Análise do episódio 3.08: “Second Sons” (com spoilers)

O post a seguir possui spoilers do livro A Tormenta de Espadas que ainda não foram abordados na série de TV. Leia por sua conta. Neste episódio foram adaptados os capítulos  Samwell I e Samwell III, Sansa III, Daenerys IV, Arya IX e Davos IV. Para ler o conteúdo geral desses capítulos, clique aqui.

Game of Thrones grita por uma estrutura de temporada mais sólida. A série precisa ter fortes episódios individuais. O episódio do qual este texto se trata conseguiu nos entregar isso, de uma maneira que apenas “Kissed by Fire” e “And Now… Ended” conseguiram. Que é aquela coisa de que, mesmo inventando cenas novas e estruturando as cenas de maneira não cronológica aos livros, vemos qualidade. A câmeras da Michelle MacLaren estavam realmente generosas, tanto com a belíssima cenografia de Yunkai (que parece cada vez mais um lindo épico bíblico nunca visto antes no cinema) quanto com a cena do banquete do casamento que estava tão cheia de elementos inspirados como a série deveria ter, sempre. E o episódio foi tão bom porque na verdade Dinklage o carregou nas costas. E é nessas horas que nos lembramos o motivo dele ser um artista tão premiado.

Todos sabemos das coisas pesadas que acontecerão no próximo episódio, o nono. E toda a temporada foi construída para este grande momento central e devastador do trabalho do R. R. Martin. Mas este conseguiu ser um episódio muito singular e iluminado de bons temas, boas atuações e um excelente texto (autoria dada a David Benioff e D.B. Weiss). Mesmo antecedendo o que veremos em 2 de junho.

“There’s no one worse than you”

O Cão é uma das únicas pessoas no mundo que não tratam Arya da maneira que ela odeia ser tratada. A honestidade de Clegane é algo maravilhoso e, embora esteja sendo bastante suavizada na série, comunica muito. Apesar de toda a luta de Arya durante todo este tempo pra encontrar a liberdade que ela perseguiu desde a época que ainda vivia confortável e quentinha em Winterfell, ela se vê constantemente nesta situação de ter que esperar. E é interessante isso porque a paisagem que ilustra a cena dela sendo conduzida para a família no cavalo com Clegane reflete a grandeza da sua esperança interior, de voltar pra casa e acabar logo com isso. De ter paz. Entender isso ao lado da pessoa que matou seu amigo (Mycah) é muito bizarro.

Arya, Sam e Tyrion são “segundos filhos”. Aqueles que são deixados de lado, que vivem a sombra dos filhos preferidos. Lorde Randyll Tarly fez questão de mostrar a vida toda que Sam era uma vergonha. Tyrion é a vergonha de seu pai. Arya constantemente envergonhava a mãe. Essa realidade da rejeição é algo que molda o caráter de uma pessoa. E é muito por isso que é tão fácil se relacionar com Arya e Tyrion, principalmente nos livros. E não com Sam. Porque Sam explicita isso, enquanto Tyrion e Arya vestem sua personalidade e a exibem com orgulho. Arya inclusive é o tipo de pessoa que quando tem fome, come bolota mesmo e acha divertido.

O detalhe da unha suja de Arya, ou o momento em que a lente se abre na pedra focando no rosto de Arya no começo deste episódio são detalhes muito significativos do trabalho da diretora, aqui. Essa cena foi uma adaptação de Arya IX.

Livro: Algo muito interessante sobre esse capítulo é o fato de Sandor chamá-la constantemente de wolf bitch (loba vadia). E ainda, a conversa sobre o Montanha. Em A Tormenta, Arya conta a Sandor que já havia sido capturada por seu irmão, e ele acha divertido que Gregor não sabia de quem ela se tratava. Clegane diz: “terei certeza de contar isso antes de cortar a cabeça dele”. Ela pergunta porque ele mataria o próprio irmão, e ele pergunta se ela nunca desejou matar um irmão… ou irmã, percebendo o ódio que ela sente por Sansa. Sansa, a garota que lhe cantou uma canção…


Acho que a personagem de Daenerys encontrou neste episódio um excelente equilíbrio de suas faculdades, desejos, vontades e foco. Muito por conta da forte presença que o personagem do Mero representa. Mas é algo mais sobre a própria atriz que soube muito bem encontrar a Dany dissimulada e inteligente, que sabe lidar com a opressão e com a dificuldade política e militar. E é algo muito natural da personagem, e que vemos em poucas outras pessoas na série. E é por isso que Dany é única.


Livro:
Essas cenas de Yunkai são adaptação de Daenerys IV. Tirando as caracterizações, a diferença principal é que Dany lida com duas frentes de mercenários. São os Segundos Filhos, mas também os Corvos Tormentosos a qual Daario faz parte. Não vou me demorar muito no conteúdo desse capítulo porque ele provavelmente se desenrolará nos próximos dois episódios. Só me pergunto se Dany ainda verá Qaithe nesta temporada. A mulher mascarada aparece pra ela na noite anterior a tomada dos Imaculados em Astapor, no livro. Seria muito bacana vê-la novamente na série trazendo um pouco das coisas proféticas que são tão legais.


Eu vi alguém no Twitter reclamando da morte de Mero, um não leitor. O cara dizia que a série continua, episódio a episódio, eliminando os melhores personagens. HAHAHA. É indiscutível que Mark Killeen fez um excelente papel aqui. Por outro lado fico pensando que o núcleo de Dany e “seus vilões” pode vir a ser uma grande repetição de si mesmos nas próximas temporadas.


E aqui, Dany faz exatamente o que Mero fez com ela mais cedo. A diferença entre a utilização da sexualidade dela e do Mero é que ela não está simplesmente buscando usar a brutalidade para vencer. Tanto que os dragões nem apareceram. Ela está mostrando a força real, e não a força prepotente que Mero estava exibindo. E essa cena de Dany exprime muito o papel da mulher nas histórias do Martin. Com algo bem menos intenso, elas passam as mensagens mais importantes.


Melisandre quer sacrificar Gendry porque o sangue de um rei tem poder e o fogo de Stannis está brando e, enfim, ela curte essas paradas e acredita (muito) nelas. A Melisandre é uma personagem que começa a ter capítulos a partir de A Dança dos Dragões, e algo fundamental sobre ela e seus rituais é revelado lá que não está sendo revelado na série ainda. Já que a série adianta tanto o caráter integral de personagens como Margaery, porque não o dela? Mas acho que isso é algo que pode não ser explorado na série.

Quando as coisas ficam feias, Stannis corre para conversar com a sua Mão. Pra quem não se lembra, Davos é Mão do Rei desde o episódio Blackwater, na série.

“Visenya Targaryen rode Vhagar, the smallest of the dragons, though still large enough to swallow a horse whole.”

E Sor Davos está lá aprendendo a ler em um dos livros da menina Shireen. Que momento fofo! Uma cena muito bonita e bem ilustrada na série. O Liam contou pra gente quando passou aqui pelo Brasil no mês passado, que essa foi a sua cena preferida para esta temporada. A cena em que Stannis e ele conversam na cela. E bem, realmente o núcleo de Pedra do Dragão, embora completamente descentralizado da história, está sendo muito surpreendente e bem feito (calma, chegarei na parte estranha das sanguessugas). Davos sabe argumentar com seu rei, ele é a Mão mais coerente, devota e… correta que conhecemos. Ele entende que seu rei anda perdido com poder da magia que essa religião sugere, mas ele não tenta fazer jogos de palavras, não é sarcástico, não tenta vencer. Ele argumenta com o básico, e de maneira bastante preocupada, como um homem que realmente está a serviço. Não sei se isso é correto, não acho que ninguém deva estar submetido a posse de alguém e no nosso país nos dias de hoje ninguém é preso por ‘traição’. Mas Davos se submete a isso com as mais nobres intenções.

Melisandre e Gendry

“The usurper Robb Stark. The usurper Balon Greyjoy. The usurper Joffrey Baratheon.”

A dúvida em relação a personagem de Melisandre foi colocada constantemente nesse episódio de maneira bastante sutil. A questão dela ser devota a R’hllor porque crê nele versus a devoção que ela tem à magia. Magia e religião são coisas diferentes? Selyse por exemplo, com toda sua devoção, crê mais em R’hllor ou na própria Melisandre? Quando ela oferece a Gendry a taça de vinho, dizendo que a qualidade do vinho é percebida no paladar é uma maneira dela dizer o quanto R’hllor se revela pra ela metafísicamente, e não como um conceito e seus temas, como vemos na Fé dos Sete. Ela crê em R’hllor porque ele se prova pra ela.

A cena das sanguessugas é algo bastante simbólico dos livros, mesmo que a maioria das pessoas não credite esse ritual à morte de Balon, Joffrey e Robb. Achei realmente fantástico, só não acho que Gendry deveria estar gritando naquele momento, não fez o mínimo sentido. E de onde ela tirou o sangue para o ritual realmente não importa. Acho que de longe essa foi a melhor interpretação da Carice na série, e a melhor maneira que sua personagem se expressou até hoje. A gente sabe que a Melisandre se utiliza do sexo pra criar as coisas que ela cria. E Carice faz isso de maneira natural porque, como ela mesmo disse, na Holanda é assim mesmo que se faz.

No livro: Essas cenas são adaptação de Davos IV capítulo que de fato Davos é nomeado Mão. Nos livros Stannis não o procura, Davos é levado a ele pelo Axel Florent. É nesse capítulo que Stannis diz a Davos que “a podridão do reinado de Aerys começou com Varys”, e que Robert deveria ter matado o eunuco e mandado Jaime para a Muralha, como Ned havia sugerido. Stannis nos faz achar Ned um babaca, não é mesmo? E ah! Enquanto na série Stannis diz que se viu em uma grande batalha na neve, no livro ele diz que viu “homens de negro com tochas na mão em um pico alto na floresta enquanto a neve caia, e que ao redor destes homens, sombras se moviam.” Creepy. Mas aqui ele fala da Muralha e a batalha contar os selvagens… não é?


A adaga de Daario é muito bem feita. Mas vamos falar um pouco da caracterização deste personagem tão importante no núcleo da Daenerys. Tirando o fato de ele ser bonito ou não (isso realmente não é relevante e beleza é algo subjetivo), Daario passou a sensação de ser uma tentativa bem forte de tornar esse personagem atrativo para a audiência. Como um mocinho e herói. Só acho que não podemos nos esquecer de que o Daario dos livros também é insuportavelmente confiante e meloso com a beleza de Dany. Não é como se ele fosse um personagem que inspirasse admiração genuína. E de caras esquisitos cheios de si a série já está cheia. Por isso acho que ele foi caracterizado de maneira que um cabelo azul não ditasse propriamente quem ele é. E ainda temos a visão romântica que o personagem tem de si mesmo, de “lutar pela beleza”, que é algo que realmente tem a ver com essa caracterização, mesmo que sua peruca seja a mesma da Cersei.

Cersei

“If you ever call me sister again, I’ll have you strangled in your sleep”

Acho que tivemos dois excelentes momentos de Cersei aqui, com os irmãos Tyrell. Margaery é muito mais nova do que Cersei, e muito mais inteligente. Mas Cersei não é Sansa. Cersei é uma Lannister e está com o saco dela bem cheio de tudo isso. A maneira como o texto colocou a história da casa Reyne ali foi bastante adequada (contando com o sinistro fato que a música que conta essa história é o nome do próximo episódio), mas ao mesmo tempo é estranho que Cersei tenha tanto orgulho de sua casa quando seu próprio pai a coloca nessa situação merda. Todos continuam nessas situações merda por causa de suas famílias e isso é maior do que se sentir um lixo o tempo todo. Honra e dever primeiro.

A própria vó Olenna ali, zoando com a própria família mostra todo o absurdo da situação. Além de mostrar também que Olenna é sem noção com todo mundo e não só com quem ela quer brincar.

Perdemos o simbolismo da troca de mantos aqui, né? Sansa não usa o manto Stark na série. Mas antes eu gostaria de falar sobre a dimensão deste casamento, algo que tomou nossos olhos durante o episódio. O tamanho do septo é realmente incrível, e a cena e todos os seus componentes pareceram maiores do que no livro. O que me fez pensar em como será abordada a cerimônia de Joffrey e Margaery. É o casamento do rei, e certamente deverá ser ainda maior do que o que vimos neste episódio. Mas voltando aos pequenos detalhes modificados em relação ao livro, o fato de que Sansa não se recusa a se ajoelhar para aceitar o manto Lannister tem muito a ver com o papo que ela e Tyrion tiveram no começo deste episódio. Sansa não precisou se rebelar, se bem que mesmo assim ela poderia. Ela vive em um mundo onde homens como Tywin Lannister decidem quem deverá colocar um bebê em sua barriga, quando e onde. O take que mostra a diferença do tamanho entre os dois ali no altar espelha muito a distância emocional dos dois. Que embora estejam ali decentemente cumprindo seus deveres, possuem outros sonhos, outros amores, outros desejos. Um espelha a falha do outro. Tyrion jamais se interessaria por uma garota como ela e vice-versa. E ambos sentem-se humilhados e presos, por diferentes razões. E há a obrigatoriedade do sexo e da linhagem, a idade de Sansa… É claro que Tyrion pode fazê-la feliz, e é claro que de todo os homens em Westeros inteiro, ele seria o melhor marido, o melhor amigo e talvez o melhor amante. Eu me casaria com ele. Mas isso não deve ser uma obrigação, deve ser uma escolha. Ela deveria ter esse direito, e não tem.


O casamento e as festividades posteriores foram sem dúvida o destaque da noite. Toda aquela situação serviu muito pra simbolizar o quanto todas aquelas pessoas estão presas a deveres completamente absurdos e sombrios. Casamentos foram feitos para ser essas grandes, belas e divertidas ocasiões simbólicas e cheias de amor. Mas a realidade é que, mesmo na vida real, poucas vezes eles são. No caso de Game of Thrones, a grande maioria das pessoas (que importam) estavam mergulhados em uma miséria emocional sem limites. Eu adoro a forma como o ambiente que foi montado ali era agradável mas bastante escuro, meio que para manter qualquer sentimento de positividade longe daquela situação. A atuação de Peter Dinklage aqui foi a melhor de toda a temporada até agora, e me arrisco a dizer que essa explosão de Dinklage foi bastante coerente com o fato de que capítulo após capítulo ele foi tratado como uma sombra a espreita do reino, quase que insignificante (no texto, porque para o pai não é quase, é certeza). Quanto a Sansa, acho que temos algo bem único aqui também, mesmo que a sua armadura de cortesia falsa lhe tenha sido tirada quase que integralmente do texto, porque ela não precisa usá-la uma vez que Tyrion tenha sido transformado nessa espécie de “anjo” que não condiz muito com o que conhecemos no livro. Mas vou dizer que gosto bastante dessa versão do Tyrion, a maneira como ele pega na mão das garotas com bastante humildade e delicadeza… É legal. É uma abordagem muito convencional do personagem, mas acaba sendo legal sim. Principalmente quando pensamos que esse é o Tyrion que bebeu, envergonhou o pai e a esposa, ameaçou castrar o rei, derrubou o vinho na roupa e deixou todo mundo desconfortável falando o quanto seu pinto é pequeno.

E mais tarde, é esse mesmo Tyrion que deixará de ser correto para matar o pai.

Não há uma única pessoa feliz com este casamento em nenhuma destas cenas. Joffrey não conta. Aquilo não é felicidade, é pura loucura, puro sadismo. Então, uau. Isso tudo foi arquitetado para que os Lannisters continuassem no poder do mundo. E isso não trouxe felicidade pra ninguém. Tywin nunca está feliz. Ou alguém aqui o viu dançando e rindo pra caralho? Me pergunto se Tywin realmente acha que os frutos dessas relações forçadas e completamente cruéis seriam realmente frutíferos, doces e agradáveis. No mundo em que vivemos há uma grande mensagem sobre o amor e sobre a importância de cuidarmos uns aos outros e Westeros cospe tanto nesses nossos conceitos mundanos que chega a ser mais insano do que deveria. Game of Thrones parece estar tão arraigado no estilo de vida dessas pessoas ‘insanas’ em Porto Real que isso talvez tenha se tornado algo muito maior do que deveria ser. E é maravilhoso, não estou criticando. Mas é tão fora da realidade quanto dragões. As cenas deste casamento são uma inspirada adaptação de Sansa III.

Corrão, manolos!

Aaaaaaarrrgh!

E temos as últimas cenas que contemplam Sam, Gilly e o bebê. A cena deles conversando naquela cabana velha e gelada em Brancarbor foi muito longa e a sensação de que algo estava estranho ali era muito crescente enquanto ouvíamos mais e mais corvos crocitando do lado de fora. Naquele momento Sam foi a última linha de defesa para sua amiga e o bebê. E é por isso que talvez Sam, the Slayer tenha tido coragem apenas desta vez. Trata-se de sua amiga, a garota que ele decidiu proteger e levar a Castelo Negro em segurança. E é por quem, pela primeira vez, ele se sente útil. “Eu sou a espada na escuridão”, dizem os votos da Patrulha.  E esse conceito foi muito bem representado aqui. Tem um gosto talvez um pouco doce demais, mas dá mais sentido a relação deles.

Ao ser atingido pela adaga, o White Walker congela até a morte. Hum…


Essas cenas com Sam adaptam os capítulos I e III dele no livro, sendo o primeiro a do Sam Matador ainda no Punho dos Primeiros Homens, e o segundo a parada em Bracarbor e Mãos Frias.

No livro: Sam é acordado com a sensação de formas se movendo em sua direção. O cadáver de Paul Pequeno move-se em direção a ele e ele tenta apunhalá-lo com sua adaga de obsidiana, mas fracassa. Desesperado, Sam tenta afastá-lo com alguns gravetos em chamas. Do lado de fora, os wights rodeiam Goiva e seu filho, depois de matar o cavalo deles. De repente, um corvo pousa nos ombros de Sam e sucessivamente milhares de corvos saem nos galhos da árvore-coração. Os corvos dizem para Sam: “Vá!”. Ele e Goiva fogem rumo ao sul…

Não tivemos Mãos-Frias, mas acredito realmente que ele ainda aparecerá entre esses dois últimos episódios, os corvos inclusive fazem parte dessa situação. Acredito que a jornada de Sam está sendo muito bem contada, com uma cena sendo justificada pela outra apesar das mudanças em relação ao livro. Essa última cena foi realmente divertida e o White Walker fica muito assustador a noite. Acho que terminar o episódio em uma cena envolvendo uma árvore coração foi bastante curioso. Se é R’hllor quem irá vencer o Grande Outro com uma espada flamejante, porque foram os velhos deuses quem olharam por Sam naquele momento?

[x] Em todas as minhas resenhas sempre garimpo imagens e gifs do Tumblr pra ilustrar o texto. Aqui você encontrou imagens retiradas de sites como o wicnet, fuckyeahwinterfell, fuckyeahgameofthrones e capsofthrones. O trabalho desses tumblrs na criação e tratamento dessas imagens é muito bacana, bem feito, completo e especial. Não deixe de acompanhá-los.

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados

  • Edu

    tri

  • David_Martins

    “Arya, Sam e Tyrion são “segundos filhos”. Aqueles que são deixados de lado, que vivem a sombra dos filhos preferidos.”

    Ah, eu tava me perguntando se o nome do episódio seria esse somente por causa dos mercenários.

    “Achei realmente fantástico, só não acho que Gendry deveria estar gritando naquele momento, não fez o mínimo sentido. Mas de onde ela tirou o sangue para o ritual realmente não importa.”

    Ah, eu devo discordar disso… Quer dizer, uma sanguessuga? Lá? Deve doer pra caralho (desculpa pela palavra!). xD

    Parabéns pela resenha Ana! Na minha humilde opinião, uma das melhores que você já fez. 🙂

  • lucasrobertoooo

    Parabéns pela análise, gostei bastante. Dessa vez, e pela primeira vez, estou vendo a série antes do livro.

    Ainda estou no primeiro capítulo do livro, mas já dá pra ver diversas adaptações e me leva a refletir nas coisas que estão por vir (já que eu já vi na série).

    Uma pena você ter contado (ou pressuposto, sei lá) que Tyrion mata o pai dele. Adoraria ter visto isso de surpresa, haha.

  • Pablo Motta

    Sempre assisto os episódios 2 vezes, uma no domingo e a outra depois da análise. parece que estou vendo o episódio com extras e ele se torna muito mais interessante. ótimo texto!

  • gabriel

    quero muito que o coldhands apareça na série, ótima review!!

  • Bruno Veríssimo

    MUITO boa resenha, sempre são boas né?! Ei, alguém me tira uma dúvida… o casamento vermelho será no episódio 9 ou 10?

  • Beth Salgueiro

    acho muito interessante nesse capitulo o contraponto entre a atitude do tyrion em não querer tocar na sansa, ( ‘só quando você quiser’), e desrespeito do mero em relação às mulheres em geral.

    uma leve e sutil posição contra o estupro. entendi assim.

  • Victor Dias

    “Se é R’hllor quem irá vencer o Grande Outro com uma espada flamejante, porque foram os velhos deuses quem olharam por Sam naquele momento?”

    Isso é realmente algo que tem sido construído na série,nos livros o Bran é incentivado a abraçar a escuridão “Não tema a escuridão,ela é sua amiga” enquanto a Melisandre prega completamente o inverso disso,eu honestamente acredito que tenham 3 lados,O de R’holor o dos Antigos Deuses e os “Outros” que é algo que ainda não da pra sacar direito.

    O Personagem do Sandor sempre foi um dos meus favoritos,olhando suas ações da pra ver que ele não faz o que ele faz por maldade,e de leve,bem leve,da pra reparar que há bondade nele,entretanto,ele vive atormentado pelo que seu irmão fez com ele quando era mais novo,é um Personagem que caso tivesse ‘outra chance'(Teorias sobre ele ainda estar vivo),poderia crescer e muito!!

  • Percebi um certo envelhecimento da Sansa nesse episódio. Não estou me referindo a aparência (isso é visível) mas em relação as atitudes. A Sansa da série está bem mais madura em relação ao livro. Não somente pelo o fato dela se abaixar pra receber o mando de Tyrion (diferente do livro), como também saber o que tinha que fazer após a cerimônia de casamento… (Adorei quando ela encheu a taça de vinho e virou). Foi uma cena muito bem feita, e me fez lembrar o quando Sansa era frágil na primeira temporada.

    E sobre Arya e Cão de caça… Apesar de tantas mudanças no núcleo de Arya, pela primeira vez percebi uma relação tão próxima da realidade dos livros. A relação dela com cão de caça (eu estava esperando isso desde da estréia do dia 31). Creio que só agora, Arya vai se revelar o que ela era pra ser desde Harrenhal. É como se Clegane libertasse esse lado “Menina de sangue” que ela tem. A cena da pedra foi muito foda, adorei o detalhe da unha suja!!!

    E que venha the rain of castamere!!!

  • Zairren

    O episódio foi realmente ótimo, é angustiante saber que só temas mais dois nesta temporada (mas animador já que meus personagens favoritos provavelmente serão inseridos na próxima temporada). Concordo com suas observações, mas a única coisa que meio que “quebrou” o clima do episódio para mim foi aque efeito mega-uber fake da espada do Sam quebrando, foi meio patético… Exceto isso, o episódio foi ótimo, um dos melhores (se não o melhor) da temporada.

  • Estela Luisa

    pelo que eu andei lendo, parece que já vai ser no próximo, o 9!!

  • Samuel Moraes

    Parabéns pela dedicação e pelos posts. Suas análises são bastante interessantes. Não li o livro, mas consigo perceber as diferenças com a leitura do seu trabalho.

  • David_Martins

    “É claro que Tyrion pode fazê-la feliz, e é claro que de todo os homens em Westeros inteiro, ele seria o melhor marido, o melhor amigo e talvez o melhor amante. Eu me casaria com ele.”

    Hahahaha! Não sei por que mas ri muito aqui!

  • David_Martins

    Lucas, sai geralmente na sexta-feira aqui nesse mesmo site uma resenha da série sem spoilers do livro. Recomendo que você só veja ela, pois essa com spoilers…. bem… ‘ce intendeu né? xD

  • Ed

    “Com sorte chegamos a tempo para o casamento”

    Eu sorri, mas depois chorei.

  • Gustavo

    Só não entendo muito bem esse lance de Melissandre com o poder do “sangue” de um rei… sei lá, faz parecer que qualquer pessoa, basta virar rei que começa a ter atributos mágicos. Para mim o cúmulo foi com Jon e o filho de Mance…pô, Mance só é rei de nome, como o sangue dele teria algum poder? Não faz sentido isso tudo.

  • Ed

    Achei legal a Sansa se abaixar. Como não dá pra transmitir o que ela pensa (Com a frase icônica “Porque eu deveria me importar com os sentimentos deles, se eles não se importam com os meus?”).
    Sansa é uma das minhas preferidas, e dá pra ver como ela evoluiu na série também, aos poucos estamos sendo levados até a Sansa de AFFC.

    A mesma coisa com Cersei, que aos poucos está se tornando a descontrolada que vai virar tudo de cabeça pra baixo, e é legal ver isso desde agora.

    E, Coldhands como gancho final no episódio 10? Sempre gostam de acabar com algo mais mitológico, eu acho que seria genial. (apesar de ainda preferir Lady Stoneheart)

  • Lu

    Ótima review, Ana!

  • Marcio

    só eu fiquei com a impressão que Sam deixou a arma mais importante pra trás, ele num pegou a adaga de obsidiana antes de fugir com os corvos atrás dele….

  • Marcelo

    Todas as letras acentuadas e cedilhas ficam em negrito, não sei se alguém já disse isso, mas se puderem arrumar…

  • José Diego Tenório

    “Tywin nunca está feliz.” AHUSUASUHSAHUSHAUSUHS eu ri muito disso. Uma coisa que eu gosto nesse personagem é a frieza dele. As cerimônias de casamento em Westeros são tão lindas, cheias de simbolismo (pelo menos nos livros). Joffrey como sempre muito FDP, queria que ele se casasse nessa temporada, nada me deixaria mais feliz. Gostei da cena de Sam, O Matador, e fiquei na espectativa do Mãos Frias aparecer. Sandor é um dos meus personagens favoritos, por ele ter esse jeitão desbocado (“Foda-se a rainha!”, “Foda-se o rei!”), é quase um anti-herói. Eu esperava o Daario de cabelo azul e barba bifurcada “/ kkkkkkk E na cena da Melisandre com o Gendry eu pensei “Eita Gendry de sorte, tô com inveja dele!”, mas depois mudei de ideia huasuaushahu Ótima análise!

  • Que browser e SO vc está usando, aq não aparece nada do tipo…

  • Bel Ribeiro

    “Eu me casaria com ele.”

    Quem não???

  • Lanah

    Bom, se nós estamos falando de magia, um simbolismo, como um título de rei, pode ser relevante, acho. Quando você diz que “Mance só é rei de nome”, presume que, para que o título de rei seja uma coisa relevante em rituais mágicos, tem que estar de acordo com uma determinada ordem estabelecida por um determinado grupo de homens, como se dá com a coroação dos Sete Reinos. Mas por que não poderia ser diferente para outro grupo? De qualquer forma, o livro não tira a sua razão. A Melisandre nunca matou o Mance, embora pudesse ter matado. Talvez isso seja porque o sangue dele não teria esse poder dos outros reis…

  • Eu acho que o conceito de “rei” no caso é subjetivo. Não acho, por exemplo, que o sangue do Joffrey ou do Tommen tenha poder, embora ambos tenham o título de rei em algum momento. Acho que “rei” se refere mais à grandeza da pessoa, e nesse contexto Mance entra, porque ele é carismático e teve a capacidade de unir todo o Norte além da Muralha sob o mesmo ideal. Daí temos Robert, que também teve esse momento, e Gendry tem o sangue dele. Some isso ao que a Melisandre disse fazendo a metáfora do carneiro… Talvez o medo, ou a premissa de que seria um sacrifício fosse tirar esse cunho “lendário” do sangue real de Gendry. Não sei se consegui me expressar direito hahaha.

  • Allyson Lima

    Só uma ressalva: Sam não é segundo filho. Ele era o primogênito e herdeiro de Randyll Tarly, e era isso o que envorgonhava o pai, fazendo com que ele forçasse o filho a abdicar de seu direito em prol do irmão mais novo, para que não sofresse um “acidente” qualquer dia enquanto caçava com o pai.

  • Eu quase morri de rir quando Joffrey tirou o banquinho, ele não presta mesmo.
    Não me casaria com Tyrion, no livro ele não é nada santinho, ele foi pra cama dela e com segundas intenções, só não forçou a barra pq viu q a menina ia ter um troço.

    Não gostei de Daario dentinho, achei que Daario seria aquele primeiro babaca,rs…
    Adorei a cena de Sam e sua amada kkkkk ele acabou sendo mais corajoso que seu pai seria se tivesse encontrado o WW,apesar de ter deixado a obisidiana pra trás, paciência….Agora Sandor e Arya sem comentários, apesar de tão pouco tempo no ar,valeu a pena,adooooooro Sandor, gostaria que explorassem bem esse personagem, como no livro.

  • Vinicius

    “And so my watch begins…”

    kkkkkkkkkkkkkkkkk morri com essa cena

  • rhaai

    doer no, e nao pra 🙂 kkkkkkk

  • Guest

    eeu simplesmente ameeeeeei a cena do gendry com a tia meli 🙂 rs, geeente que hot que foi kkk, pena que nao mostrou nada(só as peitholas da meli que td mundo ja viu kk) aah pelo menos deu pra ver que ele é raspadinho kkkkkkkkkkkkkkkk zoa.

  • Felipe

    Acho muito interessante como o autor trata as religiões. Eh impressionanta, voce não sabe em qual acreditar. Queh acreditar no deuses antigos mas não possivel negar o poder de R’holor (ou será só uma magia vinda com os dragões? Assim como acontece nos livros em Quarth quando Dany vê um piromante se apresentando) …

  • Oda júnior

    “Se é R’hllor quem irá vencer o Grande Outro com uma espada flamejante, porque foram os velhos deuses quem olharam por Sam naquele momento?”

    Talvez os velhos deuses nem existam, pode ser apenas os filhos da floresta e o vidente verde dando uma ajudinha hehe

  • Stenio Camara

    Bom mesmo foi ver o pessoal rindo de tyrion e ele virando pra tras e fazendo todo mundo parar de rir! Rsrsrs

  • Stenio Camara

    Tambem creio que o vidente verde que esteja olhando por Sam. Ja que possivelmente é somente um ser morto que o vidente verde controla. Creio que seja isso…

  • Massi Marques

    Tudo bem, já desconfiava que Robb vai morrer, mas Arya vai ver de novo um parente perder a cabeça?? E sério que Tyrion mata Joffrey?? não vejo a hora! Só acho uma pena pq vai ficar sem um grande vilão..Ah, ainda tem a macumbeira, espero que tb morra logo!!

  • DemetrioSnow

    Vc leu os livros??
    o.o’

  • Rafael

    Só não entendi o pq Stannis faz a gente achar o Ned um babaca, alguem pode me explicar?

    Tipo, só eu tive a impressão que o Tyrion planejou ficar bebado no dia do casamento, para fugir da festa de casamento e todo o resto que viria? Tem uma coisa que eu gosto do Tyrion também, ele talvez sejam um dos unicos personagens que é realmente galante, não é só para parecer.

    Sobre os deuses e suas formas, bem existem algumas coisas que gostaria de comentar, mas seria um texto grande, mas nem sei se as pessoas se interessam com isso.

  • Samuel

    Será que na série vão fazer com que o Daario traia a Dany, já que ele faz parte dos Segundos Filhos?
    Outra coisa, eles focam muito nesse relacionamento Tyrion-Shae, fazendo parecer que os dois realmente se amam, seria possível eles tirarem a Tysha do seriado (eu sei que ela já foi citada, mas não tanto) e fazerem um jeito do Twin sumir com ela e ainda assim ficar com aquela história de ‘pra onde as putas vão’

  • DemetrioSnow

    Ele é rico.. mulheres… x)

  • lucasrobertoooo

    Também achei o efeito especial da espada bem ruim 🙁

  • Taiana

    Nossa que texto incrível, sem dúvida uma análise de primeira, dá pra sair um tcc daí…Parabéns

  • Igor Melim

    Nesse contexto, “wolf bitch” deve ser levado de forma mais literal. O Sandor chama a Arya de “loba”, sendo “wolf” para “lobo” e “bitch” para designar o feminino, já que significa literalmente “cadela”. É como se ele dissesse “cala a boca ai, lobinha!” não passa perto do insulto que seria chamar uma criança de vadia.

  • Marcelo

    Chrome e windows 7, aparece assim desde a mudança no site, não tinha mencionado antes pq achei que ainda estavam corrigindo

  • Bruna C

    Como curtir isso mil vezes? Concordo totalmente!

  • Fernando Teixeira

    As atuações dos atores nesse episódio foram sensacionais, Peter sinceramente deu um banho de interpretação na cena do casamento!

    Eu só achei aquela cena do White Walker uma trollagem, de certa forma. Eu jurava que o Cold Hands ia aparecer ali, só tive certeza que não quando ele saiu das sombras. 🙁
    Mas a cena ficou muito boa, o QGI nessa temporada ta dando um show!

  • Messinho’

    E por isso ele é considerado um segundo filho, pois mesmo nascendo primeiro, é trocado por seu sucessor…

  • Messinho’

    Conte-me mais sobre essas teorias…

  • Messinho’

    Não tinha pensado por esse lado, boa!

  • Bill T.Prefect

    Otimo texto Ana.

  • Paloma R F

    No livro a Arya não chega a ver, mas fica sabendo, pois está ao lado de fora do castelo Frey, onde ocorre o massacre dos soldados.
    O Tyrion não mata o Joffrey, mas leva a culpa.

  • Paul Dut

    Muito show o seu texto, parabéns, e a serie e com certeza uma das melhores já feita até hj, e olha que já olhei e li muita coisa!!!!!!!!!

  • Oda júnior

    ‘bitch’ significa literalmente cadela E prostituta, então dá pra se dizer que a tradução de ‘wolf bitch’ com ‘lobinha’ foi gentil demais

  • Revoredo

    Pra mim, é exatamente essa a idéia… A melisandre faz o ritual usando sangue de rei, mas até que ponto foi o ritual dela que causou a morte dos 3 reis? Sem o ritual, é muito provável que os 3 reis morreriam de qualquer forma… Robb com a traição aos Frey, Joffrey envenenado.. a única que é mais estranha é a morte de Balon. Acho que é essa a idéia, o ritual é poderoso mesmo ou não? R’hllor é tão poderoso assim? E os Sete? E os Antigos Deuses?

  • Ivanete Gomes

    Parabéns mais uma vez, pela otima análise Ana. amei o epi, Peter arrasa!!!

  • Κάδμος Νηρεύς

    Concordo plenamente contigo Oda Júnior…
    OS velhos Deuses realmente existem ou são apenas os filhos da floresta.
    Pq nas visões de Bran através do represeiro dá a entender justamente isto.
    Ele seria este “Deus Antigo” agora que adentrou no represeiro.

  • Debora de Oliveira

    E eu achando que era a unica que me casaria com Tyrion.

  • Victor Dias

    Ja leu os 5 livros? Aqui no site do Game of thrones rolou uma teoria sobre um certo “Coveiro” com quem a Brienne(euacho) Cruza,e o Coveiro tem várias características do Cão de caça,mas especulações e só isso :3

  • tambem uso a mesma configuração

    mas nao existe nada disso por aqui kkkk

  • Adorei a análise. Muito bem feita e chamou minha atenção para vários aspectos que eu não tinha percebido. A cena da Dany saindo nua da banheira foi realmente belíssima.

  • Walisson Trajano

    A questão do sangue de rei é unicamente pq o Gendry possuia o mesmo sangue do Staniss, acreditado pela sacerdotisa em questao, Melisandre, como o unico e verdadeiro rei, então é vetado a oportunidade de se utilizar do sangue do Robb, do Balon ou do Joffrey… ou entao ela iria se contradizer ^-^ Quanto à conclusão da analise, achei interessante esse questionamento referente à Arvore-Coração, pq nós sabemos o papel dos filhos-da-floresta no futuro da série 🙂

  • EvaldoReis

    Seria mais fácil de entender se você lesse A Tormenta (ou seria O Festim?, não lembro), onde Stannis “desmonta” a imagem de Ned Stark sem piedade. Falando sobre o Stark, ele nos quer fazer acreditar que tudo que ele fez foi sua ruína, como todo bom idiota faz. Claro, isso é a opinião do Stannis, o inflexível.
    Acho engraçado que as pessoas têm a mesma opinião de Robb Stark. A maioria pensa nele como um retardado que fez as piores escolhas possíveis. Parece que ninguém consegue enxergar a honra, a lealdade e, acima de tudo, a coragem do jovem lobo. Muito semelhante ao pai.

  • Victor Antunes Campos

    Eu me interesso por ler qualquer coisa dos deuses, eu tenho minha própria opinião sobre eles mas realmente gostaria que fizessem um post somente sobre eles, os outros e o deus vermelho da melisandre

  • Victor Antunes Campos

    Eu acredito que não exista nenhum deus, os deuses antigos já praticamente esfregaram na nossa cara que não existe (ou eu to viajando sei lá), e os deuses de westeros, acho que são sete partes de um único deus ou algo assim também acho que foi criado.. e o deus vermelho que eu acho que tem uma guerra particular com os caminhantes brancos, gostaria de saber mais sobre os caminhantes brancos ..

  • Victor Antunes Campos

    Duvido muito que alguém se casaria com o Tyrion, principalmente porque vocês esquecem de um detalhe importante: Ele não é o que vocês leem no livro, para as pessoas que não “leem” os seus pensamentos e não veem as ações que ele faz ele não passa de um anão, que vive indo em bordeis e engraçado. tanto que poucos personagens no livro chegam a conhecer de fato o Tyrion.

  • EvaldoReis

    Essa parte sobre o Bran é a que mais me incomoda nos livros. O contraste entre os deuses antigos e R’hollor é gritante. Por tudo que está sendo dito a Bran pelo “corvo-de-três-olhos” não tem como ele não ser considerado “o” inimigo por Melisandre. No que isso vai dar?

  • Jan Santos

    Melisandre com o papo dos carneiros…. “E nenhum viu a lâmina…” euRi

  • Ana Paula Pires

    Eu não 😉

  • Massi Marques

    Ainda não, acho que vou começar qdo terminar essa temporada.

  • Joana D’arc

    Só sei q foi uma delícia ver mais uma vez na série uma árvore coração! São tão lindas, simbólicas!

  • Aline Salvador

    Mais cedo essa semana! Adorei… Parabéns pela Análise!

    Srsrsrs… Só tenho uma sugestão para fazer… Please, não use mais fotos com nudez, meu chefe acha que estou vendo pornografia… kkkkk

  • Paloma R F

    foi trollagem mesmo, jurava que o Mãos frias ia aparecer, mas o episódio foi sensacional de qualquer jeito!

  • Rayffe Gomes

    concordo, inclusive quando ele reconheceu ela na dublagem ele falou ” o que você está fazendo com a putinha stark”

    WTF?, em outro episódio, o que seria o “punho dos primeiros homens” foi dublado para ” o primeiro dos primeiros homens”, WTF²

  • Rayffe Gomes

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Rayffe Gomes

    pessoas juntando ficção com vida real, me poupem

  • Paulo Frank

    Acho q não, pq eles já mostraram a corrente de ouro que o Tyrion deu pra Shae e q futuramente irá usar para estrangulá-la…

  • Tamir M. Silva

    essas analises sempre pisando sem prometer, amo

  • Rafael

    Então cara, ler eu li, mas não tive impressão dele achar o Ned um babaca, me lembro de um certo ciumes do Stannis para o Ned pois o Robert gostava do Ned como um irmão, mas fala o capitulo em questão que dou uma relida.

    Sobre o Robb e Ned e coloco do Jon também, eles cometem o mesmo erro de confiar em quem não deveriam confiar, Ned confia no Mindinho, Rob confia nos Freys e Roose e por fim, Jon no chefe dos intendentes, eles não veem a traição vindo, mas é aquele negocio todos os personagens tem falhas que os fazem cometer erros graves, até o incrivel Tyrion comete falhas que ele poderia remediar.

  • Rafael

    Bem eu acho que é o seguinte, tem uma ligação entre os deuses antigos e deus afogado e o deus do fogo, tipo todos esses deuses tem uma ligação com um elemento, deus afogado a agua do mar, Rh’llor o fogo, e os deus das florestas, as arvores e riachos, tem uma relação com rituais, por exemplo aquele de ressucitação, o poder de videncia, é tudo bem similar.

    Tipo são milenios que se passam desde a chegada dos primeiros homens e se um grupo de primeiros homens, já doutrinado na fé dos filhos da floresta migrasse novamente para essos, será que não haveria uma mudança nas doutrina com os tempos e assim surgiria a relião de Rh’llor? Sabemos que os homens de ferros são diferentes por causa de ser uma cultura insular, o mesmo poderia ter acontecido ali.

    Tipo a Melisandre vai para muralha e diz que tem mais poder na muralha que aumenta os dela, mas como se a muralha foi feita pelos filhos da floresta..

    O dificil de teorizar essas coisas é que é tudo muito jogado no livro, tem que ficar buscando, relembrando, lendo de terceiros, mas eu acredito que seria mais ou menos o que eu escrevi.

  • Juliana

    Excelente análise, muito bem escrita! Um dos melhores episódios dessa temporada, a cena em que a câmera acompanha a Sansa no casamento, desde os detalhes da longa cauda do vestido de noiva, é digno de filme de grande qualidade e alto orçamento. Parabéns HBO!

    Adorei Sandor e Arya, ele é com certeza meu personagem favorito, espero sinceramente que ele tenha mais tempo na tela na próxima temporada. E fico na torcida pra que ele e a Sansa voltem a se encontrar nos futuros livros. 😉

  • Diogo Nogue

    Na verdade Sam é um primogênito não é? só que o pai dele o ignora por achar fresco, fraco e covarde e o seu irmão mais novo passa a ser o preferido. um caso peculiar. E que o torna mais perdedor ainda, pois nem sendo o primogênito consegue a preferencia do pai. Que o manda para muralha justamente para seu irmão mais novo herdar a continuidade da família.

  • anna paula romano

    Dany e Sansa também são segundas filhas (teoricamente Dany é terceira, mas segunda se contarmos somente Viserys e ela)!

  • Subotai

    Depois de uma Sanguesuga na Cabaça da Taca, Ninguem queria está mais no Lugar Dele!

  • G.Scalise

    + alguém acha que o mãos frias é o Benjen Stark

  • G.Scalise

    mais alguém acha que o mãos frias é o Benjen Stark?

  • ZeroZephy

    Peter Dinklage é foda,sem mais

  • Sam é o segundo porque ele é o segundo na preferencia do pai. É tudo nas entrelinhas….

  • ‘segundo filho’, no caso, não é quem nasceu depois do primeiro. é só um conceito.

  • pois é ju, essa cena da sansa demorou dez horas pra ser feita >W< não foi a toa que ficou tão bacana!

  • sugestão anotada 🙂

  • eu acho que a religião é apenas um pano de fundo, um elemento formador de caráter, sabe rafael. é como no nosso mundo. seja lá qual for o seu deus, é meio que vc mesmo seu próprio herói.

    a sua questão é super valida e acho que essas coisas estão jogadas ali sem congruência de propósito.

    desculpe o exemplo toscão que eu vou dar, mas é como esse vídeo do Porta dos Fundos, que fala como é absurdo apenas um Deus ser o verdadeiro:

    http://www.youtube.com/watch?v=t11JYaJcpxg

  • eu sei que spoilers são irresistíveis, mas não deixe de ler o livro. é mto mais legal ver os spoilers escritos lá. e ah, leia as resenhas do rafa bacellar tbm.

  • Eduardo da Silva

    Quanto ao Tyron, pelo menos no livro, eu ele transparece isso, ele fica bebado de proposito para nao consumar o casamento, coisa que o Lorde Tywin deseja.

  • Eu concordo MUITO com você.

  • felipe, você fica da dúvida porque elas são tratadas de um jeito muito belo.

    como khal drogo que, segundo os dothraki, está cavalgando nas terra da noite, pra sempre. ou os homens de ferro que morrem pra comer e beber eternamente em um lindo salão.

    daí vem o beric dondarion dizer que não há nada do lado de lá, apenas escuridão. tipo, não quero acreditar nisso. quero acreditar na parte legal.

  • é, eu tbm ri com o joffrey, hahahahaha 🙂 ele foi o único que se divertiu.

  • mas o tyrion do livro não é o mesmo da série, victor. a gente é afim do dinklage, entende? uhauahauhauha. e ele realmente é um homem bonito.

  • que estranho, marcelo. testei em vários sistemas e tá tranquilo.

  • então, o sam da série é avoado mesmo. o comandante dele morreu e ele esqueceu depois de dois minutos. ta todo mundo bravo com o sam por causa dessas coisas, mas a culpa não é dele, é do incompetente que esqueceu disso na hora de escrever o texto.

  • seu humor está no seu avatar, hahahaha!

  • ficamos muito felizes! 🙂 samuel, não deixe de ver as resenhas do rafa bacellar tbm!

  • tem sempre um furo nas cenas do sam. quando não é ele esquecer a morte do mormont depois de 1 minuto, é ele esquecendo a adaga. quando não é isso é aquele corte estranho entre o season finale da segunda e o season premiere da terceira… tá mto estranho mesmo.

  • nossa lais, essa sua observação sobre a sansa é MUITO bacana.

  • é no 9 mesmo, bruno.

  • isso é muito legal, pablo 🙂

  • David_Martins

    loooooooooooool kkkkkkkkk! Ri demais desse vídeo! É realmente algo que todo mundo deveria ver! xD

  • Rafael

    Esse video é muito bom, rs

    Eu também acho que as religiões tem isso de formar o carater dos personagens, talvez eu tenha pensado demais, mas como o Martin nunca deixa uma ponta sem nó, essas similariedades chamam a atenção, sabe?

    E se você reparar, todas as religiões que demonstraram um poder “magico” tem alguma ligação com a natureza, até os Outros que são basicamente gelo e o frio.

    O que eu imagino é que os filhos da floresta aprenderam de alguma forma “canalizar” a energia da natureza ou das entidades da natureza e depois ensinaram aos primeiros homens que dali criaram suas religiões.

    A magia e a profecia tem importancia no mundo de Martin, e nessa racionalizações minha tento entender um pouco melhor.

    E uma coisa legal do livro que é pensar em teorias, rs

  • Marcelo

    Eu testei em outro pc e acontece a mesma coisa, tem algo a ver com codificação, em ambos computadores tenho (UTF-8) como padrão. Talvez seja só comigo rs mas não é nada que dificulte a leitura, só avisei pra ajudar mesmo.

  • Obrigada!!! Fico muuuuito feliz que tenham gostado 😉

  • Tenho minhas duvidas a respeitos dos deuses antigos… Eles nunca fizeram nada pelos Starks que são tão devotos deles.
    Essa questão dos filhos da floresta terem dado uma mãozinha é uma boa teoria

  • Toda vez que aparece algum Lannister eu já me preparo pra rir. Apesar da maldade muitas vezes, adoro os trocadilhos irônicos e a troca de olhares. Pra mim é o núcleo mais engraçado de Westeros

  • Allyson Lima

    Não sei se foi proposital ou descuido, mas Pedra do Dragão ficou de fora das locações que aparecem na apresentação. Uma estupidez, considerando que Harrenhall apareceu e não veremos provavelmente nenhuma cena lá no resto desta temporada.

  • Alderley

    Além do simbolismo, a arvore coração indica que “alguém” através dela poderia ter mandado ajuda pra Sam. Achei isso bem legal…

  • rafael

    a foto da dany me desconcentrou, mas curti.. hehe

  • rafael

    nao li todos os livros ainda, mas sobre o stannis achar o ned um babaca pode ter algo de ciumes/inveja da relação do stark com o rei robert.. de certa forma, o stannis foi meio negligenciado pelo irmão em detrimento do lobo..

    tbm acho que o tyrion se fez de bebado e acho interessante a abordagem do Martin sobre as religiões.. são vários os deuses e nenhum é mais verdadeiro que o outro.. apesar da morte do renly, acho dúbia a participação dele na morte dos três reis..

  • Igor Melim

    Não, não significa literalmente “prostituta”. Significa por metáfora, já que uma cadela “aceita” diversos parceiros sexuais. Seria como “galinha” funciona em português. E dá para dizer pelo contexto, quem conhece o uso da palavra no original sabe!

  • Rafael

    Realmente, o Stannis tem um certo ciumes do Ned, por varios motivos e muitos deles pq o Robert era um idiota, Stannis defende Storn’ End por um ano comendo ratos e Robert honra mais o Ned por ter quebrado o cerco do que Stannis, depois Robert chama o Ned para ser a nova Mão do Rei, sendo que Stannis ajudava Jon Arryn a governar há anos e pq Robert faz tudo isso e mais contra seu irmão? Pq Stannis é honesto demais com o que pensa, ele não demonstra sentimentos, para Robert, que adora um beijinho e um abraço, seu irmão do meio era um estorvo, um chato, mas o interessante era que Stannis era uma das pessoas mais leais a Robert, tanto quanto Ned e Jon Arryn, podendo ser até um pouco mais, pois o que leva Stannis ser leal a Robert é a razão, o dever e Stannis é muito razão, muito dever e direito, ele é um cara que mede seus atos a partir deste ponto de vista.

    A honestidade de Stannis incomoda muita gente, ele é um cara que dá as pessoas o que elas merecem e pouquissimas pessoas percebem isso nele, Davos é um que entende Stannis e é leal a ele por isso.

  • Lanah

    Eu também cogitava isso! Eu acharia péssimo se realmente alterassem essa parte do livro. Mas mudei de ideia quando apareceu aquela corrente de ouro. Seria uma cena totalmente desnecessária se houvesse essa mudança. Mesmo assim, acho que eles vão ter mais trabalho na série pra construir o porque da traição da Shae…

  • Júlio

    Eu trocaria os três adjetivos do Davos para: sincero, honesto e humilde. Ele deve a sua ascensão a Stannis, de um menino da Baixada das Pulgas até Mão do Rei. Ele sabe que Stannis é justo, essa é a qualidade mais exacerbada dele (o que talvez prejudique ele em outros aspectos – como vemos com todos os personagens no livro. Ned morreu porque carregava a sua honra a frente, sempre, por exemplo), e esse entendimento cria um senso de amizade, ou irmandade, entre o Stannis e Davos, pois a gratidão de um lado e a necessidade de palavras sinceras e de apoio ao caráter do outro, gera um vínculo que nenhum dos dois teve na vida.

    Não acho que a série traz algo insano no que tange às relações na sociedade, naquele contexto. A sociedade evolui, verdades são postas de lados, controvérsias começam a ser aceitas. Os valores não são imutáveis, e nunca serão. Assim, esse cenário não é fora da realidade como dragões, até porque todas essas relações e valores da sociedade, na série, são inspirados, em grande parte, na vida na Baixa Idade Média.

  • Val QF

    Eu achei que a caracterização do White Walker ficou um tanto falsa (tá é feito por computador, mas poderia ter sido melhor). E a cena dele lutando com o Sam!? Outros sabem lutar!? WTF

  • Oda júnior

    bitch
    n 1 cadela: fêmea de cão, lobo ou raposa. 2 depr meretriz, prostituta*.

    Espero ter ajudado.

  • Clarisse F.

    Sanguessugas normalmente têm substâncias anestésicas na boca justamente pra pessoa não sentir que está sendo mordida. Incomodar deve incomodar bastante, mas não sei se chega a causar dor dilacerante não.

  • Fernanda Reis

    OI Ana!

    Excelente análise, como sempre.”mesmo que sua peruca seja a mesma da Cersei.” Adorei! Acho que a caracterização dele assim, como está an série, está melhor que no livro. Se fossem deixar como no livro ficaria caricato, parecendo coisa de desenho animado. E eu achei que fosse a única que não suportasse Daario. Dia desses uma amiga minha não acreditou quando eu disse no FB que detesto ele. Talvez ela tenha uma visão mais romântica dele, ao passo que eu vejo ele mais como você: arrogante, seguro demais de si, e com doçura exagerada quando fala da beleza de Dany, o que para mim soa falso.

    Peter Dinklage realmente deu show. E eu também gostei do arco em Draginstone. Sam, the Slayer também foi legal e concordo com você, a parte dele na série está muito bem conduzida. O timing também me parece melhor, pois antecipa um pouco mais da relação entre Sam e Gilly (eu li em inglês e nunca lembro o nome dela em português. Aliás, nem sei porque foi traduzido). E também acho que Coldhands ainda vai aparecer.

    Beijo, querida!

  • ujaron

    Claro que sabem, até nos livros. Os outros não são zumbis, são uma raça diferente, segundo o próprio G.R.R Martin

  • Mário Luiz A. silva

    A análise esta muito boa, mas estou encafifado com os rumos que a série esta tomando, vejo com preocupaçao o aumento de mudanças do enredo da série em relação ao andamento da hitória no livro, vi em algum lugar que no contrado de GRRM com os produtores da série que há uma clausula que não permite ao autor dos livros dar pitaco nas mudanças que são inntroduzidas no enredo. Até certo ponto sei que quando se baseia um filme em um livro, sempre é nescessario algumas adaptação, todavia, como já disse o próprio GRRM, há sempre o risco do efeito borboleta. Mas será que tanta mudanças que estão ocorrendo não seria uma preparação para um final independentes de GRRM terminar ou não de escrever os dois volumes que faltam?

  • Gabriel Augusto

    Somente comentando para parabenizar. A análise ficou mais do que excelente! Ela conseguiu traduzir tudo o que o episódio nos tinha a oferecer.

  • Igor Melim

    Ser ou não dicionarizado não muda o fato. Procure “galinha” que é dicionarizado também como “mulher (as vezes homem) que se entrega fácil” entre outras coisas. O seu 1º exemplo é a DENOTAÇÃO, o 2º uma CONOTAÇÃO. Se você procurar exemplos NO USO, bitch, sempre que acompanhado de “wolf” significa a fêmea do mesmo. Pode ter outra conotação? Pode. Mas não é nem de longe a mais imediata.

  • gabriel

    WTF pro seu comentário.

  • Oda júnior

    O Martin já sabe o rumo que a história vai tomar, e ouvi dizer que ele já confidenciou com o Benioff e o Weiss a respeito disso. Mas não sei se isso é realmente verídico, espero que seja.

  • Arabiane

    Não aguento a sobrancelha preta da Dany nesta temporada. Baita falha do diretor de arte.

  • Julio Soares

    o que teve de sacanagem nesse episodio…
    Melisandre até teve um “rolo” com o Gendry, que eu achei extremamente necessário

  • anna paula romano

    Sim, entretanto este conceito é a sina da maioria dos segundos filhos de fato… Por isso o conceito é denominado “segundos filhos”… Por isso não questionei a inclusão de Arya como “segunda filha”, apesar dela ser a terceira… Por isso ainda que citei a Dany, já que ela é dada como “sem importância” no início da saga, apenas um objeto para ser negociado pelo e em prol do “primeiro filho”, superando este conceito de forma extraordinária… Ainda pode-se falar de Sansa, que, como “segunda filha” e ainda mulher, não tem importância política ou bélica para justificar a troca dela por jaime lannister, como bem aponta Robb em conversa com sua mãe… Enfim, conceitualmente, Dany foi e Sansa ainda é “segunda filha”.

  • Paloma R F

    concordo com tudo o que você disse. por isso acho que o Stannis merece o trono de ferro, mais até do que a dany

  • Daniel Barbosa Farias

    Excelente texto, não sabia que existia um site sobre GoT tão bom..

  • Erika

    Só eu que está achando os Lannisters foda nessa temporada??? Cada hora é um roubando cena e nesse episódio Tyrion arrasa mais uma vez!

  • Muito bem observado, sor. Sempre pensei nisso!

  • Tanto Harrenhal quanto Winterfell né? Achei estranho também.

  • Muita gente espera que a temporada encerre com a Coração de Pedra “nascendo”, até porque nas duas últimas temporadas tivemos encerramentos com elementos “sobrenaturais”, mas eu sinceramente espero que termine com o Mãos-Frias (que não seria menos sobrenatural, né?), porque eu acho que tudo “além da Muralha” nessa temporada poderia ter sido melhor trabalhado e talvez isso atraia a atenção das pessoas pra esse núcleo, afinal de contas, as crônicas são de “Gelo e Fogo” por algum motivo, e a ameaça dos Outros é na verdade muito mais importante do que o “jogo dos tronos” que os lordes do sul jogam.

    Aliás, não tinha comentado antes, mas gostei da análise Ana. Acho que sua escrita está ainda melhor, embora eu particularmente prefira os seus paralelos série x livro mesclados no texto mesmo, e não separados como você fez dessa vez. Acho que desse jeito tira um pouco a fluência do texto.

  • Rafael

    ae que tá, se fosse para escolher entre todos, ele seria a escolha correta, mesmo ele sendo com conservador, ele é o que se espera de um conservador, suas ações não são em beneficio proprio, não tem vaidade de ser o rei, ele considera mais uma obrigação dele ser o Rei é parecido com a Dany até, pois ela também considera-se no direito de ser Rainha, mas acho que a diferença é que Stannis sabe o tamanho do fardo que é governar, coisa que a Dany apenas descobre na Dança.

    Mas algo interessante no livro a respeito do poder são os lobos, e explica um pouco como Martin vê a liderança, o lobo alpha não é escolhido por herança ou idade, ele é determinado pela sua propria “personalidade”, quer dizer ele se faz o alpha, o lider, no livro ele mostra isso quando os lobos gigantes subjulgam os outros, pois os lobos escolhem o mais forte e os com mais poder de liderança, é mais simples, os humanos já existe uma serie de fatores mais complexos, sendo o mais ridiculo o do herdeiro, o homem como um ser pensante deveria determinar o lider de outras formas, como carater, honra, senso de dever, carisma, inteligencia, visão…mas enfim né..

  • MoisesSPFC

    pessoal arya ainda se reencontra com syrios forell ou com jaquen?seria interessante um reencontro

  • Peterson

    Domingo… 22:00… aquele vazio… pois é… qual é o sentido da vida? :.(

  • Jonas

    é claro q sabem lutar afinal como eles detonaram a patrulha no punho dos primeiros homens.

  • Stenio Camara

    é veridico….os produtores ja sabem o final da saga…

  • Vitor Nascimento

    Fico tão ansioso por essas análises quanto fico pela exibição do episódio. Parabéns.

  • Stenio Camara

    Mário, eu acho que eles estão rumando extremamente bem. As mudanças até agora não afetam a essência da historia diretamente. Acabam que as coisas estão acontecendo por meios diferentes mas com finais idênticos. Ou você ta preocupado com Edric Storm não ter aparecido/existido?! Pelo andar da carruagem tanto faz ele ter nascido ou não. Os bastardos de Robert não fazem mais tanta diferença para o reino.

  • MoisesSPFC

    ae pessoal,uma questao,arya reencontra syrio forell ou o jaquen?seria legal esse reencontro

  • estrelisia

    acho que sou a ÚNICA pessoa mesmo que achou este o episódio mais fraco da temporada. Mas adorei sua resenha, especialmente a parte sobre o casamento. E isto aqui “É claro que Tyrion pode fazê-la feliz, e é claro que de todo os homens em Westeros inteiro, ele seria o melhor marido, o melhor amigo e talvez o melhor amante. Eu me casaria com ele.” foi… DEMAIS! hauahauahauh, well done.

  • estrelisia

    por isso eu me casaria com o Tyrion, hauahauahaua…

    Vc tocou num ponto interessante. por mais revoltante que tenham sido os absurdos que o Mero disse na cara da Daenerys (não me lembro se no livro as ofensas são exatamente as mesmas), serve muito bem para mostrar a situação das mulheres em geral naquele universo) e ó que acho até atual…

  • estrelisia

    O Dinklage é sim bonito e sexy. Mas eu me casaria com o Tyrion sim, inclusive o do livro. O fato do Tyrion estar suavizado na TV (suprimiram cenas condenáveis do ponto de vista moral, como a eliminação do músico lá, por ex) não anula outro fato, que é o de ele ser – no livro tb – uma “criaturinha” sensível, gentil, engraçada, espirituosa e, nem precisava falar, inteligente por demais. Eu casava.

  • estrelisia

    ouiés, tb acho que o cerne da história toda gira em torno da ameaça dos Outros e da iminência da Longa Noite (coisa cíclica, já sabemos, especialmente se considerarmos a historinha antiga “The Ice Dragon”… :p), e não exatamente sobre a disputa pelo trono de ferro. E, por isso, acho que até mesmo nos livros já demorou pra isso começar a se desenvolver pra valer.

  • Anderson Lima

    até agora ela não reencontrou nenhum deles… xD

  • Anderson Lima

    concordo plenamente…

  • Anderson Lima

    é verídico sim, eles já sabem os principais pontos do final da história.

  • Anderson Lima

    é vdd, nao tinha me atentado a isso…

  • Tattinha

    “Se é R’hllor quem irá vencer o Grande Outro com uma espada flamejante, porque foram os velhos deuses quem olharam por Sam naquele momento?” Quem está por trás daquela árvore coração não eram os velhos deuses, apenas pessoas como Bran. Só R’hllor é o Deus verdadeiro em ASOIAF!!!

  • Diego Natan Canteri

    Po velho, mas desses ai só os sete que parecem ser historinha porque os outros já mostraram que tem poder sim. Sobre os reis, “o poder está onde o homem acredita que ele está”, talvez a veneração e/ou ódio que os súditos nutrem por seu líder tenha mais a ver com o tal poder do que a personalidade e feitos do rei em si..

  • Jackeline Falcão

    É meio engraçado ver alguém defendendo uma religião criada em uma obra de fantasia… Só mostra como George conseguiu construir tudo tão bem. Mas pessoalmente sou mais o Deus de Braavos 😉

  • Jessica

    Eu to adorando a mudança do Tyrion na serie tbm, ele ta mais delicado e por enquanto não esta sentindo atração pela Sansa, eu fiquei bem decepcionada cm ele quando ele deseja ela no livro, por ela ser mt novinha.

  • MoisesSPFC

    obrigado amigo

  • lucas

    Nunca tinha assistido uma série tão bem elaborada dessa maneira!

  • Vejo comentários aleatórios no estilo: Nossa, quero ver a cara do Tywin quando Robb tomar Casterly Rock.

    Ah, crianças do verão. Não sabem o que as aguarda. auhaeuhuaehuaeh

  • Ewerton Coutinho

    SABE O QUE EU ACHO EXTRANHO(comecei a ler o festim dos corvos agora) R’OLLOR TRAS PESSOAS DE VOLTA A VIDA ! E OS OUTROS TBM TRAZEM OS MORTOS A VIDA ! SERA QUE TEM ALGO QUE VA ME EXCLARECER ISSO MAIS PRA FRE FRENTE , VCS QUE JA LERAM ATÉ A DANÇA DOS DRAGÕES ?????

  • DemetrioSnow

    Faça isso, irmão.. vais se surpreender o/

  • Nathan Bonetti

    Fiquei em dúvida: a peruca do Daario é literalmente a mesma de Cersei?

  • Ronildo Pinheiro

    R’hollor é o grande vilão. Toda trama é orquestrada por ele, os tentáculos dele é encontrado em todas os “desastres” que ocorreram. Bran e os Stark são seus servos e vão lembrar quando o inverno chegar.

    kkkk

    Mas no fundo no fundo eu acho o R’Hollor muito forte para ele ser o salvador tá com cara de vilão com roupinha de cordeiro.

  • Ronildo Pinheiro

    Eu não. Até agora o mãos frias nada mais é que um corvo aleatório wargado lá pelo florestinha.

  • Tattinha

    herege!