Análise do episódio 4.08: “The Mountain and the Viper” (sem spoilers)

Esse texto NÃO CONTÉM SPOILERS DOS LIVROS e é destinado principalmente para aqueles que não terminaram ou sequer começaram a leitura dos mesmos. Se você já leu ou não se importa em saber o que vai acontecer, confira a análise COM SPOILERS, que em breve deve tá saindo por aí.

408

Na temporada passada, os episódios dirigidos por Alex Graves (“And Now His Watch is Ended” e “Kissed by Fire”) estiveram entre os meus favoritos, mas esse ano o nível tem sido tão alto que, para mim, ele acabou se tornando o “mais fraco” do time de diretores. Nesse episódio, ele parece ter retornado à boa e velha forma, ainda que não tenha superado as contribuições magníficas de Alik Sakharov (“The Laws of Gods and Men”, “Mockingbird”) e Michelle MacLaren (“Oathkeeper”, “First of His Name”).

Mas isso não diminui a grandiosidade de “The Mountain and the Viper”, que veio com tudo depois de uma longa semana de hiato, nos entregando uma série de acontecimentos importantes como a conquista de Fosso Cailin, a invasão de Vila Toupeira, a chegada de Arya ao Vale, a transformação de Sansa, a expulsão de Sor Jorah e a tão esperada luta de Oberyn Martell e Gregor Clegane, que foram responsáveis não só pelo título, como também pelo momento mais marcante de Game of Thrones desde o Casamento Vermelho.

1

As primeiras cenas prepararam bem o terreno para o episódio seguinte que, como todos devem saber (ao menos os que estão ligados nas notícias aqui do site) cobrirá a iminente batalha em Castelo Negro, que jamais aconteceria sem que o grupo de selvagens liderado por Styr e Tormund passasse por Vila Toupeira.

A barbárie foi tamanha que eu quase senti pena da mulher que se referiu a Gilly como “puta selvagem” mas que, ao ameaçar matar o pequeno Sam, mostrou-se mais selvagem ainda. A atitude de Ygritte ao poupar mãe e bebê foi mais nobre que a de muitos daqueles que se dizem “civilizados”. Como nosso amigo Gregor Clegane, por exemplo, que estuprou e matou Elia Martell, depois de ter esmagado seus dois filhos pequenos contra a parede. São pessoas como ele que merecem ser exiladas do outro lado da Muralha, pra conviver com os Outros e todo tipo de ameaça existente naquelas bandas. Mas agora o estrago foi feito. Depois de anos de reclusão, os selvagens precisam lutar para sobreviver e, para isso, vão passar por cima de tudo e de todos que estiverem no caminho.

2

A sequência foi violenta e frenética, do jeito que eu gosto. Uma ótima maneira de começar o episódio que não foi pontuado por muitas cenas de ação… Não até o grande momento final.

Mandar Gilly para um puteiro a fim de evitar que ela fosse atacada pelos patrulheiros, com selvagens canibais à solta e um bebê de colo, foi uma ideia claramente estúpida desde o início. Infelizmente, demorou um episódio pra Samwell perceber isso, e agora tudo que ele pode fazer é chorar e torcer pra que a moça tenha sobrevivido. Verdade seja dita, o “Matador” só tem matado o público de tédio nessa temporada. Até agora, o cara só soube reclamar, choramingar e fazer besteira.

É interessante observar como a amizade e a cumplicidade entre Jon, Sam, Edd, Pyp e Grenn cresceu nessa temporada. Todos eles estão evidentemente mais maduros e prestes a enfrentarem o maior desafio de suas vidas… Como 102 bastardos, estupradores e ladrões podem vencer 100 mil gigantes, mamutes e Thenns?

Nessa parte você percebe que já estamos no oitavo episódio e chega à conclusão nada agradável de que tudo o que os produtores fizeram com esse núcleo nessa temporada foi empurrar a bendita batalha para frente. Não que as cenas em Castelo Negro e na Fortaleza de Craster tenham sido ruins, mas parecem forçadas quando pensamos que elas só aconteceram pra manter a velha tradição de reservar o acontecimento mais esperado do ano para o episódio nove. Vamos torcer pra que essa espera valha a pena (normalmente vale) e pra que o último homem a morrer seja gentil e queime os corpos.

4

Essa história do romance de Missandei e Verme Cinzento não é exatamente o que eu gostaria de ver se desenvolvendo no momento. Mas quando foi a última vez que vimos uma relação entre uma mulher e um eunuco ser retratada na TV? É curioso, no mínimo. Como não se apaixonar por Nathalie Emmanuel? Ela é tão bonita quanto sua rainha. Jacob Anderson também faz sua parte. Os dois tem uma química boa e a cena deles na pirâmide valeu só pela cinematografia e trilha sonora impecáveis.

Aliás, a trilha sonora foi marcante em vários momentos de “The Mountain and the Viper”. Gostei especialmente das faixas escutadas quando Theon prometeu liberdade aos homens de ferro em Fosso Cailin; quando Sansa mentiu por Mindinho durante o “julgamento” e mais tarde, quando ela desceu as escadas do Ninho da Águia vestida de preto; além, é claro, da triste melodia dos créditos finais.

Mas voltando a Meereen, foi legal focarem personagens que, quase sempre, estão encobertos pela imensa sombra de Daenerys Targaryen. Nesse episódio, as cenas não foram essencialmente sobre a Mãe dos Dragões, mesmo quando ela esteve presente.

Enquanto a relação de Missandei e “Torgo Nudho” evoluiu, a de Jorah e sua preciosa khaleesi ruiu definitivamente. É impossível não lembrar do incrível “The Laws of Gods and Men”, onde vimos Tywin discutir com o Pequeno Conselho a ameaça que Dany e seus conselheiros representavam aos Sete Reinos. Naquela mesma reunião ele perguntou a Varys se seus passarinhos poderiam chegar a Meereen, pouco antes de pedir papel e caneta ao estagiário, Mace Tyrell. O selo com a mão prova que tudo foi armação dele. E é justamente um dos passarinhos que entrega a Sor Barristan a carta contendo o perdão real de Robert Baratheon, que já fora oferecido a Jorah em “You Win or You Die”, no mesmo mercado em que o vendedor de vinho tentou envenenar Daenerys, na época grávida de Rhaego.

É triste que esse tenha sido o maior momento de Barristan desde que ele reapareceu em “Valar Dohaeris”, mas foi bacana ver como o cavaleiro foi a Jorah antes de entregá-lo à rainha. Talvez tenhamos mais cenas com ele agora que seu “rival” foi EXILADO DO EXÍLIO.

24

Pobre homem. Iain Glenn é tão sincero em sua interpretação que é quase impossível não sentir pena do cara. Dany sabia que Jorah não era exatamente um homem bom antes de conhecê-la, mas ele estava ali pra se redimir e, se não fosse pelos seus conselhos, ela nunca teria chegado onde chegou. Talvez a atitude dela não tenha sido a mais sensata, mas quem somos nós pra julgar? Foi a vida dela e do filho que ele colocou em risco, ainda que a tenha salvado inúmeras vezes depois daquilo. E vale lembrar que, embora seja uma das personagens mais fortes e expressivas da série, Daenerys é jovem, inexperiente e extremamente passional. É normal que ela responda à traição com raiva e ressentimento, ou como ela gosta dizer, à injustiça com “justiça”.

Pela aparição de Fosso Cailin na abertura, foi difícil imaginá-lo assim tão sinistro, como quase tudo que envolve a Casa Bolton. A tomada do castelo (se é que ele pode ser chamado assim), mais uma vez, aconteceu fora da tela. Mas as negociações que levaram a ela foram bem satisfatórias, a começar pela pergunta que os sentinelas fizeram a Fedor nos portões: “Quem é você?”

A cena em que Kenning não aceita se render e é traído pelos próprios homens foi uma referência clara ao discurso de Theon em “Valar Morghulis”, onde o vimos disposto a morrer pra defender Winterfell, enquanto tudo que Dagmer Boca-Rachada e Black Lorren queriam era sair vivos dali. Assim como naquela ocasião, o cara que queria ficar e defender seu posto acabou levando a pior. Mas ao invés de usarem um bastão de madeira, os homens de Kenning o pararam com um violento golpe de machado na cabeça… Queria Theon ter tido a mesma sorte.

E mais uma vez, assim como em Winterfell, ao invés de entregar a liberdade prometida, Ramsay não entregou nada além de morte e esfolamento. Tradições são importantes.

14

impressão minha ou ele tá sorrindo?

Para mim, Theon sempre foi um dos personagens mais dignos de pena de toda a série, mesmo antes de ser Fedor. Assim como Tyrion, o cara era um desajustado, rejeitado pelo pai biológico e que usava a prepotência como mecanismo de defesa contra tudo isso. A diferença é que o anão tinha inteligência. 

Muitos dizem que ele mereceu tudo que está sofrendo, por ter queimado os filhos do fazendeiro na segunda temporada. Eu não discordo, não totalmente, mas é bom lembrar que quem cometeu aqueles crimes não é a mesma pessoa que vemos aqui. Apesar de que, como Fedor, o cara continua matando a mando de Ramsay, ainda que indiretamente, o que de certa forma é parecido com o que está acontecendo a Arya em sua relação com o Cão de Caça e, aparentemente, a Sansa em sua relação com Mindinho. Essa necessidade quase inconsciente que os três possuem de se aproximar e conquistar a admiração de seus respectivos captores é o que os psicanalistas chamam de Síndrome de Estocolmo, e das brabas.

A cena em que Roose Bolton mostra a extensão de seu reino ao filho lembrou muito uma passagem do Rei Leão, o que é bem apropriado já que foi através de uma aliança com os Lannisters que eles conseguiram o domínio sobre o Norte.  O modo como Ramsay se ajoelhou e jurou fidelidade ao pai foi bem bonito, até lembrarmos o que ele é. Theon, ou melhor, Fedor, está longe de ser uma pessoa de valor (se é que ele ainda pode ser chamado de “pessoa”, o cara é quase uma ferramenta), mas o verdadeiro mal da história é Ramsay. E agora, com o sobrenome Bolton, o Norte será pequeno para esse bastardo filho da puta.

E pra quem ainda se pergunta que castelo era aquele no último quadro, bem, a música tema não mente. Aquela era a “nova casa” a que Ramsay se referiu em Fosso Cailin. O lugar que ele e Theon ajudaram a destruir… Isso mesmo. Winterfell.

26

Engraçado como Mindinho, que é indubitavelmente culpado pela morte de Lysa (e de Joffrey!), foi inocentado com a ajuda de Sansa enquanto o marido dela foi condenado injustamente na capital (e Oberyn com ele). O ambiente pequeno, desprovido de cores e iluminação apropriada; as expressões austeras dos excelentes atores contratados pra viver Bronze Yohn Royce (que realmente parecia uma pedra), Anya Waynwood e Lyn Corbray; a trilha sonora quase inaudível e o modo como a câmera filmava de perto os rostos dos personagens, principalmente quando eles estavam mentindo… Todos esses elementos, casados perfeitamente, ajudaram a estabelecer aquela atmosfera tensa e inquietante do momento do confronto.

É estranho pensar que o mesmo cara que planejou a morte de Jon Arryn, colocou a culpa nos Lannisters, iniciou uma guerra e depois conspirou pra assassinar o rei não tinha uma carta na manga pra justificar a morte da esposa. Pior: saber que a desculpa dele foi algo tão infundado e suspeito como suicídio. Se não fosse pelo testemunho surpreendente da garota “sem aprendizado e de raciocínio confuso”, Mindinho provavelmente ainda estaria despencando do Portão da Lua a essa altura.

Aqui, Sansa mencionou ter conhecido Lorde Yohn Royce em Winterfell, quando ele levou seu filho para servir na Patrulha, o que certamente aconteceu antes do primeiro episódio da série visto que, na primeiríssima cena deste, já vimos Sor Waymar como patrulheiro, escoltado por Gared e Will (o cara que, mais tarde, foi decapitado pela Gelo de Eddard Stark). Vocês lembram de Waymar Royce, certo? Ele foi a primeira das muitas (muitas) vítimas de George R. R. Martin.

28

ela realmente sabe o que Mindinho quer.

Agora, além da “última filha viva” de Ned Stark, o ex-agiota e cafetão tem sob seu poder o menino Robin, que depois da morte da mãe, é o novo Senhor do Vale. Com dois objetos políticos importantíssimos como esses, e mais uma porrada de peões do seu lado do tabuleiro, o cara tem tudo pra alcançar seu objetivo, que provavelmente inclui o Trono de Ferro. Ou vocês acham que Petyr realmente se importa com o moleque? Ainda assim foi bacana ver ele fazer as vezes de pai, explicando a Robin o que significa ser um suserano. Já passou da hora do passarinho deixar o ninho.

(“Robin”, em inglês, também pode significar “passarinho”. Logo, a frase “time for Robin to leave the nest” foi um belo jogo de palavras dos roteiristas.)

Durante as três últimas temporadas, Sansa sempre foi retratada como a vítima. A garota que simplesmente tentava resistir às loucuras e excessos das pessoas ao seu redor, submetendo-se ao ritmo da maré, e à esperança de que algum dia o seu tormento fosse acabar. Mas quando ela foi salva dos ataques de ciúmes da tia, passou a enxergar certo poder em sua fraqueza. E foi usando essa fragilidade que ela conseguiu convencer os nobres do Vale a suportarem Mindinho. Esse ato de manipular para sobreviver, sem dúvidas foi algo que ela observou primeiramente em Cersei.

Até aí tudo bem. O depoimento dela e a cena posterior em seus aposentos foram o suficiente para denotar a evolução da personagem. Recorrer ao clichê “vilões vestem preto” foi terrivelmente desnecessário. A cena conclusiva em que vimos Sansa descer as escadas do Ninho, usando o vestido de luto COM PENAS DE CORVO que ela mesma costurou momentos antes foi digna de qualquer uma dessas novelas ruins da Globo. Eu não posso negar que foi impactante, mas se esse impacto foi negativo ou positivo eu ainda não sei.

27

E enquanto Sansa começa a saborear o lado Negro da Força, Arya mostra que já está nesse caminho há um bom tempo. Primeiro, aquele papo de não se sentir feliz com a morte de Joffrey pelo simples fato de não ter sido ela a cometer o assassinato. Depois, pelas gargalhadas frenéticas que ela solta ao finalmente alcançar seu destino só para descobrir que Lysa Arryn tinha morrido. Acredito que isso só evidencia o quão fria e deturpada a personagem se tornou. Como se qualquer tipo de esperança de reencontrar a família, ou um lar qualquer que seja, tivesse morrido dentro dela. Mas apesar desse lado triste, o modo como as gargalhadas ecoaram pela pedras do Vale de Arryn foi bem engraçado, principalmente pela cara de Sandor, que acabou ficando sem recompensa.

Quando Jaime mencionou  assassinato de primos, eu achei que ele mencionaria Alton Lannister, o primo que ele matou pra fugir de sua cela no acampamento de Robb em “A Man Without Honor”. Se existe alguém para quem ele poderia confessar tal crime, esse alguém é o irmão, e isso seria muito interessante de ver. Só que os roteiristas preferiram trazer a tona o “apatetado” primo Orson e seus besouros. O papo foi legal, por antecipar e metaforizar o resultado da luta, além de revelar o motivo da cisma de Jaime com os meistres (quando ele conheceu Qyburn, perguntou se o mesmo tinha perdido a corrente por “gostar de tocar garotinhos”). Além disso, é sempre bom ver Peter Dinklage e Nikolaj Coster-Waldau contracenando, quem sabe até pela última vez. Mas foram mais de quatro minutos, galera. Precisava isso tudo? Aqueles sinos vieram em boa hora.

Uma característica que marca os textos de David Benioff e D. B. Weiss é a insistência em repetir piadas velhas. Esse lance de todo mundo ficar interrompendo Pycelle serviu bem no início pra mostrar o quanto ele é irrelevante apesar do título de Gran Meistre, mas já perdeu a graça a algum tempo, até por que eles estão usando esse mesmo recurso manjado pra desvalorizar o pobre do Mace Tyrell. Falta de criatividade, talvez? A verdade é que estávamos todos tão ansiosos para o combate que nem nos incomodamos com esse detalhe, até o apreciamos no momento.

33

Também vale comentar que a escolha da locação pra filmar a luta foi impecável, com o excelente trabalho da equipe de efeitos especiais tornando tudo ainda mais bonito. O quadro acima, que mostra Pycelle discursando enquanto a câmera filma de baixo a majestosa Fortaleza de Maegor sobre ele ficou incrível!

A primeira coisa que Tyrion fez ao encontrar seu campeão foi repreendê-lo por estar bebendo e sem capacete, quando minutos antes ele mesmo disse que “vinho sempre ajudava”. As tiradas inteligentes nesses poucos segundos antes da luta serviram para mostrar como os dois personagens funcionam bem juntos. Mas química boa mesmo o príncipe de Dorne tem com sua amada Ellaria. Além de gata, Indira Varma é extremamente talentosa, e foi sensacional em todos os momentos desde sua estreia na temporada. A despedida do casal foi de cortar o coração, especialmente se você já assistiu e sabe o que vai acontecer logo em seguida.

Como já era de se esperar, a luta em si foi muito rápida. O episódio mostrou tanta coisa, que sobrou pouquíssimo tempo para o desfecho tão aguardado. Ainda assim, a sequência foi muito bem executada por todos os envolvidos. As câmeras conseguiram aproveitar bem os movimentos rápidos de Pedro Pascal (que foram inspirados no Wushu), e ainda capturaram pontualmente as variadas expressões dos atores na plateia, que traduziram bem os sentimentos do público de casa.

Algumas pessoas na internet reclamaram das piruetas e acrobacias excessivas de Oberyn, e do modo como ele dançava mais do que atacava o oponente. Mas como Bronn nos explicou em “Mockingbird”, a melhor tática pra derrotar o Montanha é se movimentar rapidamente até que ele canse. E Oberyn quase conseguiu, não? A esperança que ele nos deu foi, no mínimo, cruel.

hulk esmaga!

E então, assim como o primo Orson esmagava aqueles insetos, Gregor detonou o cérebro do príncipe Oberyn e os nossos, por tabela. Quem esperava por isso? Muitos ficaram perplexos como Tyrion (será que ele ouviu o “khu, khu, khu” naquele momento?), outros soltaram gritos de gelar o sangue, como os de Ellaria e algumas pessoas até riram loucamente, como Arya.

Decidir se um homem é culpado ou inocente aos olhos dos Sete com outros dois homens se matando certamente diz muito sobre os deuses. Principalmente quando é a parte inocente que perde a luta. Se os deuses existem e são justos, por que o mundo está tão cheio de injustiças? Por causa de homens como Gregor Clegane. Que esmagam, estupram e matam pessoas como se elas fossem insetos.

Mas não foi aquele golpe que matou Oberyn, e sim sua sede de vingança justiça. Se serve de consolo, eu acho que talvez (talvez) ele tenha conseguido saciá-la, ainda que parcialmente. O cara era conhecido como a Víbora Vermelha de Dorne, e ninguém ganha um apelido desses a menos que seja mortal. O conhecimento dele a respeito dos mais variados tipos de veneno já foi mencionado na conversa com Tywin em “Breaker of Chains” e, em certo momento da luta, é possível ver seu escudeiro passar alguma coisa na ponta da lança. Mas independente de Clegane ter sido envenenado ou não, foi muito triste que Oberyn tenha morrido no processo, enquanto o “homem que deu a ordem” continua ileso.

31

O chileno Pedro Pascal sofreu uma certa rejeição por parte fãs leitores dos livros quando sua contratação foi anunciada, em parte por ele ser um ator relativamente desconhecido, e mais ainda por causa de seus traços físicos e étnicos, que fugiam daquilo que muitos idealizaram (equivocadamente) como a aparência ideal para o povo de Dorne. Mas ele veio com tudo, e em sua primeira aparição conseguiu calar a boca de todo mundo, deixando sua marca em menos de uma temporada. Será que o coitado estava ciente de que a expectativa de vida em Game of Thrones era assim tão baixa?

Enfim… Valar moghulisTodos os homens devem morrer… Mas precisava ser desse jeito bizarro? Podia ter sido um simples patricídio, nepoticídio, suicídio, morte na cama, na mesa de jantar, agachado no penico, sei lá. O fato é que o cara certamente fará muita falta no elenco.

Ah! Precisamos lembrar que Oberyn era um príncipe, membro de uma das famílias mais poderosas de Westeros, e não um prisioneiro qualquer desses que o Montanha mata na hora do lanche. Vocês acham que a morte dele vai ficar impune? Será que ninguém lhe fará justiça? Ellaria? Seus vassalos que apareceram brevemente em “Two Swords”? (Aliás, onde eles estavam durante a luta?)

32

goodnight sweet prince.

Bem, como diria Tyrion, se você quer justiça, está assistindo a série errada.


feed

Informe seu e-mail

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados

  • Ecio Barbosa

    Ganhou meu “positivo” quando apoiou o foco no Velhinho Selmy, meu personagem favorito tem que ter mais destaque, sinto falta do ar de lenda que ele tem nos livros (nessas terras de GRRM só os muito qualificados para se darem ao luxo de envelhecer). De todas as pessoas que cheguei a debater sobre Arya e Sansa foi a única a concordar comigo sobre as personagens, Arya claramente perturbada e a Sansa na minha opnião usou mais do que aprendeu com a Cersei do que com o Próprio Mindinho, aquela cara dela de “eu sei que vc me quer” foi uma mudança drástica até demais pra personagem, a simples idéia de ela terminar com o Mindinho é perturbadora e enojante, mas como sempre autor e produtores usando o sentimento de aversão para atrair o telespectador (já não basta matar os personagens que todo mundo gosta?).

    Vou ficar mais atento aos easter eggs daqui pra frente, além da foto da Lena com os dedos nos olhos do Pedro, para quem não sabe o Pedro atuou em The Mentalist como um agente do FBI chamado Pike (o tipo de lança que ele usou na luta), se isso não foi proposital foi uma baita de uma coincidencia.

  • Amaury Silva

    Eu aguardo duas coisas ansiosamente, o episodio em si , e depois seus comentários como sempre esclarecedores!!!

  • João Fernandes

    Olá Rafael. Gosto de ler suas resenhas e acredito que você consegue atingir seu objetivo de analisar o episódio. Só penso que a maneira como você escreve também para quem já leu os livros seja, no mínimo, imparcial. Vide a maneira como as pessoas podem morrer e serem encontradas mortas. Fica a dica!!

  • Concordo! Impossível segurar o sorrisinho ao ler essa frase =P

  • Don Ramon

    Fato: “nessas terras de GRRM só os muito qualificados para se darem ao luxo de envelhecer”

  • Marcos Fontes

    Encontrei uma dica no texto. Substituindo penico por latrina! Entendedores entenderão rsrsrsr

  • Pedro

    Acho que a história de Tyrion metaforiza não a luta, mas o rei louco, que considero uma das peças chaves para compreendermos a estória, pq o rei ficou louco? nao se sabe(ainda), mas eh impressionante como a estória de tyriom se assemelha com a de Aerys Targeriam.

  • Guest

    Alguém sabe me dizer se a Sansa está ciente de que foi o Mindinho que traiu o pai dela?

  • Victor Santos

    “O Norte será pequeno para esse bastardo filho da puta.” HAUAUAH ri dessa parte!

    Ótima análise, ótimo episódio mas extremamente doloroso e infeliz este final. Os gritos da Ellaria e sua cara de horror, ainda ecoam em minha mente juntamente com a cena e o grito de dor de nosso querido Oberyn ao ter seus olhos esmagados… Foi impactante pra toda minha família ver está cena cruel e que mostra claramente o quão grotesco é o desgraçado montanha… Faço minhas as “palavras” do desenho que tem rolado na net, sobre a comparação do primo Orson esmagando seus besouros ao G RR MARTIN esmagando nossos personagens favoritos… Ambos sem piedade nenhuma e este último sem dó com nossos corações, mostrando que GOT é imprevisível e portanto não devemos nos apegar a nenhum favorito, pois “todos os homens devem morrer”. O que aumenta a angústia é quanto cruel tem sido a morte de nossos amados personagens, começando por Ned -decapitado (ainda tivemos que acompanhar sansa e ficar olhando para sua cabeça), depois por Robb Stark – Flechado, esfaqueado, decapitado e ainda teve seu corpo grudado a cabeça de seu lobo e agora o pobre o Oberyn e seu crânio “levemente” espocado contra o chão, enquanto vimos o jofrey morrer apenas engasgado e provavelmente o terrível montanha com uma lança que mau entrou toda em seu peito. Enfim, esperamos agora o episódio nove seja menos cruel conosco mas seja tão bem feito quanto e que em meio de milhares de selvagens, 102 guerreiros se sobressaiam e “derrubem do alto da muralha”, cada gigante que ousar subir! o/ obs: Eu sei que esse meu desejo final é platônico demais pra realidade vivida em Got. hahauhua mas não custa sonhar, afinal todos nós tinhamos na mente uma gloriosa vitória do então saudoso víbora.

  • Fanuel Mota

    O grande clichês das histórias de super-heróis é quando o vilão enrola para matar o herói e acaba levando a pior no final e o herói novamente salva a cidade ou o mundo.

    Para quê afinal de contas Oberyn queria o raio da confissão? Já tinha a lança na barriga do cara, custava acabar de uma vez com ele?

  • HSCB

    “Podia ter sido um simples patricídio, nepoticídio, suicídio, morte na cama, na mesa de jantar, agachado no penico, sei lá…” …. hihihihi

  • Fran

    Adorei a analise. Só discordo que Sansa vestir preto foi clichê. Em GOT os vilões definitivamente não usam preto, e mesmo que a cor remeta a vilania ela também é uma cor mais madura, mostra o desenvolvimento da personagem, além de simbolizar o luto pela tia “suicida”. Achei muito valido que Sansa vista preto a partir de agora.

  • Guilherme Augusto Faqueti

    Rafael, gosto muito de suas resenhas minha unica ressalva é: a questão do clichê do vestido preto de Sansa, vale lembrar que, ela esta de luto, afinal, sua tia maluca acaba de se “suicidar”.

  • Ainda não saiu o ator que irá fazer o príncipe Doran? Acho que o brasileiro Rodrigo Santoro faria um bom trabalho nesse papel.

  • Silvano Ferrari

    falar que a análise foi ótima é chover no molhado… Parabéns Rafa…
    Além do episódio colocar easter eggs do que vem no ep. 10 vc tb solta nos comentários kkk nao vou falar mais pra não dar spoiler no lugar errado…

  • Valeu Eric! Espero que Selmy apareça mais agora ele é o “único” conselheiro de Dany. Abraço!

  • Muito obrigado Amaury! Abraços!

  • Valeu mesmo João! Abraços!

  • Hehehehe. Quem deu a dica foi Mindinho no episódio. 😀

  • Coitado, kkkkkk.

  • É amigo, não custa nada sonhar, hahaha. Muito obrigado e abraços!

  • Mas nem Robin estava de luto (ou estava?). Tudo bem ela vestir preto, Fran. Mas penas de corvo? Cabelos escuros? Parecia um vilã da Disney, hehehe. Fora que achei a cena toda um clichezaço. Muito obrigado pelo comentário! Abração!

  • Verdade. Mas acho que se aproveitaram do luto pra aderir ao clichê, hehehe. Muito obrigado Guilherme! Abraços!

  • Doran é mais velho que Oberyn, rapá!

  • Valeu Silvano! Abraços cara!

  • Não vejo problema com isso. Conseguiram deixar ele parecido com a Vera Verão no 300. Deixar ele mais velho não deve ser difícil. Só olhar o jeito que ficou Brad Pitt no Curioso Caso de Benjamin Button.

  • RenanRCV

    A resposta que ele queria era se o Tywin tinha sido o mandante ou não, já que o Montanha era claramente um peão. Sem contar que conseguindo uma confissão dessas na frente de tanta gente, conseguiria colocar o povo todo contra o Tywin e quem sabe submetê-lo a um possível julgamento.

  • Camila Kertzman

    Excelente trabalho como sempre, Rafael! Sempre acho incrível como você vai de camada em camada para analisar os episódios, mostrando os detalhes que são o que realmente formam a história e que o pessoal que só acompanha a série muitas vezes deixa de ver. E o melhor é que você brinca com isso, às vezes levando à conclusões certas, às vezes à erradas e, às vezes, à conclusão nenhuma. Assim como foi para a gente que leu o livro!
    Só tenho que discordar de algumas coisinhas. A primeira é quanto ao clichê que foi a transformação da Sansa. Foi clichê sim, mas acho que foi necessário. Ela sempre quis uma vida clichê; ser a bela e honrável senhora de um grande senhor. A série usar esse desejo da personagem e transformá-la em um clichê oposto; uma vilã com penas de corvos – que é um puta símbolo dentro da história – é uma distorção dos sonhos daquela menina inocente. O fato de ter sido ela mesma quem costurou as penas é ainda melhor; foi a própria Sansa que usou aqueles sonhos infantis para se impulsionar e crescer como uma jogadora. Eu vi a cena como ela assumindo o quanto foi ingênua e usando isso como sua nova força, do mesmo modo que usou sua fragilidade como arma.
    A segunda é quanto ao Jorah. Ele deu muitos conselhos para a Daenerys. Muitos mesmos. A maioria deles, no entanto, era o mesmo. “Confie só em mim”. Ela mesma disse, como um lembrente àqueles que, como eu, gostam do Lorde Friendzone, se ela o tivesse ouvido, estariam todos mortos no deserto. Se tem alguém lá que ela realmente deve ouvir é o Sor Barristan e não o Jorah. Por mais bem intecionado que ele seja, a paixão dele por ela muitas vezes entra no caminho e eu acho, sinceramente, que mandá-lo embora tenha sido sensato, por mais doloroso que seja para os dois.

  • Pequeno Cícero Aposentado

    Pelo contrário: já que eu quero justiça, próxima temporada eu vou ao lugar certo: DORNE…

  • Pequeno Cícero Aposentado

    Morrer agachado no penico? O Martin não seria tão doente…

  • Massi Marques

    Ótima análise, como sempre!
    Acho Daenerys imatura, ela deveria ter perdoado Jorah.
    Arya não vai querer dar nem uma entradinha no Ninho pra quem sabe rever a irmã??

  • Leonardo

    Na minha opinião, desperdiçaram o Príncipe Doran perfeito, Ciaran Hinds; colocando ele como Mance Ryder.

  • Leonardo

    Na minha opinião, desperdiçaram o Príncipe Doran perfeito, Ciaran Hinds; colocando ele como Mance Ryder…

  • Pequeno Cícero Aposentado

    Eles não chegaram a explicar isso, mas eu acho que vai ficar incoerente se eles simplesmente irem embora. O guarda podia pelo menos perguntar: “mas você gostaria de falar com outra pessoa?”.

  • joaosakee

    É uma ofensa aos fãs de Oberyn dizer:
    “Mas não foi aquele golpe que matou Oberyn, e sim sua sede de vingança”
    Acho que para qualquer bom leitor e fã da seria, entender a diferença entre vingança e justiça que George R.R Martin tenta trazer no livro e também na serie é fundamental. Vingança é o que Daenerys traz em sou jornada de salvação, assassinando cada traficante de escravo sem julgamento, quando seu principal concelheiro já foi um. E ai esta a diferença em buscar uma confissão diante de todos para ai sim se poder fazer justiça, e assim poderia mudar essa frase para ” Mas não foi aquele golpe que matou Oberyn, e sim sua sede por justiça” pois se fosse apenas vingança, porque não atravessar a lança em sua cabeça em quanto estava deitado? E porque Oberyn diz ao inicio da luta “diga agora e podemos acelerar isso.” apos falar da morte da irmã e dos sobrinhos?. Tudo isso sem falar que ele queria ouvir o nome do Homem que deu a ordem a Clegane, para que não ficasse ileso como tu mesmo disse.

    No de mais, foi uma ótima analise. Meus Parabéns.

  • Robson Moraes

    A imagem com a legenda “Hulk esmaga” não está aparecendo.

  • a verdade

    1. Prefiro Sansa Negra mesmo, e gostei da cena dela descendo a escada.
    2. Não acho q Arya tenha se tornado fria e deturpada.
    3. Tbm não esperava esse relacionamento de verme cinzento e missandei, foi bem aleatório; mas pelo menos, mostrou como atuam bem os 2 atores;
    4. o núcleo da muralha foi sem dúvida o mais tediante essa temporada (tirando o episódio q vão atacar a cabana de craster, ñ aconteceu nada de interessante), mas acho q no episodio 9, a batalha na muralha será épica.

  • Julio Caio

    Muito boa a analise mesmo, como sempre!!! Achei muito bom vc ter relacionado a Síndrome de Estocolmo, a esses personagens, principalmente no caso do Theon. Quanto a Sansa, mesmo nas garras de Mindinho acho que ela nao se ve como prisioneira, mas pelo contrario, se ve como liberta (de Porto Real), e salva o Mindinho como uma forma de agradecimento (e também porque pelo jeito não gostava muito da tia). Mindinho não ter preparado nada para antecipadamente para os Lordes do Vale realmente foi muito sem noção. Acho que quanto ao vestido preto, realmente tem um significado a mais do que o luto, talvez uma caracterização mais maléfica da “nova Sansa”, porem eu o vi como que para passar uma imagem de uma mulher mais madura, menos ingenua. Isso e representado também quando o Mindinho a vê por cima, cria-se um jogo de câmeras em que mostra a personagem “por cima”, ou seja, essa garota não é mais uma criança!
    E um desabafo agora.. PORQUE A HBO ESCOLHE OS MELHORES ATORES PARA OS PERSONAGENS QUE MORREM CEDO!!!?? Po quando vi o Pedro Pascal no primeiro episodio eu já pensei… Que merda, o cara é excelente, e já vai sair nessa temporada! Enfim, esse cara surpreendeu mesmo!! E só de pensar que ainda vamos perder mais talentos essa temporada! Mas eu entendo, a culpa e tudo do bom(?) velhinho! hahaha

  • brunna

    “O Norte será pequeno para esse bastardo filho da puta.” MAIOR VERDADE hahaha

  • Laiks

    Sansa estava de preto por causa do luto pela Lysa e o cabelo tingido de preto para ser Alayne.

  • Gostei bastante de suas ‘discordâncias’, Camila. Acho que elas acrescentam bastante ao que eu escrevi. Muito obrigado mesmo! Abraços!

  • yeahh!

  • Brigadão Massi! Arya nem imagina que a irmã está no Ninho, e nem os guardas, então acho difícil que o encontro chegue a acontecer. Mas vamos ver! Abraços!

  • Verdade. Ficou incoerente mesmo. Até por que é ARYA STARK mano!

  • Caramba, vocês se ofendem fácil. Mas, por concordar com você, mudei a palavra no texto. Obrigado e abraços!

  • É um gif, Robson. Aqui aparece normalmente.

  • huahuahuaha! Valeu Júlio! Abraços!

  • eu sei.

  • Joao Palmadas

    Puxa vida, eu acho que é porque eu não vejo muitas séries nem muitos filmes e por isso clichês não significam muito para mim. Mas seja como for, eu achei o vestido da Sansa chiquérrimo, e achei a cena dela com o Mindinho mais sensual que a cena da Missandei com o Verme Cinzento. (E isso não quer dizer que não gostei da gatíssima Nathalie Emmanuel pelada, quero só dizer que gostei mais da igualmente gata Sophie Turner vestida).

  • Sempre pensei isso também Leonardo! Incrível!

  • Sem dúvidas a cena foi bem impactante, como eu disse no texto.E a cena de Missandei e Verme Cinzento foi bem inocente, eu acho, apesar da nudez. Abraços!

  • Juliana Ribas

    Bacellar achei que você traria uma lógica para a atitude da Ygritte de não matar a Goiva enquanto que ela mata friamente aquele pai na frente do filho… mas acho que é mais uma situação “nada a ver” que a série trouxe… O diálogo dos irmãos também achei chato, mas acho que era ansiedade pela luta!

  • Boa Juli, nem me atentei a isso. Mas suponho que Ygritte tenha poupado Goiva por que o bebê precisava da mãe pra sobreviver. Ao contrário de Ollie, que já era quase um homem feito para os padrões de Westeros. Abraços!

  • Sano

    Tive a sensação dela vestir roupas da Lysa, mesmo que não fossem, ocupando o lugar de Senhor do Ninho da Águia que era da tia. Não foi apenas mostrar um lado mais sério, mas ao Mindinho quem é que mandava ali.

  • Sano

    Para um mestre de venenos, Oberyn deveria ter preparado algum que paralisasse os movimentos da vítima.

  • Peter Jason Quill

    Agora só falta o Snow morrer nessa batalha contra os selvagens!!!

  • Juliana Ribas

    Muito empenho, melhor pegar alguém enrugado já. O Santoro de cabelos clareados ficaria ótimo como Gerold Dayne, a Estrela Negra!

  • Juliana Ribas

    Acho que ela nem sonha com isso!

  • Eduardo Barbosa Barros

    “Decidir se um homem é culpado ou inocente aos olhos dos Sete com outros
    dois homens se matando certamente diz muito sobre os deuses. Principalmente quando é a parte inocente que perde a luta. Se
    os deuses existem e são justos, por que o mundo está tão cheio de
    injustiças? Por causa de homens como Gregor Clegane. Que esmagam,
    estupram e matam pessoas como se elas fossem insetos.” (Bacellar).
    Caramba, parabéns pela análise. Sempre lia apenas as com spoilers, mas como demora um pouco pra sair e eu estava muito ansioso pela análise desse excelente episódio vim ler aqui.

  • Sirley

    morrer no pinico…. hehe.. nem comento…
    enfim…. encarei o preto de Sansa como “luto” pela tia…. será que fui sonsa? (hehe) espero de verdade que não caiam no clichê que você disse aí em cima.
    a gargalhada de Arya…. vixi… eu ri junto mas ao mesmo tempo eu senti o desespero dela…. todos os familiares que ela se aproxima morre…….

  • Ficaria mesmo. A série pode simplesmente ignorar o cabelo branco. Como fez com tantos personagens.

  • E de quebra cagaram no Mance.

  • Renan Maneli Mezabarba

    Morte na cama? Num penico? Ah, duvido :p

  • Victor

    “Eu sei, eu sei, ei, ei, ei..”

  • Daiana

    Eu amo tuas análises.. sempre muito bom ler o que voce escreve sobre os eps. Fico sempre esperando para ler, e nao decepciona. Obrigada por isso.

  • Se o cara ficar paralisado, sem reagir, creio que isso será considerado uma fraude. Não sou nenhum especialista jurídico de Westeros, mas acho que invalidaria o combate.

  • Ricardo

    Bom já estou aguardando isso, pelo fato dos personagens mais balas morrerem logo!!!!

  • huahuahuahua! saudades do Cara-Malhada.

  • Muito obrigado Eduardo. Seja bem-vindo! Abraços!

  • Eu que agradeço muito Daiana! Abração!

  • Da próxima vez, vou prestar mais atenção em quem vai dirigir os próximos episódios (e ficar com um guarda-chuva do lado da poltrona caso espirre vísceras e sangue na minha cara de novo). Porque pqp tô quase marcando um horário com o psicólogo para tratar de um transtorno de estresse pós traumático! Alex Graves, né? Anotado! KKKK. Ps: Obrigado por escrever “Wushu” e não “Kung-fu”, me sentir representado. Excelente resenha, como sempre! (=

  • Próximo episódio é Neil Marshall, prepare o guarda-chuva, hehehe. Muito obrigado e abraços!

  • Victor

    Muito boa a resenha… Eu gostei pacas da cena final da Sansa, embora assuma que realmente pareceu clichê. Acho que a Ygritte ter poupado a Gilly/Goiva foi só pra que a gente gostasse mais dela antes da batalha no próx. epi. No mais, adorei Sam reconhecendo como ele foi babaca, a fragilidade e submissão do Fedor (Reek já que a HBO insiste em não traduzir nas legendas) e ainda tentando descobrir o que eu acho sobre Missandei e Verme Cinzento… Acho que realmente só não curti muito a cena do exílio do Jorah (embora eu ache que a Daenerys tava sim se sentindo mal por aquilo, tanto que ela evita olhar muito pra ele, pelo menos foi o que eu achei) e pela primeira vez a cena do Tyrion e Jaime… Que metáfora demorada pra batalha que ia acontecer… E que batalha! Sensacional os rodopios do Oberyn, que falta ele vai fazer… A cena foi tão brutal, me senti pior do que quando a li. No mais, é isso. Continue escrevendo tão bem conterrâneo!

  • Opa, valeu conterrâneo! E ótimo comentário. Abração!

  • Ricardo

    Como sempre Bacellar, bem elaborado.e agora, com o sobrenome Bolton, o Norte será pequeno para esse bastardo filho da puta. Muito boa kkkkk, e pior que é verdade, o cara é louco, esse daí se encarnou no personagem, achei legal o momento da invasão e da conversa com o pai e quem diria Winterfell que doideira. Sansa como tinha dito, não sei porque Bacellar, mas essa mina ai vai ser foda. Cão e Arya sensacional, a risada dela me passei também. E ela não vai encontrar Sansa, pois o nosso escritor gosta de colocar mais mistério ainda. E o que é a cara do Tyrion (ele e irmão conversando concordo plenamente, muito massa), a minha reação foi parecida com a dele, de não acreditar kkkkk. Já Oberyn esse dai vai fazer falta, mas como tu citaste, ele tem uma família, Ellaria e vassalos por trás dele que o negócio não ficará impune. E próximo episódio o bixo vai pegar, agora so falta o Jon Snow ir pro saco, já que não será nenhuma novidade, porque os que mais gostamos vai, poh seria uma pena ele e o lobo….

  • Thaynan Galhardo

    Uowwwwwww!! Que análise foi essa???? Perfeitaaa!!! Fica difícil colocar aqui todos os pontos altos da sua descrição sobre o episódio… Tipo, tudo!! rs

    Parabéns…. ainda bem que temos vocês para saciar nossa sede dessa história.

  • Ricardo

    Bah cara falou tudo…mencionei também Jon Snow e o lobo so falta essa, não sei mais o que dizer, e o bom do GOT são os acontecimentos imprevistos, é isso com que faça a série ser genial….

  • Hernan Gonzalez

    finalmente consegui entender o porque desse papo chato dos besouros, obrigado e paragens pela analise!

  • Pablo Meireles da Rosa

    Nah nah nah Com aquelas pena aquele bagulho não era luto, o lance era ser femme fatale rs.

  • Pablo Meireles da Rosa

    heuhueh Ele chegou a aparecer no seriado?

  • leo f

    Achei q o vestido preto da Sansa representava o luto pela tia… Ou pelo menos o fingimento de luto

  • Adam Henrique Freire

    Eu tenho que confessar: mesmo sabendo o que ia acontecer na luta eu soltei um grito de guriazinha quando aquele crânio explodiu! Depois tomei um comprimido de rivotril 6 miligramas, e ai dobrei a dose pra dormir.

  • Rafa, eu acho que a Sansa tava de preto não pra fazer a Malévola mas sim porque estava em “luto” – ou pelo menos precisava fingir estar – pela tia, não é não? Foi a impressão que eu tive.

    Ótima análise 🙂

  • Jean Paulo

    Aplausos de pé pela resenha!!!!!!!!!!!
    o momento alto do episodio foi a luta por combate ,claro.
    Eu ri pacas quando a Arya soltou aquela risada estrambólica dela kkk

  • Jean Paulo

    pena que esse personagem não foi escalado pra serie. Triste

  • Don Ramon

    pois é. Do elenco regular a Arya é a única mais destacada – levando em conta spoilers.

  • Paulo Frank

    Concordo com vc, Bacellar. Nesse episodio o Mindinho nem parece o Mindinho, uma das mentes mais afiadas de Westeros. So tenho a lamentar por todo esse nucleo da Sansa. Pra mim, está sendo mal adaptado. A coisa ficou simples demais, até infantil, parecendo msm uma novela ruim da Globo, como vc disse hahahaha
    Como assim o Mindinho achou que se safaria apenas alegando um suicidio? E a Sansa, logo revelando de kra quem era e desfazendo a farsa da Alayne? Um dos lordes poderia mto bem delata-la para Cersei e obter em troca favores, como terras e casamentos pros seus filhos. Enfim, estava esperando mais desse nucleo que pra mim se tornou um dos favoritos no livro.
    Por ultimo, gostaria de elogiar sua resenha. Mto bem escrita, assim como as anteriores. Obrigado!

  • Rodrigo Junqueira

    A troca de olhares entre Littlefinger e Sansa após o “I know what you want” foi a antítese da mesma troca entre Missandei e Grey Worm. Na primeira, o adeus à inocência. Na segunda, o amor puro nascendo.
    Esperava ver mais sentimentos na cena da Dany e Jorah, mais indignação dela, quem sabe uma lágrima pela traição. Torço pelo Jorah, fazer o quê.
    Deu pra sentir na pele o conflito psicológico de Reek e a evil force de Ramsey.
    A combate entre a víbora de Dorne e a Montanha não desapontou, a não ser pelo desfecho a la Martin. Bem coreografada trouxe os elementos de interpretação necessários ao ódio que Oberyn carregava por tantos anos. Mas, a vida não é justa e Martin parece querer nos lembrar disso todo o tempo. Aliás a direção do episódio foi muito boa no geral, como observou o Bacelar.
    Um dos melhores da tenporada.

  • Joao Palmadas

    Inocente? É, talvez… Eu achei estranho a donzela se banhar nua num rio e não imaginar que alguém possa vê-la (na série ela está longe de ser uma criancinha, não é?), mas talvez isso seja por conta da inocência. Mesmo assim, achei meio sem noção. Ela nunca desconfiou antes que poderia ter alguém espiando seu belíssimo corpo (mesmo que seja de uma dublê de corpo)?

    Já a outra virgem da história, a Sansa, ela me parece muitíssimo pouco inocente com o Mindinho. A troca de olhares entre a Missandei e o Verme Cinzento pode ser sinal de um amor casto e puro, embora os dois estivessem nus. Já a troca de olhares entre a Sansa e o Mindinho foi cheia de pecado e maldade, embora os dois estivessem vestidos… Alias, parabéns para os atores, a Sophie Turner e o Aidan Gillen. E também para a Nathalie Emmanuel e Jacob Anderson, que foram bons, mas a Sophie e o Aidan foram melhores.

  • Nicoli JLSantos

    Melhor que os episódios de GoT só as resenhas!!! Valeu Barcellar!! Ajuda demais a passar a semana…Epi.GoT -> análise imaculada -> análise coração ferido já sarado -> podcasteros!!

  • Anon Anonimo

    Sophie e o Aidan podem até ter se saído bem ms Sansa e Mindinho sofreram character assassination, infelizmente. Ou D&D adiantaram Sansa nível 2 ou é mais um efeito borboleta baseado em especulação. Btw, a inocência (Dany part)deve ter sido pela reação dos 2 mesmo, tipo o Verme Cinzento tava no banho quando de repente olhou pro lado e deu de cara com a Missandei, sim, material de fan fic total ms pra quem só assiste a série são somente mais 10 minutos de episódio, os adeptos do livro, possivelmente, devem reclamar ms do q os q não viram sentido disso no seriado, encarando como sendo mais um filler da série deve ser o caminho menos “espinhoso”, talvez….

    Tudo pode ser justificado com a idade dos atores serem diferentes das do livro ms isso só é mais um encobrimento das partes pra maiores de 18 anos acontecerem, uma pena, tantas partes boas cortadas: conspirações, digo, que são o grande charme da série, ficam apenas pros leitores mesmo.

  • Anon Anonimo

    E ninguém liga pro Varys e seus passarinhos…

  • Thales Quintiliano

    Ótima resenha Rafa!! A desculpa do Mindinho é que deixou a desejar ,”suicidio” ???

  • PHSA

    Vc conseguiu de novo, Bacellar! Parabéns! E vamo ver esse Lado Negro da Força da Sansa! kkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Joao Palmadas

    “A troca de olhares entre Littlefinger e Sansa após o “I know what you want” foi a antítese da mesma troca entre Missandei e Grey Worm. Na primeira, o adeus à inocência. Na segunda, o amor puro nascendo.”

    É, eu pensei a mesma coisa.

  • Com aquelas penas de corvo? Aquele sorrisinho? Aquela trilha sonora? Aquela troca de olhares com Mindinho? Vocês estão com uma visão bem simplista da cena, eu acho que aquilo não foi só luto não, hehehe. Valeu, Merz. Um abraço grande!

  • Bom, minha interpretação foi a do texto, mas não sei se é a certa, hahaha. Eu que agradeço Hernan. Abraços!

  • Marie

    “Agachado no penico…”

  • hehehehe! EXATAMENTE!

  • Muito obrigado Ricardo! Abração!

  • Disponha, Thaynan. Agradeço muito o carinho e o incentivo, muito obrigado mesmo! Um grande abraço! 🙂

  • Valeu Jean Paulo! Um abraço!

  • Eu que agradeço Paulo! Abração!

  • Eu que agradeço Nicoli. Muito obrigado e abraços!

  • Acho que seria mais convincente se ele dissesse que ela tropeçou e caiu, hahaha. Abraços Thales. Muito obrigado!

  • Rapaz, também estou ansioso pra ver isso, apesar de tudo. Tomara que essa não tenha sido a última cena dela na temporada, hehehe. Obrigado amigo! Abraços!

  • Mari

    Só eu que não vi o vestidinho preto da Sansa como uma forçadinha ao lado negro da força? eu entendi como um ‘luto’ mentiroso, que só deixou mais claro como ela já tem essa ‘bondade’ mascarada, ou como ela se adapta perfeitamente ao ambiente :p

  • Larissa Lins

    Concordo totalmente com o que você disse sobre a cena da Sansa. Vi muitos comentários elogiando e tal, mas eu, sinceramente achei um pouco de forçação de barra, por mais bonita que tenha sido a cena. Entendo os propósitos, na TV tudo tende a ficar muito óbvio, mas eu, pessoalmente, não gostei também. Achei a conversa sobre besouros um tédio (desculpas adiantadas à quem curtiu a metáfora e tal, mas, poxa, 4 minutos? achei demais e vou ser honesta: nos últimos 2 já nem estava mais prestando atenção na conversa!). E me cortou o coração ver Winterfell com seus herdeiros tão longe e prestes a ter como hóspedes os Boltons (quanta antipatia por essa casa eu sinto). Venho sentindo pena do Theon já faz tempo, ele está pagando um preço bem alto pelas besteiras que fez (não são os Greyjoys que falam “the iron price”? Pois bem, acho que ele tá pagando em ouro…). Sobre Jorah ser banido eu até comentei no post do ‘inside the episode’, um mega comentário, aliás, que agora tô com um pouco de preguiça de reproduzir aqui. hehe 😉 Para resumir, fiquei um tanto confusa com a história (só li o primeiro livro, então minhas perspectivas são exclusivas da série). Sentirei saudades eternas do Oberyn e do Pedro. Virei fã do rapaz! Adorei a análise, ótimo trabalho, Rafael. 🙂

  • Roberto

    Rafa, show de análise! Parabéns cara! Essa porra de temporada está acabando! Será que em 2 episódios vai dar pra contar essa penca de coisa que estamos aguardando? Segue abaixo meus humildes comentários.
    1 – A Luta na Vila Topeira foi bem agitada. Um breve petisco para a batalha na Muralha com gigantes e milhares de selvagens. Já estou chorando a as consequências desta batalha….
    2 – A cena do Verme Cinzento com a querida e deliciosa HOBeleza foi bacana, mas desperdiçaram meu tempo.O pilar e as pedras de Dany foi impagável, rs.
    3 – A tomada de Fosso Cailin foi brochante, apesar da magistral interpretação do ator de Theon.
    4 – A cumplicidade de Theon com Ramsay é fantástica. Aqueles dois pares de olhos claros me passaram um sensação de cumplicidade de amor e ódio.
    5 – Difícil imaginar que Mindinho tenha botado pra voar a sua amada peituda sem nenhum álibi Não gostei desse desfecho. Sansa deixando de ser Sonsa para virar Malevola não me convenceu também.
    6 – Cara, esse ator que faz Jorah é muito bom mesmo. Fiquei com o coração apertado com o sofrimento dele, contudo acho que ele pisou na bola em não contar tudo para Dany antes. Falando nela, acho que o pessoal pega pesado com ela. Quem já leu os livros sabe que a Mãe dos Dragões fica confusa e perdida mesmo.
    7 – O papo de Tyrion com Jaime sobre o matador de besouros, também achei uma enrolação. O verdadeiro matador de besouros é o nosso querido e impiedoso Martin.
    8 – Finalmente a cena do confronto me deixou de queixo caído. Parabéns HBO. Bateram um bolão! Fiquei impressionado, mesmo sabendo o desfecho da luta. Pedro: sentiremos saudades..

    abraços Rafa!

  • Roberto

    Quando ela souber…irão voar penas de corvos pra todo lado!

  • Nath

    Ótima análise, parabéns. Depois da cena final eu sinceramente não sei o que é pior:

    1. Tomar um soco do Montanha e perder metade dos dentes (em Westeros não existe dentista, apesar de todo mundo ter o sorriso branco).

    2. Ter os olhos perfurados pelo Montanha.

    3. Ter a cabeça explodida pelo Montanha.

    Agora ter os três de uma vez é muita brutalidade para uma vítima só, rs.

  • Laerte Bach

    eu acho q a sansa vestiu preto nao pq ficou mal, mas pq estava de luto pela tia.

  • Roberto Pereira

    Episódio MUITO BOM. Mas dizer isso nessa temporada tem sido chover no molhado. Única cena nada a ver – como já comentaram – foi o longo e chatíssimo diálogo entre Tyrion e Jaime sobre “um louco que esmagava besouros”. REALLY?

    Mas é claro que essas cenas seguidas entre os dois estão aí pra justificar algo que vai acontecer FINALMENTE no próximo episódio. Ou será que vão deixar pro último?

    A Sansa deixando de ser Sonsa deu até medo. Será que ela vai usar a tara recolhida que o Mindinho tinha pela mãe dela e agora por ela) para manipulá-lo?

    Cena da luta foi SENSACIONAL. Muito bem filmada. E a cara do coitado do Tyrion que já comemorava a liberdade? A cara da Cersei com olhar de “se fodeu, irmãozinho”. Aaafffff

    O seriado é tão bom que mesmo eu tendo a impressão que esticaram e enrolaram o que puderam nessa quarta temporada (aproveitando o sucesso? dando tempo pro Martin terminar os livros?) ainda assim gostei de quase todos os episódios e em todos aconteceu algo importante.

    E essa moreninha Missandei, hein? ulalá! Até eunuco fica excitado. kkkk

  • Cassiopeia

    Sim, também vi como forma de “chorar” o luto pela tia. E as penas de corvo, poderiam significar a morte de alguém do “ninho”.

  • Lane Lothlórien

    Sensacional essa resenha!

  • Diego Winchester

    Nada haver o Oberyn ter morrido! pow sacanagem o kra mal tinha chegado na série! Pensei que ele quem ia esquentar mais a parada. Só digo uma coisa, se o Anão morrer eu paro de ver Game of Thrones!!! Tomara que tudo ñ tenha passado de um sonho de Tyrion…

  • Com certeza a cena foi um marco de mudança na postura da Sansa, mas eu não acho que ela vá mudar da água para o vinho assim, até porque eu nem vejo essa mudança dela de “boa” para “má”, ela só se torna menos inocente e começa a aprender a jogar o jogo.

    A única coisa que me incomodou nesse arco foi bem isso que você pontuou na análise, e como fã supremo do Petyr que você sabe que eu sou eu não poderia deixar de reparar… Ele ficou totalmente sem ação depois da matar a Lysa, se a Sansa não tivesse optado por mentir por ele, já era… E nós sabemos que um dos personagens mais inteligentes dessa história – talvez ousaria dizer o mais inteligente de todos – jamais faria isso né? Tanto é que quando rolou eu tinha certeza que ia mostrar na outra cena ele dizendo algo do tipo “você fez o que combinamos” pra Sansa, sabe? Nos livros o assassinato da Lysa parece se encaixar direitinho nos planos do Mindinho, enquanto na série pareceu uma ação desesperada e mal pensada. Achei toscão isso.

    Abraços 🙂

  • Caue Queijin

    adorei o episodio
    apesar q eu estava com a cara do tyrion qdo o oberyn morreu
    e veja bem eu SABIA< só Ñ tinha imaginado tão…. gráfico
    e eu gostei do cliché da sansa, o q aliás era o obvio, ela viveu tanto tempo como estagiaria da cersei e agora sob a tutela do mindinho, sempre achei q fosse terminar como uma bitch (mas uma q finge ser menos esperta q é e ñ o contrario feito a cersei)

  • Hugo Ferreira

    Também assumi que foi essa a razão. Até porque o Mindinho também tava de preto (luto) pela Lysa. Fazia todo sentido que ela, como sobrinha também ficasse de luto pela tia. Só não entendi porque o robin não tava de preto (luto) também, mas tudo bem.

  • Gabriel

    Para mim, a escolha de um vestido preto por parte da Sansa não estava ligada com alguma suposta mudança de caráter, como dito “vilã” e tal, de fato a postura demonstra uma mudança súbita da personagem mas o uso da cor, ao meu ver, é por estar em luto pela morte da tia…a sobrinha deveria usar algo assim não?

    Sobre a sombra que a Daenery faz, sinceramente a atriz vem me decepcionando quanto a atuação, a cena do Jorah me mostrou isso, parece que ela só sabe fazer aquela expressão…não sei, vendo interpretações como as de Peter Dinklage, Michelle Fairley e até da Ellaria, durante a série me faz ficar um pouco decpecionado com a atuação da Emilia Clarke..

  • Gabriel

    Eu, por outro lado, achei a conversa do Jaime e Tyrion muito interessante e uma ótima adição a cena do julgamento, o menino esmagava besouros, o Motanha cabeças? E por que o Gregor Clegane esmaga pessoas? Ninguém sabe, talvez não tenha uma explicação, talvez ele apenas o faça pelo “kluh kluh kluh”

  • Gabriel

    Sim, acho que é o estilo vestido no Ninho da Águia, bem propício hehe

  • Paulo Frank

    Tb concordo com vc. O Mindinho dos livros nunca atiraria a Lysa pelo Portão da Lua sem ter um plano bem bolado por tras. E muito menos depender do testemunho de uma garotinha inocente e que nao sabe mentir como a Sansa para salvar a sua pele.

  • Thaynan Galhardo

    XDDD

  • Henrique Alexandre

    “Se você quer ver um final feliz, você está no lugar errado” – Ramsay “Bolton”

  • Fran

    Pq Robin é um adolescente que parece criança mas é tratado como bebe hehehe

  • Fran

    Eu acho que Robin nem sabe o que é luto…eta criança besta hehehe

  • Muito obrigado Lari! Um abração! 🙂

  • HOBeleza? kkkkkkkkkkkkkkk. Valeu Beto! Abração!

  • huahuahauhauha! pode crer. Muito obrigado Nath. Um abraço!

  • Muito obrigado Lane! 🙂

  • Yze

    Alguém me explica pq a Daenerys ficava olhando pro teto na hora de brigar com o Jorah. Me digam que foi algo genial da atriz ou dos diretores que eu não entendi e não que ela atua feito um legume

  • Gildo Cravo Batinga Neto

    Concordo, ficou muito bem escrita.

  • Monique Tavares O

    Acho que a Sansa se demonstrou gananciosa desde o início quando sonhava em se tornar esposa do futuro rei. Ela ignorou todas as maldades dele, continuou noiva depois dele matar o pai dela. Quando o Cão ofereceu pra ela fugir com ele, ela nao aceitou! Pois segundo ela aquele era o lugar dela. Ficar ao lado do Mindinho para se beneficiar não me surpreendeu em nada.

  • Joao Palmadas

    “tantas partes boas cortadas”… é, os imaculados que o digam!

    (Desculpe aí, Anon, eu simplesmente não pude perder a piada… kkkkkkk!)

  • Monique Tavares O

    Senti esse toque de sensualidade tb nessa!

  • Martell_Member

    A ideia foi boa, mas a atuação da Emília prejudicou BIZARRAMENTE a cena! Ficou parecendo uma tonga canastrona… a própria deve estar arrependida de não ter pedido para gravar a cena de novo

  • LyannaStarkWIC

    Isso porque ela leu os livros e deveria entender a personagem com mais profundidade.

  • Roberto

    Concordo plenamente contigo Monique. A atriz está melhorando a cada episódio, mas a minha mágoa com Sansa permanecerá. abs

  • Roberto

    Acho que vc está sendo cruel demais. O fato dela não olhar para Jorah, demonstra que ela não consegue acreditar na traição dele. Não encara-lo, facilitaria a difícil decisão de manda-lo para o exílio. abs

  • Roberto Junior

    Achei bem sugestiva essa morte, pq será né? hehehe

  • aline

    adorei a análise! e fico feliz de saber que não fui só eu que achei a cena da Dark Sansa muito ~A Usurpadora~

  • Anderson Torres

    Leia a droga dos livros. E não se preocupe, os fdp desse episódio morrerão logo.

  • José

    Achei a cena dos besouros interessante, pq, na minha opinião, disse bastante coisa. Acho que o principal foi o fato do Tyrion ter soltado o besouro que ele pegou delicadamente no chão, meio que mostrando que ele é uma boa pessoa e que não tem essa maldade que os outros, como o Montanha e até o Jaime, tem, pelo menos não por enquanto. E sobre a pergunta “Por que o Orson esmagava besouros?” eu acho que é pelo mesmo motivo que o Montanha esmaga cabeças: Porque ele pode! E o Tyrion não conseguia entender o por que disso, e isso o atormentava, por que ele não faria uma maldade dessas simplesmente por poder.

    Bom essa foi minha interpretação, não sei se é viagem. Ah, e ótima análise como sempre, abraço!

  • Martell_Member

    Sim, como eu disse… a ideia foi boa. Mas a atuação não, tanto que deixou duvida nas pessoas como o/a Yze ali em cima.
    Alem de tudo o Iain estava ali junto dando a provável melhor atuação dele na serie, o que deixou ainda mais claro a diferença de nível/experiencia entre os dois!
    Mas tudo bem, as criticas sobre a atuação “canastrona” da Emília nesta temporada não vem de hoje, ela não esta agradando nem os próprios fãs

  • Andre lins

    Sensacional! achei sem sombra de duvida o melhor episodio também e Sansa Aff sem comentários, usurpou legal…

  • Abigail De Souza Pereira

    Chocada com a morte do Oberyn, mesmo com spoilers, mesmo lendo o livro. Visualmente ficou pesado demais. Morreu não pela bobeira, mas porque ele estava mais preocupado com uma confissão que com a própria vida.

    Esse filler da Missandrei e do Verme Cinzento é só um alento, pro aborrecimento daquele núcleo e com a brutalidade da série

    Arya tem um encosto, toda vez que se aproxima de alguém esse alguém morre. Toma um banho de Sal guria.

    Ramsey me deixa com medo toda vez que aparece e o Theon me dá arrepios – Alfie Allen arrasou na interpretação.

    Sansa fazendo a mulher gato, costurando aquele vestido só com uma agulhinha veia, sambou em cima da Donatella Versace. Ela toda sexy com Mindinho, arrepiou

    Finalmente, o Lord friendzone sumiu de cena, tava mais que na hora. Exilo no exilio, é duplamente foda

  • Abigail De Souza Pereira

    Achei mto a mulher-gato da Michelle Pfeifer. Costurando melhor que Versace, com aquela agulhinha peba

  • HSCB

    Aguardem as cenas dos próximos capítulo … rs

  • drmingus

    “Se você acha que isso vai ter um final feliz, você não está prestando atenção” – Ramsay Snow

  • Juliana Ribas

    Concordo, ela podia olhar para o lado ou para o chão, e não ficar com aquele olhar para o além, querendo tremer e não conseguindo… RUIM DEMAIS

  • Valeu Gildo!

  • hahaha, valeu Aline! Abraços!

  • Abração Zé. Obrigado!

  • Renato Medeiros

    Sor Jorah o Rei da Friendzone…. me identifico com ele. eh horrível. ~.~

  • Diogo Marques

    Respeito o seu ponto de vista Monique, mas a Sansa já foi e é, de certa forma, ambiciosa. Porém em Porto Real ela vivia sob o medo constante de tudo e todos desde a morte de seu pai. Ela não tinha opção de não continuar como prometida do Joffrey, ela era simplesmente uma peça e só não fugiu com o Cão por achar que estava sendo enganada e que Sor Meryn iria aparecer para lhe bater a qualquer momento. Até então, ela não enxergava “O Jogo”, quando saiu de Winterfell, pensava que tudo não se passava de uma canção. O ato de se aliar ao Mindinho, ao meu ver é mais por autodefesa e por não querer ser tratada como um objeto. Nos livros fica bem claro as intenções dela, pena que na série não possamos ver o que ela pensa.

  • Alessandro

    To meio atrasado, mas queria parabenizar você aí pelas análises. Quem dera todo seriado que gosto ter analises boas assim! E to no guardo aí pela do x09.

  • Rayne.

    Em relação a este episódio, vi um vídeo promocional de 0:38 minutos, cuja música é bem triste, mas não consegui encontrar o nome. Quem puder me ajudar a encontrá-la… Aqui vai o link do vídeo no Youtube:
    http://www.youtube.com/watch?v=zucar5v2Ju4