Análise do episódio 3.09: “The Rains of Castamere” (sem spoilers)

Confiram abaixo a análise com algumas das minhas opiniões a respeito do excelente episódio 3.09: “The Rains Of Castamere”, escrito por David Benioff e D. B. Weiss e dirigido por David Nutter.

“You starks are hard to kill.”

Lembrando que esse texto NÃO CONTÉM SPOILERS DOS LIVROS e é destinado principalmente para aqueles que não terminaram ou sequer começaram a leitura dos mesmos. Se você já leu ou não se importa em saber o que vai acontecer, confira a análise com spoilers da Ana, que em breve deve estar saindo.

Cersei: Você sabe onde a Casa Reyne está agora?

Margaery: Se foi.

Cersei: “Se foi”… Uma expressão gentil. Por que não dizer massacrada? Todos os homens, mulheres e crianças passados pela espada.

(Episódio 3×08: “Second Sons”)

Lembram-se daquele dia no Septo de Baelor? É claro que sim. Mas alguém imaginava que fosse acontecer de novo? Robb e Cat não são nem de longe personagens tão “centrais” quanto Lorde Stark foi (pelo contrário, eu acho que ultimamente eles andavam até meio apagados). Mas eis que quando eles finalmente recebem o destaque merecido e esperado, eles são arrancados de nós da maneira mais brutal e inimaginável. “The Rains Of Castamere” foi um episódio recheado de passagens importantes e cenas chaves em vários outros núcleos, mas que sempre será lembrado por um único acontecimento: O Casamento Vermelho. Um evento que deixaria qualquer dothraki orgulhoso. Foi nele que “Eddard Stark” morreu novamente. E não, eu não estou falando do filho de Robb e Talisa, mas sim do confronto entre Starks e Lannisters, que assim como Ned na primeira temporada, serviu de fio condutor pra história desde o fatídico momento da decapitação, o fio condutor que, mais uma vez, foi cortado abruptamente. Ao contrário do que a maioria esperava, o confronto entre leões e lobos não terminou no campo de batalha, mas sim durante uma festa – o que não significa que por isso houve menos derramamento de sangue. Cersei pode se vangloriar o quanto quiser. Quem além de Tywin Lannister consegue vencer uma guerra só com sua pena?

Por falar neles, depois de terem dado um show de atuação em “Second Sons”, o núcleo de Porto Real esteve completamente ausente desse episódio. Nada mais justo, afinal o nono episódio da segunda temporada foi inteiramente focado na capital. Mas hoje nós não estamos aqui pra falar sobre leões. Estamos aqui pra falar sobre corvos, dragões e, principalmente, sobre lobos.

Vamos lá?

A primeira cena surge para alimentar o telespectador com uma falsa esperança de que os planos de atacar Rochedo Casterly ainda podem funcionar e de uma maneira milagrosa salvar o Rei do Norte e seu exército da derrota, principalmente pelo modo confiante como Cat encoraja as ideias do filho. Nós vemos Robb finalmente reconciliar-se com a mãe, perdoando-a por ter libertado o Regicida, e decidindo voltar a ouvir seus conselhos. Mas agora é tarde demais. Como diria o melhor amigo de Theon numa hora dessas: “Se você pensa que isso terá um final feliz, então você não esteve prestando muita atenção”.

Ouvir o Greyjoy ser mencionado nessa cena me fez lembrar que ele já está sem aparecer há um bom tempo. Não que eu esteja com saudades. Theon é um excelente personagem, inclusive um dos meus preferidos, mas o arco dele esse ano foi infinitamente inferior ao da segunda temporada. Os roteiristas têm apenas mais um episódio pra nos compensar pelos minutos “perdidos” assistindo ele ser torturado.

Ainda na tenda, Robb chega a dizer que no caso de o ataque falhar e de seus homens serem cercados pelos exércitos dos Lannisters, eles encontrariam uma morte semelhante à de Eddard, ou até mesmo pior. Ele nem imaginava o quanto. Mas a cena serviu para que, mesmo sem saber, nós nos despedíssemos desses dois ótimos atores, que trabalharam juntos de uma maneira tão singular. Os dois realmente pareciam ser mãe e filho, não? Até mais do que qualquer outro Stark.

Em seguida vemos a comitiva do Norte, liderada por Vento Cinzento, partindo na direção das Gêmeas. Na direção do fim.

#ReajaJorah.

Parece difícil de acreditar, mas além do Casamento, outras coisas extremamente importantes aconteceram nesse episódio. A começar pela sequência que levou à tomada de Yunkai. Em “Second Sons” nós conhecemos Daario Naharis e seus Segundos Filhos e desde esse primeiro encontro já percebemos que iria rolar algo entre ele e a khaleesi. Na cena do mapa, nós tivemos certeza. O movimento de pegar na mão da garota pra indicar uma direção no mapa e, de quebra, ainda seduzi la deve estar escrito em algum livro famoso. Funcionou com o Rei do Norte (ou talvez nem tanto) e também serviu para abrir os olhos de Sor Jorah, que se mostra cada vez mais desconfiado do mercenário que matou seus dois companheiros para estar ali. Mas apenas pessoas desonestas desconfiam o tempo inteiro. Faz sentido. Jorah foi exilado depois de tentar vender escravos nos Sete Reinos, e inicialmente esteve espionando Daenerys em troca do perdão real de Robert Baratheon. Será possível que Daario saiba de alguma dessas coisas?

Além disso, mais uma pequena treta entre os dois principais conselheiros da rainha. O velho Sor Barristan Selmy já foi citado mais de uma vez como um dos maiores espadachins dos Sete Reinos, mesmo na temporada em que ele esteve ausente (na conversa entre Jaime e o primo na cela em “A Man Without Honor”) mas nós ainda não tivemos oportunidade de verificar isso apropriadamente. Ao que parece, se depender de Mormont, nós não veremos “O Ousado” em ação tão cedo.

E então, o assobio anuncia o ataque. A cada visão que temos de Yunkai ela parece mais bela. Dessa vez fomos agraciados com uma incrível e cinematográfica visão noturna do interior de suas muralhas. Mas como prestar atenção na paisagem com uma sequência de luta tão bem executada como aquela? Ok, pareceu mesmo um pouco surreal ver Jorah, Daario e Verme Cinzento derrotando aquela tropa de soldados-escravos sozinhos, como se estivessem dentro de algum jogo de vídeo game. Mas beleza, a cena valeu a pena.

Enquanto o couro comia na Cidade Amarela, Daenerys parecia apenas estar preocupada com seu capitão, enquanto Barristan parecia não estar nem aí pra ninguém. Quando Jorah chega dizendo que a cidade foi tomada e que tudo ocorreu como planejado eu pensei: “HBO, você fez isso de novo”. Como frequentemente acontecia na primeira temporada, e até mesmo na segunda (com exceção de “Blackwater”), a parte mais importante da batalha acabou ficando em off, a exemplo do que aconteceu com Tyrion em “The Pointy End”, quando Robb enviou 2.000 homens para enganar Tywin e, com ajuda dos outros 18.000, conseguiu capturar o Regicida no Bosque dos Murmúrios. Bons tempos…

Mas voltando ao assunto, afinal de contas Game Of Thrones não é feita apenas de grandes batalhas, pobre Jorah Mormont… O cara retornou todo acabado, encharcado de sangue e com um sorriso orgulhoso na cara, só pra ouvir Daenerys perguntar onde estava o maldito Daario. Bem que eu torci pra que ele tivesse morrido, embora soubesse que não ia acontecer, e então ele aparece, trazendo consigo a bandeira yunkaíta e toda sua ousadia pra cima de Dany. Eu estou realmente começando a não gostar muito desse cara, embora Verme Cinzento tenha confiado nele por algum motivo.

Uma cena que me decepcionou um pouco nesse episódio foi a de Sam e Goiva (Gilly, em inglês). Depois daquela sequência fantástica em que o corvo matou o Caminhante Branco usando a adaga de obsidiana (vidro de dragão) no final de “Second Sons”, podemos ver o que aconteceu com ele e sua companheira… Nada. Assim como aconteceu depois do massacre na Fortaleza de Craster, Samwell continua sua jornada alegremente como se absolutamente nada tivesse acontecido. Mas tudo bem, eu ainda prefiro esse Sam do que aquele que quase desistiu da caminhada em “Dark Wings, Dark Words”, embora agora ele pareça um pouco mais forçado.

Além disso, também vimos coisas importantes aqui. Sam revelou como planeja atravessar a Muralha: usando o Portão Negro, um portão que fica em um dos dezesseis fortes desativados da Patrulha, a mesma hipótese levantada por Bran e seu grupo, que também pretende atravessar, só que para o lado inverso. Tivemos também uma visão muito bonita da Muralha, excepcionalmente trabalhada em CGI, e aquela comparação interessante da Goiva, que pra mim foi uma singela homenagem dos produtores aos fãs que leem os livros da saga (e que muitas vezes conseguem lembrar de mais coisas do que eles mesmos). Mas que também foi referência a um diálogo entre Sam e Jon na primeira temporada, ele sempre quis ser um mago.

Finalmente algo realmente importante aconteceu com Bran nessa temporada. Infelizmente, foi no mesmo episódio de um dos eventos mais importantes e surpreendentes da saga. Mas não vamos desmerecer o garoto. Ele conseguiu entrar na mente de Hodor! Se levarmos em consideração que nenhum outro warg consegue fazer isso, concluiremos que ele provavelmente ele é o mais poderoso de todos eles. “A única coisa que importa”, como disse Jojen em “Dark Wings, Dark Words”. Esse era o motivo.

Agora sim nós temos uma razão concreta e ganhamos novo fôlego pra acompanhar e apostar na até então cansativa jornada de Bran ao encontro do misterioso corvo de três olhos. E se Jojen estava certo sobre Jon estar “cercado por inimigos”, ele provavelmente está certo em dizer que as respostas estão além da Muralha.

Um pouco antes do garoto aprender a dominar o seu dom, assim que o grupo chega à Dádiva, nós ouvimos um pouco da história do lugar, informações que foram complementadas posteriormente na cena em que Jon Snow e os selvagens planejam invadir a fazenda de um homem que serve à Patrulha naquelas mesmas terras, o que foi  bem bacana.

O modo como os dois núcleos interagiram também foi excepcional. O pavor manifestado por Hodor ao escutar os trovões justamente no momento em que os selvagens se encontravam do lado de fora certamente proporcionou aos telespectadores alguns bons segundos de tensão.

Tudo isso levou nos levou para o momento em que os irmãos decidiram por fim  separarem-se. Uma decisão inteligente e madura que rendeu uma ótima cena entre os atores Isaac Hempstead-Wright e Art Parkinson. Isso mesmo, Rickon falou e falou bem. Uma das poucas surpresas agradáveis do episódio. Por mais difícil que tenha sido tomar essa atitude, Bran agiu corretamente. Se algo acontecesse com Robb, como nós vimos que aconteceu, ele e Rickon seriam os próximos na linha de sucessão de Winterfell, e estando juntos eles poderiam ser encontrados e cair nas mãos erradas com mais facilidade. De quebra, o plano ainda livrou Osha de ter que atravessar a Muralha com eles, coisa que ela parecia temer mais do que tudo. Eu só espero que eles voltem a aparecer logo. Embora a despedida tenha sido mais focada nos Starks, é Natalia Tena que fará falta.

Como meistre Aemon Targaryen disse na primeira temporada, “o amor é a morte do dever”. Se Robb Stark tivesse escutado esse conselho, talvez não tivesse acontecido o que aconteceu. Seja por amor ou por “tetas firmes”, Robb perdeu o Norte ao se casar com Talisa. Mas Jon aprendeu a lição, pra infelicidade de Ygritte.

Em “The Climb” vimos que ela já sabia que Jon não era exatamente o que se pode chamar de “selvagem”. Ao contrário de uns e outros (cof, cof, Roose Bolton, Walder Frey, cof), ele sempre foi muito leal pra ser um vira-casaca, e seu desconforto em meio aos selvagens sempre ficou meio nítido… Exceto pra Tormund e Mance Rayder. Além disso, como todo bom Stark, o bastardo é muito honrado pra matar um senhor de idade ou uma mulher, e foi exatamente isso que manteve Ygritte viva na segunda temporada. Sabendo disso, Orell apressou-se em sugerir que seu rival sacrificasse o camponês como prova de que ele não era mais leal a Patrulha. Deu no que deu.

Embora um pouco rápida, toda a sequência da batalha foi muito bem executada, tanto pela direção quanto pelos atores em cena, principalmente com a intervenção de Bran na pele do lobo, o que talvez tenha sido o mais próximo que dois Starks chegaram de se encontrar novamente desde sua separação.

“You know nothing, Jon Snow”

E se chegasse o dia em que Ned Stark tivesse que escolher entre amor em uma mão e honra na outra, o que ele faria? Ele faria o que é certo. E foi que Snow fez, o que ele acreditava ser “o certo”, o que o levou a abandonar Ygritte e todas as promessas que tinha feito de não traí-la e de permanecer do lado dela. Então ele cavalgou para Castelo Negro, a fim avisar os companheiros do ataque iminente porque, no final das contas, matar corvos dentro de seus castelos é sempre mais difícil.

A única coisa “mal feita” aqui foi o ataque da águia, que foi possuída pelo warg logo antes dele morrer. Parecia que Jon estava brincando com uma peteca. Mas acho que não haviam muitas outras opções pra se filmar aquilo. O conceito da cena foi interessante por nos mostrar um pouco mais da ainda nebulosa relação entre um warg e seu “mascote”.

A “parceria” entre Arya e o Cão de Caça provavelmente foi uma das melhores coisas que aconteceram nessa temporada. Tanto Rory McCann quanto a pequena Maisie Williams são atores extremamente talentosos e trabalham muito bem juntos. O material entregue a eles pelos roteiristas nesse episódio também foi realmente inspirador.

“Someday, I’m going to put a sword through your eye and out the back of your skull”

Como Jon fizera no Norte, Arya tentou salvar um homem da morte logo na sua primeira aparição. A diferença é que ela conseguiu. É por essas e outras que os Starks são tão amados pela audiência, e também é por causa dessa “bondade” que muitos deles acabam morrendo, como o próprio Sandor fez questão de ressaltar.

Game Of Thrones está longe de ser uma história maniqueísta, onde os personagens são inteiramente bons ou inteiramente maus. É tudo um grande cinza. Ainda assim os Starks foram abraçados pelos fãs como aquilo que eles têm de mais parecido com os heróis clássicos das outras obras de ficção, justamente pelas injustiças e infelicidades sofridas por eles.

Por causa de tais infortúnios, Arya acabou ficando com medo de nutrir qualquer esperança a respeito de se reencontrar com sua família. Ela passou por tantas coisas ruins desde que viu o pai perder a cabeça na capital, que agora se recusa a acreditar que algo de bom possa lhe acontecer. Clegane farejou isso, ele parece ser um expert em medo. Além de Ned, ela também perdeu seus amigos, foi prisioneira em Harrenhal e depois “refém” da Irmandade Sem Estandartes e agora do Cão, e a medida que se aproximava das Gêmeas os pensamentos negativos de que tudo iria dar errado iam ficando cada vez mais fortes. Infelizmente ela estava certa.

A hospitalidade é algo realmente valorizado desde os tempos antigos, e a falta dela pode ser considerada como uma abominação. Nós podemos ver bons exemplos disso na Odisséia. Em Westeros, a lei da hospitalidade precisaria ser igualmente respeitada. Nada de ruim pode acontecer com um visitante sob o seu teto a partir do momento que ele partilha de seu pão e sal. Essa é a primeira coisa que vemos Robb fazer ao chegar nas Gêmeas. Pena que não funcionou.

Depois de Walder Frey ter obrigado Robb a pedir desculpas às suas dezenas de filhas e netas e fazer gracinhas pra sua esposa, ele estranhamente presenteia Edmure no altar com a mais bela de todas elas. Vocês perceberam como Edmure ficou esperando Walder dizer o nome de Roslin enquanto ele apresentava as meninas no salão? Pra sorte dele, ela não estava ali. Os deuses adoram presentear os tolos.

A cerimônia fez uma clara referência ao casamento secreto de Robb e Talisa diante da árvore em “Valar Morghulis”, as palavras ditas e até a música foram as mesmas. Além disso também vimos Edmure cobrir a noiva com seu manto, costume que nos foi apresentado em “Second Sons”.

(Em um certo momento dessa sequência, nós vimos algumas das filhas de Lorde Walder soltando risinhos para o Peixe Negro. Elas estavam mesmo se engraçando pra ele ou sabiam o que estava pra acontecer durante a festa?)

Antes desse episódio, Walder Frey teve apenas uma outra aparição na série, durante a primeira temporada. Mas o personagem é tão desprezível e memorável que provavelmente quase ninguém esqueceu-se de quem ele era. Ok, os roteiristas deram uma ajuda, mas parte disso se deve a atuação de David Bradley. O ator esteve realmente ótimo no papel. E agora mesmo é que ele não será esquecido… O Norte se lembra.

Enfim, quando a beleza da noiva foi revelada, e Walder olhou Robb com aquela cara de “Olha só o que você perdeu” muitos devem ter chegado a pensar que a “vingança” dele tinha ido até ali. Especialmente quando depois somos levados a um casamento cheio de música, vinho e felicidade, algo totalmente diferente do casamento de Tyrion e Sansa no episódio anterior, por exemplo. Até o cenário era mais alegre.

Tudo ia bem, até que os noivos foram levados para a cama, as portas foram fechadas e aquela música começou a tocar. De imediato, Catelyn e Vento Cinzento perceberam que algo estava errado. Aquela era a canção dos leões.

Nós já tínhamos uma certa ideia de que Lorde Bolton era um traidor desde que vimos ele todo amiguinho do Regicida em Harrenhal, mas Cat não fazia a mínima ideia. Pra ela, ele era apenas um cara estranho que não gostava de beber e que casava-se com mulheres gordas por dinheiro. Quando viu que Roose estava usando cota de malha sob as vestes, e a cara dele de quem não dava a mínima, ela desesperadamente gritou pelo filho, como um cordeiro ao ver a lâmina que está prestes a sacrificá-lo. Depois de ser estapeado, Bolton saiu correndo da mesa como um ninja, e então começou a chacina.

Aquela cena em que o Senhor da Travessia entrega seu “presente de casamento” á rainha do Norte foi realmente desesperadora. Os músicos (dentre os quais estava o baterista da banda Coldplay, Will Champion) então se revelam como besteiros assassinos, e acertam Robb e sua mãe antes que eles pudessem reagir. Mas isso foi apenas o começo.

Acho que de todos os personagens a que eu mais tive pena ali foi a Arya. É doloroso ver como ela sorri inocentemente ao ouvir os soldados de sua Casa falando sobre Winterfell, e logo em seguida vê seus medos se concretizarem quando os homens são brutalmente assassinados diante de seus olhos.

Como eles estavam bêbados e foram totalmente pegos de surpresa, eu imagino que não tenha sido mesmo muito difícil para os Boltons e os Freys a tarefa de exterminar os soldados dos Starks.

E presenciar a morte de Vento Cinzento foi uma das coisas mais tristes do episódio. Mostrar lobos e grávidas morrendo é realmente a cara da HBO, especialmente se considerarmos que nenhuma das duas mortes foi mostrada daquela maneira no livro. O que significa que a série fez aquilo de propósito pra que o Casamento Vermelho fosse ainda mais terrível do que foi para os leitores.

Assim como aconteceu com Bran, esse foi o mais próximo que Arya chegou de reencontrar um de seus parentes mas, diferente dele, ela não pôde fazer nada pra defender Robb e a mãe. Então ela termina sendo nocauteada pelo Cão de Caça, um dos homens que ela mais odiava mas que nesse momento parece ser o único em que ela pode se apoiar.

“The King in the North arises!” 

Arya: Eles o chamam de “Jovem Lobo”. Dizem que ele monta as costas de um lobo gigante durante a batalha, e que ele mesmo pode se transformar em um lobo quando quer. Dizem que ele não pode ser morto.

Tywin: E você acredita neles?

Arya: Não, milorde. Qualquer um pode morrer.

(Episódio 2.05: “The Ghost Of Harrenhal”)

Até na hora da morte, os Starks são mostrados como “heróis”. O último esforço de Robb pra alcançar a esposa grávida e vê-la morrer em seus braços ou o atitude de Cat ao tomar a esposa de Lorde Frey como refém são bons exemplos disso.

Alguns de vocês ainda tiveram esperança de que a “negociação” de Catelyn daria certo e de que Walder permitiria que Robb saísse vivo dali? Sinceramente, a morte de Robb já vinha sendo sugerida há algum tempo. Quando Tywin começou a tratar Sansa como a “chave para o Norte” e quando o falecido Lorde Karstark disse que Robb tinha perdido a guerra ao se casar com Talisa, acho que os roteiristas estavam tentando nos preparar para isso. Mas é claro que nós preferimos acreditar que o plano de atacar Rochedo Casterly com a ajuda dos Frey daria certo e tudo acabaria bem.

Roose Bolton tratou de dar fim a toda e qualquer esperança ao cravar a faca na barriga do rei que servia. Deixando claro que aquilo não se tratava apenas de uma vingança de Lorde Walder, mas sim um plano arquitetado por eles e, é claro, por Tywin Lannister. A última frase dita por ele rimou perfeitamente com o diálogo que tivera com Jaime em “The Bear and The Maiden Fair”, e nos fez descobrir da pior maneira possível que os Lannisters realmente pagam suas dívidas.

“The Lannisters send their regards”

Pela honra dela como Tully e como uma Stark, entreguem logo o Emmy pra essa mulher! Sério. Que Michelle Fairley é uma das melhores atrizes do elenco de Game Of Thrones todo mundo já sabia, mas a boa atuação dela nessa última cena excedeu todos os limites possíveis. Me arrisco até a dizer que, ao menos pra mim, foi a melhor performance já vista na série até então. Uma pena que tenha acabado de maneira tão surpreendentemente trágica.

Cat esbravejou, mas nenhuma alma escutou seus gritos. Durante toda a temporada a personagem veio sendo ignorada por aqueles a sua volta,  – o filho, o tio, o irmão – e até no seu momento de maior coragem e entrega ela não foi levada a sério, o que tornou tudo ainda mais triste. E como se não bastasse toda a desgraça, pra fechar com chave de ouro, os créditos surgem na tela em um silêncio absoluto, pra que os gritos desesperados de uma mãe que viu o filho morrer diante de seus olhos ficassem ecoando em nossos ouvidos e em nossas mentes por mais um minuto e meio.

Como todo bom nono episódio, esse não deixou a desejar. Foi espantoso e estupendo, trazendo novas possibilidades e perguntas que muito provavelmente ainda não serão respondidas no season finale desse domingo. Mas tudo bem. Se for pra assistir cenas como essa, eu espero alegremente pela próxima temporada e por todas as outras que virão. Na segunda-feira eu fui tomar meu café da manhã e ele ainda tinha gosto de Red Wedding. É disso que eu gosto. Não foi a toa que “The Rains Of Castamere” foi um dos assuntos mais comentados na internet durante a semana, e certamente ainda será comentado por um bom tempo.

E aqui vai um recado pra o fã não-leitor que quase desistiu de acompanhar a série por causa desse acontecimento: Pode ficar tranquilo, a vingança que você deseja será sua em tempo. Se você tiver estômago pra isso, é claro. Os Lannisters estão na capital em meio a um ninho de cobras e cedo ou tarde eles terão que provar desse veneno. Mas e se as cobras não derem conta?  Bem, existem outros répteis esperando por eles do outro lado do Mar Estreito…


PODCAST: Se você quer participar do MasmorraCast da terceira temporada de Thronesclique aqui e saiba como enviar o seu áudio!

A maioria das imagens desse post foram retiradas do WesterosCaps e do Caps of Thrones.

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados

  • Huggo Ferreira

    gostaria mais se o finalzinho “robb e catelyn” tivesse sido igual ao que estava descrito no livro (até porque, na série, a morte da mulher do Frey não teve sentido)

    Mas o único problema que vejo na série é a necessidade de personagens principais (comum a todas as séries). Unicamente porque não há personagens principais em CdGF. Ou, se tem, ela seria o reino e não umas pessoas…

  • Lane Lothlórien

    Até que enfim saiu a análise!!!! =)

    Muito boa!

  • Raivich Alves

    amigos do site, essa parte de sor jorah não seria um spoiler, e dos grandes? edita aí enquanto pouca gente leu. 🙂

  • Abigail De Souza Pereira

    Eu fiquei completamente chocada com o episódio, apesar de ter lido o trecho do RW. A atuação da Cat foi esplendida, assim como a resenha! Espero que os Lannisters paguem devidamente – eu sei que vão, mas não pode comentar aqui, né?

  • Bacellar

    Na primeira temporada foi mostrado que Jorah enviava informações pro Robert, Raivich. Ele até encontrou um dos ‘passarinhos’ do Varys 😉

  • Bacellar

    Se for spoiler, não. hehe. Obrigado, Abigail. 🙂

  • Bacellar

    Muito obrigado, Lane!

  • Gabriella Borges

    Brace yourselves: as cobras do deserto is coming

  • Tata Baughtter

    Episódio Fantástico. Análise Fantástica… Parabéns, Bacellar… Mais uma vez… revivo tudo ao ler suas impressões…

  • Adriano Francisco dos Santos

    A trajetoria das ações do Jorah foi feita de maneira bem mais clara na serie. Desde o inicio dá para perceber que ele era um espião do Varys.

  • Samuelxc

    Amor de mãe é eterno.

  • Raivich Alves

    uow, preciso rever a primeira temporada. 🙂

  • Raivich Alves

    eu desde o começo desconfio dele sim, na época em que tentam assassina-la naquela feira, e tudo mais, dá pra perceber, não ter certeza. sempre achei que isso era só sugerido na série, e que a galera teria uma big fucking surpresa em saber que ele é um espião mais na frente…

  • Rodolfo Junio

    “Os Lannisters estão na capital em meio a um ninho de cobras e cedo ou tarde eles terão que provar desse veneno. Mas e se as cobras não derem conta? Bem, existem outros répteis esperando por eles do outro lado do Mar Estreito…” Muito sugestivo kkkkkk

  • Rodolfo Basso de Araújo

    Primeiro, parabéns pela análise, e eu também fiquei meio decepcionado com o corte da tomada de Yunkai, mas… Já assisti o episodio 4 vezes e não consigo acreditar no casamento até agora, o pior é que eu já tinha lido. E pra mim A Arya, o Bran “wargando” no Hodor e a cara da Ygrite quando o Jon abandona ela, foram todas exepcionais.

  • Gislaine Oliveira

    Desculpa a minha burrice, mas o que é CdGF?

  • Fafá M. Araújo

    Sensacional. Sua ótima análise foi digna desse último episódio fantástico. Consegui reviver e entender algumas das cenas passadas. Valeu Rafael Bacellar.

  • Gláucia

    Seu parágrafo final acalmou meu coração… eu realmente estava pensando em desistir !!!! :’-(
    É bom saber q teremos VINGANÇA !!!!!!! Morram todos os leões (menos o tyron, que é fofo!!!)

    Parabéns pela ótima review !!! Será que vai rolar uma da temporada inteira dps do próximo domingo ??? 🙂

  • Guest

    Mimimi os Stark são heróis por causa das tragédias acontecidas com eles…

    Caramba, os Targaryen é que foram realmente massacrados. Apunhalaram a filhinha do Rhaegar não sei quantas vezes, esmagaram a cabeça do Aegon na parede e estupraram a Elia com as mãos sujas dos miolos e sangue do próprio filho. Daenerys e Viserys viveram mendigando toda a adolescência… mas mimimi, olha como os Stark sofrem ¬¬

    Mas belez. Jajá Daenerys chega pra limpar esse continente. Com Fogo e Sangue ^^

  • Felipe Lopes

    Muito bom o texto! E não se esqueça que o Blackfish sobreviveu graças à uma mijadinha salvadora haha

  • Esdras Aristides

    meu “<3" pra elas!

  • [email protected]

    A frase sobre os répteis fechou com chave de ouro.

  • Rubens CB

    O tio de Cat , “Black Fish” momentos antes do massacre saiu par procurar uma “arvore” para se aliviar de tanto vinho, será que ele como sendo agora o lider da casa de Tully, sim porque o Lord Edmure não deve ter nem conseguido abaixar as calças. Será que ele ira aparecer denovo??!!

  • Wellington Rodrigo Quitério

    Parabéns Rafael Bacellar! Sempre mostrando o quanto entende do assunto. Admiro muito o profissionalismo e a escrita sempre habilidosa. Também espero que Michelle Fairley ganhe um Emmy!

  • Leonardo Capeletti

    O silêncio da Catelyn, a morte de Robb, o assassinato do feto Stark, Bran mostrando seu poder, Rickon sendo incrivelmente fofo e partindo meu coração, Arya chegando tão perto… Apesar da canção Lannister do título, esse foi um episódio dos Starks. Foi tudo fantástico!

  • HU3zileiro

    “Morram todos os leões (menos o tyron, que é fofo!!!)”

    Sua lógica me deu câncer!

  • Gabriel Dyonisio

    Crônicas de Gelo e Fogo, nome da série nos livros.

  • Zana Ferreira

    Tudo bem, realmente os Targaryen foram massacrados, mas eles que provocaram isso, né?
    O príncipe Raeghar, casado, foge com Lyanna Stark. O irmão mais velho dela vai reclamar com o rei e pedir que devolvam a irmã e o que o rei Aerys faz? Prende Brandon Stark e pede para o pai dele Rickard,protetor do Norte ir buscar o filho. Depois o que ele faz? Mata os dois e ainda tenta matar Robert Baratheon e Ned Stark pra evitar mais conflitos.
    Não se pode negar que os próprios Targaryens cavaram a própria cova.

    Já os Stark mortos tb cavaram a própria cova, só que de forma diferente. Tentaram acertar e se manterem íntegros, mas cometeram muito erros. Ned contar para a Cersei que sabia sobre ela e seu irmão, e Robb casar com Talisa e ainda matar o Karstark foram erros grotescos para um mundo como Westeros. No jogo dos tronos, você ganha ou você.

  • Bacellar

    Eu não disse que eles são heróis, até por que pra mim isso não existe. Disse que eles foram adotados pelos fãs como os heróis. O que é verdade, não? Basta ver as reações ao RW pra ter ciência disso.

  • Bacellar

    HAHAHA. Exatamente 😉

  • Bacellar

    Muito obrigado, milady 🙂

  • Felipe Lobato

    Não não auehaeuhuehaeh
    Eu não disse isso pela sua resenha, mas sim pela opinião geral mesmo, sabe?

    É que eu pessoalmente não gosto dos Stark, e me irrita todo mundo vê-los como protagonistas só porque sofrem e tal.

  • Felipe Lobato

    O Aerys “cavou a própria cova”, mas não os outros. A Lyanna pode muito bem ter fugido com Rhaegar por vontade própria, e mesmo assim, Elia, Aegon, Rhaenys, Viserys e Daenerys pagaram um preço alto demais.

    Os erros políticos de Aerys podem muito bem ser comparados aos do Robb. A diferença é que Aerys era mais sanguinário

  • Joyce Santos

    Ótima análise para um ótimo episódio…

  • Shizuka Hiou

    Sim, ele recebe o perdão real através de um desses passarinhos. E pior que dá a entender que não ficou tão feliz por isso justamente porque se apegou a kahlesiiiiiii.

  • Shizuka Hiou

    E os dragões massacraram quantos quando invadiram Westeros???
    Nínguém é vítima aqui. Talvez os antigos filhos da floresta, rsrs

  • Shizuka Hiou

    A dúvida é: como o Edmure conseguiu consumar o casamento com essa barulhenta toda dos infernos???

  • allan

    Ótima análise! Apesar dos inúmeros erros de português, hihihi A cena do Bran e do Jon me decepcionou um pouco já foi muito diferente do que imaginei quando li (visto que imaginei um grande momento no escuro com uma tempestade terrível ehehe), mas cumpriu o dever no enredo então tudo bem. A tomada de Yunkai também é omitida no livro, então acho que, dessa vez, a série chegou a mostrar mais do que o texto! Nem vou comentar o RW por motivos de: foi perfeito.

  • David_Martins

    Isso não foi um episódio, foi uma obra de arte!

    Game of Thrones elevou o patamar de seriados a um ponto difícimente atingível novamente. Eu deveria ter assistido a todas as outras séries antes de GoT… xD

    Sor Bacellar, parabéns pela resenha! E parabéns a todos do site pelos ótimos posts desta semana!

  • Jam

    Crônicas de Gelo e Fogo

  • O final foi sensacional Rafa hahahaha muito boa a análise!

    Nós somos #TeamMichelle!

  • Eu não acho que o ator que interpreta o Rickon atua bem… Sei lá, não sei se
    estou exigindo demais de uma criança, mas o Bran na 1º temporada era bem pequeno e sempre atuou muito bem. Nada contra o personagem “Rickon”, mas o ator não me passa nenhuma naturalidade.
    Concordo com você a “parceria” entre Arya e o Cão de Caça foi uma das melhores coisas que aconteceram nessa temporada. Eu adoro os dois personagens como também os atores, e sempre fico muito feliz em vê-los juntos. Fico rindo das ironias que um fala com o outro. São atores maravilhosos!
    Também acho que presenciarmos a morte de Vento cinzento, e da brutal morte da Talissa, só fez o CV ser mais terrível para os teslepctadores, do que para os leitores… Não era o núcleo da série mais querido, como também não eram meus personagens prediletos. Porém perde-los foi horrível. Eu passei o resto da noite pensando na cena. Eu queria ligar pra alguém e comentar, sei lá… Mesmo já tendo lido, mesmo sabendo de tudo, fiquei chocada, chorei, realmente conseguiram surpreender a todos nós.
    Parabéns pela análise mais uma vez!!!

  • David_Martins

    Se tem uma coisa que fiquei com medo depois disso tudo é de torcer pela Dany… Alguém me explica o que significa “agridoce” ?

  • Letícia Alves

    Excelente análise! Me senti assim também como você no dia seguinte. Estou lendo o livro 2 e vamos que vamos.

  • Esse episódio foi bom do começo ao fim…

  • Guest

    Algo ao mesmo tempo amargo e doce.

  • Ananda Brenda

    Algo ao mesmo tempo amargo e doce.

  • Thalles Lucas

    Os Lannisters estão na capital em meio a um ninho de cobras e cedo ou
    tarde eles terão que provar desse veneno. Mas e se as cobras não derem
    conta? Bem, existem outros répteis esperando por eles do outro lado do
    Mar Estreito…

    Leia mais: http://www.gameofthronesbr.com/2013/06/analise-do-episodio-3-09-the-rains-of-castamere-sem-spoilers.html#ixzz2VYe154gY

    Under Creative Commons License: Attribution

    Parabens pelo texto, muito bem redigido bacellar, pode-se acrescentar também que não é só os lannister que cobram suas dividas

  • Zana Ferreira

    Não sei o resto do pessoal, mas eu acho
    beeeem complicado comparar Aerys com o Robb.
    Primeiro porque os Targaryen tiveram aquilo que o patricarca da casa estava tentando fazer: exterminar a casa alheia que representava uma ameaça.
    E sim, Elia, Aegon, Rhaenys, Viserys e Daenerys pagaram um preço mto alto. É verdade. Mas quem dizimou Elia e as crianças foram os Lannisters, que não são nada misercordiosos.
    Se o Ned tivesse chegado antes, duvido que seria assim. Tanto é que ele deixou de ser Mão do Rei por não concordar com a tentativa de assassinar Daenerys do outro lado do Mar Estreito.

    Por outro lado, eu não vejo o Robb Stark, caso tivesse sido bem sucedido em invadir Casterly Rock, matando todos os Lannisters que estivessem por lá, incluindo
    crianças. Lembremos do que ele fez ao Karstark por matar os reféns Lannister.

  • Thalles Lucas

    A morte da mulher do frey tem bem mais sentido do que a morte do guizo, primeiro por ela ser mulher e suportar o walder frey, segundo ela não é uma frey

  • Irineia Araujo

    Agridoce literalmente é algo com sabor doce e azedo ao mesmo tempo…

    Basicamente é uma coisa que vai alegrar mais com um toque de amargura e/ou tristeza…

  • Priscila

    Gostaria primeiramente de parabenizar o Bacellar pela resenha, você escreve excepcionalmente bem, acompanho o blog diariamente, mas essa é a primeira vez que decidi comentar. Pois bem, concordo quase que inteiramente com sua análise, com exceção da sua opinião sobre a atitude da Daenerys Targaryen para como o Jorah urso podre traidor, ela não deve absolutamente nada a ele, quanto ao Daario, é impossível ficar indiferente a ele, eu, pessoalmente gostei muito mais da caracterização do Daario da série do que a apresentada no livro, que por sinal é um tanto “excêntrica”. Na Faculdade em que estudo o Daario é o principal motivo para o crescimento do Ibope de GoT entre nós..
    Quanto aos queridos Stak’s, estou de luto desde que li o fatídico casamento vermelho, para mim é muito covarde a forma como os Lannisters lidam com seus inimigos. As cenas dos núcleos do Brandon e Jon respectivamente foram muito boas, estou torcendo para que em breve possamos ver novamente o jovem Rickon e sua protetora.
    Obviamente não poderia deixar de salientar a conclusão da análise: “a vingança que você deseja será sua em tempo. Mas só se você tiver estômago pra isso, é claro. Os Lannisters estão na capital em meio a um ninho de cobras e cedo ou tarde eles terão que provar desse veneno. Mas e se as cobras não derem conta? Bem, existem outros répteis esperando por eles do outro lado do Mar Estreito”. E que venham as serpentes.

  • Priscila

    Concordo plenamente contigo, depois que os Stark’s se deram mal, as esperanças de justiça acabam se voltando para a Dany, pelo menos no meu caso, óbvio que também tem a Arya, mas não se pode falar disso aqui.

  • Priscila

    Verdade, mas como o Felipe falou, não precisavam matar o pequeno Aegon, aRhaenys e a Elia, muito menos a Dany que era um bebê recém nascido. Nenhuma “justiça” que Robert tentou fazer justifica tamanha crueldade. É por essas coisas que meu personagem favorito é o Sir Barristan, um verdadeiro cavaleiro.

  • Priscila

    Vale lembrar que foi o Robert quem mandou o Stannis assassinar a Dany recém nascida e o irmão.

  • Bacellar

    Ah, sim. Entendi. HAHAHAHA. Tranquilo, Felipe. Eu gosto dos Starks mas concordo que eles não são “protagonistas”. Acho que tem muitos outros membros de outras casas que são tão importantes quanto eles 🙂

  • Bacellar

    Totalmente! Valeu, man!

  • Bacellar

    Valeu, Rodolfo!

  • Bacellar

    Eu que agradeço. Abraços! 🙂

  • Bacellar

    Provavelmente deve rolar alguma maratona sim, Gláucia. HEHEHE
    Obrigado!

  • Gláucia

    Desculpa Tayler… eu não li os livros, conheço só o Tyron da série… e sou apaixonada por ele !!! Espero muito q ele não morra !! 🙂

  • Bacellar

    Talvez ele tenha encontrado uma daquelas Freys no caminho, HAHA. Valeu, Felipe!

  • Bacellar

    O problema é que, como atriz, ela tem algumas concorrentes muito boas. Mas estou na torcida, e acho que ela merece ainda mais por ter sido a última cena. HEHE. Valeu, Wellington!

  • Erica Tavares

    Cat esbravejou, mas nenhuma alma escutou seus gritos. Durante toda a temporada a personagem veio sendo ignorada por aqueles a sua volta, – o filho, o tio, o irmão – e até no seu momento de maior coragem e entrega ela não foi levada a sério, o que tornou tudo ainda mais triste. E como se não bastasse toda a desgraça, pra fechar com chave de ouro, os créditos surgem na tela em um silêncio absoluto, pra que os gritos desesperados de uma mãe que viu o filho morrer diante de seus olhos ficassem ecoando em nossos ouvidos e em nossas mentes por mais um minuto e meio.

    Rafael, perfeito a sua descrição! assisti 2 vezes o episódio e chorei…li essa parte da análise e tô com lágrimas de novo!! fiquei com o pedido da Cat ressoando horas na minha mente: “Please! please!”

  • Liana

    Se “o poder está onde os homens acreditam que ele está “,então os Starks são sim, de uma certa maneira , os “protagonistas”,pois eles tem o poder…..não o poder político obviamente,nem o poder bélico,mas o poder de comover,de arregimentar milhares de fãs inconsoláveis……e me arrisco a dizer que os Starks são como um chamariz,na primeira temporada, para que as pessoas se apaixonem pelo universo de GoT.

  • Gláucia

    Eu to chutando q vão se encontrar todos pra decidir quem vai mandar em Westeros a partir de então e PÁ !!!!! O inverno chega !!! Morrem todos congelados e fim da história… rsrsrsrs

  • Gláucia

    Adorei seu comentério sobre o Daario !!!! E concordo… Dps da morte do Khal Drogo estavamos precisando de colírios nessa série !!! rsrsrsrs

  • Liana

    Sim, tem outros membros de outras casas tão importantes quanto eles,mas não se pode negar que nenhuma outra casa é tão amada, entendi o que vc.disse assim….eles são”protagonistas” no sentido de que são mais queridos, e mais pessoas “torcem” por eles.Tanto leitores,quanto telespectadores.

  • Bacellar

    Esquecer é bem normal mesmo Raivich. Ainda mais quando é algo que não vemos nos livros. Por isso eu gosto sempre de mencionar episódios passados nos meus textos. 🙂

  • Massi Marques

    Ótima resenha, como sempre.
    Chorei no fim e adorei o parágrafo final! eheheeh

  • Bacellar

    O nome do episódio se deve ao fato de que o casamento foi orquestrado pelos Lannisters, mas foi um episódio onde os Starks dominaram sim. Ótimo comentário, Leonardo!

  • Bacellar

    Obrigado, Joyce!

  • Jan Santos

    E quem senão Michelle Fairley merece maior luto? Na boa, o Casamento Vermelho não seria tão terrível se não fosse a perda de uma das personagens mais bem feitas pelo bom velhinho

  • Rubens CB

    Sansa, sim ela é a mais “tchutchuca” dos Stark, está dentro do ninho de cobras, está aprendendo com as piores cobras Lannisters + Tirrel. Aguardem a menina!!!!!

  • Gustavo

    Eu realmente estava pensando em dar ao meu filho o nome de Eddard, mas já mudei de ideia! Hehehe…

  • Gabriel Petermann

    Parabéns Bacellar. Suas análises são ótimas caras. Escreve super bem mano. Mesmo eu tendo lido os livros prefiro ler as suas análises sem spoilers. Continue assim rapaz.

  • Diego Natan Canteri

    Você não aprendeu a lição ainda criança do verão, não se apegue a ninguém… :/

  • Diego Natan Canteri

    Que se ajoelhou para Aegon e para Robert… vira casaca…

  • Diego Natan Canteri

    ow, mas com uma frey daquelas eu conseguia fácil! XD

  • Massi Marques

    São tantas perguntas….
    Esse amor platônico do Jorah, acho que não vai acabar bem…vai?
    Esse Dahrio é ou não é confiável?? eu não gosto dele…

    E Arya, vai ser amiguinha do Cão ou ainda vai querer matá-lo?
    Será que Ygritte se reencontra com Jon?
    Será que vão enterrar os corpos de Robb, Cat e Talysa? ou vão jogar em um lugar qualquer?

  • David_Martins

    Huahshaah.. trágico! Já eu acho que no final morre todo mundo, mas daí o Bran acorda e descobrimos que tudo foi um pesadelo dele que ainda estava em coma por causa da queda!
    uashuahshasu
    To brincando viu tio George! o.O’

  • David_Martins

    Regra número 1 no jogo dos tronos: Nunca confie em ninguém!

  • Vinicius Ferreira Barboza

    The Targaryens send their regards

  • David_Martins

    Siiim, o que mais me chocou na cena do casamento foi o pobre Eddard… Certamente já seria tudo estupidamente cruel se eles não tivessem feito aquilo. Ai eles criam uma história que temos certeza que não vai dar certo, mas de alguma forma ainda nos fazem ter um pequeno momento ingênuo de esperança… Pra quê? Pra dar inúmeras facadas na NOSSA barriga. 🙁

    Mas por uma coisa fiquei grato: a Talisa morreu como uma Stark a final de contas, e não como uma traidora como tudo indicava. Quando tudo isso passar talvez lembremos disso como a história do Rei que perdeu seu reino por amor! Brega… mas bonito! xD

  • Bacellar

    Dei uma revisada, Allan. Valeu!

  • Bacellar

    Tem razão, Laís. Comparado ao Bran, o ator que faz Rickon é mesmo bem simplório. Brigadão! 😉

  • Bacellar

    Obrigado, Letícia. Boa leitura! 😉

  • Bacellar

    Isso é verdade. Obrigado, Thalles!

  • Bacellar

    Coitado do Jorah, Priscila. HAHAHA. O cara errou no começo, mas agora ele é totalmente leal a Daenerys.

    Muito obrigado! 🙂

  • Bacellar

    A Michelle Fairley foi demais mesmo naquela cena, Erica.
    Brigadão! 😉

  • Bacellar

    Foi basicamente isso mesmo que eu quis dizer, Liana. Até seu nome é Stark 🙂

  • Bacellar

    Obrigado, sor!

  • Bacellar

    Caramba. Muito obrigado, Gabriel. o/

  • Bacellar

    Concordo!

  • Bacellar

    Isso! O próprios fãs fizeram deles protagonistas, hehe 🙂

  • Ananda Brenda

    “Ouça-me rugir” é o lema dos Lannisters. Pois podem o rugir o quanto quiserem, mas que não se esqueçam… O inverno está chegando. Pra todos.
    A propósito, ótima análise. Gostei do recado!

  • Roberto Pereira

    Eu achei esse episódio todo um primor. Tudo. Todas as cenas, todos os acontecimentos. Todos os núcleos acontecendo coisas importantes, a história avançando. Histórias tomando rumos sem volta e Histórias literalmente se acabando – como a vida de mais dois amados Starks. E dessa vez de forma ainda mais vil, cruel e covarde do que a decapitação de Ned Stark na primeira temporada.

    Passado o choque HORROROSO que eu levei ao ver a cena, já dá para comentar o episódio apenas como aquilo que ele é: um seriado muito bom, e não o assassinato de alguém da família como me pareceu enquanto eu assistia boquiaberto, incrédulo e cada vez mais chocado o trucidamento dos cabeças do clan Stark . rs

    Eu acho que de certa forma, eu fiz bem em parar de ler os livros e não ter a menor ideia do que era o tal “Casamento Vermelho” que eu lia aqui e ali nos comentários daqui do site.

    Para mim, casamento vermelho era alguma cerimônia da Melisandre e seu deus vermelho, seu deus do fogo. Alguma abominação iria surgir e matar alguém importante da série – Joffrey de preferência…

    Mas como eu estava enganado, o casamento foi vermelho de sangue, de vilania e de traição. Meu Deus! Então eu acho que foi bom nem ter chegado nessa parte dos livros, porque com toda a certeza o impacto foi muito maior do que para quem já sabia o que iria acontecer. Embora a cena toda tenha sido tão bem executada desde o início com o pão e sal até o final sangrento que mesmo quem já sabia deve ter sentido revirar as tripas de revolta.

    E realmente o ator que faz o Frey, faz de forma pusilanimemente PERFEITA. Tudo, a cara velha encarquilhada, o olhar ardiloso, os modos porcos e baixos, tudo compõe um personagem vil capaz de cometer tamanho ato de traição covarde e sangrenta.

    Palmas para o ator e palmas para o pessoal do casting que tem sabido escolher com perfeição atores que são a encarnação dos personagens dos livros.

    Enfim, já escrevi muito mais do que devia e nem falei que concordo com vc que MIchelle Fairley TEM que ganhar o Emmy, não só, mas principalmente por essa cena. Que adorei ver o Jon Snow dando uma banana pra Ygritte. rs, que adorei ver o Bran que “nem sei por que” sempre foi um dos meus personagens preferidos finalmente fazer uma “mágica” e o núcleo dele avançar na história e ele ajudar o irmão com o Verão na luta. Que deu dó do Sor Jorah se ver trocado sem menor chance pelo bofe lá pra quem a Daenerys é todo dengo. rs

    E finalmente dizer que depois do susto do casamento vermelho eu voltei de verdade a ler A Tormenta de Espadas porque nunca mais quero ficar tão chocado vendo o Martin matar algum dos meus queridos personagens como se fossem coadjuvantes de luxo. rs Quando ele fizer isso eu já estarei sabendo pelos livros. rs

    Desculpem o tamanho enorme do comentário. Prometo não exagerar de novo. mas esse 3.09 merece. Foi o episódio que mais “gostei” e que mais me impactou em toda a série.

    15 minutos depois de ver eu ainda estava de boca aberta e xingando o Martin de todos os palavrões que eu consegui lembrar. kkkkk

  • Messinho’

    Esse amor platônico do Jorah pode durar tanto. Experiência própria. kkkk

  • Messinho’

    A morte do Guizo foi mais pra mostrar o quão louca Cat estava naquele momento: pegar um pobre coitado e ameaçar matá-lo em troca de seu filho, sem esquecer é claro do clima e das tilintadas que os guizos produziam enquanto Cat treme com a faca no pescoço do indivíduo. Só senti fala mesmo mesmo foi do tambor…

  • Raivich Alves

    Aliás, parabéns pelos textos e também pela atenção com os leitores/fãs. 🙂

  • Aerys “Cavou a própria cova”, Robb também
    A diferença é que Aerys agiu por pura loucura, e Robb por amor…

  • Kalyl Calado

    Parabéns pela analise, são muito bem escritas e analisam a série pela série.
    E pessoal, os Martells estão chegando muahahahahahaha

  • Bacellar

    Agradeço em nome de todos, sor David. Abraços!

  • Bacellar

    É melhor mesmo, haha.

  • Bacellar

    Obrigado Ananda! 🙂

  • Tatiza Feitosa Lima

    Não vejo a hora para que isso aconteça!Fico só imaginando como será!!hahaha

  • Leonardo Capeletti

    Obrigado.

  • Shizuka Hiou

    Nem Brandon, por favor.

  • Shizuka Hiou

    Se for pela lógica de imprevisibilidade do autor, quem deve vingar os Starks é o Rickon e a Sansa.

  • Bacellar

    Que nada, eu que agradeço. Obrigado! 🙂

  • Julia Milreu

    “Será que vão enterrar os corpos de Robb, Cat e Talysa? ou vão jogar em um lugar qualquer?”

    Creio que vai descobrir isso no próximo episódio… hehe

  • FHC

    ainda me emociono so de lembrar desse episodio! essa analise foi otima e emocionante!

  • Rafael

    Só eu que tô achando o Bran parecido com o professor Xavier de X-men kkkkkk, não pode andar, tem poderes kkk

  • Sérgio Fernandes de Souza Silv

    Rafael Bacellar, ainda não tinha lido a análise sem spoilers, e tive de vim aqui pois a outra estava demorando. Gostei muito de sua análise e de seu texto. Muito bem escrito. Torna a leitura empolgante e tudo casadinho (vixe, casamento de novo). Parabens pelo texto e que os não-leitores continue assistindo. Suas palavras podem dar esperanças a eles, que (como alguns amigos meus) quase desistem da série. Eu os falei: GoT não é uma novela das 8, e tá só no início, muita gente ainda falta aparecer.

    Saudações.

  • Shizuka Hiou

    Interessante sua opinião sobre o casamento vermelho, eu espero que a Melisandre realize mesmo um casamento com os ritos da religião dela.

  • Jose Guilherme Valadão

    A cena foi chocante mesmo, mas uma coisa que eu fiquei pensando muito depois do episódio fio o fato do Jon Snow ter deixado a Ygritte, nao pensei que ele tivesse coragem de fazer isso. O que vc acha Bacellar? Será que ele volta pra ela ou ele não está nem aí mesmo? Será que rola um reconciliação?

    OBS: Por que o nono episódio é sempre o melhor da temporada? hahaha impressionante!

  • Lu

    Parabéns pela ótima resenha, Bacellar! Adorei você ter incluído algumas frases-chave da série. De uma certa forma, acho que os roteiristas tentaram nos preparar para o que estava por vir. Afinal, todo mundo vivia falando da morte do Robb. Mas também serviu para alimentar algumas esperanças. Justiça. Vingança. Fogo e sangue.

  • Pedrinho Barboza

    Excelente resenha!!! Mas você acabou citando o livro na hora de falar da morte da Talisa e de Vento Cinzento.

  • Bacellar

    Obrigado, Kalyl! 🙂

  • Bacellar

    HAHAHA. Valeu, Fernando!

  • Bacellar

    HAHAHAHA. Boa!

  • Bacellar

    Muita gente ainda falta aparecer e desaparecer também Sérgio, HAHA. É bom lembrar eles disso… Muito obrigado!

  • Bacellar

    Infelizmente não posso responder sua pergunta, amigo. Eu li todos os livros, portanto isso seria SPOILER :/ Mas tenha certeza que não foi uma decisão fácil pro Jon.

    Obrigado! o/

  • Bacellar

    Muito obrigado, Lu! 🙂

  • Bacellar

    Fiz isso apenas nesse caso pra os não-leitores saberem que não morre nenhuma grávida no livro e que os produtores fizeram de propósito, kkkk. Obrigado, Pedro!

  • Bacellaaaaaar!!! Belíssima análise.
    Como diria meu amigo: Os Stark estão sendo Starkminados!
    Assim como todos mundo, eu achei chocante a cena do Robb, Talisa e Cat. Eu assisti antes de dormir, e depois fiquei 30min tentando entender o que tinha acontecido… foi tenso, eu estava assistindo deitada, na cena eu levantei e fiquei falando… OMG! vão eliminar todos os Starks da terra!
    Me pergunto o que aconteceu com Edmure e com Peixe Negro?

    Antes de assistir o episódio eu cheguei nessa parte do Jon Snow no livro, e achei a cena super bem feita. E fico impressionada com o comportamento do Jon Snow. Eu andei analisando o lance de honra e lealdade dos Starks, temos o Ned que deu uma pulada de cerca, temos o Robb que casou com a Talisa, quando estava prometido a outra, e se lembro bem (idosa), Dona Sansa que meio que fez o pai literalmente perder a cabeça, né? E ai temos o Jon que vai e não mantém esse padrão… confesso, mesmo no livro eu achei que ele não ia largar os selvagens… por um momento acreditei que tudo ia ficar do jeito que tava. É, acho que é meu lado mulherzinha que queria que ele ficasse com a Ygritte. Eu simplesmente adoro o Jon Snow, é dos meus personagens favoritos.

    E Danyzinha conseguindo tudo e todos. Comentário mulherzinha on:
    E por falar no núcleo dela, não tinha reparado no outro episódio que o Daario era dentucinho #monica… mas olha, continuo pegando do mesmo jeito hahaha esse detalhe não estraga em nada o pacote completo.

    Cão de caça ganhou o meu curtir.

    Até a próxima!

  • RoseannaLima

    Não esqueça do Jon sendo tão honrado quanto possível ao voltar para a Patrulha, abandonando Ygritte. Ele também é um Stark! (só no meu <3 mas tudo bem…)

  • Saulo Vieira

    Os Tyrel não são tão cobras assim não… Eu gosto da Margaery e a Lady Olenna é fantástica. Eles são do tipo não fedem nem cheiram.

  • carlos silva

    Bacellar voçê manda muito bem,é de longe o melhor critico que eu já acompanhei,bem melhor do que todos os criticos do omelete juntos.Parabéns sou seu fã.

  • Bruno Bartowski

    Eu lendo a análise: =O

    Está de parabéns.

    CLAP CLAP CLAP

  • Roberto Pereira

    Parece que tem um treco sendo armado mais pra frente do livro. Mas eu não posso dizer que seria spoiler e nem cheguei a essa parte para saber se a tal cerimônia vai mesmo ser ou não realizada.

  • Bacellar

    HAHAHAHA. Até a próxima, Giselle. Muito obrigado! (O Cão de Caça é um dos meus personagens favoritos). 😉

  • Bacellar

    É um honra ler isso, sor. Muito obrigado! 🙂

  • Bacellar

    HAHAHA. Valeu, Bruno! o/

  • Sheila Albuquerque

    Grande análise, to em choque e continuo vendo a cena

  • Bacellar

    Obrigado, Sheila 😉

  • Nossa, que episódio bom e que análise boa! Ótima de se ler! Acho que me arrepiei umas três vezes HAUSHAS “Mas e se as cobras não derem conta? Bem, existem outros répteis esperando por eles do outro lado do Mar Estreito…”
    Já li os 5 livros, mas sempre faço questão de ler tanto a análise com spoilers quanto a sua, e nunca me arrependo! Parabéns 😀

  • Douglas Brito

    Análise muito boa, seguindo o nível do episódio!
    Fiquei sem fôlego… realmente um momento único em Game of Thrones!

  • Adriano Francisco dos Santos

    Eu também achava que assim seria mais legal. Mas eu me lembro vagamente que na primeira temporada, na feira dos produtos, antes da cena do mercador com os vinhos ele lê a carta que diz que tudo está certo e ele pode voltar. Nesse momento que ele decidi mudar de lado para servir a Khaleesi.

  • tata2207

    Minha nossa, adooooro o Hound, gostaria muito de saber mais sobre essa suposta irmã dele já falecida,a história deles e se ela existiu mesmo ou é só invenção da cabeça dos amantes de GOT, vc tem alguma ideia? Parabéns mesmo, estou sempre lendo suas resenhas. abraço

  • Bacellar

    Olá Cláudia. Se você quiser saber mais um pouco sobre a história da casa Clegane, assista esse vídeo que nós legendamos onde ele inclusive menciona a irmã: http://www.gameofthronesbr.com/2013/03/historia-e-tradicao-casa-clegane.html

    Muito obrigado por nos acompanhar! 🙂

  • Bacellar

    Muito obrigado, Beatriz! 😉

  • Bacellar

    Obrigado Douglas! o/

  • tata2207

    valeu mesmo, abraço.

  • Huggo Ferreira

    depois de dois meses que fui ver o comentário xD

    não falo de ter sentido como “ser significativa”, mas sim que: se iam matar Catelyn de toda maneira, matassem-na antes dela matar a mulher do Frey.

    Já no livro é explicado que pretendiam usá-la para tomar o Tridente e, por isso, não a mataram antes. Porém, como ela ficou louca, decidiram matá-la como um ato de misericórdia.

  • Wellington Santos Silva

    Que episódio!!!! Me deixou sem ar! Preciso começar a ler os livros e as análises já fazem parte dos episódios rsrs. Parabéns Bacellar pelo sensibilidade de captar os detalhes e sentimentos de cada episódio.

  • felipe lira

    melhor resenha que já li! mantenha essa mesma estética sempre, bacellar!