Análise do episódio 3.05: “Kissed by Fire” (com spoilers)

O texto a seguir possui spoilers do livro A Tormenta de Espadas que ainda não foram abordados na série de TV até a presente data (03 de maio). Leia por sua conta. O episódio adaptou trechos dos capítulos Arya VI, Arya VII, Jon II, Jon III, Catelyn III, Jaime IV, Jaime V e Tyrion III. Clique aqui para relembrar o conteúdo geral deste capítulos.

Os personagens de Game of Thrones carregam essa grande sombra do passado de suas famílias projetadas em suas vidas. Isso é algo que carregamos em nossas vidas também, aqui na vida real. É o que nos torna quem somos em parte, mas em um universo em que o dever para com a família é algo tão fundamental, a história e a tradição de cada uma dessas pessoas é algo que a série deveria nos presentear frequentemente. E Kissed by Fire, que fala sobre os cabelos de Ygritte, mas fala mais sobre o beijo das chamas de R’hllor, nos entrega isso de maneira tão generosa e bonita, que acaba sendo o episódio mais bem escrito e bem executado da 3ª temporada até agora. Bryan Cogman, editor do roteiro da série e desse episódio em especial fez um trabalho de fã dos livros brilhante. Alex Graves, diretor, continua se consagrando como a revelação da temporada na direção.

O Thoros do Paul Kaye não é um sacerdote vermelho, caricato nas vestes. Mas tem muito forte em sua interpretação a sinceridade e dureza de sua devoção. É muito bonito, não que ser tão cegamente fiel por um Deus X seja algo bonito. Mas o Paul é algo que a producão da série sempre faz questão de colocar no núcleo da Arya: um ator que consegue ser algo além do personagem. Syrio, Jaqen e agora Thoros. Apenas o take em que Thoros ora antes do combate ganha a cena. Consegue ser bem mais forte do que a queima dos deuses da Melisandre na temporada passada, tendo os mesmos elementos em cena. Mas a questão é que Thoros sussurra, o que torna tudo muito mais íntimo e velado. E é por isso que é bonito.

E então vemos pela primeira vez uma espada flamejante de verdade (sorry Stannis), uma espada que pede por um combate, uma espada de justiça. É muito legal como o Richard Dormer aperece com gotinhas de suor na testa na cena em que corta a mão. Isso deve ser resultado de horas no set em um lugar fechado com fogo, tensão e tempo contado. Gente, gravar isso deve ter sido muito perigoso. E o resultado ficou muito genuíno. Rápido e duro, como tudo em Game of Thrones na TV. Mas muito, muito genuíno. É raro termos o privilégio se ver uma luta esperada tão bem feita nessa série. Bastante visceral e enérgico, muito bem dirigido. Os homens gritando “Guilty!  Guilty!”. Thoros observando com prazer. Arya completamente imersa no ódio, tão infantil e frágil, tão adulta e sincera ao mesmo tempo. Aquilo foi intenso.

Essa cena foi uma adaptação de Arya VI. Como diferenças bacanas, podemos citar que no livro o Cão queima o braço de maneira significativa e, em certo momento no final do combate, ele chora e pede por ajuda porque a coisa que ele mais teme no mundo, como todo mundo sabe, é o fogo.

Gostei de ver os nomes dos castelos que guarnecem a Muralha traduzidos na legenda da HBO (Atalaialeste do Mar e Torre Sombria). Cara, eu sou uma dessas torce pelo Kit Harington. Mas esse Jon Snow tá… estranho. Quem ele pensa que é pra falar assim com o Orell? Ele pensou que esse traquejo social ia trazer respeito? É algo que parece estar sendo feito de propósito no texto, com que finalidade eu não sei. Essa infantlização do Jon e do Robb. Algo que não tem no livro, mesmo que os personagens no livros sejam de fato adolescentes na flor da idade.

Acho que essa foi a primeira vez que Jon chamou Ygritte pelo nome na série. E foi bacana ver como ele fala exatamente como nós brasileiros (“Ígrit” e não “Igrít” como os gringos falam).

Acho que essa cena do beijo de lorde deve ter sido bem difícil de gravar, adaptação de Jon III. Dois atores muito jovens fazendo isso pela primeira vez em uma cena que geraria muita expectativa. Embora Rose esteja tão bem consigo mesma e em mostrar seu corpo, Kit pareceu bastante tenso. Isso deve ter comprometido muito a atuação, que seria muito bacana se transportasse ao clima íntimo dos livros. É que para a construção dessas cenas de sexo, levam-se páginas e páginas de diálogos, lembranças, descrições e histórias.Histórias! Ah, Ygritte, como você era boa em contar histórias… Nessa cena específica, Ygritte fala sobre essa caverna, que na verdade não é o primeiro buraco no meio da neve que eles encontram por sorte como é mostrado na série. A caverna faz parte do Caminho de Gorne, e Jon Snow não sabe disso, porque não sabe de nada. Ela supostamente se conduz para a Floresta Assombrada atravessando toda a Muralha por baixo e além, mas ninguém exceto Gendel e Gorne, os lendários gêmeos e reis selvagens sabiam o caminho. Tentando fugir por outro lado na Muralha eles se perderam, e provavelmente são espíritos ou algo pior assombram o lugar até hoje. E Ygritte nos livros sabia um montão de histórias legais como essa. Essa cena em específico acontece nos livros em um momento em que Jon e Ygritte já dormiram juntos diversas vezes (começando em Jon II), e isso é algo que contribui para que os dois, no texto do Martin, estejam tão mais em sintonia. Por issoque Ygritte quer ficar com ele pra sempre ali. Esse parágrafo está parecendo um trecho de um livro do Nicholas Sparks, é melhor a gente mudar de assunto, né?

Os leitores dos livros ficam frustrados em cenas como essas e os não leitores não. Why, you ask. Por que no livro é maravilhoso, e nada nunca vai superar isso. Por isso que é legal ler, por isso que é legal dar os livros e presente para os amigos.

Sabe gente, tem algo nos livros sobre o Jon que é muito bacana, e que infelizmente a série não se propôs a mostrar. É o fato de que Jon é um “selvagem”, um homem dos deuses antigos e um homem que entende o povo livre. E que ele percebe isso tão logo se encontra com Mance. E talvez ele entenda mais do que Mance a causa daquele povo, porque ele é mais honrado e mais inteligente. Bem mais. E muito mais novo. E filho de um lorde. É tipo a Mary Sue mais óbvia de todas. Por isso, quando ele trair Tormund na série, vai ser esquisito. O propósito dele ainda não está claro na série, mas eu torço muito pra que o personagem do Jon se encontre e se mostre logo.

Na cena que adapta Jaime IVvemos olhos do Roose Bolton sendo assustadoramente gentis mais uma vez. Novamente, faz sentido Roose perceber de imediato a condição de Jaime, porque o Vargo Hoat dos livros (que na série é esse Locke) adora tirar pedaços de pessoas, deixá-las sem um pé ou dois. Bem, acho que todo mundo achou muito bacana a parte que Brienne se levanta do chão e o plano de câmera mostra como ela é maior do que qualquer outro ser humano presente ali.

o semblante do único homem que ama Cersei.

A cena do tratamento do que sobrou da mão de Jaime foi impressionante. Ótimo momento de Qyburn. E acho que, por mais que Jaime tenha parecido muito convencido gratuitamente se recusando a tomar o leita da papoula,  achei válido ele querer ficar consciente pra que o velho não cortasse seu braço inteiro fora. É essa dor trash que fortalece o Jaime. Toda essa dor e todo o processo de cicatrização são muito piores do que a dor do primeiro corte. Lembro das partes dos livros em que Jaime começa a ter o ímpeto de fechar o punho direito e não conseguir. Toda essa tortura que é física e psicológica de alguém que perde um membro, ainda mais nessa situação, é terrível.

A Cersei trata mal as pessoas e espera que em troca elas lhe dê amizade. Essa cena em contraponto com a “power is power” da temporada passada só mostra o quanto essa moça nunca sabe direito o que está fazendo. A cara do Mindinho de incredulidade quando ela chega cheia de floreios querendo dividir fofoca é muito boa!

Ok, Olenna é incrível, mas não se vence Tyrion em uma discussão facilmente. Por outro lado, isso mostra o quanto a maioria das pessoas despreza Tyrion. E como Tyrion é muito correto com o dinheiro, deixando assim as pessoas completamente entediadas. Eles estão tentando construir aqui algo que talvez veremos apenas no casamento do Joffrey.

Aaaargh, que cenas tristes as da Arya! E claro que o “my lady” que Gendry disse teve o significado de “eu seria seu empregado e você minha senhora”. Nada além disso. É que o texto do Bryan Cogmané redondinho e fofo mesmo. O arco da Arya em Westeros está chegando ao fim, e eu fico pensando o quanto a essa altura nos livros ela treina todos os dias. Mas antes de Bravos tem Casamento Vermelho. Me lembro da mudança na cena em que Ned morre. Na série Arya observa e o pai sabe. Será que no Casamento Vermelho… também vão fazer algo parecido?Mais tarde quando vemos ela rezando os nomes de quem quer matar e pedindo pra Beric trazer o pai de volta, é de cortar o coração, certo? É devastador, adaptação de Arya VII.É aquele clássico momento na história onde todos sentimos saudades do Ned, e desejamos junto dela que ele tivesse vivo, que ele tivesse ali para protegê-la, e a Robb, e a Cat, e a Sansa, e aos meninos e a Jon.

 

Eles começaram a retratar a Catelyn meio doida já, hein? Com os cabelos soltos, “como Ned gostava”. Acho uma pena esse ser o retrato de Robb na série. Todos sabem que ele só toma decisões erradas, que um garoto de 14 anos tomaria. Mas um rei no norte tem que ser amado, tem que ter tido a educação de um rei. É muito óbvio que ele vai morrer, que ele não devia ir tratar com os Freys e que ele não deveria ter matado o Karstark. A música da execução do Karstark é a mesma que toca quando Theon exibe os garotos mortos em Winterfell. É a música das péssimas decisões. E a execução do velho é adaptação de Catelyn III. No livro, no entanto, Robb o mata com um machado, e é preciso dar vários golpes para que a cabeça se separe do corpo. Tenso. Tenso das duas maneiras, Robb ficou transtornado ali na chuva, foi bem legal. Robb pode estar esquisito na TV, do jeito que a gente não imaginou. Mas ainda é legal lembrar que há uma grande diferença entre ele e Joffrey, entre ele e Stannis. Ainda continuo achando que Robb seria o rei mais legal. É quem eu seguiria.

Ok, só mais uma coisa sobre isso: Talisa não sabe onde fica Winterfell.Vamos mudar de assunto, né?

Isso foi MUITO sinistro. Conhecemos Selyse, personagem que deveria estar conosco desde a segunda temporada durante a cena da morte do meistre Cressen. Mas aí está. Uma mulher muito estranha que guarda seus fetos em jarros, devota do Senhor da Luz e do rei. Há algo de muito semelhante entre as personagens dela e de Lysa Arryn na série, especificamente. Duas mulheres caricatas e pontuais, com problemas para conceber filhos e muito aterrorizantes. A maneira como a Selyse coloca a mão tão perto do fogo com devoção, com ardor mesmo… Uma fé cega e assustadora, onde ela ora e torce por alguém que ela pensa ser dela, mas não é.

Quando ela fala que Melisandre tem um filho de Stannis, ela fala da sombra. Mas a sombra… ainda vive? Isso faz sentido? A sombra é um filho de fato? Porque olha só, a música que Shireen canta no episódio, grande homenagem as profecias do Patchface, fala justamente sobre a presença da sombra. A letra é clara: “As sombras vêm ficar”.

It’s always summer under the sea (Perdição de Valyria?) I know, I know, oh oh
aye The birds have scales (dragões) and the fish take wing (Lysa?) I
know, I know, oh oh aye The rain is dry and the snow falls up
I know, I know, oh oh aye The stones crack open
(dragões), the water burned (Blackwater) The shadows come
to dance, my lord The shadows come to play The shadows come to dance, my
lord The shadows come to stay, (sombras da Melisandre).

Tipo. O Deus Vermelho está presente através de duas mulheres super devotas que acreditam que Stannis é o campeão, Azor Ahai renascido. Só que Stannis não está nem aí pra esse Deus, nem aí pra ninguém. Não ama a filha, não ama a mulher, não ama os homens, nem seu Cavaleiro das Cebolas. E mesmo assim, todo mundo o ama.

Bem, eu achei estranho eles não terem citado o escamagris, apenas mostrado. E nossa, ficou muito bom. A Kerry Ingram é ótima, Stannis interagindo com ela e com Selyse de maneira desengonçada e despreparada foi realmente bom. Colocar a filha de Stannis e o Cara Malhada em um personagem só pode ser algo bastante inteligente.

Mais tarde vemos a cena em que a menina Baratheon começa a ensinar Davos a ler, ofício que é de um meistre no livro. MUITO mais legal com ela, a garota é espetacular. Sabe gente, o núcleo de Pedra do Dragão é bastante desconectado de toda a história. Assim como a Irmandade e Arya. Esses personagens desses núcleos são muito bons, mas vão fazer cada vez menos sentido no todo. E aí a gente entende melhor a complexidade da escalação do elenco, o fato de que muitos ficam de fora. Lysa e Robyn Arryn que estão há duas temporadas sem darem as caras… quanto mais eu assisto a série mais tenho certeza de que essa é uma experiência pra quem leu os livros, não importa o que os produtores achem. Você que está lendo esse texto e nunca pegou um livro do R. R. Martin pra ler: você não sabe como a série é muito mais significativa, outra experiência. Não estou nem entrando no mérito de se a pessoa está entendendo ou não ou que está acontecendo. Mas é a experiência mesmo, a expectativa, as cenas que emocionam. Porque elas emocionam muito mais quem já as leu. E é dizendo isso que vou para a cena da banheira.

Eu amo tanto tudo sobre essa cena que nem sei o que dizer. Vou tentar, vamos lá. Primeiro de tudo: dois personagens como Jaime e Brienne nus em uma banheira quente, em Harrenhal, dividindo segredos. O que poderíamos esperar disso? Começo dizendo que a aflição do braço de Jaime mergulhar na água me deixou sem ar. E então Jaime dá uma de babaca e, para revidar, Brienne levanta e o obriga a encarar seu corpo nu. Hahahaha, isso não faz o menor sentido, e diz muito sobre os dois, sobre essa relação tão esquisita. Vale lembra que Brienne dos livros fisicamente é descrita como uma vassoura virada do avesso, ou, a mulher mais feia de todos os tempos. Ok. O olhar de Jaime quando tenta se desculpar com ela, a essa altura, já é uma mistura de delírio febril, de culpa por ser quem é, de não aguentar mais ter que viver na própria pele, do desprezo ao Regicida que fizeram dele. E então ele começa a contar.

Melhor atuação de Nicolaj está aqui, adaptação de Jaime V. O horror que ele presenciou em Porto Real nos momentos finais de Aerys, a culpa da decisão, a dor, a saudade de casa, a febre… a humilhação que passou nos últimos dias. Acho que no momento em que ele desmaiou todo mundo levantou do sofá pra tentar ajudar também. Foi incrível, pessoal (CLAP, CLAP, CLAP, CLAP).

E então temos Dany chegando a Yunkai. Finalmente podemos ver Marrocos
apropriadamente, paisagem bem bíblica, e Verme Cinzento! De um lado Dany
tenta mudar o que não se muda. Do outro, Jorah e sor Vovô se comportam
como crianças. Jorah está deixando claro a cada dia o quanto ele é carente do amor da Dany, e o personagem da TV é tão bom que vai ser bem triste quando Dany expulsá-lo de sua guarda. Barristan no entanto mostra que é mais centrado e, mesmo velho, mais certo para Dany, para protegê-la e aconselhá-la. Porque ele não a deseja, e pode ser o pai que ela nunca teve.

Vem cá Loras, onde está seu luto pelo rei Renly? Onde está toda a sabedoria ninja que sua vó te ensinou? Regra nº1: não confie em nenhum empregado bonito e bem vestido que te aborde no jardim. Ainda mais se o nome dele for Oliver. Mas é claro que o Cavaleiro das Flores quis dar uns pegas. É claro. E, excluindo o fato de que entre tantas nádegas do episódio essa foi apenas mais uma, Loras não é tão superficial assim. Mas temos que nos lembrar que ele ainda não é um integrante da Guarda Real, o que faz com que, no final das contas, ele esteja sendo um desperdício. Espero que quando Jaime voltar ele conserte isso. Mas eu gosto de cenas assim, porque elas despertam o pior do que há nas pessoas. E estou falando de vocês, espectadores Joffreys. “Gay é nojento” não é argumento.

Sansa sendo negociada como um animal de montaria, Mindinho dando um “tchau suspeito”, Tyrion “aceitando” o casamento quando poderia simplesmente dizer não. Porque ele poderia, certo? Ele perderia provavelmente o direito de se sentar a mesa e provavelmente o direito de dormir em uma cama macia em Porto Real. Mas ele poderia ir embora, com Shae. Não, ele ficou. Então tá.

O olho da Lena e o bico do Peter resumem a série inteira

A cena final do episódio é adaptação de Tyrion III, com algumas mudanças bem significativas. No final da conversa com Cersei, nos livros a rainha sai dos aposentos do pai indignada se recusando a aceitar aquilo. Na série ela se rebela, mas se cala no final. Além disso, não é Loras seu pretendente, mas sim seu irmão mais velho Willas Tyrell.

A inteligência e estratégia de Tywin são a sua perdição. Se por um lado é óbvio que Robb está sendo infantil em sua maneira Stark de ser, do outro Tywin também está. Dá pra ver que ele está procurando o fim também, de sua maneira Lannister e inconscientemente. Um fim muito mais cruel, vindo de dentro de sua casa. Mas antes de ir, porque não maltratar só mais um pouquinho sua cria de leões?

[PODCAST] Não esqueça de enviar o áudio de suas impressões do episódio para participar do Masmorra Cast no final da temporada. Vale lembrar que você só pode
mandar um áudio durante toda a temporada, então, se você curtiu bastante
esse episódio, corre lá.

——————————————————————————————————————
Em todas as minhas resenhas sempre garimpo imagens e gifs do Tumblr pra ilustrar o texto. Aqui você encontrou imagens retiradas de sites como o capsofthrones. O trabalho desses tumblrs na criação e tratamento dessas imagens é muito bacana, bem feito, completo e especial. Não deixe de acompanhá-los.

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados

  • Victória

    CLAP, CLAP, CLAP, CLAP #2

  • Bruna C

    Se eu já tinha me emocionado com a cena do Jaime e da Brienne na série, ler sobre isso na sua resenha fez meus olhos se encherem de lágrimas. Essa cena é um exemplo de que uma simples conversa pode ser melhor do que lutas de espada. Muito, muito bonito, Nicolaj é um Jaime impecável.

  • Guest

    Desculpe, eu sou um espectador Joffrey!

  • Leonardo Capeletti

    Gostei muito do episódio. Achei-o muito fiel e real. Ressalto as cenas de Arya e a de Jaime. Os atores que deram vida a essas personagens fizeram um trabalho incrível. O olhar de ódio de Arya e, posteriormente, sua fraqueza são fascinantes. O mesmo se pode dizer do relato de Jaime. Estou achando essa temporada primorosa no que ela se propõe a fazer. Concordo ao que concerne na diversificada visão que se tem quando se lê os livros. Game of Thrones não é entretenimento barato. GoT é, para mim, a representação audiovisual daquilo que tão bem imaginamos nos livros. Eu não me importo com mudanças, não me importo se a série será incrivelmente fiel aos livros, porque os livros são bons o suficiente para me deixarem alegre demais. A série vem para somar, nunca subtrair.

  • Messinho’

    No Way! Primeiro a comentar! õõõõ

    Chega a dar gosto de ver o cuidado que vocês possuem com relação aos seus leitores. Eu já tinha lido sobre o Cara-Malhada, mas foi tão significativo ele estar aí na review, pois mostra a característica minimalista da análise, provando de certa maneira que se ela não for agradável, não o será por falta de conteúdo.

    Dito isto, com certeza não foi desagradável, foi no mesmo nível do episódio, que foi fantástico, e conseguiu manter a qualidade do anterior, que já é considerado um dos melhores de toda a série. As partes que não foram ruins, mas poderiam ter sido melhores, tem o destaque a cena de Jon e Ygritte, tão avulsa que deu pena dos não-leitores. Apesar do cuidado somente desta cena, ela ficou deslocada, tanto que o episódio levava seu nome mas a cena não o representou.

    Contudo, o restante do episódio foi de uma qualidade textual e visual quase comparáveis ao episódio anterior, fazendo assim este um dos melhores dda série também, na minha humilde opinião. É isso. Continuem o trabalho de vocês no site, nós fãs só temos de agradecer!

    See Ya! 😀

  • max

    A cena de Jaime e Brienne é obra de arte.

  • Celso Velasquez

    Eu também. Ninguém é obrigado a gostar de sexo gay.

  • M_Tulio

    Excelente review como sempre!

    Esse gif da Cersei e Tyrion é ótimo. hahahaha

    Episódio fenomenal!

  • Calvin

    Tenho que perguntar: Será que algum dia saberão a verdade sobre a morte de Aerys?

  • Marcos

    Quem não sentiu saudades de Loras e suas safadezas? É uma delicia aquilo tudo KKK

  • Fernando Nito

    Só eu achei que quando o Gendry fala “my lady” também teve o significado de ser uma espécie de cantada sem-vergonha na Arya?

    Pelo rosto dela, deu aquela quebra, ela estava put@ da vida por ele também largá-la mas ao ouvir essa cantada que não a esperava, a deixou sem jeito.

    Claro, além de também significar que ele também seria só mais um trabalhador para ela, conforme o texto disse.

    Uma cantada ambígua. Gendry, O Galanteador.

  • Roberto Aprigio Gonçalves dos

    Aquela cena da Arya pergutando se Thoros poderia reviver seu pai foi emocionante. É nessas horas que fico pensando : – Nossa o Ned Stark perdeu seu irmão mais velho e seu pai torturados e mortos pelo o Rei Louco, ainda assim assumiu a responsabilidade de ser o senhor de Winterfell. Levantou a cabeça e partiu para guerra junto com Robert e Arryn. Salvou Robert na batalha dos 9 sinos, esteve presente na tomada de Porto Real, salvou Stannis no cerco de Ponta de Tempestade, resgatou sua irmã capturada ( que veio a falecer) derrotando o maior cavaleiro do universo Martin ( Arthur Dayne da guarda real), ajudou Robert a acabar com o fim da revolta em Pyke e quando acabou tudo, rejeitou o reinado e pôs Robert no trono.

    O que Ned ( Pra mim um herói) quis foi cuidar do Norte e gastar seus dias com sua família, filhos e esposa. Ele construiu os valores e moral dos Starks como conhecemos e admiramos.

    Ai depois de 14 anos ele é obrigado a voltar para Porto Real para tentar conter uma rebelião silenciosa, traições e acaba morrendo como um “traidor” ( É triste ver o fim de Ned e lembrar disso) Agora vejo o casamento vermelho se aproximando e a ruína dos Starks também.

    Será que haverá alguma chance para os honrosos e honestos na saga? Ao invés da sagacidade e astucia daqueles que sabem jogar o jogo do tronos ? Será que a justiça e a verdade não vão prevalecer? Não precisa nem dizer que Casa eu admiro..kkkk mas ( Mesmo não sabendo o caso de Jon nos proximos livros) eu ainda acredito numa redenção Stark. 🙂

  • Greystark

    Legal o texto mas tenho outras opiniões…
    Acho que o Tyrion nao poderia ter recusado o casamento com a Sansa… Tywin deixou claro que eram ordens.
    E é fácil dizer que Robb só toma decisões erradas (até um não-leitor pode dizer isso). Mas as decisões de Tywin são mais calculadas e pra quem só assiste a série é impossível prever que ele está cavando sua própria sepultura.

  • Eduardo Barbosa Barros

    Parabéns, novamente, pela execelente análise Ana! Esse episódio foi lindo! LINDO!

  • HU3zileiro

    Não dá para apenas ver a série sem ler os livros? Parece que a cada 5 segundos da série, tem que comparar com 20 páginas dos livros.
    Acho estranho isso, não leio livros de histórias.

    @EPISÓDIO: foi bem bom.

  • Guest

    Resumo do episódio: Dat Ass!

  • Enrustido detected!

  • lidianycs

    Se vc não lê os livros pode ler a resenha sem spoilers. 😉

  • HU3zileiro

    Não foi isso que eu quis dizer.
    E eu gosto de spoilers, não me importo com eles, nem de lê-los.

  • RenanRCV

    Primeira opnião que vejo dizendo que foi uma escolha acertada juntarem o Cara-Malhada na personagem da Shireen =]. Alguém pode me lembrar qual a importancia dele nos livros?

    Obs: Só faltou o Sandor chorando por causa do fogo

  • Diego

    As resenhas da Ana são tão perfeitas que quando acaba você fica querendo mais, excelente trabalho! Gostei muito e concordo com tudo que foi dito.

  • Cássia Bezerra Santos

    Se vc não lê os livros esta perdendo uma ótima oportunidade, por mais que a serie seja boa os livros são melhores.

  • Calvin

    Esqueceu que ele é filho do Robert.

  • Cássia Bezerra Santos

    Como sempre uma ótima resenha! ^^

    E antes que me esqueça: senhor Nicolaj, vc é foda!! rs

    Que atuação perfeita! Cheia de angustia e humilhação… é justamente nessa parte do livro que os leitores começam a se afeiçoar um pouco com o Jaime e essa cena conseguiu me cativar do mesmo jeito! Esse cara é perfeito para o papel!

    Em contrapartida acho o ator que interpreta o Jon tão… sei la… sem graça!

    Não sei se é pq os diretores estão pecando nas cenas ”Pra lá da Muralha”, não dando o enfoque correto ou se é o ator mesmo. Acho o Jon dos livros um personagem tão profundo e cheio de caráter, não sinto o mesmo com esse Kit.

    Com tamanha audiência acho que a HBO fará o possível para fazer todas as temporadas referentes aos livros lançados, isso é bom pq força o nosso querido Martim a ir mais rápido com os Ventos do Inverno.

    Acabei Dança dos Dragões ontem e estou tao deprimida!!! uahuahuuha

  • Well done, m’lady. Mais uma vez uma ótima resenha!

  • A proposta dessa resenha é justamente comparar a série com os livros. Comparar, apenas no sentido de analisar, e não querendo falar mal da adaptação.

  • The revenge you want will be yours in time.

    Eu acho que Ninguém vai vingar a Casa Stark. E Arya é Ninguém.

  • Diogo Nogue

    Estão bem legais as resenhas Ana, gostei muito da anterior e está
    parabéns.

  • Como sempre, em primeiro lugar, parabéns pela resenha. Quero ressaltar um ponto que gostei muito, a respeito da despedida de Arya e Gendry, pq vi um monte de gente dizendo como ficou tocado quando ele disse que ela seria sua “milade” e um monte de gente ficou torcendo por um romance. Gente, tbm não vi relação de romance ali. Na verdade não consigo pensar em relações de romance no universo do Martin. Pq elas podem até surgir, mas não duram na história. Geralmente as pessoas que se envolvem morrem, traem ou seja lá o que for (Ned e Catelyn; Robb e Jenny; Tyrion e Shae; Cersei e Jaimes, Daenerys e Drogo, Loras e Renly, Jon e Ygritte, “Rhaegar e Lyanna”, entre outros) pq existe outras coisas muito mais importantes. Talvez em outros livros, de outros autores, dá pra torcer por um romance, mas em ASOIAF eu realmente não vejo sentido. Não quero dizer que lá não existe amor de verdade, algumas guerras até começaram por romances, mas quero dizer que eles tendem a não durar. Falo isso pq tbm vi algumas pessoas falando sobre quererem que Jaime e Brienne ficassem juntos. Eu amo as duas personagens e acho que os atores tem uma das químicas mais incríveis que já vi, mas acho que a história pode ser tão mais rica do que o clichê: eles se odiavam e no final se apaixonaram.
    No mais eu adorei o episódio, achei muito fiel ao livro e acho que é uma unanimidade achar que o núcleo pra lá da muralha está apagadinho. Não me assustou o fato do envolvimento de Jon e Ygritte ser rápido demais, mas como na série não dá tempo de desenvolver isso, a relação dele com os outros selvagens tbm ficou meio jogada, tipo quando Tormund fala pra ele: “eu gosto de você garoto, mas se mentir pra mim blá blá blá…” dá pra ficar pensando ok, pq ele gosta dele? de onde saiu isso? Amo o Tormund dos livros e acho que ao menos a relação dos dois podia ter sido mais desenvolvida já que eles têm mais histórias até a Dança ao menos.

  • Guilherme Tarifa

    Maravilhosas as resenhas, como sempre.
    Só não concordo com ter falado que a Talisa não sabe aonde fica Winterfell. Nos livos os Westerling são de Westeros, e não sei até hoje porque sete infernos a HBO criou uma Talisa, vindo de Volantis (aluém me explica?)
    Mas, se nos basarmos só na série, é coerente ela não saber aonde fica Winterfell 🙂

  • Walisson Trajano

    Ótima resenha mais uma vez! o que eu apenas vou comentar dessa vez é: podemos esquecer o fato do Loras se tornar membro da Guarda Real se a pretensão do Tywin de casar ele com a Cersei continuar…

  • Frase final perfeita.

  • Calvin

    Acredito que no final todos os filhos de Ned irão compartilhar a vingança.

  • Foi vinculado que o diretor pediu para ambos atores dar um toque de ambiguidade nesta troca de confissoes para demonstrar tanto a cumplicidade que eles tem como algo mais nesta despedida

  • Calvin

    De fato o desenvolvimento do núcleo além-da-muralha está deixando a desejar, no entanto acredito que se trata de algo proposital (pelo menos em parte); infelizmente no momento o foco da história não é Jon e os selvagens, mas sim ainda as intrigas políticas de Porto Real (e os outros núcleos relacionados), e não podemos esquecer que o tempo de tela é curto, portanto acaba-se sendo preciso fazer escolhas. Realmente é uma pena mas no momento a prioridade é o sul, pelo menos no momento.

  • Vitor Hugo Thimoteo Ramos

    Não dá pra comentar esse episódio sem cair no lugar comum de citar a cena do Jaime na banheira. Foi uma atuação primorosa, no nível do discurso do Tyrion em Blackwater ou da Daenerys libertando os escravos, mas ainda assim com uma pegada completamente diferente. O sentimento (ou sentimentos, foram tantos) que o Nicolaj colocou naquele relato, misturado com a febre, o delírio… era o Jaime ali naquela banheira! Não um ator interpretando, era o próprio Regicida contando a história da sua vida ali!
    Fora isso, como destaques positivos temos: a Shireen entra pra minha galeria de personagens que se tornaram muito mais interessantes na série do que nos livros; a batalha do Cão com Lorde Beric foi a melhor luta da série até aqui, na minha opinião; o Qyburn ficou perfeito e o Roose Bolton, embora diferente dos livros ficou interessante pra mim também. Nos livros ele parece não ter sentimentos, aqui o olhar dele me pareceu o de um psicopata (vide a imagem na resenha), alguém que se os tem, simplesmente não parece entender o valor deles.
    De negativo, como leitor eu tenho que citar duas frustrações: Primeiro, e acho que também é lugar comum, é uma pena o que fizeram com o Jon na série. Nos livros ele é meu personagem preferido, uma mistura perfeita de Ned Stark com selvagem, mas na série eu não consigo ver isso. Não conheço outros trabalhos do Kit Harrington, mas na série ele me parece tão inexpressivo que eu acho que ele deveria assistir diariamente a cena do Nicolaj na banheira pra se inspirar. Segundo ponto negativo seria a cena do Loras. Eu sei que tudo que se fale de ruim de uma cena que envolve sexo gay soa homofóbico hoje em dia, mas meu problema não é com a cena em si, mas com o que ela fez com o personagem. Tirou completamente a profundidade dele, o luto pelo rei que ele amava mais do que todos os outros personagens. Entendo a necessidade de mudanças na série, mas podiam ter achado outra solução nesse caso, pra mim, pelo bem do personagem. Enfim, apesar disso, excelente episódio novamente. Acho que essa tá caminhando pra ser a melhor temporada de todas, como era esperado.

  • Paloma R F

    Concordo com tudo, menos com a sua análise do diálogo entre Arya e Gendry, para mim eles estava referindo a ela como esposa quando disse que ela seria a Lady dele.

  • o próprio roteirista confirmou a Entertainment Weekly que Gendry quis dizer que ele seria seu empregado e nada mais do que isso. 🙂

  • mas o Tywin não vai mandar em mais nada em pouco tempo.

  • ela é truqueira e muito educada e letrada pra uma volantina que veio do nada.

  • Eu esperava um Roose Bolton bem mais voltado ao livro, nao seria dificil achar alguem com aquela aparência, estilo ”Dracula”.

  • Paloma R F

    Entendi, não sabia disso! MAs bem que podia ser!

  • não que a importância seja muito relevante, mas a parte profética é um ótimo recurso, sabe?

  • Valdir

    Eu só espero que não matem o Thormund na série. Gosto das participações dele em Dança, se ele morrer isso será apagado ou substituído por outro personagem.

  • Jamile Marcellino

    Isso da Cersei é a mesma substituição da Sansa. O Willas Tyrell. Daí o cavaleiro das flores cumpre esse papel. Só não gostei muito dessa conversa “aberta” do mindinho e da Sansa, pq afinal de contas no livro não saber disso tão abertamente é muito legal.

    E parabéns pelo lindo post, foi um capitulo muito emocionante mesmo.

  • Jamile Marcellino

    Putz, eu acho exatamente o mesmo. o Ned é muito foda. Mas eu confio muito na Arya Bran e Jon Snow. Tem uma pulguinha na minha orelha me dizendo que o Bran vai conseguir “pular” pra dentro dos dragões. Ai ferroyu né? Queria acreditar também que o Jon e a Daenerys vão ficar juntos – mas se o Bran tomasse o corpo dos dragoes dela seria dificil ne? ahhahaha – e a Arya? Acho que a Arya quando voltar – se voltar – de Bravos não vai querer mais vingança, talvez. Vai ter perdido tudo, até sua propria identidade.

  • Mas ela não veio do nada; na cena em que ela conta ao Robb pq saiu de Volantis e foi para Westeros fica claro que sua família é rica e culta, o que explica sua educação.

  • Bela crítica. Adorei!

  • Carol S.Almeida

    Ótima resenha! Também não sei pra onde o Jon do seriado está indo…Durante a conversa entre a Cercei e o Mindinho ela menciona ele ter falhado em encontrar Arya Stark, tomara que isso seja um indício do núcleo da Jeyne Poole!

  • Victor Carvalho

    Acho que a única coisa que posso falar sobre esse episódio é obrigado aos roteiristas, diretores, produtores, atores, etc pela cena do Jaime. Não dá pra descrever essa cena, acho que só quem leu os livros entende o quanto essa cena é emocionante e importante pro personagem em si e pra relação dele com a Brienne. E foi a cena mais bem adaptada do livro pra série até agora dessa temporada, simplesmente perfeita.

  • Eu conversei com algumas pessoas que não leram os livros e elas tb estranharam a cena do Jon com a Ygritte. A série não deu tempo pra eles se familiarizarem, gostarem mesmo um do outro. Sim, Loras tá mais burro na série. No livro, percebemos o quão mal ele está com a morte do Renly e logo depois ele entra pra guarda, e se ele fez uma putariazinha aleatória (o que nunca saberemos) não invalida o sentimento de perda. Mas a cena dele com o moço bonito foi válida pra mostrar como certos passarinhos e Mindinhos funcionam em King’s Landing. E também GoT mostrou ser democrático ao mostrar tanto sexo heterossexual qto homossexual, quem reclamou do último, vai catar coquinho 😛
    No mais eu concordo com todo o texto, ótima análise, as usual! 🙂

  • essa história está muito mal explicada, Cíntia. Se a família dela é rica e culta, como ela nunca viu um mapa antes?

  • Milena

    Não gostar ao ponto de só reclamar disso?

    Personagens gays na série são tão poucos, e representam uma mísera parte das cenas de sexo no geral. Mas tem gente que prefere reclamar disso do que da quantidade abusiva de cenas de sexo que ocorreu na temporada passada, que foi distribuída de forma gratuita.

    E além do mais, tais cenas são a maneira mais fácil de mostrar a sexualidade do personagem e como isso influência a história, já que mesmo em reinos fictícios (por mais que seja inspirado na Idade Média) homossexualismo não é lá muito bem aceito.

  • disqus_Nq5swsGeDI

    Pra que ela vai ver um mapa de Westeros em Volantis? Aposto que o único de Winterfell que talvez soubesse onde exatamente fica Volantis num mapa seria o Luwin. Se ela tivesse um mapa de Westeros lá, certeza que mostraria só a capital.

  • MoisesSPFC

    ae pessoal to lendo o segundo livro e ancioso pelos futuros livros mas como sou ancioso quero saber sobre o futuro do Jame,alguem pode falar?

  • diegomarcelini

    Não que seja importante mas seria legal pra caramba!!!! Não só ele abetouro, shagwell,dontos até o guizo pq esse prencoceito com os bobos eles sempre fizeram partes das cortes e pra mim são os mais sinistros do livro….

  • Gianini Mairon

    Só tenho uma coisa a falar desse episódio: “Jaime. Meu nome é Jaime.”

    Simplesmente perfeito!! Algumas pessoas me disseram que esse epi não foi tão bom quanto os outros, mas eu digo que foi melhor. Ver Robb perdendo a guerra passo a passo, Ver o pavor nos olhos do Cão quando a espada começou a pegar fogo. Ver Cersei com um sorrisinho de “Se fodeu” para o Tyrion e depois se fodendo tbm, e ambos sentados pensativos como crianças após uma bronca do pai. E Jaime, ahh, esse eu n tenho sequer comentários de tão perfeitas foram todas as cenas do personagem.

  • Júlio Felipe Hartmann

    Acho que na série os Tyrell vão descobrir o plano de casar Loras com Cersei e vão incentivar ele a se juntar à Guarda Real, pra sabotar o plano.

  • alemigav

    Exatamente, ninguém é obrigado, portanto se não quer ver… simplesmente não veja. 🙂

  • Gianluca Sousa

    A mim esse episódio levou a série pra outro patamar. E acredito que os próximos 5 episódios vão confirmar isso. Go, GoT!

  • Miguel Chame

    Tem tanta gente atualmente que estuda em colegios particulares, é de familia “rica e culta” que se você perguntar onde fica o Sergipe vão ficar malucos. Vão só apontar pro nordeste e falar “por aqui”. Mesma coisa pra galera nos Estados Unidos que aponta a Inglaterra na Oceania e etc…
    Sem contar a galera que acha que a Jamaica fica na África.
    E isso em 2013 com internet, televisão, jornal, revista e tudo o mais.
    Então eu acho que da pra acreditar que ela veio de familia culta e não manja de nada de geografia. Não é muito dificil de acreditar, na verdade.

  • Miguel Chame

    Apenas leia os livros. Se você descobrir tudo assim vai acabar estragando um desenvolvimento sensacional de personagem. Continue lendo e aguente a curiosidade um pouquinho, vale a pena. =D

  • Miguel Chame

    Se matarem o Tormund vai ser o maior erro deles na série toda. E eu acho até que paro de ver a série. Tormund é importante DEMAIS pra criar essa ligação do Jon com os selvagens além da Ygritte. Se ele morrer assim na série, vai ser incrivelmente escroto.

  • Saulo Guilherme

    kkkkk’ a careta da Cersei é até mais engraçada que a da Cat na segunda temporada…

  • Laís Batista

    Continuo a achar que a cena de Jon e Ygritte não foi boa porque os atores não tem química… Não dá cara, de onde saiu aquela intimidade?!
    Quanto a parte da Arya, meu raciocínio diz que Gendry falou no sentido de ser o servo dela, mas meu coração diz que foi NAQUELE sentido… (Eles são perfeitos) *-*
    Condordo com você Ana, a cena de Jaime X Brinne foi PERFEITA. Eles conseguiram juntar 2 cenas do livro numa só, contar a história, e interpretar de uma forma perfeita!!!. Amei
    Pra finalizar, acho que o núcleo Lannister o mais engraçado da série. Primeiro porque tem 3 atores feras, que interpretam como ninguém seus personagens. O Tywin com aquela cara (odeio todo mundo), Cersei (sou loira, mas sou inteligente) e Tyrion, bem o Tyrion é o Tyrion né?! Cena foi ótima!!! Adaptação da Cersei casar com o Loras, faltei me acabar de rir…
    Valeu a resenha, muito gostosa de ler. Parabéns

  • Roberto Aprigio Gonçalves dos

    Espero sim o Starks retomando o Norte e quem sabe os tomando os 7 reinos ( Se Jon casar com Daenerys :).

  • Roberto Aprigio Gonçalves dos

    Bora Martin, termina Ventos do Inverno… hehe 🙂

  • Laís Batista

    Esse episódio foi bom pra quem leu os livros. Porque os produtores realmente deram um show de adaptação…

  • Laís Batista

    Ainda hoje me pergunto o que diabos o Robb viu naquela mulher???
    (Também não sei qual a pretensão da HBO em criar ela. A Jeyne dos livros tava pôdi???)

  • Laís Batista

    Cara, eu sou uma leitora compulsiva, então meu comentário é suspeito. Mas ler os livros me fez ver a história com outros olhos, além de ser mais emocionante (algumas cenas), como também aprendi o nome dos 3575986 mil personagens que tem na série… Como eu sempre digo: Leia os livros, você não vai se arrepender!

  • Laís Batista

    Arya tem que vingar todo mundo! (I believe her)

  • Laís Batista

    Num futuro ainda iremos lembrar dessa frase e falar… EU SABIA QUE ERA UMA CANTADA! kkkkkkkkkkkk
    Torço muito pelos dois *-*

  • Laís Batista

    Sexo Hetero, Sexo Gay, Nudez, Incesto… Game of thrones está aqui pra quebrar paradigmas e ser beeem realista (e a realidade é que no mundo sempre existiu gays).

  • Gustavo Costa

    A série ta maravilhosa, mas me irritou esse plano péssimo do Robb de pedir ajuda dos Frey para tomar Rochedo Casterly, n faz nenhum sentido Rochedo Casterly é muito forte. A explicação do livro foi bem mais plausível ao meu ver ( o plano de retomar o norte) poderiam ter usado na série também!
    Mas fora isso a série ta demais hahahaha

  • Richardsound

    Tem uma cena que eu gostaria de ressaltar:
    A cena de Stannis junto à esposa serviu para trazer de volta um pouco
    da essência do personagem, que – nós sabemos – havia “saído
    dos eixos”. Talvez uma “correção de rumo”. Achei que o tão “justo,
    honrado e correto” Stannis (como Davos não se cansa de repetir) foi
    redimido pela aquiescência total da esposa lunática e fanática religiosa
    sobre seus atos libidinosos junto à sacerdotisa vermelha.

    Acho q o episódio, no geral, trouxe várias correções de rumo: a inimizade entre os conselheiros de Daenerys, Jaime (cena FODA), Stannis, oração de Arya (há quanto tempo ela num reza?), Shileen e Selyse… a menção de Ned Stark 2 vezes…

    Ah! Já ia esquecendo: PEIXE-NEGRO!!!!! Badass!!!!!! huauhauhauh

  • Marquinhos XD

    O Loras já ficou muito tempo sozinho. Acho que tava na hora de ele procurar alguém que curtisse o mesmo que ele. Uma pena que foi uma cilada.

  • MarcosFeittosa

    Esse episódio Gendry e Arya pra mim é bastante relativo. Na minha humilde opinião, os produtores da série podiam facilmente usar de artimanhas e utilizar o “My lady” justamente no sentido de gerar essa controvérsia. Eu particularmente acho que nas condições atuais esse seria um romance impossível de acontecer, mas quem sabe num futuro remoto?! E de qualquer forma, mesmo que não aconteça, qual o problema de manter uma chamazinha de esperança? Não que eu curta romance nem nada, mas num aspecto geral, ele foi o único garoto que teve uma relação mais íntima com a Arya. E convenhamos, uma das últimas coisas que a Arya queria era ser uma “LADY”.

  • João Victor Paz

    Episódio muito bem escrito, vamos começar com a Arya, apesar da luta entre o Cão e Lorde Berion ter sido ótima, gostei muito da vitalidade e energia dela, ela foi a personagem mais corajosa da cena, sua fúria vendo que alguém que ela rezava para morrer conseguir sair de um duelo com vida foi muito real. Entre ela e Gendry há uma bela parceria, são irmão. A pergunta dela para Thoros sobre ressuscitar Ned foi emocionante, lembrar de Ned sempre dá uma sensação de nostalgia. O núcleo para-lá-da-muralha continua “sem sal” eu acreditava que começaria a ficar mais emocionante já que o João das Neves iria c… a Ygritte, aquela cena foi jogada, tipo, eles precisam transar antes de escalarem a muralha, enfim, vou ficar esperando algo mais emocionante no próximo episódio. Está na cara que Robb vi morrer, todo mundo já fazendo plano pós morte, ele é muito esperto para a idade que possui, mas como todo Stark muito honrado para saber jogar o jogo dos tronos, no livro Cat desconfia dos Freys, tanto que sempre pede para Robb que assim que chegasse nas Gêmeas ele primeiramente coma do pão e beba do vinho deles, ela só não imaginava que os Freys não têm honra. Gosto do Lorde Bolton e do Qyburn do seriado, quanto ao Jaime e à Brienne, sem comentário todo mundo já falou o que eu penso… Loras safadeenho, vejo que as mulheres Tyrell são superiores aos homens da família, Olenna você é uma exxpertinha, deixou o Tyrion fodão no chinelo, na cena. Tywin está cavando a própria cova também, despertando o próprio ódio de seus filhos, e sabemos como isso acaba.

    Pessoal achei que vocês deixaram um pouco de lado a cena do Stannis, aquela mulher dele é muito fanática! que bacana/estranha aquela cena, aqueles bebês conservados como se fossem azeitonas, (tsc tsc) descordo da análise no ponto em que fala que Stannis não liga para Shireen, (se eu estiver enganado podem me corrigir) se ele não se importasse nem se daria ao trabalho de vê-la, bastaria falar com a mãe dela e perguntar sobre a filha, a cena em que o Stannis vê a filha nota-se que existe amor e até cumplicidade, já que ela conta seus “segredinhos” para ele, além da liberdade que ela têm falando sobre suas amizades. A atriz que interpreta a Shireen é excelente, pois ao mesmo tempo que é doce consegue se tornar macabra, com aquelas músicas do Cara Malhada, a série deu grande espaço para a personagem e acho que ela vai preenche-lo muito bem.

    P.S: Não vi ninguém comentando o cabelo louro de Shireen BARATHEON, logo BARATHEON! Aquilo me incomodou, pois teorias vão começar a se formar na minha pequena mente.

  • Tesla

    Mas que porra que eu sempre sinto um nó no estômago com essas profecias do Patchface. Na verdade, qualquer profecia me deixa com uma sensação ruim.

  • Ressaltou muitos pontos importantes, mas dessa vez a análise sem spoilers foi melhor. Tocou em uma análise intrínseca abordando melhor o episódio.

    Eu sei que é complicado mas é difícil mesmo as pessoas separarem a narrativa dos livros em relação a série. Ainda bem que GoT não virou filme mesmo, se não o choro seria ouvido dos selvagens a Dorne. kkkkkkkkk

    As críticas são totalmente aceitáveis, os fans tem que se pronunciarem sobre o que desejarem, mas ao meu ver, dentro do humanamente possível, pela própria história ou orçamento, a HBO está fazendo com maestria.

  • Thiago

    Episódio com muitos diálogos bons dos livros e finalmente veio o encaixe do qyburn cuidando do Jaime, além da morte do Karstark que foi uma ótima cena. Cena do Jaime falando sobre o rei foi a mais foda. Foi o episódio com menos “ação” da terceira temporada, mais com as melhores adaptações e diálogos, na minha opinião.

  • MxArsenal

    Ola

    Eu não li os livros, mas fiquei curioso com esse ep. 5…

    O fogo seguindo o Robb, depois que ele decaptou o karstark, tem algo a ver com aquele deus ou senhor da luz e do fogo?

    Espero q alguem com mais conhecimento q eu sobre a historia possa me exclarecer essa duvida ^^

    Edit: e a musica que a menina cantava… o que quer dizer? é algo importante?

    Obrigado e boa noite a todos!

  • Lucas Campello

    Não sei se já falaram, mas se não falaram, falarei eu: penso que o que vai acontecer no caso do Loras é a Cersei usando a pouca influência que ainda tem no Joffrey para fazer com que ele coloque o Loras na Guarda Real. O que é algo bem plausível e nada difícil.

    Quanto ao resto da análise, faço a observação sobre o núcleo de além da muralha: acho que está muito corrido, mais corrido que os outros núcleos. Se o Tormund teve 3 falas desde o início da temporada foi muito. Acho que poderiam levar com mais calma a história desse núcleo e todos sairíamos felizes, menos os atores que teriam que aguentar mais tempo frio por lá…rs

    Mas enfim, de resto é tudo isso que você falou mesmo, parabéns pela resenha.

  • Flávio Gama

    Ana, parabéns mais uma vez pela resenha!
    Maisie Williams e Nikolaj mostrando o que é um trabalho de elenco bem feito. Arya sempre foi minha personagem favorita e… que atriz fenomenal!
    Jaime em carne, osso e coto. Melhor cena do episódio!
    Essa metade final de temporada vai ser incrível!

  • FInalmente leio alguem concordando comigo sobre o Jon Snow do seriado. o mais raso e que mais perdeu na adaptação dos personagens centrais na minha opinião. A cena com Ygritte foi boa mas podia e devia ser muito melhor.

    O julgamento do Cao foi muito fiel ao livro, gostei muito mas não tem como, esse episódio é assinado pelo Jaime do Nicolaj. Muio bom saber que um dos personagens que mais cresce na trama desta temporada em diante está tão bem representado.

    Achei esse o melhor episódio da temporada e até do seriado, natural pois A Tormena das Espadas é um livro fantástico.

  • Raffilsk

    Dizem que no universo de George R. R. Martin, não pode se apegar a ninguém, até porque “todos os homens devem morrer”, mas há alguns personagens que tenho certeza que não morrerão. Arya é um deles. 🙂

  • Calvin

    Coisa curiosa que eu reparei agora, Edric Dayne o outro único garoto que é apontado como possível par de Arya foi cortado. Achei que devia citar, afinal pode haver inumeros significados para isso (como também pode não haver significado nenhum)!

  • RenanRCV

    Sobre o fogo, sim e não. Tem algo a ver com o Deus da Luz no futuro, mas nessa cena em específico não aparece nenhum fogo. Acho que foi simbolismo que os produtores colocaram na cena.

    A música no final é do bobo da corte daquela menina nos livros. Ele era um cara normal, se afogou e, depois de ser resgatado, ficou demente (não gosto de usar essa palavra) e só fica cantando essa música (ou trechos dela) quando alguém fala com ele. Algumas horas em que ele canta certos trechos, parecem profecias com o que está acontecendo, mas nada confirmado ainda.

  • cara to rindo muito com o seu comentario,pior q faz sentido rsrsrs

  • Gabriel Augusto

    Achei incrível a mistura de Shireen e Cara Malhada. A criança resultante ficou tão simples, e pura, que fica até desconectada neste universo de intrigas e traições. Acho que por isso ela recebeu um destaque na série.
    A resenha, como sempre, está excelentemente ótima! Seria vergonhoso ler isso e depois não comentar parabenizando a autora, e agradecendo ao site como um todo. Portanto, meus parabéns 😀

  • Gabriel Augusto

    Só me lembrem uma coisa. O Qyburn surgiu daí mesmo? Só consigo me lembrar de seu personagem com a Cersei, no Festim…

  • ANA

    A cor do cabelo dela mudar msm só na mini serie,ela tem traços do pai e da mãe segundo o livro.Acho que essa mudança não influencia em nada não.Foi só pra torna a parte dela ser fofa mais bonitinho.(Em algum lugar ter cabelos loiros é sinônimo de beleza).

  • Rafael

    Se não me engano Robb mata o Karstark com apenas um corte…

    Na série, a morte da Karstark não é uma decisão errada, ele foi obrigado a fazer, um Rei que não segue a lei não é nada, o erro não foi ter condenado sua mãe também, que para ser sincero, uma pessoa que começa uma guerra com Catelyn, solta prisioneiros de guerra, o que ela merece?

    Catelyn nunca deveria prender alguém sem provas, nunca deveria desobedecer seu Rei, mas ela é milady, bem nascida e acha que pode fazer o que ela quiser. Ah! Ela é uma mãe e a mãe dos mortos na guerra? A mãe dos peões, dos fazendeiros puxados para as guerras dos grandes lordes, quem sofre por elas? Essa é a grande questão, a questão que Jon e Dany estão se preparando para responder, o cunho politico da série, leva a uma unica coisa, democracia..

  • Joana D’arc

    Acho q o personagem q mais amadurece em termos de aprendizado é a Arya, pq é óbvio q todos estão evoluindo a seu tempo e devido tantas dificuldades, mas a Arya está passando a todo momento pelo pior sentimento q existe: a perda. E não tem nada q faça um ser crescer mais que a dor. Torço sempre por ela.
    Tbem nao entendo o que acontece com o ator Kit, pois tem em mãos um dos melhores personagens da série e não sabe o que fazer até hoje, por favor, né!!! Precisamos de um pouco mais de atuação…
    Olenna em cena já ganha o episódio, é sempre um prazer vê-la brilhando…
    Só sei q é tao complicado apontar a melhor cena, pq para nós, amantes de GoT é quase impossível escolher…Gosto até das mudanças em relação ao livro, entendo como um presente, um brinde.
    Ótima resenha, como sempre, Ana!!!

  • Eduardo Tenório

    ‘E foi bacana ver como ele fala exatamente como nós brasileiros (“Ígrit” e não “Igrít” como os gringos falam).’

    Eu sempre li “Igrít”. Na verdade, qualquer brasileiro/português falaria “Igrít” e não “Ígrit”, que é a maneira inglesa.

  • Eduardo Tenório

    Na cena de Bolton com Jaime, quando o Regicida cai de joelhos e o nortenho fala “Ser Jaime isn’t well”, ele parece muito com Twyn Lannister. Mostra como ambos os homens são frios e racionais (embora Twyn o seja forçado pela vida, enquanto Bolton é um psicopata mesmo).

  • Sloany Medeiros

    Parabéns Pela Resenha! Gostei da parte q diz “Dany tenta mudar o que não se muda” isso me deixou bastante angustiada no livro e pelo q vejo na série eles vão coloca-la nessa posição bem clara. Daenerys deveria seguir para westeros! Outra coisa q eu concordo é esse uso maldado ao personagem de Loras- afinal ele sente a perda de Renly e é inteligente como a irmã. A cena de Jaime é perfeita! Arya uma das personagens q eu mais gosto só me fez sentir emoção nesse episodio nesta temporada, ansiosa pra vê-la “ao lado” de Cão de Caça e se for como vc está pensando vou chorar mais ainda se Arya assistir realmente ao Casamento Vermelho! Torço pra quando ela voltar de Bravos toda badass se vingue de todos ou da maioria q puder pq vamo combinar perder a familia desse jeito não dá pra perdoar!

  • Marcos

    O pior de tudo é ver gente falando mal dos plots do Jon e do Sam. Dizendo que acha o núcleo para lá da Muralha um porre, a parte mais fraca da série, como se a culpa disso fosse dos personagens e dos atores. Se tivessem lido o livro saberiam que Sam e Jon tem trajetórias maravilhosas em A Tormenta de Espadas. Da mesma forma que irrita alguns comentários que já li sobre a “burrice” da Arya em não ter indicado o nome do Tywin ao Jacquen (não sei se é assim que se escreve). Se lessem os livro saberiam que Arya e Tywin nunca se encontram e que cada um dos nomes que ela escolher está dentro de um contexto que a série não mostra, pois a trajetória da Arya na série até agora é quase um conto de fadas perto do que ela passa nos livros 2 e 3.

  • Marcos

    Arya e Gendry é quase pedofilia.

  • João Victor Paz

    Sim, no livro ela têm os traços da mãe dela, como as orelhas proeminentes, mas na série por exemplo Ned só descobriu que os filhos de Cersei não eram de Robert pela longa genética dos Baratheon de terem cabelos negros, enfim, já começei a pensar em teorias… kkkkk

  • Roberto

    Muito boa a resenha. Achei que esse capítulo foi dedicado às interpretações magistrais dos atores. A cena da banheira e a cena de Danny com os Imaculados foram as que mais me emocionaram. Já li todos os 5 livros e voltei a ler o livro 1 para pegar os detalhes que me escaparam. Não estou gostando da atuação dos atores dos personagens Jhon e Ygretti. Desde o início a Ygretti parecia que só queria traçar o Jhon. Ela não me mostrou o quanto selvagem é. E o Robb – que burro! Está indo para o fim realmente. Ele deveria ter voltado para o Norte. Que burro!

  • Emerson

    Alguém percebeu a Selyse citar o nome Edric Storm como um “experimento” fracassado? Coitado do muleke, nos livros ele teve um fim mais alegre.

  • Pedro Lucas

    No livro a Ygritte também é assim, pelo fato do Jon ter “roubado” ela.

  • MarcosFeittosa

    Por isso que eu falei que acho meio impossível o romance no momento. Mas e quando ela voltar de Braavos?!

  • Rafael Faria

    Faltou a parte mais épica do Jaime narrando o que o Rei Louco disse: “Que ele seja rei de ossos esturricados e carne assada. Que seja rei de cinzas.” E eu acho que inves da Melisandre dar três sanguessugas pro Stannis e pedir três nomes: (Verdadeira Causa Mortis de Joffrey, Balon e Robb), a Selyse vai queimar os três fetos e o Stannis vai dizer os nomes e eles começarão a morrer…

  • Rafael Faria

    Sim, surgiu em Harrenhal, bem nessa parte ^^

  • Rafael Faria

    Como o cara malhada eh o personagem mais sombrio e assustador e TENSO do livro, a Shireen vai ser a personagem mais épica e aterrorizante da série ^^

  • Gabriel Victor

    O Jon não era pra estar tenso nas circunstâncias da série? Afinal, era a primeira vez que ele quebrava os votos dele. Eu gostei da cena, mas acho que eles precisam tomar mais cuidado com esse núcleo, que não está tendo tempo de ser apresentado da maneira correta

  • Pedro Reis Miceli

    Gente vazaram imagens do próximo ep 2×06 – The Climb

    http://imgur.com/a/EbTjD

  • Achernar

    eu não sei como falariam…
    mas quando eu li sempre pronunciava “Ígrit”

  • No livro são necessários vários golpes. A cena que seria Robb matando o Karstark como nos livros foi implementada na série na segunda temporada quando Theon executa Sor Rodrik.

  • Κάδμος Νηρεύς

    Até que enfim alguém fala a real causa da morte dos 03 reis

  • Guilherme Tarifa

    vdd…por ser a neta do Chaplin, eu esperava mais dela, mas essa menina dá sono, rs.

  • Laís Batista

    Como assim ela é neta do Chaplin?! O.o
    Ela tinha obrigação de ser boa… Putz

  • concordo,acabou com a surpresa que ela teve qdo o viu no barco. E uma coisa todos falam de pedofilia entre Arya e Gendry e hound e sansa , mas, gente rola tanta coisa em tanto tempo que qdo se encontrarem e se encontrarem novamente não serão treze, serão vinte no caso das mulheres e trinta a quarenta no caso dos homens, pelo menos nos livros tem aí, diferença de mais ou menos 15 a 20 anos na idade entre eles.Nesse caso, até hj em dia é normal a diferença de idade qto. mais naquela época. No mais adorei tudo e a resenha tbm, parabéns….

  • Breno Machado

    Engraçado que, entre tantos jaimes, briennes, robbs e aryas, foi com Shireen que mais me encantei nesse episódio. Kerry Ingram foi carismática com a personagem na série como nunca a literária foi para mim (talvez pelo fato de que o escamagris nos livros tenha sido tão mais grotesco lendo do que vendo).

  • Jorge Andrade

    Kissed by fire. Beijada pelo fogo… No livro é citado várias vezes que Ygritte é beijada pelo fogo, mas somente quando li nesta página pude interpretar de outra forma… Talvez seja mais um presságio de que Jon Snow realmente seja descendente Targaryen (Filho de Rhaegar Targaryen e Lyanna Stark). Pode ter nada a ver, mas quem sabe o “fire” não seja Jon Snow?

  • Guilherme Araujo

    pena que … ela tem que morrer … segundo Val (a princesa selvagem, a morte cinzenta (Escamagris) dorme, mas depois volta mais forte.

  • Guilherme Araujo

    Eu não vejo a série, só li os livros …. mas no livro é muito interessante ver que, quando Theon sonha com todos os mortos no salão de Winterfell, ele vê Robb e Vento Cinzento entrarem no salão (precedendo a morte de Robb que realmente acontece) …. eu acho que a série vai ser esclarecida somente com os dsonhos das personagens

  • Yuri

    Pois é Eduardo, tive a mesma impressão que você. Sempre falei igríte tb.

  • Breno Machado

    Valar morghulis.

  • Jean Pierre de Oliveira

    Eu também sempre li “Ígrit”