Análise do episódio 3.10: “Mhysa” (sem spoilers)

A primeira temporada terminou com fogo, a segunda com gelo e a terceira com fogo novamente. Abaixo vocês podem conferir algumas das minhas impressões a respeito do último episódio da terceira temporada de Game Of Thrones, “Mhysa”, que foi escrito por David Benioff e D. B. Weiss e dirigido com maestria por David Nutter, os mesmos responsáveis pelo sucesso do episódio anterior, “The Rains Of Castamere”.

Lembrando que esse texto NÃO CONTÉM SPOILERS DOS LIVROS e é destinado principalmente para aqueles que não terminaram ou sequer começaram a leitura dos mesmos. Se você já leu ou não se importa em saber o que vai acontecer, confira a análise com spoilers, que em breve deve estar saindo.

 Vamos lá?

Muitas pessoas reclamaram pelo final dessa temporada não ter sido tão chocante quanto foram os finais das anteriores. Mas convenhamos que superar o nascimento dos dragões e a marcha dos Caminhantes Brancos na direção do Punho dos Primeiros Homens não é tarefa fácil. Ainda mais quando se está sucedendo o evento mais impactante de toda a série.

Desde o começo, o nono episódio conteve os acontecimentos mais importantes da temporada, enquanto o último sempre serviu para abrir as portas pra temporada seguinte. Mas nesse ano, infelizmente, o Casamento Vermelho acabou ofuscando  o season finale, ou por ele ter sido de fato extremamente brutal, ou por que a cena escolhida pra fechar a temporada não foi assim tão inusitada como estávamos acostumados.

“Here comes the King in the North!”

O começo de “Mhysa” mostrou logo de cara aquele que os fãs menos queriam ver: Roose Bolton. E ele ainda estava segurando nas mãos a faca com a qual matou Robb no episódio anterior. Como se fosse através dos olhos dele, vimos numa tomada aérea magnífica as terras do Tridente cercadas pelo maior inimigo de Sandor Clegane: o fogo.

Ainda assim, com um estandarte da Casa Frey (o que, por incrível que pareça, foi suficiente pra que a dupla passasse despercebida pelo meio da batalha) e Arya nos braços, o Cão de Caça enfrentou seu maior medo com extrema coragem, assim como a jovem Stark também estava enfrentando o seu.

Ver Robb em cima daquele cavalo com a cabeça de Vento Cinzento meio “costurada” no lugar da sua foi o mais próximo e o mais distante que Arya chegou de sua família nos últimos anos. O semblante de Maisie Williams capturado pela câmera traduziu bem o que a personagem sentia naquele momento: uma mistura de assombro, ódio e profunda tristeza.

Só eu queria que também tivessem mostrado o destino de Catelyn? Foram esquecer logo dela que, pra mim, foi o destaque na semana passada.

Fora isso, essas cenas que mostraram o caos no exterior do castelo foram todas extremamente bem dirigidas e executadas, embora também tenham sido extremamente corridas.

Sinceramente, assistir o que aconteceu do lado de fora das Gêmeas depois do Casamento Vermelho foi quase tão ruim quanto assistir ao próprio. O estandarte da Casa Stark em chamas e o corpo do Rei do Norte sendo exibido sem a cabeça enquanto os Freys o humilhavam são simbolismos muito fortes do fim de algo em que o público acreditou com muita efervescência desde que Ned teve a cabeça cortada na capital. Os produtores foram extremamente corajosos ao mostrarem isso. Muitos acreditaram que Robb Stark vingaria a morte do pai, e então a série acabou com de vez com essas esperanças e ainda fez questão de colocar fogo nelas.

Mas aí nós vamos para Porto Real e vemos que não é o fim… Não ainda…

“The disgraced daughter and the demon monkey… we’re perfect for each other.”

Em contraponto ao que vimos nas Terras do Rio, a capital aparece radiante, o que nos faz lembrar que a alguns episódios atrás era ela que estava em chamas. A filha do traidor e o macaco demoníaco parecem mesmo perfeitos um para o outro. Sansa e Tyrion formam aquele típico casal improvável que rapidamente cai no gosto das pessoas (exceto Shae). Parece que essa primeira cena entre eles teve justamente essa intenção.

Essa Sansa é muito diferente daquela que vimos na primeira temporada, deslumbrada pela possibilidade de que um dia se tornaria esposa do príncipe e futura rainha de Westeros. Agora ela é muito mais madura, e aos poucos está começando a admirar Tyrion pelo que ele é e não pelo que ele aparenta. Ao contrário do que Joffrey disse tentando ofender o tio na reunião do Conselho, o verdadeiro monstro é ele, e ela sabe reconhecer isso.

Ver os jardins da Fortaleza de Maegor, que foram usados principalmente como locação para as filmagens das cenas que envolviam os Tyrells, me fez lembrar que a última aparição deles foi em “Second Sons”, durante o casamento dos dois que agora ali conversavam. Naquela mesma ocasião, Cersei declarou guerra à Margaery, oficialmente. E eu aposto que essa disputa entre elas duas será um dos principais destaques da quarta temporada.

Quando Podrick desce as escadas correndo para avisar o Duende sobre a convocação de Tywin, duas garotas riem pra ele, provavelmente por que ficaram sabendo de sua habilidade com a lança. Uma última tentativa dos roteiristas de fazer piada com aquilo que já perdeu a graça faz algum tempo.

“The King is tired.”

O episódio mostrou as opções que restaram para Westeros depois da morte do Jovem Lobo. Temos Daenerys, que a essa altura já podia estar em um navio cruzando o Mar Estreito na direção de sua terra natal, mas que ao invés disso está libertando escravos em Essos; temos Stannis, que ao contrário do que a maioria deve pensar, não é um homem ruim. Ele é justo, e é aparentemente o único rei disposto a atender o chamado da Patrulha; temos Balon, que deu as costas ao próprio filho em prol da conquista; e por fim, temos Joffrey. Bem, o que dizer a respeito desse? Qualquer homem que precisa lembrar os outros de que é rei não é um rei de verdade. Quem realmente detém o poder é Tywin Lannister, e ele faz questão de deixar isso claro.

Mas nós já sabemos Tywin. O Norte inteiro sabe, e nunca esquecerá.

Eu nunca pensei que fosse dizer isso, mas Joffrey se provou muito corajoso ao enfrentar Tywin daquela maneira, algo que a maioria ali dentro daquela sala certamente jamais pensaria em fazer. Pena que bastou um único olhar do avô pra coragem dele se desfazer por completo. Talvez tenha sido mesmo cansaço.

Finalmente Pycelle disse alguma coisa! Nessa temporada, Julian Glover não fez mais do que papel de figurante em algumas cenas, o que é um pouco triste, pois ele é um ótimo ator. Vê-lo derrubar propositalmente a carta de Walder Frey pra provocar Tyrion foi hilariante.

A Roslin pegou uma bela truta gorda.

Seus irmãos ofereceram-lhe um par de peles de lobo como presente de casamento.

Durante a reunião do Pequeno Conselho, foi bacana ver como Tyrion defendeu Sansa das vilanias de Joffrey. E Varys ficou do seu lado, afinal ele é um dos poucos homens que pode salvar os Sete Reinos.

Alguém mais achou estranha aquela cena posterior entre Shae e Varys? Isso pra não dizer que ela foi completamente inútil, ao menos por agora. Primeiro, a Aranha oferece diamantes tirados não sei de onde pra que Shae vá embora da capital, depois eles conversam, conversam e aí ela decide devolver as pedras. Então pra quê a cena foi incluída? Ela não mudou absolutamente nada na história. Precisavam gastar 5 minutos do último episódio da temporada com aquilo? Mais uma para a lista das cenas que deviam ter ficado apenas nos extras do blu-ray.

Voltando a Torre da Mão, o diálogo entre Tywin e Tyrion foi, mais uma vez, um dos pontos altos do episódio. Sério. Sempre que inventam de colocar esses dois juntos em cena, eu ouço aplausos quando eles terminam. Mas parece que o Senhor de Rochedo Casterly está ficando sem argumentos, pois sempre que ele quer encerrar uma discussão com o filho, ele apela para o clássico “Você só está vivo por que eu quis que você vivesse”. Cara, isso é cruel. Principalmente vindo de um pai. Mas o que esperar do homem que esteve por trás do Casamento Vermelho?

Nós finalmente pudemos conhecer um forte da Patrulha da Noite além de Castelo Negro. A visão exterior de Fortenoite foi extremamente bela, totalmente diferente do que vimos lá dentro. O local parecia mesmo abandonado a centenas de anos. A equipe responsável pela cenografia realmente caprichou nesse cenário com atmosfera horripilante. Por sorte, assim como Bran e Jojen, eu sempre gostei mais de histórias horripilantes.

Aqueles que gostam de Hodor devem ter ficado realmente satisfeitos ao o ouvirem brincar com o eco dentro do poço. Nesses dois últimos episódios ele teve mais falas do que teve nas duas últimas temporadas inteiras. Um pena que ele nunca tenha muito a dizer.

Além de servir como um “recado indireto” para o Senhor da Travessia, a história do Cozinheiro Ratazana também serviu pra deixar os espectadores apreensivos para quando Sam resolvesse aparecer de surpresa.

De acordo com a lenda, o homem, que mais tarde seria conhecido como Cozinheiro Ratazana, era um simples cozinheiro em Fortenoite. Ele se tornara infame quando servira a um Rei Ândalo um empadão, que era feito de bacon e, sem que o Rei soubesse, do próprio filho do Rei. O Cozinheiro matara o filho do Rei, um Príncipe, para vingar-se de um erro que, supostamente, o Rei fizera com ele. O Rei, ignorante do fato, elogiou o sabor e pediu para repetir. Os deuses, mais tarde, brabos pelo cozinheiro ter assassinado um hóspede sob seu telhado, amaldiçoaram-no, e transformaram-no em uma monstruosa ratazana branca, que só podia comer os próprios filhos.

Segundo a estória, ele é uma enorme ratazana branca, e todos os outros ratos que habitam Fortenoite são seus descendentes.

Tal é a infâmia do conto, que há uma canção sobre o Cozinheiro Ratazana que ainda é cantada nos Sete Reinos, apesar do fato de que este incidente, supostamente, acontecera centenas de anos antes do desembarque de Aegon. A canção é usada para representar as repercussões àqueles que violam as leis sagradas da hospitalidade nos Sete Reinos.

Fonte: Game Of Thrones Br Wiki

Por toda a temporada nós vimos esses personagens circulando pra lá e pra cá, cada um dentro de seus respectivos núcleos, e por isso é muito bom ver quando esses arcos se encontram, especialmente no caso em questão, pois Samwell sabia quem era Bran mesmo sem conhecê-lo. Será que ele vai contar isso tudo pro Jon?

No episódio anterior, quando todos eles tiveram a mesma ideia de usar um forte desativado da Patrulha para atravessar, já ficou meio óbvio que eles se encontrariam. Nós só não percebemos o quão oportuno isso era. Além de ser um dos únicos capazes de ajudar Bran a encontrar o Portão Negro, Sam ainda adquiriu conhecimento a respeito de como matar um Caminhante Branco. E ainda tinha com ele uma porção de objetos confeccionados com vidro de dragão, que no final acabou entregando para o grupo antes de cada um seguir seus caminhos para lados opostos da Muralha.

O que eu espero do núcleo de Bran na próxima temporada? Muito mais respostas, mais perguntas, mais magia, mais visões, mais Hodor e, principalmente, mais cenas.

“He killed a guest beneath his roof. That’s something the Gods cannot forgive.”

Eu achei incrível o modo como a história contada por Bran serviu de introdução para a cena entre os dois maiores ratos dos Sete Reinos. Lorde Frey e Lorde Bolton são desprezíveis tanto quanto a atuação de seus intérpretes é admirável. Michael McElhatton e David Bradley deram um show á parte. Ainda assim espero ansiosamente pelo momento em que este último será substituído por uma ratazana branca de CGI.

Esse diálogo certamente foi um dos mais importantes da temporada, pois através dele finalmente descobrimos o que realmente aconteceu em Winterfell no último episódio da segunda temporada. Vocês lembram que nunca mostraram quem realmente pôs fogo em tudo por lá, certo? Foi um pouco triste perceber que Bolton planejava trair Robb desde aqueles tempos. Também tivemos a confirmação de que Peixe-Negro e Edmure continuam vivos.

Então veio a revelação de que o misterioso rapaz que passou seis episódios torturando Theon é na verdade o filho bastardo dele. Mas aquele que prestou atenção em certos detalhes não teve nenhuma grande surpresa. O próprio dispositivo em que mantinham o Greyjoy era semelhante ao que aparece no estandarte da Casa Bolton, que pôde ser visto várias vezes ao longo da temporada e que foi evidenciado por Jaime em “Dark Wings, Dark Words”. E a julgar pelo prazer sádico que Ramsay Snow demonstrou ao soprar sua corneta, era provavelmente ele que estava provocando os Homens de Ferro do lado de fora das muralhas de Winterfell em “Valar Morghulis”.

A cena de tortura apresentada aqui não teve nenhuma mulher nua, mas foi a melhor deles em toda a temporada, principalmente por que envolveu tortura psicológica mais do que tortura física. Ramsay tem sua própria maneira de fazer as coisas, e o ator Iwan Rheon parece mesmo bom em interpretar esse tipo psicopata. O modo como ele brinca com a nova condição de seu prisioneiro, que agora joga no mesmo time de Varys, é certamente perturbador, mesmo para aqueles que continuam a odiar Theon… Ou melhor, Fedor. O nome dele agora é Fedor.

Foi realmente bom rever Pyke, Balon e Yara. Embora seu papel seja recorrente, Patrick Malahide é pra mim um dos melhores atores que compõem o elenco de Game Of Thrones. Ele e a atriz Gemma Whelan têm uma afinidade espetacular, o que torna prazeroso assistir eles juntos em cena.

Apesar de meus três personagens preferidos pertencerem a outras Casas, mas ainda assim os Greyjoys são a família que eu mais gosto. Como indivíduos, eles podem não ter nenhuma qualidade formidável, mas acho que a cultura das Ilhas de Ferro lembra muito a dos vikings.  Toda a tenacidade, a coragem, e a ligação deles com o mar são características que eu admiro. Foi interessante reparar no modo como eles encararam o ‘brinquedinho’ de Theon sem desviar o olhar por um segundo sequer.

É claro que eu achei atitude de Balon desprezível. Não que ele devesse desistir das terras conquistadas por ele, mas o mínimo que ele podia ter feito era demonstrar algum interesse em vingar o que fizeram com seu filho. Mas aparentemente Yara tem mais colhões do que todos os homens de sua família juntos (literalmente, no caso do irmão), e é a partir da promessa dela de resgatar Theon que temos o gancho para a próxima temporada.

“You know nothing, Jon Snow”

Aparentemente, Ygritte esteve certa o tempo inteiro: Jon Snow não sabe nada. Nem mesmo o caminho de casa. A ponto de ela ter conseguido alcançá-lo. Sam estava a pé, viajando com um bebê, e chegou em Fortenoite no mesmo dia que Bran, sendo que o grupo de Bran deixou a Dádiva, também a pé, depois que Snow tinha partido pra Castelo Negro a cavalo. Lembrando que Bran é aleijado, o que certamente atrasaria um pouco a viagem. E mesmo assim todos chegaram a seus destinos primeiro que o bastardo. Mas tudo bem, faz muito tempo que a série mandou a geografia e a cronologia às favas.

Eu realmente gostei da cena entre o casal, só não sei se ela foi realmente necessária. Até  pensei que Kit Harington tivesse aprendido uma nova expressão facial. Mas depois vi que era por causa da cicatriz.

Brincadeiras à parte, os dois atores fizeram muito bem aquilo que lhes foi proposto. Sem dúvida nenhuma foi uma passagem emocionante, mas ninguém pode negar que também foi um ótimo exemplo de fanservice (elementos supérfluos à história principal, incluídos apenas para agradar a audiência).

Por falar nos fãs, se você ficou bravo com Ygritte por ela ter atirado aquelas flechas em Jon, lembre-se de quando eles estiveram caçando em “The Bear and The Maiden Fair”. Ali nós vimos o quanto a selvagem é boa com o arco, o que significa que dessa vez ela não atirou pra matar. Se ela quisesse matá-lo, ela teria conseguido.

Quando Snow chegou à Castelo Negro, Sam e Gilly já estavam lá a, pelo menos, um dia.  Provavelmente mais, assumindo que o corvo demorou mais de 24h pra entregar a mensagem de Meistre Aemon em Pedra do Dragão. Aliás, como foi bom rever Meistre Aemon, que parece estar tomando conta das coisas até escolherem um novo Comandante. E Pyp!

Enfim, no final da primeira temporada, Jon estava saindo de Castelo Negro para a expedição além da Muralha. No final da segunda, ele avistou o acampamento de Mance Rayder e agora, ao final da terceira, o vimos retornando ao ponto “A” (desconsiderando Winterfell). Uma das coisas mais estranhas de Game Of Thrones é que apesar de existirem muitas cenas em que aparentemente nada está acontecendo, no fim das contas percebemos que, por incrível que pareça, muita coisa está acontecendo. Principalmente quando fazemos essa retrospectiva.

As conversas entre Tyrion e Cersei são sempre excelentes, mas a que vimos nesse episódio pareceu mais uma compilação de todas as elas. As atuações de Lena Headey e Dinklage foram primorosas e o texto também, mas além disso, não vimos nada novo. A Rainha Regente falou de seus sentimentos a respeito de Joffrey, algo que ela já tinha feito em um momento da segunda temporada, e dos casamentos arranjados pelo pai, algo que ambos já fizeram mais de uma vez desde que receberam o ultimato de Tywin em “Kissed By Fire”.

Ah! E ela também nos lembrou de sua filha Myrcella, que foi mandada pra Dorne em “The Old Gods and The New” graças a um plano arquitetado pelo próprio Tyrion. A declaração da rainha de que teria se jogado da fortaleza se não fosse pelos filhos teve bastante a ver com o título do episódio.

Finalmente, depois de percorrer o longo e penoso ‘caminho da punição’, Jaime chega à capital, ao lado de sua fiel companheira. Mas agora que eles finalmente alcançaram seu destino, Jaime irá cumprir sua promessa de entregar as filhas de Cat a Brienne? Ele nem mesmo sabe que Catelyn foi assassinada no Casamento Vermelho e que Sansa está casada com seu irmão. Como Tywin reagirá a essa mudança de comportamento do filho, até então, é o seu predileto? Teremos que esperar alguns meses pra descobrir as resposta dessas perguntas.

Foi inteligente o recurso que David e Dan usaram pra nos mostrar que Jaime de fato alcançara o fundo do poço: um homem qualquer que, na entrada da cidade, confundiu o Lannister com um caipira.

Isso também serviu pra nos mostrar que ele mudou não só internamente, como também externamente. Isso fica bem evidente nas feições fantásticas dos atores Lena Headey e Nikolaj Coster-Waldau na cena do reencontro dos dois irmãos. Ele estava feliz em vê-la, mas ao mesmo tempo envergonhado de sua condição. Cersei, por sua vez, não ficou muito feliz ao ver que o gêmeo não é mais um reflexo perfeito dela mesma. E foi justamente essa imperfeição a primeira coisa que ela notou… Ótima cena.

Em um diálogo do episódio “Blackwater”, o Cão de Caça disse a Sansa que o mundo era construído por assassinos. Stannis é um assassino, os Lannisters são assassinos, seu pai era um assassino, seu irmão foi um assassino, seus filhos (com Tyrion?) serão assassinos um dia… E agora Arya, sua irmã mais nova, também está transformando-se em uma.

Na verdade, ela já tinha matado um garotinho gordo nos estábulos, enquanto fugia da Fortaleza Vermelha na primeira temporada. Mas ela disse que o soldado de Walder Frey tinha sido o primeiro homem que ela matou, o que de certa forma não deixa de ser uma afirmação verdadeira.

Nesse episódio nós vimos diversos personagens alcançarem seus objetivos ou ao menos definirem um novo objetivo para o ano que vem. Stannis provavelmente irá para o Norte, o mesmo lugar pra onde Yara está se dirigindo com sua frota e onde Jon e Sam, já em Castelo Negro, precisarão lidar com ameaças vindas do sul e do norte da Muralha, onde Bran finalmente iniciará sua verdadeira jornada em busca do corvo de três olhos. Mas e quanto a Arya? Ela vai se tornar o ‘Robin’ de Sandor Clegane? Se ela quiser se tornar uma assassina, não existe professor melhor. Ou será que existe? É claro que nenhum de vocês esqueceu Jaqen H’ghar… Bom, se esqueceram, a música dele foi tocada nessa cena justamente para lembrá-los de que ela ainda tem a moeda que ele lhe dera no final da segunda temporada.

 Valar Morghulis.

Arya e o Cão têm tudo pra serem os novos ‘Jaime e Brienne’ da próxima temporada, e eu realmente espero que essa parceria seja bem explorada pelos produtores. O único problema é que Clegane era um dos principais nomes na ‘oração’ da pequena Stark. E agora que ela está nessa nova vibe assassina, quem sabe se ele não será a próxima vítima? Espero que não.

“The true war lies to the north, my king.”

Enquanto Arya mata de um lado, seu amigo Gendry tenta fugir da morte no outro. O fato do Cavaleiro das Cebolas e o bastardo terem ficado “amigos” não foi tanta surpresa, ambos são personagens parecidíssimos e o diálogo em que eles relembraram a Baixada das Pulgas foi realmente muito bem escrito. Finalmente um bom material digno pra que Liam Cunningham pudesse mostrar o que sabe.

Além disso, ficou meio claro que o fato de Davos ter perdido o filho, que teria mais ou menos a idade de Gendry, facilitou a aproximação dos dois.

Mas não foi só o Liam que andou meio ausente ao longo da temporada. Pouca coisa realmente importante aconteceu em Pedra do Dragão nessa temporada além do ritual em que Melisandre sacrificou as sanguessugas com sangue de rei, o que possivelmente teve alguma relação com a morte de Robb Stark, como foi sugerido por ela.

Se o sacrifício de uma sanguessuga foi o suficiente pra matar um dos outros pretendentes inimigos de Stannis, o que vocês acham que o sacrifício de um humano inteiro, cheio de sangue real, faria? Davos não quis descobrir e então libertou o bastardo, mesmo contra a vontade do seu rei.

Foi interessante ver como os intérpretes de Davos e Melisandre foram posicionados atrás de Stephen Dillane em um determinado momento de uma cena, enquanto eles discutiam o destino de Gendry e a câmera estava focada apenas nele. Foi quase como se Davos fosse o anjo e Melisandre o demônio sobre os ombros de Stannis.

Ver Kerry Ingram como Shireen depois da sua única e incrível aparição em “Kissed by Fire” foi ótimo! Eu só senti falta mesmo de Selyse. Mas quem diria que as aulas de leitura da princesa salvariam a vida de Davos? Graças a isso e as chamas da mulher vermelha, percebemos que a verdadeira guerra está mesmo no Norte, e que a Guerra dos Cinco Reis realmente é um plano de fundo pra esse grande confronto que se aproxima. Afinal, como disse o Comandante Mormont na primeira temporada: “Quando homens mortos ou coisas piores vierem nos caçar à noite, você acha que vai importar quem está sentado no Trono de Ferro?”

As cenas desse núcleo no episódio foram praticamente um pedido de desculpas pelo pouco destaque que eles receberam ao longo da temporada. Carice Van Houten, Stephen Dillane e Liam Cunningham estiveram maravilhosos como sempre, e eu mal posso esperar pra ver o que vai acontecer com eles daqui pra frente.

“It is old Ghiscari, Khaleesi. It means ‘mother’.”

Então vamos finalmente para o gran finale, que no final das contas não foi nem tão grandioso assim. A cena em que os escravos libertos de Yunkai aclamam sua nova “mãe” foi inegavelmente bela. Os efeitos especiais incríveis e a fantástica trilha composta por Ramin Djawadi foram de dar inveja em muitas produções cinematográficas. Mas por que não funcionou como final de temporada? Por que era previsível.

O único motivo pelo qual Daenerys permaneceu em Yunkai foi pra que isso viesse a acontecer. Talvez se os escravos tivessem se rebelado e ela fosse obrigada a dizer “dracarys” ao invés de “voem”, as coisas tivessem sido mais interessantes. Só que com isso teríamos uma segunda chacina, e o propósito claro dos produtores ao apresentarem essa cena foi acalentar os corações dilacerados dos fãs após o Casamento Vermelho. E que melhor remédio pra isso do que uma dose cavalar de toda a glória “khaleesiana” que vimos no final da primeira temporada?

Naquela ocasião, Dany libertou os escravos de seu khalasar e muitos deles se foram. Mas ali ela ainda não era a “Mãe de Dragões”, e muito menos a “Quebradora de Correntes”.

Outra diferença marcante entre esse season finale e o que vimos em “Fire and Blood” é que aquele foi muito mais bem construído ao longo do episódio, enquanto este pareceu ter sido encaixado nos minutos restante pra que a temporada tivesse um final decente, mas que acabou ficando com cara de anticlímax. Existe um enorme buraco separando o que aconteceu com esse núcleo em “The Rains Of Castamere” e o que vimos aqui.

Além disso, o fato de que já tivemos Dany e seus dragões em um season finale torna um pouco questionável a escolha dos produtores de usar essa sequência pra fechar o ano.

Mas tudo fica mais aprazível se pararmos pra pensar que a intenção dos produtores era fazer com que nós terminássemos a temporada com um sorriso no rosto depois dos horrores presenciados nas Gêmeas. E depois de ter assistido o episódio algumas (muitas) vezes, eles finalmente conseguiram arrancar isso de mim.

Infelizmente o sorriso não durou muito. Ele desapareceu completamente quando eu percebi que agora todos nós estamos órfãos de mhysa até 2014.


PODCAST: Se você quer participar do MasmorraCast da terceira temporada de Thronesclique aqui e saiba como enviar o seu áudio!

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados

  • David_Martins

    “Mas aparentemente Yara tem mais colhões do que todos os homens de sua família juntos (literalmente, no caso do irmão)”
    HUhasuahs! Rolei de rir aqui!
    Siiim, estamos órfãos de mhysa e de análises e de novas teorias da conspiração até ano que vem. 🙁
    Eu estava vendo uns posts antigos aqui e achei interessante quando vocês estavam dando dicas de outras coisas para assistir… vocês ainda pensam em continuar fazendo isso? Seria uma boa hora. xD
    Bacellar, pela última vez no ano, ótima análise, você é uma figura! 🙂

  • Vanessa Ferreira

    Como sempre excelente análise. Agora, que chegue logo 2014 para 4° temporada e Ventos do Inverno! Hó longa noite…….

  • Vagner Franco

    Na boa, parei de ler quando disse cena inútil, que isso cara

  • Vagner Franco

    Não aceita comentários que vão contra sua opinião?

  • Vagner Franco

    que piada

  • Stenio Camara

    Continuo achando o episodio sem emoção. E como foi lembrado por você Rafael, os cenas com Shae estão extremamente desnecessárias. Os diálogos estão bem feitos, atuações excelentes. Mas como todo fã de series de televisão, faltou um gancho mais emocionante para a próxima temporada, algo que fizesse agente levantar do sofá e roer as unhas para a próxima temporada! Ficamos “mal” acostumados com finais de temporadas assim, até porque toda serie boa termina de uma forma de tirar o folego! Eu, particularmente, reprovo este ultimo capitulo!

  • Evg2014
  • Bacellar

    Não posso obrigar ninguém a ler, Vagner.

  • Bacellar

    Aceito.

  • Bacellar

    /:

  • Evg2014

    good episode

  • Bacellar

    Opa, faremos isso sim David. Pode cobrar! E as teorias da conspiração a respeito da quarta temporada e dos livros vão continuar também. 🙂

    Obrigado por nos acompanhar sempre!

  • Bacellar

    Obrigado, Vanessa! Continue acompanhando nosso site por que até o ano que vem ainda temos muitas novidades por aqui 😉

  • Bacellar

    Eu pensei como você no começo, Stênio. Mas depois de assistir o episódio umas 404308 vezes, acho que eu acabei me acostumando com o final. /:

    Abraços!

  • Stenio Camara

    Pois é Rafael, mas ficou dificil “vender” a próxima temporada pros meus amigos não leitores. Ficaram todos frustrados. Eu sei que tem muita coisa pra acontecer mas não gosto de da spoiler e o que eu posso dizer é que vai ser bom…mesmo assim não os animou muito…rsrsrs

  • Bacellar

    Concordo com você. Mas acho que foi um pouco pior no caso de nós, leitores, pois sabíamos que o final poderia ser outro muito melhor. hehe (Isso é spoiler?)

  • Juliana Ribas

    Não achei inútil a cena da Shae com o Varys. Acho que serviu pra mostrar que ela é ambiciosa e não vai se contentar com um saco de diamantes quando acredita ter uma fonte de ouro inesgotável em Tyrion…

  • Tiago Muniz

    o final foi ótimo quem ta reclamando vai ler, o livro foi dividido em 2 e o pessoal queria tudo de vez, aff da ate raiva. É uma adaptação, mas mesmo sendo adaptação esta espetacular porra, parem de reclamar.

  • Juliana Ribas

    Eu acreditei muito que terminaria com a Lady Stoneheart mas… quem não quiser continuar assistindo paciência, não dá pra agradar todo mundo!

  • Bacellar

    É verdade.

  • Wandir Mello

    A única esperança de NÃO enlouquecer pela abstinência de GoT nos próximos meses? O Game of Thrones BR, claro! Parabéns, o site é foda!

  • Nicoli JLSantos

    Muito boa análise Bacellar. Eu não conseguiria escrever tantas linhas sem fazer considerações à base de spoilers. Tiro o chapéu pra você. Após o término da série voces e esse site maravilhoso são um conforto para mim. Eu pessoalmente achei o episódio apenas bom. Minha mãe e meu marido, que só acompanham a série na tv ficaram “o que? acabou? só isso?”. Acho que porque, como a maioria dos não leitores, torcem pelos Stark. Eu torço kkkkk imagina. (Há que se falar, ô tarefa ingrata até o momento). Para eles faltou algo que lhes desse esperança de que um dia os Starks restantes consigam se vingar. E olha que os dois últimos episódios não deixou nenhum deles de fora. Mas acho que por já estarem mais calejados com o jogo dos tronos que Martin nos propoe, já sabem que a coisa não é tão fácil assim. E não se animaram com o que até agora foi mostrado. Quanto ao final com a Dany pop star eu achei legal, mas não foi capaz de colocar um sorriso no rosto de niguem aqui depois do Casamento Vermelho. Até porque quando pensamos na espera para assistir a continuação dá vontade é de chorar mesmo. Mas isso é o que importa, ninguem aqui ficou sem vontade de continuar a acompanhar. Continuamos presos, mas poderíamos ter ficado mais na minha opinião.

  • Carol Wanderley

    Adorei a crítica. Comecei a assistir sábado passado, e em 5 dias terminei todos os episódios. Concordei com tudo que você falou.

    Adoro seu blog e os posts.
    Também concordo com a opinião do colega, que pede dicas de outras coisas legais pra ver.

  • Carol Wanderley

    Concordo com tudo que você escreveu!
    Espero não surtar muito esperando a próxima temporada. Esse site é maravilhoso.
    Parabéns, pessoal! 😀

  • Bacellar

    Muito obrigado Wandir! Continue nos acompanhando pois durante esses meses vamos trazer muitas coisas boas pra vocês!

  • Bacellar

    Perfeito seu comentário Nicoli. Muito obrigado! 😉

  • Bacellar

    Obrigado Carol! Pode esperar pois teremos dicas e muitas outras coisas novas também 🙂

  • Bacellar

    Opa. Agradeço em nome de toda a equipe. Muito obrigado! 🙂

  • David_Martins

    Acho que me expressei mal. Disse pela última vez no ano porque não vão ter novas análises de episódios… Mas vou continuar acompanhando o site. Com certeza. 😉

  • Henrique

    Acho que agora a casa Stark depende da Sansa ou do Rickon, porque o Bran provavelmente nao volta pra winterfell, se a Arya reaparecer querendo reivindicar alguma coisa, ela morre tbm… Só resta saber o que vai acontecer com o Rickon agora, tomara que ele não suma

  • Rodolfo Basso de Araújo

    Parabéns novamente. A idea de “anjo” e “diabo” do Davos e da Mel foi muito bom, e quando o Aemon pede pra escrever eu lembrei na hora da visão do Stannis (uma grandiosa luta da neve), eu gostei muito do episódio, Arya perfeita, e entendo muito bem o final com a Daenerys. Obs: não axo ela uma Madre Teresa, ela sempre se sentiu escrava de alguma forma, ela só não aceita isso…

  • Mais uma excelente review, parabéns! Mas, que maldade colocar a foto do Robb com a cabeça do Grey Wind =(

    Ô cena horrível de assistir viu (nem saber o que ia acontecer diminuiu o impacto da cena pra mim). E realmente, que coragem dos produtores acrescentarem essa cena. Discípulos fiéis do George Martin? rs

    De início me deu a sensação de que a cena entre o Varys e a Shae era mesmo inútil, mas, acho que isso será resgatado na 4a temporada, em alguma tramóia de alguém (Porto Real está cheio delas, pode sobrar pra todo mundo).

  • Renato Luiz Barbosa

    A cena do Jon e Ygritte foi desnecessária, ela deveria ter alvejado ele na cena do episódio anterior. Se tivessem enrolado menos esse núcleo dava pra ter a batalha no Castelo Negro no último ep, então a temporada teria um final melhor.

  • Alderley

    Sempre me vejo tão ansioso por cada episódio e por cada resenha sua e da Ana. Vcs fazem um trabalho excepcional! Não comentei aqui ao longo da terceira temporada, mas não resistir de comentar hoje, não a resenha que está maravilhosa como sempre, mas para agradecer a todos da produção desse site. Vcs receberem elogios é clichê dos brabos, mas não me importo! Digo, vcs são sensacionais… Parabéns.

  • Stenio Camara

    Exato…anda bem por ai minha frustração…

  • Gláucia

    Otima review, como sempre !!! O epi foi meio água com açúcar, mas eu acho até bom… muitas emoçoes no ultimo !!!

  • Daniel

    Uau, e eu pensando aqui que ela fez isso por amor o.O

  • Daniel

    Alguém pode me dizer se tem problema começar a ler do 3º livro? Provavelmente sim né rsrs

  • Priscila

    Bacellar, parece repetitivo, mas novamente, parabéns pela análise, é incrível como me divirto lendo com o que você escreve, sério cara, você tem um talento nato para escrever!

    “Eu achei incrível o modo como a história contada por Bran, serviu de introdução para a cena entre os dois maiores ratos dos Sete Reinos. Lorde Frey e Lorde Bolton”, pensei exatamente isso, quando a cena do Bran cortou diretamente para as Gêmeas.

    Também achei bizarro como que a Ygritte conseguiu a pé acompanhar o Jon que estava a cavalo, mas o pior de tudo foi o corvo chegar a Pedra do Dragão antes do Jon chegar a Castelo Negro. Fiquei com uma peninha danada do coitadinho do Jon depois daquelas três flechadas, mas também acho que se a Ygritte quisesse matá-lo, teria feito, afinal de contas, ela é um pouco QUASE tão boa arqueira quanto os eldar de Tolkien, brincadeira. Foi muito bom ver o Meistre Aemon Targaryen, adoro aquele velhinho.

    Quanto a Arya, espero realmente que um dia aconteça algo de bom para ela, e a Maisie Williams, como sempre, dando um show de interpretação.

    Diferentemente da maioria, eu gostei do final, imagens lindas, apesar de previsíveis, era algo de precisava acontecer, e eu realmente fiquei feliz por a Quebradora de Correntes ter dito voem e não dracarys a seus “filhos”. Não seria legal ver a Khaleesi chacinando seus libertos.
    Agora é esperar até 2014! Hodor…

  • Priscila

    Também ri muito com esse trecho sobre a Asha/Yara e o Theon. Só espero que o bom velhinho não nos deixe esperando muito por The winds os winter, para que possamos ter mais algumas respostas e elaborar mais algumas teorias.

  • Messinho’

    Eu já acho que é para mostrar que ela ficou brava achando que o foi o anão quem mandou Varys ir oferecer grana, e com isso outro motivo fica aparente para acontecer o que acontecerá. Tem algo a ver com ambição, mas pelo visto, na série, não será somente isso…

  • Pablo Motta

    eu comecei, e ”já” to no quarto

  • Bia Werneck

    Bacellar, meus parabéns pela análise! Acho demais como vc consegue ser tão imparcial quanto ao futuro da série, mesmo tendo lido os livros. Eu jamais teria esse dom haha! Espero um dia poder ler alguma análise sua com spoilers. Vc dá um show na sua escrita!

  • May

    Ver o Robb com a cabeça do Vento Cinzento me dá um aperto no coração :´(
    Depois daquele casamento estupidamente brutal, o pessoal da série ainda coloca essa cena… É para acabar com a graça dos fãs, né? =/

    * Pobre Arya =(

  • Wellington Rodrigo Quitério

    Faço das palavras de um fã, as minhas: a espera pelas análises são praticamente as mesmas pelos episódios. Curto muito.
    A cena do Jon e da Ygritte só valeu mesmo pelas flechadas e pela expressão incrível da atriz.
    A parte dos Greyjoys foi excelente! Empolgou!
    Muitas coisas poderiam ter entrado, daria um texto se eu dissesse…
    Rafael, parabéns, pela milésima vez! Você é fera demais na escrita e entendimento! Abraço!

  • Tulio Da Cunha Soares

    Problema nenhum. Eu vi a 1 e 2 temporada e comecei a ler do 3 livro em diante e estou no Festim dos Corvos. 😉

  • Bacellar

    Eu acho que cenas como as de Dany libertando os escravos, Stannis planejando levar a batalha pra Muralha Varys dizendo que Tyrion pode vir a salvar o reino serviram pra dizer ao público que os “vilões” triunfaram, mas a série não está desprovida de “heróis”. hehe. Obrigado, Rodolfo!

  • Bacellar

    Sim, Renata. Por isso disse que não chamaria a cena de inútil por agora, hehe. Precisamos ver onde ela vai nos levar. Mas ainda assim, eu deixaria ela pra quarta temporada e exploraria algo mais relevante nesse último episódio. Uma cena de Mindinho chegando ao Ninho da Águia, talvez. Ou então o que fizeram com o corpo de Cat… Obrigado! 😉

  • Bacellar

    Nossa, eu que agradeço Alderley. Muito obrigado! 🙂

  • Bacellar

    Obrigado, Gláucia! 🙂

  • Bacellar

    Sinceramente, eu recomendo que leia desde o primeiro livro, Daniel. É uma leitura incrível e tem muita coisa que não é mostrada na série. 🙂

    Mas se você quiser começar do terceiro, vale lembrar que a terceira temporada cobriu apenas metade dele, hehe.

  • Bacellar

    Acho que o único que chega perto dos eldar em Game Of Thrones é o Anguy, e mesmo assim tenho minhas dúvidas. HAHAHA 🙂

    Obrigado, Priscila!

  • Bacellar

    Quem sabe um dia Bia, HAHA. Muito obrigado, milady! 😉

  • Bacellar

    Abração Wellington! Muito obrigado e continue nos acompanhando! 🙂

  • Bacellar

    Ah, sim. As análises de episódios acabaram por agora, mas certamente ainda teremos muitos posts com especulações sobre as próximas temporadas e livros. 🙂

    Abraços!

  • Junito Hartley

    Tava me lembrando que no episodio que o Samwell mata o caminhante branco pelas costas ele deixa a faca na chão e vai embora correndo, ai no episodio 10 ele aparece com a faca nas mãos entregando pro Bran, isso foi um erro ou ta de boa?

  • Bacellar

    Na segunda temporada (episódio 8, se bem me lembro) a Patrulha encontra vários objetos feitos de vidro de dragão enterrados no Punho dos Primeiros Homens (facas, pontas de flecha e etc). Aquela que Sam usou pra matar o Caminhante foi só uma delas 🙂

  • Roberto Pereira

    É só lendo mesmo mais uma excelente análise sua para perceber que afinal o episódio não foi tão “enrolação” assim.

    Bem, eu retomei a leitura dos livro 3 e vi que tem várias diferença pra série de TV (o que não é nenhuma novidade), mas algo me chamou a atenção, mas acho que só poderia comentar isso no outro post COM spoilers que eu não gosto de ler por estar no meio dos livros ainda.

    De tudo que aconteceu e vc me provou que aconteceu muita coisa, só não gostei da cena da Ygritte flechando o Snow. Acho que eles poderiam ter sido mais fieis ao livro nessa parte. Faria mais sentido.

    E lembro que Jon se atrasa no caminho exatamente por estar ferido e debilitado. Talvez isso explique o que vc considera erro, enfim…

    Também gostei muito da maior participação do núcleo Bran nos 2 epis finais. Gosto do personagem e gosto do ator mirim que interpreta Bran com perfeição.

    Pobre Theon não sei se gostaria de continuar vivendo no estilo Varys não. rs

    E o Bolton, hein? Traição é o mais desprezível das falhas dos ser humano.

    Agora só ano que vem, mas tenho livros e queria te fazer um pergunta, Rafael:

    Estou pra terminar o livro 3 e pegar o 4 e tal, todo mundo diz que o 4 é só enrolação e meio chato. Vc com certeza já leu. É isso mesmo? Martin só encheu linguiça no 4º e 5º livros?

    De novo parabéns pelo excelente texto e análise.

  • Mas o pior é que a cena foi inútil mesmo… Eu simplesmente fiquei sem entender qual o sentido dos produtores de colocarem ela. Os 5 minutos que foram gastos com ela, poderiam ter sidos pra cenas mais legais que foram cortadas do livro.

  • Estefanus Risso

    Desculpe me intrometer, mas respondendo a sua pergunta, o Martin não enrolou nos livros 4 e 5. Na verdade, eu pessoalmente considero esses os melhores livros da série. O que faz muitos reclamarem é a entrada de novos pontos de vista e personagens, assim como o foco muito mais político do 4º livro e a grande riqueza de detalhes(que, se vc notar bem, provavelmente será a base de tudo que ocorrerá nos livros ainda não lançados).

  • Natalia Opazo

    Eu li o 4º e o 5º livros, e sou apaixonada nos dois! Somos apresentados a uma tonelada de personagens novos e muito interessante no 4º. Mas tem gente que não gosta muito porque não tem Jon, não tem Daenerys e eles são os favoritos do pessoal. O que eu vi que algumas pessoas fizeram era ler dois capítulos do 4º e o um do 5º e ir lendo os dois livros ao mesmo tempo, pois a história se passa no mesmo espaço de tempo (eram pra ser um livro só)

  • Gustavo Maia

    Eu já li o 4º e o 5º livro, bom o quarto é só encheção de linguiça mesmo porque pega os personagens mais chatos por assim dizer, mas o 5º em 200 paginas consegue ter mais revelações que o 4º inteiro. Mas ele é bom por causa da história vale a pena ler.

  • Natalia Opazo

    If you think this has a happy ending, you haven’t being paying attention…

  • Jan Santos

    Não querendo soar puxa-saco, mas isso é plena verdade… Sem livros, sem série, mas o Got Br ao menos nos enche de visões nas chamas

  • Bacellar

    Sim, eu pensei que o estado de Jon foi uma forma de justificar o atraso dele. Mesmo assim eu achei muito falho. Quanto ao 4º livro, pode ficar tranquilo. Eu li duas vezes e posso dizer que não perde em nada pros outros. Em ritmo, talvez, mas não em qualidade. É um livro mais focado nos personagens do que na história geral mesmo, e tem vários núcleos novos. É muito bom. Já o quinto foi o que eu mais gostei 🙂

    Obrigado Roberto. Abraços!

  • Raquel Andrioni

    Não achei tão impactante, claro que não esperava uma ‘obra de arte’ feita com a cabeça dele, mas achei muito tosco. Bem, minha opinião né. Fiquei chocada, claro, mas não como imaginei que ficaria.

  • Eldon Lima da Silva

    Não ficou implicito que o pagamento de diamante que varys deu a Shae foi a mando to Tyrion não? , a cena não é irrelevante afinal mostra que ele realmente se importa com ela
    E achei sem noção essa ideia de falar que Bran chegar antes de Jon na muralha não fazer sentido, eles falaram a que distância cada um estava?
    ah mas só isso que tenho pra criticar o resto ta muito bom o texto

  • Liana

    Bacellar,
    Por favor,mate minha curiosidade e me diga:
    quem são seus personagens preferidos ?

  • Roberto Pereira

    Ok. Pessoal. Quero agradecer ao Rafael, ao Gustavo, a Natalia e ao Estefanus que responderam (até agora) sobre os livros 4 e 5.
    Valeu MESMO!

    Juntando todas as respostas de vcs deu pra ter uma ótima ideia do que virá nesses livros.

    E ler dois capítulos do 4º e um do 5º ao mesmo tempo? Será que fica legal? Agora fiquei com a tentação de fazer isso. rs

  • Felipe Lopes

    Órfãos de GOT por 10 meses… isso é quase pior do que o Casamento Vermelho!

  • Bacellar

    Stannis, Sandor e Tyrion 😉

  • Não recomendo viu. Tem muita coisa do quinto livro que você só deveria saber depois de ler o quarto todo, já que o George escreveu para que fosse lido assim. Mas se você preferir ir pela ordem cronológica mesmo, recomendo que procure um “guia” por aí, para que não tome spoiler (tem personagem que aparece nos dois livros, e coisa de um que é mencionada no outro).

  • Samara Imad

    Sandor e Tyrion eu entendo .Mas porque o Stannis ? ..Aproveitando, ótima análise do episódio !
    Apesar de já ter lido os livros 2 vezes ..rsrs eu espero semanalmente pela analise sem spoiler 🙂

  • Bacellar

    Eu acho que os três personagens são bastante parecidos, Samara. Todos eles sofreram algumas injustiças na vida, principalmente por terem vivido na sombra de seus respectivos irmãos, e agora tentam provar seu valor de diferentes maneiras.

    Muito obrigado, e continue nos acompanhando! 😉

  • Roberto Pereira

    Tá certo. Vou ler um livro de cada vez. Valeu.

  • Lucy Vieira

    Só eu acho a Carice Van Houten a caaaara da Camila Morgado?

  • Guest

    Pq a Michelle Fairley (!!!!) e o Richard Madden estão na capa dessa matéria se Game of Thrones nem é citado?

  • oO

  • Bruno Ferreira

    Mas a Dany ganha esse tipo de cena porque é a mais popular da série! Então quem melhor pra acalmar os corações pós Red Wedding do que a favorita?

  • Cristina Iolanda Andrade

    Ainda não consigo acreditar… :/

    Comecei a ver a série a pouco tempo, o que por um lado é bom que vi váriooos episódios um atras do outro. E não li os livros. Mas ainda não consigo acreditar… 😐

    Cat, Robb? como assim??

    Realmente, a frase mais dita nessa temporada resume bem toda a história: Valar Morghulis (mas tinha que ser assim tão cruel??). Esse Tywin consegue mesmo fazer um mar de sangue com a sua pena e um Rei descansar sem vontade… que homem poderoso!!!

    Meu coração não ficou nem um pouco acalienado com a cena da Khaleesi… nada apagará o casamento vermelho da minha memória… 🙁

    Bom, resumindo… rsrs, a leitura da analise se tornou obrigatória para mim. Várias coisas que não percebo e que não sei por não ler os livros me fazer gostar ainda mais da série.
    Mas a pergunta que não quer calar é: Posso ter algum fio de esperança que os Starks terão uma vingança no mínimo dobrada do que foi esse massacre matrimonial? Se não, já quero deixar de ter esperanças em Arya e Bran agora mesmo. Meu coraçãozinho não aguentaria mais um Stark sendo decapitado… 😐

    🙂
    Winter is coming…