Análise do episódio 3.04: “And Now His Watch Is Ended” (SEM SPOILERS)

Demorou, mas saiu. Nesse texto eu falo um pouco das minhas impressões a respeito do episódio que foi considerado por muitos como o melhor da série desde o épico “Blackwater”, “And Now His Watch Is Ended”, que foi dirigido pelo “iniciante” Alex Graves e que mais uma vez bateu todos os recordes de audiência.

E com aquela cena final, eu não ficarei surpreso se o episódio seguinte tiver o dobro de telespectadores.

Lembrando que esse texto NÃO CONTÉM SPOILERS DOS LIVROS e é destinado principalmente para aqueles que não terminaram ou sequer começaram a leitura dos mesmos. Se você já leu ou não se importa em saber o que vai acontecer, confira a análise com spoilers da Ana, que em breve deve estar saindo.

Vamos lá:

Segundo Brienne de Tarth, o mundo real é aquele onde as pessoas perdem as coisas com as quais elas mais se importam. Nós todos sabemos que isso é verdade, especialmente quando se fala do mundo em que eles estão. Bran perdeu os movimentos das pernas, Varys perdeu seus documentos e Tyrion quase perdeu o nariz e a vida na Batalha da Água Negra. Sem dúvidas esses três estão entre os personagens mais queridos e admirados pelos fãs da saga, e nesse episódio Jaime começou sua escalada rumo ao pódio.

A primeira cena tem, claramente, o intuito de fazer com que o telespectador sinta empatia e pena do Jaime, um personagem que até então não tinha se mostrado digno de tais sentimentos. A mão foi pendurada em seu pescoço pra lembrá-lo de que ele agora não é nada além de um prisioneiro; uma moeda de troca, e o close da câmera dado sobre ela por mais de uma vez também serviu pra nos lembrar disso. Em Game Of Thrones ninguém esta salvo de coisas como mutilação ou até piores. Nem mesmo o filho de Tywin Lannister.

Mas ele ainda é um orgulhoso leão do Rochedo. Um homem que prefere morrer do que viver longe da realidade de ser um dos maiores espadachins que o mundo já viu. Já Brienne que perdeu o rei a quem servia e amava, quer viver e consegue convencê-lo disso. Ela salva a vida dele assim como ele salvou sua honra no episódio anterior, quando ela esteve prestes a ser estuprada por Locke e seus homens.

É engraçado ouvir Brienne acusar o Jaime de estar “agindo como uma maldita mulher”. Nós sabemos que ela não é uma mulher nada convencional. Então será que aquilo não passou de uma ironia do tipo “Cara, eu sou mulher e donzela, a única no meio do bando, e não estou chorando e nem pensando em desistir”? Bem, nesse caso o Jaime poderia responder: “Você não perdeu sua mão da espada e não foi obrigada a beber mijo de cavalo”.

Talvez a fala tenha sido uma demonstração do descontentamento da personagem para com sua condição natural, o comportamento submisso de algumas das mulheres “convencionais” de Westeros e o papel que elas desempenham naquela sociedade.

Outro que anda caminhando em passos lentos e dolorosos rumo à redenção é o Theon. Como telespectadores, muitos podem ter ficado com a sensação nada agradável de que os dois últimos episódios em que acompanhamos a tortura e a fuga dele não passaram de pura enrolação. Mas vamos ter paciência, algumas coisas importantes aconteceram aqui.

Acreditando que seu “salvador” foi enviado pela irmã, Theon revela que os meninos Bran e Rickon não foram mortos por ele em Winterfell. Apenas nós e os homens que o acompanhavam naquela ocasião sabiam disso.

Também vimos pela primeira vez ele se arrepender abertamente por ter traído os Starks. Mas isso aconteceu por amor àqueles que foram como sua família durante anos ou por raiva do pai que, segundo seu novo amigo, estava por trás de sua captura? Seja lá qual tenha sido o motivo, só os Deuses podem dizer se ele já sofreu o suficiente pra pagar pelos seus pecados. E dessa vez eles disseram “não”.

Em “Dark Wings, Dark Words”, fomos levados a crer que o Corvo de Três Olhos era uma representação do próprio Bran. Agora vimos o garoto tentando alcançá-lo, até que a queda o impediu. Essa foi uma clara referência à queda que o deixou sem andar em “Winter Is Coming” e uma ótima oportunidade de ver Michelle Fairley atuando já que a verdadeira Cat esteve ausente durante o capítulo, assim como seu enteado favorito Jon Snow e alguns outros personagens.

A inclusão da cena  no episódio pareceu quase acidental, mas fora isso ela foi muito bem executada. A série tem acertado muito quando se trata da atmosfera alegórica e sobrenatural dos sonhos de Bran. É sempre intrigante e prazeroso assistí-los

Outro tópico marcante em “And Now His Watch Is Ended” foi a vingança. É isso que leva Tyrion aos humildes aposentos de seu velho amigo Varys:  vingança pela tentativa de assassinato sofrida na Batalha da Água Negra que, segundo o próprio Mestre dos Sussurros, foi encomendada pela rainha.

O Duende não consegue o que ele quer, mas nós conseguimos aquilo que vem sendo prometido desde “Blackwater”. Quem aí nunca quis ouvir a história de um dos personagens mais misteriosos de toda a saga? A história do Varys é de alguém que realmente teve paciência e sangue frio pra conseguir o que queria: influência. Só assim ele pôde realizar sua vingança. No final da sequência ele revela o homem que cortou seu membro, preso como um inseto numa teia. Não é a toa que ele é conhecido como “a Aranha” por todos os cantos do mundo… Sinistro.

 

No último episódio da segunda temporada nós vimos o Varys propor que a Ros passasse para o seu lado. Essa foi a primeira vez que vimos os dois juntos já como aliados. Ela revela a ele parte da conversa que Mindinho teve com Sansa em “Valar Dohaeris” e também menciona o feito extraordinário de Podrick em “Walk Of Punishment”. A maneira que os roteiristas incluíram essa menção aparentemente desnecessária no texto fez com que eu me perguntasse se isso pode servir pra algo importante no futuro. Ou talvez eles estejam apenas prolongando uma piada que perdeu a graça já a algum tempo.

O que acontece quando o inexistente encontra o decrépito? Me faltam palavras para elogiar o trabalho de Diana Rigg e Conleth Hill. O diálogo entre Varys e Olenna é sensacional. Além de muito bem escrito ele foi cheio de sutilezas e sacadas geniais. É claro que os personagens ajudaram muito.

Todo mundo sabe que o Varys sempre teve uma espécie de rixa antiga com o Mindinho. Nessa conversa ele desmente tudo isso, e traz argumentos que nos fazem acreditar que sua lealdade ao reino seja mesmo genuína, como ele afirmou a Ned Stark quando este estava preso nas masmorras em “The Pointy End”.

Além dos dois maiores conspiradores dos Sete Reinos, quem também parece estar preocupada com o destino de Sansa é a Margaery, demonstrando um certo esforço pra ser sua amiga. Mas ela estaria fazendo isso por amizade ou para tirar a rival do caminho? Afinal, Sansa é linda e já foi prometida ao Joffrey. Talvez a Margaery enxergue isso como um perigo.

Também é possível que essa aproximação seja por interesses familiares, tanto que a Margaery oferece a Sansa a possibilidade de casar-se com seu irmão, Loras. No diálogo com a Rainha dos Espinhos, Varys diz que Sansa será a chave para o Norte no caso de Robb Stark cair, e por isso despertava o interesse de muitos, inclusive, possivelmente, da Casa Tyrell… Mas vocês conseguem imaginar o Loras como Protetor do Norte?  Acho que não.

Só mesmo aquele fantástico Septo de Baelor pra me fazer tirar os olhos da belíssima Natalie Dormer por alguns segundos. A direção de arte realmente arrebentou nessa. E como se a visão interna não fosse o suficiente, ainda nos presenteiam com o vislumbre da parte exterior da estrutura que parece simplesmente fantástica, completamente diferente daquilo que vimos em “Baelor” durante a execução de Eddard.

Além de algumas histórias contadas pelo rei a respeito de Aerion “Chamaviva” e Rhaenyra Targaryen, nós ouvimos uma conversa interessante entre Cersei e Olenna Tyrell, duas mulheres descontentes pelo fato de serem subjugadas em detrimento dos homens. A diferença é que uma delas aceita e sabe lidar com isso de maneira majestosa, a outra não. Desconsiderando fosse esse fato, bem que a Olenna poderia ser vista como um reflexo não muito fiel do que a Cersei se tornará no futuro. Mas acontece que ela não tem nem a metade da inteligência que acredita ter, e seu pai sabe disso.

Achei inteligente a escolha da frase usada para desmerecer a rainha. Foi a mesma que ela usou para desmerecer o irmão mais novo em “Valar Dohaeris”, lembram? E essa cena dela com o Tywin propositalmente nos leva de volta a cena dele com o Tyrion vista naquele mesmo episódio.

Engraçado também é perceber como todos tem ciência da besta louca que é o Joffrey, ate mesmo os membros da sua família. Seu avô esteve o tempo todo procurando por alguém que controlasse seus impulsos, mas como nem a Cersei e nem o Tyrion foram capazes, ele “deposita toda sua confiança” em Margaery.

Aliás, o que o Tywin tanto faz com aquelas cartas?

É do arco dos Patrulheiros na Fortaleza de Craster que tiramos o nome do episódio. “And Now His Watch Is Ended” ou “E agora sua patrulha termina”, é um frase dita quando um patrulheiro morre e é claramente derivada do juramento da Patrulha, onde os recrutas dizem: “Night gathers. And Now My Watch Begins”. A própria tradição da Patrulha foi quebrada nessa noite quando Rast e um outro patrulheiro faminto iniciaram a revolta que acabou tirando também a vida do Senhor Comandante Mormont e do selvagem Craster enquanto Sam fugia com uma de suas filhas e seu bebê.

A cena foi rápida e um tanto confusa. A morte do Jeor pareceu quase banal. Mas acho que os produtores optaram pelo realismo nessa passagem. E também pela ação, é claro. Isso nós tivemos de sobra.

Mas a palavra “watch” também pode ser traduzida como “vigilância; atenção; cuidado e etc”. Se formos enxergar por esse lado, é possível que tenham existido outras referências ao título espalhadas nos outros núcleos. Como por exemplo, a longa espera do Varys por vingança, que termina com a aquisição do feiticeiro que o cortou; ou no lema da Casa Tyrell rejeitado por Olenna, “Crescendo Fortes”, que provavelmente se refere ao jogo deles, cujos resultados são geralmente colhidos a longo prazo. Afinal, influência cresce como uma erva. É uma mera questão de paciência…

Outra que se encontra prestes a conseguir sua vingança é Arya, que ao chegar no esconderijo de Beric Dondarrion tem a oportunidade de ver o Cão ser julgado pelos crimes que cometeu, incluindo a morte de seu amigo Mycah em “The Kingsroad”. O intérprete do comandante da Irmandade mudou desde sua aparição em “A Golden Crown”, mas Richard Dormer me pareceu suficientemente badass para o papel.

Essa parte na verdade foi uma preparação para aquilo que ainda está por vir. Ela serviu mais para introduzir o bando na história do que pra qualquer outra coisa, com explicações bem escritas sobre eles, a fé no Senhor da Luz e etc.

É claro que eu não podia deixar de falar da Daenerys. A última sequência desse episódio foi, sem sombra de duvidas, umas das melhores coisas que eu já vi se tratando de produção televisiva. Os  efeitos especiais responsáveis por Astapor, Drogon e aquela imensidão de homens enfileirados realmente foram dignos de cinema. O modo como Daenerys espera Kraznys entregar o exército em suas mãos para só então revelar o seu plano foi genial. Acredito que muitos de vocês não-leitores realmente chegaram a acreditar que ela fosse entregar um dos seus filhos. E pra quem tinha dúvidas a respeito da atuação de Emilia Clarke,  ela deu um show.

A música tocada ao fundo – uma variação mais pesada da faixa “Mother Of Dragons” encontrada na trilha da segunda temporada – aliada aos sons da marcha dos Imaculados influenciou de maneira definitiva para que o resultado final fosse alcançado. Ponto para o compositor Ramin Djawadi mais uma vez.

Tudo pareceu perfeitamente calculado, incluindo o tempo de duração da cena, infelizmente. Alguns rumores indicaram que a cena tomaria metade do episódio. Mas talvez ela tenha sido intencionalmente reduzida para que os cérebros do público ficassem como eu, que ao final daqueles quase 7 minutos ansiava desesperadamente por um pouco mais de fogo, sangue e valiriano. Muito valiriano.

 

É meus amigos, aquelas tomadas incríveis poderiam pertencer ao final de qualquer temporada se estivéssemos falando de uma outra série medieval qualquer, mas isso é Game Of Thrones, e esse foi apenas o quarto episódio. Muita água ainda vai passar por debaixo dessa ponte, e nós estaremos aqui assistindo.

___________________________________________________________________________

ATENÇÃO: Theon pode não ser o único a terminar a temporada na masmorra esse ano. Se você quer participar do MasmorraCast da terceira temporada de Thrones, clique aqui e saiba como enviar o seu áudio!

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados

  • como sempre, texto sensacional!

  • RenanRCV

    Bom ver que essa temporada está igual (ou superior) à primeira, com cenas f*** logo nos episódios iniciais e não deixando tudo de bom pro final como a temporada passada.
    Próximo episódio: Dondarrion x Clegane, Vamo que vamo!!

  • Christiano

    so não to gostando da Daenerys se achando muito, achando que sempre sabe de tudo,ta ficando chato ela achando que é a dona do mundo e a mais esperta de todos

  • Roberto Pereira

    Eu terminei o episódio de queixo caído. hahahaha

    Tudo muito bom. Bem que já tinham dito que o 3º livro é o melhor de todos.

    A atriz que faz a Daenrys tá cada vez mais linda e convincente como uma das participantes do Jogo dos Tronos. Quem diria vendo ela no começo como aquela menina assustadinha subjugada pelo irmão tirano e meio louco.

    Será que foi o Khal Drogo que “despertou” ou “injetou” kkk toda essa coragem e sabedoria na mocinha até então virginal? Pensando por esse lado até que o irmão que a vendeu em troca de um exército, no fim acabou fazendo a coisa certa.

    Jaime pode ser deixado vivo besuntado em mel sobre um formigueiro que nem assim ele terá a minha simpatia. Além de traçar a irmã – coisa meio difícil de engolir – ainda empurrou e quase matou o meu personagem preferido (Bran). Então todo castigo ao regicida é pouco.

    A morte do comandante foi um choque. A Patrulha da Noite tá completamente destruída ou não? Quantos ainda existem na muralha? Preciso terminar o 3º livro de qualquer jeito.

    A parte do Theon está me deixando totalmente confuso, mas tá muito intrigante. Enfim o seriado tá cada vez mais espetacular.

    Desculpem os comentários meio soltos e longo, mas é tanta coisa acontecendo que fica até difícil concatenar tudo. Por isso gosto muito dessa sua análise e a espeto ansiosamente toda semana.

  • Bacellar

    Obrigado, Regina! 🙂

  • Bacellar

    Hahaha. Mas cara, ela tem 3 dragões e agora 8.000 Imaculados.

  • Bacellar

    Também compartilho da sua opinião a respeito do Jaime, mas preferi não colocar isso no texto pra não ser atacado, afinal a maioria começou a gostar dele depois que entrou pro tipo dos mutilados, hehe. Obrigado Roberto! 🙂

  • estrelisia

    Eu já li todos os livros e sempre espero ansiosamente pela resenha com spoilers, sempre ótimas. Mas descobri que essas, sem spoilers são muito divertidas também! Primeiro porque acho que a série tem identidade própria e é legal curtí-la esquecendo um pouco dos livros. Segundo porque seus textos são excelentes e gostosos de ler! Parabéns, e concordo com você em (quase) tudo sobre esse episódio. Sensacional.

  • Jan Santos

    Cena do Varys e da Olenna… Fantástico texto! Ele e Mindinho protagonizam o verdadeiro jogo dos tronos, aquele bem político que ninguém vê. Hill e Rigg fazem um dupla incrível.

  • Bacellar

    Opa. Fiquei muito feliz em ler esse seu comentário. Eu também já li todos os livros e você não sabe como é difícil analisar a série sem toma-los como referência. (E sempre espero pelas resenhas da Ana também! rs). Muito obrigado! 🙂

  • Jan Santos

    Também estava me perguntando como raios você consegue dissociar… A série independente do livro também é uma coisa bem bacana de se prestar atenção

  • Só uma dúvida, para onde o Theon foi levado, para a antiga prisão onde estava, ou para um novo local ?

  • Bacellar

    Ele foi levado pro mesmo lugar. 🙂

  • Bacellar

    Eu costumo dizer que se Game Of Thrones fosse uma partida de xadrez Varys e Mindinho estariam dos dois lados do tabuleiro, hehe.

  • Fabio Abelha

    O que será que o Tywin Lannister está querendo com tanta carta, indeed…?

    E nesse episódio nem precisamos de peitinhos… bastaram os olhos hipnóticos da Natalie Dormer e a Esmé Bianco, quanto mais rechonchudinha, mais delicinha ^-^

  • Laís Batista

    Também me pergunto a mesma coisa… Eu não conseguiria fazer uma critica dos episódios sem citar os livros.Parabéns, pra vc que consegue essa proeza! Eu adorei a analise, e os questionamentos. Até para nós que lemos os livros são bons pra relembrar alguns assuntos

  • Fabio Abelha

    Quê isso Bacellar! Solta a língua mesmo, e deixe que os odiadores odeiem! hehe… eu particularmente sou um que adoro o Jaime, era divertido odia-lo nos primeiros livros e foi ainda melhor entender o ponto de vista dele a partir do terceiro…

    A questão da transformação do Jaime não foi exatamente a mutilação em si, mas o tipo de pessoa que ele vai passar a se tornar a partir desse momento.

  • Bacellar

    kkkkkkkkkkkkkkkk. Indeed.

  • Laís Batista
  • Bacellar

    Obrigado, milady =D

  • Bacellar

    Em um dos textos eu fui dizer que achava Kit Harrington um péssimo ator e quase quiseram me usar como novo modelo pra bandeira do Bolton. kkkkkk. Eu não odeio o Jaime, só acho que o que ele passou não se compara com o que Bran teve que passar por causa dele. O Bran perdeu as duas pernas pro resto da vida, Jaime perdeu uma mão. Não é justo nem matematicamente falando 🙂

  • Laís Batista

    Acho que o Jaime é uma peça fundamental pra realidade da história…. George Martin consegue fazer de uma fantasia, a obra mais real que já li. Se fosse em outro história, Jaime seria um personagem mal, odiado por todos, mas em Game of thrones, ele é mal, porém humano. Não sei vocês, mas consigo no fundo no fundo, entender Jaime. Até mesmo o fato dele amar a irmã. (Faz parte do realismo da série)

  • Aline Salvador

    Eu concordo com você! Também não sou fã nº 1 dela…. Sempre no bla, bla, bla… Mãe dos dragões, bla, bla, bla.. Fogo e sangue, bla, bla, bla… Chato.

  • Jan Santos

    Real, o jogo é deles

  • Alan Cunha

    concordo!!

  • Bacellar

    kkkkkkkkkkk

  • Bacellar

    Entendo e concordo com o que você diz, Laís. Como já disse, não odeio Jaime nem nada, só acho que o fato dele ter perdido a mão não apaga os pecados cometidos por ele. Davos teve os dedos cortados e os crimes dele foram muito menores, hehe.

  • Bacellar

    E vamos lembrar que ele ajudou a colocar o Joffrey no mundo. Não existe crime mais imperdoável do que este, rsrs.

  • Eduan

    Alguem notou no toque de humanidade que deram aos imaculados? na hora que a Daenerys fala para atacarem aparece todos parados parecendo que não irão sair do lugar… mas quando ele fala dracarys e o dragão gospe fogo no antigo mestre.. a cena corta para um imaculado atacando e logo aparece outros começando a atacar… a escolha da ordem das cenas foi surpreendente…

  • Flavio Vasconcelos

    Com certeza! Varys x Littlefinger é briga de cachorro grande! Mas pelos livros, os objetivos do Mindinho são mais mundanos e inclinados ao auto-favorecimento, já os do Varys são mais… enigmáticos, hehe…

  • Flavio Vasconcelos

    Ao longo de toda a obra, o autor nos demonstra por meio de várias personagens, a extrema complexidade do ser humano: mesmo o mais lixo e desprezível indivíduo tem no seu íntimo a centelha da honra e da justiça… Quem nunca desejou a morte de alguém que atire a 1ª pedra.

  • Calvin

    A cena de Varys pra mim reforça a idéia de que na conclusão da saga muitas vinganças serão consumadas!

  • Juliana Ribas

    Pra quem leu os livros é mais fácil de entender porque começamos a gostar dele, mas ainda não sei como farão para mostrar isso na série, e eu também não sei explicar como meu sentimento por ele mudou sem soltar uns spoilers, mas tem muito mais haver com os sentimentos dele do que com a perda da mão propriamente dita. No livro 4 tem muitos capítulos dele mostrando ao leitor o que ele sente quando o chamam de Regicida, se isso mexe com ele ou não, e ainda tem a “evolução” dos sentimentos dele pela Cercei por assim dizer, que também nos influencia… gente só sei que eu quero que esse livro 6 saia logo!! rsrs

  • Bacellar

    Sim, o Jaime tem características admiráveis também. No episódio anterior, por exemplo, antes de ter a mão cortada, ele salvou a Brienne. (:

  • Laís Batista

    Claro que não, o fato dele ter jogado o Bran jamais vamos perdoar isso. Apenas digo, entendo o papel dele na série. Não amo ele, mas também não o odeio. Aquela frase que ele diz pra Brienne “Não podemos escolher quem amamos” é essencial pra essa compreensão. Ele é humano, seres humanos fazem merda o tempo todo, e acho que isso que o Tio Martin quis passar. Ele é uma vilão, mas não é 100% mal, ele as vezes se dá bem, mas também se as vezes fode. E eu adoro isso!

  • Bacellar

    Hehehe. Exato. Por enquanto eu acho que o Varys é aquele que joga com as peças brancas, rrsrs..

  • Laís Batista

    A interpretação do ator será fundamental. Acho que ele conseguirá, mais do que ninguém passar esses sentimentos que lemos nos livros pra série. (Nicolaj é foda)

  • Vinicius

    Bacellar, novamente sua análise foi espetacular!! Mas isso já não é mais novidade. Essa semana entrei todos os dias no site para ver se a análise já tinha sido publicada. A espera foi ainda maior dessa vez em razão do excelente capítulo que assisti no domingo. Estou ainda lendo o segundo livro (a passos lentos), por isso acho excelente a idéia de termos uma análise feita apenas em cima da série de televisão. Mesmo que a serie desagrade os mais conservadores. Assim, pessoas como eu, podem participar e ter a oportunidade de ler uma análise com a tranquilidade de saber que os segredos não serão revelados. Tens uma excelente forma de escrever que deixa a análise gostosa de ler. Ainda mais sabendo das dificuldades que tens para escrever sem deixar escapar nenhum spoiler. Ganhastes um fã! E não reclamarei da longa espera pelo tópico da análise, pois são sempre feitos por você de forma brilhante. E isso, às vezes, toma algum tempo.. Um grande abraço, Vinicius!

  • Bacellar

    Caramba, Vinícius. Fiquei muito feliz com seu comentário, cara. Valeu mesmo. Abração!

  • Vanessa Ferreira

    Excelente, já li os livros mas gosto de ler as duas análises, sério vocês são demais, não sei o que seria de mim, mera mortal, sem esse site! 🙂
    P.S.: Tenho medo desse olhar do “salvador” do Theon…

  • Laercio Macedo

    merecido

  • Não conhecia o site, como sou Web-Designer o estilo simplório do site não me chamou a atenção, porém nem toda beleza está nos banners, efeitos e letras diferentes, neste caso a beleza está nos textos, releituras e spoilers, apresentados nas postagens, meus parabéns :D.
    Fico imaginando o futuro de Bran, pois cada vez suas visões estão mais constantes.
    Fique com dó de Theon pois o mesmo sabe que fez errado, mas como não há concerto pagará por seus feitos.

  • Bacellar

    E sem vocês não teríamos pra quem fazer esses textos, haha 🙂 Valeu Vanessa!

  • Bacellar

    Obrigado Laercio o/

  • Bacellar

    Hahaha. Obrigado amigo. Mas temos um layout irado quase pronto pra ser lançado. 😀 Aguarde!

  • Bacellar

    Se os personagens tiverem estômago pra isso.. hehe.

  • Rodolfo Basso de Araújo

    Gente, só eu percebi a olhadinha estilo “please bitch” que a Margaery da pra Cersei quando eles vão sair do Septo?? E a interpretação da Maisie quando fala do Micah… e por último, o Variliano é mesmo uma Lingua formada, tipo, completa?

  • Bacellar

    Sim, uma língua completa criada para a série pelo especialista David J. Peterson, assim como o dothraki. 🙂

  • Resenha excelente, eu ja li todos os livros mas ainda prefiro as resenhas sem spoillers.
    Esse episódio foi o mais surpreendente até agora, principalmente pra quem não leu os livros, todos os personagens amarrando suas historias e os atores tem interpretado cada vez melhor..
    A Rainha das Rosas x Cersei, A Rainha das Rosas x Varys perfeito, o Joffrei louco sendo manipulado descaradamente pela excelente Margaery (bem criada pela avó na arte do jogo dos tronos) …
    Lord Comandante..sniff..rest in peace, foi uma cena muito muito tensa, a musica, o breuu..a voz daquele traidor..rsrs (mesmo pra quem já sabia o que ia acontecer) foii…de assistir prendendo a respiração…
    [SPOILER] na minha opinião o Theon ainda tem muitoo que se arrepender….
    e então o momento que todos aguardavam…quando a Dany falou em Valiryano…aiii foi o ponto alto, ela transcendeu, se revelou como a Daenerys que todos amam esperam…Dracarys!!!

    Parabéns aos tecnicos de efeitos especiais, eu parei varias vezes so p ver os movimentos do dragão é ficou muitoo reall!!!

  • Débora Brandão

    assim como os outros, eu tb me perguntei durante todo o texto como vc consegue fazer a resenha separada dos livros… pq o tempo todo minha cabeça pega fragmentos dos livros… parabéns… ansiosa pela análise com spoilers.

  • Bacellar

    Valeu, Débora! o/

  • Bacellar

    Muito obrigado, Cássia! Só dei uma pequena editada no comentário por quer não sei se todos já sacaram isso nessa cena, hahaha. Beijão!

  • Chris

    A participação da Arya está muito ruim nessa temporada! Além de ser curta e diversamente cortada em relação ao livo, fica difícil de entemder e até um pouco forçado.
    A atriz é ótima e espero que pelo menos a luta no próximo episódio seja boa, considerando a péssima atuação do Rory McCain.

  • Valéria Cardoso

    li suas duas resenhas estao todas otimas meus parabens demais o que falou do Jaime concordo plenamente ja li todos os livros e ainda nao sei como voce cnsegue fazer uma resenha sem ultilizar fatos do livro

  • RenanRCV

    Não é que esteja se achando. Ela só está usando a única coisa que tinha sobrado pra ela: os títulos. Se ela não conseguir se impor se usando dos títulos dela, como iria conseguir antes? Só agora que apareceu a oportunidade dela conseguir se impor através da esperteza =]

  • Flavio Vasconcelos

    Kkkkk True!

  • Sério, quando eu li nos livros eu fiquei sem palavras pra tamanha badassisse, mas esse foi o primeiro caso que a série SUPEROU os livros! Quando terminou o episódio fiquei minutos ainda olhando pra tela do computador com cara de tacho. Simplesmente sensacional!! Sério, palmas pro Alex, Dou 1000 dragões a esse EP.

  • Bacellar!!! Só vim aqui para falar que você está muito pop =)
    E merece tds os elogios, já que suas análises são sempre perfeitas.
    Bjs

  • O melhor episodio ate agora….

  • Danielle Daltro

    Perfeita resenha!
    Daenerys divaaa!
    Arya adolescente mega adulta!
    Olenna Tyrell humorista ácida!

    E todos os demais: perfeitos!
    Algo foi ruim no episódio? Sim: o fato dele ter acabado…
    Senti um vazio imenso e nem consegui dormir direito depois. Resultado: fui trabalhar no dia seguinte cheia de olheiras…
    Aguardando ansiosamente o episódio 3.05.

  • Mesmo não tendo lido ainda o livro eu sabia que Daenerys nunca entragaria um de seus dragões, pois em todos os episódios desde que eles nasceram ela demonstrou dar muito mais valor a eles do que a qualquer exercito. Mas achei simplesmente linda a forma como ela só fala “Dracarys”

  • Adoro os comentários que surgem aqui após cada episódio, assim ficamos sabendo da reação da galera quanto a história, e dá-lhe surpresas, é o que Martin faz de melhor.Estou ansiosa para ler o sexto livro, amo de paixão Sandor, por sua história de vida e tudo mais, fico imaginando o cara nunca ser tocado com amor, caramba deve ser duro, todos só criticam e ainda vcs tem dó do Jaime… acho que por ter matado Jory ele merece perder a outra mão, nunca esquecerei disso. Bom a resenha é demais, parabéns!!!!! não dá pra ficar sem conferir. Minha nossa, fico pensando nas cenas que estão por vir UAU!