Para eles esses personagens passaram da tênue linha do inimaginável aceitável… Embora uma criança jogando hadouckens em esqueletos guerreiros esteja dentro desse discutível campo.
    Eu não vou entrar na discussão de certo ou errado. Isso é efêmero perto do fato de macular não um livro, nem um texto… mas um universo criado onde todas as engrenagens foram feitas para terem sim uma importância. Eu sempre vi GoT como um grande relógio: até o personagem mais mequetrefe tem uma participação na história que, caso não existivesse, mudara o rumo de alguma coisa. E na série eu não sinto isso.

  • Guigo Rocha

    Esse é o meu medo. Temos duas opções: uma delas é pelo viés da fidelidade: Martin já se reuniu com a HBO e delineou como a história terminará. Não duvidaria se, a partir de agora eles começarem a “inventar” história para alguns personagens, com a supervisão do Martin, para não estregar o futuro da série e/ou não dar spoilers gigantescos. A outra linha é a da livre criação: mesmo sabendo do que Martin planeja, sejamos sinceros: a HBO SEMPRE soube que chegaria o momento em teria que andar com as próprias pernas. Essa hora está chegando. Eu não consigo visualizar eles expremendo tanto suco assim de A dança dos dragões para fazerem duas temporadas, a fim de dar mais tempo pro Martin lançar o 6º e começar o 7º. Então, resta a HBO começar a CRIAR e não ADAPTAR a série…

  • Guigo Rocha

    E é isso que eu fico me perguntando: ok, querem respeitar a atriz pelo ótimo trabalho? Super digno. Mas melhor seria respeitá-la indicando-a a todo e qualquer prêmio possível de concorrer. E isso não foi feito. Outra coisa que eles querem muito nos passar é que isso seria demais até mesmo para GoT. Gente, uma série que apresenta uma sequência de uma Sininho Steampunk lançando Hadoukens em esqueletos guerreiros não é Over The Top na mitologia e “realismo fantástico” da série? Se não faz nenhum sentido trazer Cat de volta, porque mostrar Berric sendo partido ao meio para 5 minutos depois ressussitá-lo na frente de todos, explicando minusciosamente como e porque aquilo acontece…
    Sério, eu defendo a livre adaptação da HBO. Só queria que eles tivessem colhões em dizer que “Não colocamos a StoneHeart na série porque, sinceramente, achamos essa trama riícula e sem nexo e não queremos fazer isso”. Pronto. Fica mais bonito do que dar argumentos que podem ser rebatidos pelo o que eles mesmo estão acostumados a fazer…

  • Joao Palmadas

    Imagino que o Bran vai nos dar aulas sobre as tradições mágicas de Westeros. Há muito o que contar sobre isso. Saberemos muitas coisas sobre os que cantam a canção da terra. É possível que isso seja interessante? É, se os diretores e os roteiristas forem competentes. Veremos.

    A Brienne, acho que vai andar por aí atrás da Sansa e de passagem vai mostrar como o povo tem sofrido enquanto o Mindinho, a Cersei, os Tyrells e os Martels jogam o seu jogo de tronos. Acho que ela vai topar com a irmandade sem bandeiras, e vai dar cabo de alguns fora da lei que oprimem o povo… Bem, ou a lady pedrosa aparece para tornar o núcleo da Brienne interessante, ou o núcleo da Brienne e do Podrick será ainda mais chato que o núcleo da Dany sem dragões. Ou o da Sansa sem o Mindinho. (Outra possibilidade é a Brienne e o Pod irem para o norte atrás da Sansa e aí eles incrementarem o núcleo dos Boltons e do Theon, mas acho isso muito difícil).

  • Andrey

    Mais lamentável do que o corte da Catelyn, foi a péssima adaptação das cenas do Tyrion-Jaime-Tywin. O núcleo Lannister era o que eles estavam mais acertando (ou menos cagando) e foi muito decepcionante. A fuga com o Jaimão não durou 2 min e com um diálogo mto pobre. Várias frases foda dos livros foram cortadas, a mais sentida “Ela anda fodendo Lancel e Osmund e até o Rapaz Lua, pelo que sei”, mesmo que tenham cortado os 2 últimos tendo rolo só com o Lancel, a dor de corno do Jaime é importante e foi totalmente ignorada. Cortar Stoneheart foi outro desrespeito com a obra e essa desculpa foi pior, sabia-se que isso aconteceria desde o começo. Desamino total com a série a partir de agora.

  • Quero mais edições do podcasteros com mais capitulos de livros e sobre teorias para os próximos livros 😀

  • LyannaStarkWIC

    Creio que Stoneheart deveria ter sido mantida de qualquer forma, não que ela tenha grande impacto na trama em geral, mas é um grande momento que realça a imprevisibilidade na história, é a hora que GRRM nos dá um tapa na cara e diz You Know Nothing Inocent!

  • LyannaStarkWIC

    A HBO já contornou o rumo do Jaime, aparentemente ele vai para Dorne.

  • gino

    E os núcleos de Dorne e das Ilhas de Ferro (em um contexto geral ) são os melhores . O Doran(mindinho 2) Arianne , Euron e Victarion são os personagens que mostram como realmente esta a situação . Espero que pelo menos isso eles façam direito

  • Mário Luiz A. silva

    Acredito que tudo em um momento terá que ser de uma ou de outra forma explicado, Se Lady Stoneheart não apareceu ainda neta temporada, o que poderá fazer a diferença na necessidade ou não dela aparecer será o que virá em Os Ventos do Inverno, pois o gancho ficou, quando Brienne aparece para levar Jaime ao encontro de Lady Stoneheart e esta é sua última aparição nos livros, o que vem após não sabemos ainda.

  • Martins

    Feliz é quem leu os livros e não fica perdido tentando acompanhar só a série…..

  • AP

    ou eles podem estar até mesmo deixando para a 6 temporada,acredito que até la o sexto livro ja tenha saído e eles podem estar esperando que a história de stoneheart ja tenha dado uma andada e então utilizar mais a Michelle,mas aí atrasaria a história de Brienne e consequentemente de Jaime…bem,vamos esperar.

  • Eduardo Soares

    Exatamente, já que não querem mostrar não criem expectativa…
    (Mesmo eu querendo muito que mostrem, e não achando ridículo e sem nexo. kkk)

  • drmingus

    Infelizmente, o próprio público parece querer mais ação do que drama, dado a quantidade de gente que reclama da falta de batalhas e lutas. Mesmo em relação aos livros, existe uma certa preferência pela ação em detrimento do drama e das tramas intrincadas, o que ficou bem claro para mim quando vi a enxurrada de críticas ao livro Festim dos Corvos, que não tem tanta ação como o que o antecedeu. A HBO é uma empresa que visa lucro, e se o público tem uma certa preferência, é por esse caminho que ela vai, e com base nisso, a série vai se afastando dos livros.

  • drmingus

    Até o momento, não se sabe do paradeiro dessa carta.

  • Roberto

    Ai que a série fica mais interessante. Os Produtores já provaram que são competentes. Imagina quando forem lançados os livros!

  • Kevin Nogueira

    Quando ela disse isso se referiu à narrativa da série, não que as Crônicas são insuperáveis.

  • Thales Quintiliano

    Parabéns Ana essa foi uma das melhores análises que já li ,VC é fera!!!!Aguardando o podcasteros…

  • Drtr Coulson, CHUPA ROLA VIADO

    Poxa… Será que ele se esqueceu disso? Achava eu que poderia ter dado uma puta apunhalada nas costas do Stannis.

  • Juirew Lonenata

    a do jaime ja sabemos que vai ter altas mudanças, ele vai pra dorne

  • Guest

    O de Covarbor está morto, supostamente envenenado pelos Bracken, acho meio difícil um vidente verde entrar nele, no máximo nos muitos corvos que lá habitam.

  • Eu não vejo a série, por mim tanto faz que tenha ou não, algumas coisas deveriam ser colocadas, outras não (como eu disse tanto faz), só quero saber o quão os “caras” estão perto de acompanhar o Martin.

  • Concordo AP, muitas das coisas cabiam serem colocadas, talvez algumas fossem complicadas, mas as frases citadas não aumentariam os custos de produção.

  • Guigo Rocha

    Sem contar que, me perdoem os #TeamTyrion mas, eu acheo a cena dele BEEEEEM mequetrefe. Com a Shae, ok, ele conseguiu passar alguma emoção e a cena até que teve uma melancolia e tal…
    Mas a morte do Tywin? Sério gente. Eles endeusaram o Charles Dance durante TODA A SÉRIE. E simplesmente dão um dos piores diálogos para ele na hora de sua morte. E nem a fatídica frase de que um Lannister não caga ouro não teve. Cara, eu fiquei perplexo que foi tão sem emoção essa parte. A gente deveria AMAR ver Tywin morrendo, ainda mais pelas mãos de Tyrion. Mas pra mim foi só Nhééééé.

  • O de Corvabor está morto, supostamente envenenado pelos Bracken, Um represeiro morto é o mesmo que represeiro nenhum.

  • Juirew Lonenata

    eu entendi, mas porque você não vê? eu achava que todo fã das crônicas via, já que o martin nunca acaba de escrever os livros a série pelo menos pode ser um “passa tempo” até o próximo

  • Luna

    Gostei da sua solução pro Bran, agora sobre a Brienne ando com umas idéias doidas.

    Pode ser doideira, mas em meio as invenções da série começo a creditar como algo possível: Brienne no lugar da Lady.

    Sem a Stoneheart, considerando o encontro da Brienne com a Arya e a posição que Sansa tomou (que não deve ficar com sua identidade oculta por mt tempo), pq não nossa querida guerreira não assumir o papel de matadora dos Freys e pacificadora da região?

    Seria uma boa saída pra personagem, deixaria a história dela mais rica e movimentada. Pq, fala sério, oq ela tem pra fazer, depois q tds souberem do paradeiro de Sansa?
    Ela vai ficar procurando a Arya eternamente?

  • Luna

    Olha, né por nada não, mas acho que se vc quer uma análise sem a comparação com os livros deve ficar só com a análise sem spoliers.

  • Larissa_Alves

    No meu ponto de vista a adaptação da HBO continua sendo aceitável mesmo não conseguindo reproduzir todo o conteúdo dos livros, mas até o momento eles ainda conseguem transmitir a essência deles, transmitem que há pessoas envolvidas na série que realmente leram eles. E acho até que se As Crônicas de Gelo e Fogo fosse adaptada por um outro grupo de pessoas, e talvez em outro formato, provavelmente não teria a força que essa série da HBO conseguiu ganhar durante esses anos de transmissão, então eles estão sim fazendo um bom trabalho…

  • Julio Silva

    sim, mais isso sera na proxima temporada, eu estou falando para a sexta ou setima temporada, pois isso acontece no final do Dança, para o inicio dos Ventos do Inverno.

  • AP

    acho que esse negócio de Dorne vai ser algo secundário,não teria sentido mudarem tanto a história dele assim,mas vai saber né.

  • matheista

    Bran vira Dragão possivelmente Drogon, por expandir seu poder de trocar pele, como o Corvo de trés olhos disse, ele nunca mais vai voltar a andar e sim voar. As únicas Criaturas que voam e fazem direta à poder.

    Jon Iria se relacionar com Danerys e ainda tem a ligação de “beijada pelo fogo”

    Staniss sofre um ferimento de combate sério e com isso deixa a sucessão com Davos até que sua filha assuma.

    Melissandre acusa o Dragão “Bran” como o Grande Outro e faz um dilema na cabeça de Jon. tendo que decidir o futuro do reino ou dos Starks.

    Arya se torna uma assassina sem rosto e continua seguindo sua lista de pessoas que devem matar. e Deixa antiga vida de Arya Stark.

    Cersei é inocentada e condena Margary a Morte, e se torna louca a ponto de tentar matar o próprio filho. Ela é assassinada por Arya.

    Jamie é Levado a Lady Stone é condenado a morte, por amor Brienne se Oferece e morre junto com ele.

    Sansa se torna manipuladora, e assassina Peter Bealish.

  • Israel Ferreira

    Valeu aí

  • Mari

    Sobre a música The Children, achei no nível SdA. Maravilhosa.

  • paulofelcio

    A série não precisa ser MELHOR que os livros. Bastaria se fosse tão boa quanto.

  • Pablo Meireles da Rosa

    Pois eu acho que não, Luna. Eu leio as análises por causa da comparação com o livro também, não foi isso que eu critiquei e sim a má vontade com a adaptação.

  • Luna

    Sem querer entrar numa discussão, mas possivelmente já entrando: não vejo má vontade na análise, vejo má vontade dos produtores em adaptar a parte de magia da série, isso é inegável (fora o ridículo que eles passam em querer imprimir sua marca pessoal e o tal “padrão HBO”).
    Já leu o que a Michele disse?
    “coisas estranhas ao longo do caminho se perdem, a fim de manter a qualidade da série”
    Isso me diz muito sobre os produtores, e se eles não queriam falar sobre coisas estranhas, que pegassem outra obra pra adaptar ou fossem francos, dizendo: “nós queremos adaptar SÓ essa parte da história, por isso, fãs chatos, não fiquem de mimimi”.

    Como adaptação, a série vem deixando a desejar.
    Isso é o normal, mas dá pra ser uma série de qualidade e uma boa adaptação ao mesmo tempo.
    GoT vem perdendo a mão nesse equilíbrio.

  • Eu comecei a ver, mas era dublado, desisti, reli as crônicas, assisto outras séries, não me faz falta…

  • Ana Claudia Alves

    “Um dragão não é um escravo, khaleesi.” Muito bem observado.

  • Juirew Lonenata

    eu vi o episódio da guerra de blackwater em dublado a um tempo atrás, já tinha visto o episódio e estava passando na hbo 2, que não dava pra colocar legendado, posso dizer que foi a pior experiencia da minha vida kkkkkkk malditos dubladores horríveis

  • Pablo Meireles da Rosa

    Pois eu discordo (respeitosamente) outra vez, Luna, rs. Pois não vejo má vontade em adaptar a magia da série de livros. A irmandade sem bandeiras e Dondarrion estão lá, Bran e seus poderes, as lendas do norte, os Dragão da Targaryen, enfim. Agora, vejo uma “anti-vontade” de se divertir com o seriado ao criticar os zumbis-caveiras e dizer que a nova arma da Folha ser desnecessário.
    Eu entendo que pode haver uma frustração pela não aparição de um personagem (na opinião de alguns) tão legal como a Coração de Pedra. Eu mesmo, fiquei bem de cara qdo descobri que não teríamos Mãos Frias, pois desde a leitura da Tormenta, eu queria ver ele na série. Mas entendo que ele não fez NADA de grande relevância até agora na história e assim compreendo a decisão dos produtores de removê-lo da adaptação. Isso me satisfaz? Eu fico feliz com isso? Conformado com a justificativa (ou desculpa) dos produtores pela ausência? NÃO! Absolutamente não. É caro, demanda muito trabalho, não sei o quê? Não me interessa, eu QUERO ver o Mãos Frias na tela!
    Eu acho esse caso igualzinho ao da Coração de Pedra e do Belwas, que faltaram na série e causaram muito mimimi. Mãos Frias é o único desses personagens que eu me importo e fiquei bem frustrado que ele não vai rolar.
    O que eu não concordo é com opiniões extremistas que tentam deslegitimar o seriado da tevê por causa dessas ausências. Não vai ter Coração de Pedra no seriado, portanto ele é uma bosta! Não é bem assim.
    O seriado continua sendo uma boa história e uma boa adaptação. Na minha opinião de merda, obviamente. Mas para quem discorda, basta eu ser simplista e dizer que quem não quer um seriado com toda a liberdade criativa que os produtores propõem, deve ficar só com a história do livro.
    Só que eu acho que não é por aí. A adaptação de David e Dan não é perfeita assim como a história original do velho tb não. Mas ambas maravilhosas, do contrário não dedicaríamos tanto tempo a elas inclusive aqui discutindo mil vezes, ha.
    Mas a maior prova para a adaptação começa agora na quinta temporada, quando eu torço (e acho que vai rolar) para que David e Dan dêem mais dinamismo e objetividade para a confusão que é os livros 4 e 5.
    Mas não fique braba ahahah.

  • Jean Marcell

    Santo R’hllor .-.

  • Willivam Lambert de Sousa

    EXCELENTE TEXTO! parabéns Ana.

  • Diana Serra

    Gostaria de saber qual é o livro que dá continuação a este episódio 😀

  • Gabriel Resende

    haha’ Tyrion matou Tywin cagando. Uma morte épica *-*

  • Weberson Rocha

    Isso tudo que vc escreveu acontece ou são suposições?

  • Allan Souza Santos

    Na verdade, varias trechos do livro estão presentes neste episódio mas caso voce queria ler vai ter que ler em partes vou colocar aqui qual parte do livro da continuidade a cada personagem :
    Jon – Os ultimos capitulos dele no Tormenta de Espadas Brienne – Os ultimos capitulos dela no Festim dos Corvos Bran – Todos capitulos do Dança dos Dragoes Tyrion – O primeiro capitulo dele no Dança ja é continuação daquela cena. Daenerys – No meio do dança dos dragões
    Infelizmente a série não segue os livros de uma forma cronológica perfeita, você vai ter que ler tudo em partes, mas seria melhor se você lesse o final do Tormenta e o Festim e Dança inteiros.

  • Allan Souza Santos

    Gostei bastante dessas teorias, menos a da Sansa, pra mim o Petyr coloca ela como rainha do norte e herdeira do Vale de Arryn e se alia ao Jovem Griff, o jovem griff vira rei e ele continua como mestre da moeda maquinando algum novo plano,

  • Pati

    Leia todos os livros e não tem erro 😀

  • Pati

    “Cersei é inocentada e condena Margary a Morte, e se torna louca a ponto de tentar matar o próprio filho.” A Cersei já foi perdoada com a caminhada da vergonha, e ela não tem como condenar a Margaery a morte, os Tyrells são muito necessários e ela não pode perder o apoio deles.

  • matheista

    Suposições

  • matheista

    Se ela descobrir que a Carta Fajuta de Lord Arryn , se Sansa descobre que Peter Traiu seu pai(que eu imagino que aconteça) Não espere misericórdia da nova Sansa.

  • matheista

    Lembre-se que isso é Game of Thrones :p hehehe Tudo é possivel. Cersei se mostrou incompetente como Politica e como Negociadora, muito fácil de fazer besteira que a até Varys não tem medo de deixar ela no comando do Reino. E que eu me lembre Cersei tem um julgamento de combate ainda por vim com o Motanha 2.0.

  • No final um Lannister não caga ouro

  • Pedro Alvim

    Eu sinceramente gostei da adaptação e pra mim eles somente pecaram na parte do Tyrion. Pra mim a retirada, acertada, de personagens como Mãos-Frias e Stoneheart se por alguns motivos como:
    1) irrelevância pra trama até o momento (o primeiro só levou o Bran e o segundo sinceramente não fez nada além de ser um pseudo-símbolo de vingança que pode na série cair nas mãos da Arya ou Sansa e que faria muito, mas muito mais sentido);
    2) pra uma série tão política e que tenta trazer o gênero fantasia mais próximo do real, exagerar na parte mágica não soa muito bem (pra mim o livro exagera sim nessa parte; muralha, dragões e os videntes e troca-peles já estariam ótimos; “zumbis” mágicos e ficar revivendo personagens…);
    3) eles devem ter chegado no tio Martin e perguntado qual a importância futura dos personagens e por isso resolveram tirar. No caso da Stoneheart, ainda há espaço sim pra ela aparecer: imaginem, fãs dela, o primeiro ep da 5ª temporada começar com a Brienne parando pra se recuperar numa caverna, ser presa pela irmandade e lá pelo ep 8, 9 ou mesmo 10 mostrarem ela se encontrando com a recém-viva Cat? Não faz muito sentido pra quem leu, mas pra série seria um ótimo jeito de colocar a personagem caso queiram.
    Quanto ao Jojen…dar mais espaço pra ele na série seria tirar espaço de personagens mais queridos pelo resto do público e desenvolver menos tramas mais importantes. No fim das contas ele é só mais um que ajudou o Bran, o papel principal dele foi o de guia/1º mentor na arte de trocar pele, e isso foi mostrado na série; como ele cumpriu seu papel a morte veio sem nenhum prejuízo. Quanto às histórias de Westeros que deixaram demostrar…a série conta a Guerra dos Tronos e só, não tem espaço pras histórias a não ser que sejam totalmente necessárias pro entendimento, e ainda sim elas seriam contadas possivelmente por um personagem mais querido, tipo o Tyrion.

  • Célia Regina

    E afinal, alguém sabe se o Jon morreu no 5.0 livro?

  • Célia Regina

    Pra mim, as crônicas são sobre a Danerys e o Jon, o resto é o resto;

  • gino

    acho um pouco difícil o griff virar rei . É mais fácil o Stannis admitir que ele não é o verdadeiro rei ou até mesmo a Daenerys sentar no trono do que o martin fazer um cara que entrou no quinto livro virar rei . Seria óbvio demais

  • Robert Forte

    Acredito que não. Provavelmente seu lobo gigante, o Fantasma, vai salvá-lo.
    Acontecerá igual o arco da Brienne, todos achavam que ela havia morrido no 4º livro, quando na verdade ela no último minuto se rendeu a Lady Stoneheart. Desculpem os SPOILLERS mas, acredito que todos que leram esta resenha muito provavelmente também leram os 5 livros…

  • Giuliano

    Discordo sobre estrupo de Cersei, a cena mostra uma Cersei nao desejando o irmão por estar no leito de morte do filho, mas ao mesmo tempo desejando, dando gritos de Não, mas desejando Sim… Minha opinião! Acho muito forte dizer “estupro” a todo o momento, desculpe.