Análise do episódio 3.04: “And Now his Watch is Ended” (COM SPOILERS)

O texto a seguir possui spoilers do livro A Tormenta de Espadas que ainda não foram abordados na série de TV. Leia por sua conta. Foram adaptados para este episódio cenas dos capítulos Jaime IV, Tyrion II, Samwell II, Arya VI, Daenerys III e Tyrion X (este último de A Fúria dos Reis). Para encontrar o conteúdo geral destes capítulos, clique aqui.

Para se vingar, é necessário mudar aquilo que você é? Será mesmo que não há elegância na mostruosidade dos nossos atos quando nos propomos a praticar a vingança? Neste, que foi o episódio mais bonito de Game of Thrones desde Blackwater, assistimos a um belíssimo mural de temas e ações bem filmados e bem construídos com essa temática da vingança. Com direção do inspirado Alex Graves que estreia em Game of Thrones, e roteiro de David e Dan (não levem isso tão a sério porque nessa temporada a montagem das cenas foi modificada na edição final, então em todos os episódios temos cenas escritas por várias pessoas diferentes), “And Now his Watch is Ended” deixou todo mundo sem fôlego e emocionado. É a primeira vez na série que eu vejo que quase todas as cenas, embora com tons emocionais tão diferentes, tenham ficado tão bem ao lado uma das outras.

Na primeira cena somos apresentados a condição de Jaime, que tenta se equilibrar em seu cavalo em um estado febril e delirante de dor e humilhação. Toda a estrutura medieval de ter um membro amputado e estar em um ambiente hostil, sujo e violento é insana. É aflitivo e grotesco. É uma linha narrativa viva de construção de personagem, como raramente vemos na série, apesar de que no começo da cena e em alguns outros momentos, Nikolaj é bem passivo em relação a dor que ele deveria de fato estar sentido. Mas, apesar de tudo isso, a cena foi realista demais e muito impactante, bem como é descrito em Jaime IV, capítulo que serviu de base para todas as cenas Jaime/Brienne deste episódio. É nesse capítulo que Brienne é quase estuprada novamente, que Jaime fica gritando “safiras!” e que o regicida narra o dia em que Aerys queimou Lorde Rickard Stark vivo enquanto Brandon morria tentando salvá-lo. E também é nesse que eles finalmente chegam a Harrenhal, que sabemos que acontecerá no capítulo que vem.

E o horror no olhar e na voz de Brienne, que traduz o peso de carregar o mundo nas costas. Todos esses temas que são tão fortes no arco destes dois personagens são tão genuínos que nenhuma frase de efeito parece ser maior do que eles. E novamente, isso é algo bastante raro nesta série. E pensar que pra ela o pior ainda está por vir é devastador. E de novo pessoal, essa edição de som nas cenas de ação estão realmente boas! Quando puderem assistir novamente, prestem atenção no som das espadas, socos, chutes. É muito bem feito.

Interessante que essa história do Varys tenha saído ali dos confins de A Fúria dos Reis (adaptação de Tyrion X). E isso me lembra o quanto esses dois personagens ficam próximos nos livros, por questão de necessidade, interesse mútuo (na época Tyrion era Mão), o lance com Shae e Symon Língua de Prata e etc. Mas na série temos esse momento “segredo de seus olhos“, que coloca sem dúvida o personagem de Varys em uma perspectiva nova para aqueles que não entendem muito bem qual é o papel dele na história até então, e do que ele é capaz. Por que… bem, sua relação com Tyrion começa em A Fúria dos Reis e todo mundo sabe que na temporada passada algo da essência da maioria dos personagens se perdeu. Em pequenas cenas como essa eles tentam encontrar essa essência. Mesmo assim, vale lembrar que no personagem de Varys dos livros, há uma áurea de mistério muito grande. Talvez em relação a sua origem, que é contada por ele e pode ser apenas parte da verdade. Mas principalmente por quem Varys é hoje, e o que ele faz por trás das paredes, sussurrando e soltando seus passarinhos. Porque é necessário eliminar todo esse sensacional recurso da história pra ousar produzir uma cena em que ele claramente mostra o que quer para Lady Olenna, Ros e Tyrion.

E uau, de novo uma cena com espelhos… Algo como “este é quem eu sou” ou “olhe também e se verá refletido aqui, no mesmo espelho que eu, com as minhas mesmas maluquices de eunuco”.

Toda a história da castração de Varys, o misticismo, a voz, o bruxo e a entrega da masculinidade tem muita semelhança com o fato de que Craster entregava seus filhos homens aos White Walkers, né? Weird.

 

Uau. Esse sonho do Bran foi sensacional. Mais uma cena que não tem no livro e que ficou ótima. Cat ali representando as últimas memórias que ele teve da mãe, misturada com a saudade de casa e o horror de cair. O fato de que Bran gosta de escalar e até mesmo se arriscaria a fazer isso novamente. O simbolismo de que, pra “voar”, Bran terá que se desapegar de muitas coisas e tudo mais. Todo esse arco de Bran começa a representar um pouco os capítulos dele em A Dança e eu me arrisco a dizer que, se algum dia a série começar a mostrar flashbacks da história, será através dos sonhos dele. Só acho que Jojen sonhar junto dele ainda é um conceito esquisito pra mim. Eu pessoalmente não gostaria que ninguém se infiltrasse nos meus sonhos. Sem Bran começar a se interessar por Meera de maneira mais expressiva, Jojen também invadirá seus sonhos? Isso é… estranho. Sei lá.

Podrick Pane, Deus do Sexo. Isso não pode ser algo gratuito. Eu me recuso a acreditar nisso. Ros dizendo que foi algo “difícil de descrever”… prefiro mesmo acreditar que há algo aqui, mesmo que não tenha. Talvez a cena só tenha servido pra mostrar que TUDO chega aos ouvidos da Aranha. Mas aí ficamos sabendo que Mindinho está com a cabeça em outro lugar e se preparando para ir ao Ninho da Águia. Esse lance do inventário do navio foi muito legal. Metade das fugas aluciadas em As Crônicas de Gelo e Fogo teriam sido evitadas se em dado momento alguém apresentasse o inventário dos navios aos Lannister, por exemplo.

É muito triste ter que aprender história com Joffrey. Mas é MUITO LEGAL conhecer o Grande Septo de Baelor por dentro. Que design de interiores inspirador! É uma mistura maluca de vários templos e culturas dentro de um só lugar. E ele é muito maior do que várias locações das cenas que vimos até agora. Acho que boa parte dessa cena é CGI e que daqui pra frente, muitas cenas se passarão nesse cenário, lembrando que O Festim dos Corvos é basicamente um livro que contempla as religiões.

 

Enquanto Margaery precisa mentir pra ser aceita, é muito bacana como Cersei e Olenna apesar de tudo são estritamente sinceras uma com a outra. Cersei não poupa esforços pra falar sobre como Robert mereceu o que teve, e Ollena não poupa ao dizer na cara da rainha que seu filho provavelmente vai morrer, que ele vai merecer e que provavelmente vai ser a própria Ollena que vai dar um jeito nisso. Isso é, no mínimo, brilhante. Não só a cena, como a cara que Cersei faz.

Eles fecharam o septo para que o rei e a rainha o visitassem, certo? Parece um lugar muito bem conservado para toda essa gente… E outra coisa. Embora a cena da revolta durante a partida da Myrcella seja bastante acurada, o povo de Porto Real não culpa Joffrey necessariamente pelos problemas do reino. Ele é amado por parte do povo. O povo odeia mais Tyrion do que ele, algo que infelizmente não tivemos a oportunidade de ver na tela no ano passado. Quem sabe agora que Tyrion é mestre da moeda as coisas mudem…

O arco de Theon ficou mais claro, finalmente. Roose pediu que o filho bastardo capturasse Theon, e isso foi exatamente o que ele fez. Eu conheci o Alfie Allen ontem de manhã e tenho algo a dizer: não é possível que Theon e Alfie sejam a mesma pessoa, o que torna o ator uma das coisinhas mais brilhantes da televisão. A gente sempre tem essa sensação de que o Theon é um porra louca, e de que o ator também é. Assim como Osha e Natalia Tena, que também conheci pessoalmente e que, nesse caso, é bem verdade. Mas Alfie não, Theon não está nele de graça, mas ele cria isso na TV. Nessa cena em que ele conversa com o “garoto”, ao observar o semblante do personagem e o jeito de falar e o jeito de olhar… é outra pessoa. É MUITO encantadora a maneira como Alfie atua.

Pelo Sete, Theon vai sofrer muito nas mãos desse garoto. Essa série é cruel. E novamente, assim como nos livros, o bastardo Bolton terá esse segredo de Theon, de que Bran e Rickon estão vivos. E ah, algo muito intrigante: o fato de que Theon realmente achou que aquele lugar fosse Deepwood Motte (Bosque Profundo), lugar que realmente percente a irmã dele nos livros até A Dança.

É importante é apontar o quanto Brienne coloca na cabeça de Jaime a
sementinha da vingança, e é como a relação dos dois vai se fortalecendo. Viva, fique firme. Viva e vingue-se. O que é basicamente a mesma
mensagem que Tyrion busca ao procurar Varys neste episódio, o que Arya
dá de presente a Sandor, o que Daenerys “dança” na Baía dos Escravos.

Jaime continua sendo o cara que aleijou Bran e Theon continua sendo o cara que matou os filhos do moleiro. Há realmente redenção pra isso, pessoal? No caso do Theon a coisa é realmente muito mais assustadora, pelo que ainda vai acontecer com ele. Mas qual é essa mágica que nos faz torcer por Jaime, no final das contas?

Fico pensando que essa redenção dos personagens é muito curiosa, e é um tema tão recorrente, né? É como se, no final do último livro o R. R. Martin explicasse que só escreveu essa história porque matou uma criança sem querer anos atrás e, através dos livros, gostaria que as pessoas soubessem o quanto um crime desses pode ser ok, porque há coisas maiores no mundo do que o assassinato de crianças.  (E daí ele foge para as Bahamas e nunca mais é visto.)

Tywin está fazendo tudo o que pode Cersei, TUDO o que pode pra ter Jaime de volta. Ah, a vingança. Veja aqui como as duas cenas que mostraram ele escrevendo as cartas do Casamento Vermelho são idênticas. Nas duas, Tyrion e Cersei pedem a ele coisas que são superficiais pra ele em um momento em que ele está tentando ganhar a guerra com lindas cartinhas. Quanto a tratar os filhos desse jeito, bem, ele tem suas razões. Margaery está sendo esperta mas Cersei deveria estar sendo mais. É isso o que Tywin quer que ela entenda, e isso é o mínimo que ele espera dos filhos. Mas é interessante lembrar da cena do livro em que Joffrey começa a destratar o avô, chamá-lo de covarde por ter virado a casaca contra Aerys. Será que a TV mostrará isso?

 

É bacana a maneira como a Diana Rigg dá vida a Olenna Redwynebrilhantemente, cheia de espinhos, e sem deixá-la caricata como é nos livros (o que não é um problema, mas na TV ficaria bastante alegórico). Eu curto bastante as brincadeiras com os espectadores que existem no roteiro, como essa “zoeira” que ela faz com o símbolo da própria casa. Ninguém (ok, algumas pessoas) escolhe os Tyrell como casa. As pessoas preferem mesmo ser leões, lobos e lulas gigantes e dragões. Não há misticismo na casa Tyrell, como há nos Stark troca-peles, na religião do Deus Afogado e em uma casa que tem dragões. Não dá pra se competir com isso, e no entanto as teorias de conspiração dos Tyrell são muito vivas nos livros. O fato de que eles querem Westeros pra eles, e como são inteligentes, astutos e elegantes. E vai ser muito legal ver os Martell chegando a Porto Real no ano que vem, mostrando quem essas rosas são.Sabe o que é muito legal? Na cena em que Varys e Olenna andam pelo pátio os passarinhos cantam ao fundo, hehehe.Mas nos livros Varys jamais se alia aos Tyrell, e não move um dedinho pra ajudar Sansa. E cara, é tão mais óbvio na série que Robb Stark vai morrer. As pessoas já contam com isso nos livros também, mas na série é muito mais evidente(principalmente a partir da segunda leitura). Não acho que o personagem do Willas seja necessário e faz bastante sentido Loras não estar na Guarda Real. Quando Jaime chegar, as coisas irão mudar.

Temos duas atrizes jovens e lindas. Vamos deixá-las atuar? É claro que vamos. Sabe, eu realmente não sinto falto de ter um represeiro ou uma Árvore Coração dentro dos limites da Fortaleza Vermelha, porque isso torna as do Norte muito mais legais e exclusivas. E isso faz de Winterfell um lugar pra se querer voltar, imediatamente. E Sansa rezando em um toco de árvore mostra o que há pra ela naquele lugar, mesmo que os deuses dela sejam os da mãe, e não os do pai.

Quando Edd Doloroso fala que é bom o cheiro do Bannen queimando, ele realmente quer dizer isso nos livros. Porque ele e todos ali sentem fome, muita. Essa cena (e a do começo que mostra Rast sendo sinistro) são adaptações de Sam II acrescentando o fato de que o motim para matar Mormont é um arranjo que no livro é mostrado logo do prólogo. Adoro o Mormont, adoro o James Cosmo. Ele será eternamente o Velho Urso. E é por isso que acho que ele merecia um final melhor, com direito a uma despedida para Jorah em nome de Sam, e com mais clima. E principalmente ver alguém citar os direitos de hóspede.

E bem, vamos a Rast. Rast, o personagem que incorporou
todos os patrulheiros babacas na série. Jon já tinha dado vários paus nele. Só não entendi porque escalaram o Burn Gorman
pra fazer apenas um ou dois episódios. Qualquer um poderia ter feito o que ele
fez, e o ator é muito bom e poderia ser mais aproveitado em outras
ocasiões.

Ficaria bem mais fácil retratar a
situação se eles estivessem exaustos da fuga dos White Walkers, e
realmente famintos e congelados. Filmar na Inslândia em condições tão
perigosas e eventuais prova que a produção dessas cenas da Patrulha da
Noite está sendo muito comprometida. Tanto o núcleo de Jon quanto o de
Sam não estão sólidos. E é fato: foi impressionante o take em que Rast esfaqueia o Senhor
Comandante no chão. Bem, de repente no episódio que vem ainda veremos um
fechamento para esta cena.

Sam fugindo com Gilly e o bebê foi divertido. Os berros do bebê não só são fiéis aos livros como são realmente assustadores e irritantes. Andar com um bebê naquela neve toda e fazê-lo chegar vivo do outro lado na Muralha é a coisa mais surreal que o Martin já inventou.

Quando Beric começa a falar sobre ser um fantasma a câmera lentamente segue em direção a ele: “É isso o que somos. Fantasmas. Esperando por você na escuridão. Vocês não nos veem, mas vemos vocês. Não importa que manto usa: Lannister, Stark ou Baratheon. Se você molesta os fracos, a Irmandade sem Bandeiras te caçará. Aye.” É bacana a maneira como Gendry fica inspirado com aquilo, como Arya fica com os olhos marejados e lembra-se de Mycah e finalmente vinga-se, mesmo que essa vingança seja vazia. É como todos os nomes pelos quais ela reza. Nada daquilo vai trazer pra ela o pai e a casa de volta.O começo dessa cena foi incrível, e é uma pena ter sido jogada do meio de um episódio que não teve espaço pra isso se desenvolver. Também é uma pena a falta de mais contexto pra esse núcleo. E bem, Richard Dormer é ótimo, mas o Beric dos livros a essa altura parece mais um espantalho humano, todo remendado, né? Aqui não. Mas ok. Essa cena inteira é adaptação de Arya VI, incluindo a parte que estão indo para o Monte Oco vendados. E é nesse capítulo que a luta Cão X Dondarrion se desenvolve, coisa que veremos no episódio que vem.

Ok. Até aqui tínhamos um ótimo episódio, muitos sentimentos, sofrimentos, antecipações e deleites para os olhos. Mas a cena fundamental ainda estaria por vir, tomando aí sete minutos do episódio (enquanto o rumor era de que na verdade a cena teria muito mais tempo em tela). Dany III é um capítulo extremamente caricato, e todo mundo que o leu pela primeira vez ficou bastante emocionado. Vou me abster de fazer qualquer comparação a não ser esta: as condições culturais de Astapor. Não são somente pessoas vestindo tokar com chicotes na mão. A harpia está ali por um motivo, etc. Mas olha, que cena bonita….

Gostaria de destacar o semblante de Dany quando ela ganha o chicote. O alívio e a excitação contidos. Depois o desespero de Drogon vendo sua mãe dando as costas pra ele.

Além da língua valiriana criada pelo David J. Peterson com tanto carinho ter ficado tão líquida, sexy e autêntica na voz de uma Targaryen, Daenerys pela primeira vez se pareceu com um dragão, justo, ousado, manupulador, terrível e belo. As tomadas, a fotografia, tudo foi muito grandioso. Por mais que o fogo de Drogon ainda seja pouco perto do que vemos no cinema com dragões menores do que ele, o amor pela personagem e pela história fez tudo isso parecer perfeito. Rápido, mais perfeito.

E então, com a trilha sonora perfeita batendo nos ritmos dos nossos corações (hahaha que brega), Dany marcha para o amanhã, com seus três filhos, oito mil soldados, milhares de escravos libertos, seu urso, seu sor vovô, Missandei e seu khalasar. Mas então… onde teremos dinheiro pra alimentar todas essas pessoas, Daenerys? E sabe o que é MUITO engraçado? Depois disso começam os créditos, e então inúmeros nomes de pessoas da produção da série aparecem ali, sem fim. O que me fez pensar exatamente a mesma coisa.

Depois dessa cena e a partir de agora é bem legal rever o vídeo da história e tradição de Valiria e os Dragões pra entender um pouco de onde surgiram os Targaryen, e porque Dany conhece esta língua.
[PODCAST] Não esqueça de
enviar o áudio de suas impressões do episódio para participar do
Masmorra Cast no final da temporada. Vale lembrar que você só pode
mandar um áudio durante toda a temporada, então, se você curtiu bastante
esse episódio, corre lá.

——————————————————————————————————————

x] Em
todas as minhas resenhas sempre garimpo imagens e gifs do Tumblr pra
ilustrar o texto. Aqui você encontrou imagens retiradas de sites como o capsofthrones.
O trabalho desses tumblrs na criação e tratamento dessas imagens é
muito bacana, bem feito, completo e especial. Não deixe de
acompanhá-los.

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados

  • Rafael Mendonça

    Interessante mesmo é ouvir vários amigos comentando “agora sim a Dany chega em Westeros” ou “espero que os Dragões cheguem em Porto Real antes do fim da temporada”.
    Realmente senti pena.

  • Gabriel Augusto

    Nunca posso deixar de ler sem comentar. Parabéns pela resenha, realmente conseguiu captar tudo o que o episódio tinha a nos mostrar.

  • Acho que essa resenha foi menor (talvez seja impressão) e mais direta, mas eu gostei muito porque você conseguiu me fazer enxergar coisas legais que eu não tinha percebido, e também afirmou algumas que eu adorei (como a gente conversou ontem mesmo a respeito da cena da Olenna com a Cersei ou do Varys com o Tyrion). E, meu, foi um episódio bom demais, não tem muito o que dizer além disso. Adorei a resenha Ana, você sempre me faz rir em alguns momentos hahaha

    Ps: Realmente, o que você falou do Alfie… É assustadora a mudança! O Liam me pareceu muito mais o Davos do que o Alfie o Theon. Muito mesmo. Mas eu acho que aí entra uma mudança do próprio Theon ao longo da série, porque se eu penso no Theon da 1ª temporada eu consigo imaginar ele muito mais “Alfie” do que o Theon dessa temporada…

  • mariana redd

    Eu não gostei do lance do inventário do navio. Aliás, detestei! Acho que estão entregando muito rápido o esquema da fuga do Mindinho com a Sansa. Achei que iam trabalhar de um jeito que só quem leu fosse entender o q tá acontecendo, mas já deu pra qualquer leigo sacar o q vai rolar. Assim que a série mostrar o casamento dela com o Tyrion, vão entregar mais coisas tb…

    O Norte, sem comentários. To achando tudo péssimo, os 2 núcleos! (menos o Tormund, mesmo q tenha aparecido pouco eu adorei hahaha)

    E o Ramsay… acho q eu tenho q me acostumar com ele aidna. Eu imaginava ele muito mais badass, sério, com cara de mal, o demônio em pessoa. Só que pelo q eu to vendo, a série pinta ele como outro tipo de “demônio”, bem sorridente e com cara de psicótico. Medonho. hahahaha

    Mas to adorando a Rainha dos Espinhos! E estou LOUCA pra ver os Martell, e Dorne!

    E essa cena da Daenerys foi linda! Mostrando pra galera pq é minha personagem preferida e eu puxo tanto saco! hahahah

  • Laís Batista

    “Tarly, volte aqui!!! Diga pra meu filho vestir negro!!!!” – velho urso kkkkkkkkkkkkkkkkk Genial

  • Acho que vi e revi essa cena da Dany umas seis vezes. Sem brincadeira. O que a gente vê, é a transição de uma menina que até então só parecia uma garota teimosa, pra uma mulher, violenta, guerreira e com ideais ( Quem quiser me seguir, me seguirá LIVRE) . Fora isso, uma comandante, que a gente sabe, ainda vai passar por muita coisa, mas que não abre mão do que quer (se lembram do último : SE ME CONTRARIAREM NA FRENTE DOS OUTROS DE NOVO….).

    O episódio abre e fecha, e é até triste falar isso, mas a produção é tão bacana e bem adaptada,que a gente confunde as passagens do livro e acaba por se surpreender com o resultado.

  • Laís Batista

    Alfie me pareceu um ator muito foda depois que li as descrições de vocês. Ele rir, fuma, faz piada, é simpático .. Onde este homem foi encontrar um Theon Greyjoy dentro dele????

  • isso é triste. esse foi o momento mais alto dela em TODA a história. mal sabem eles…

  • Chris

    Parabéns pela resenha!
    E concordo com você, a cena da Arya poderia estar no próximo episódio.

  • Muito bom, mas você me parece sempre muito otimista com tudo.
    (Não, eu não sou pessimista, rs)

  • Jeziel

    Ri muito do George assassino de bebês. Haha! Bem capaz!
    Muito legal a análise. Vocês sempre se atentam aos detalhes não só do roteiro, se está sendo fiel ou não, mas também às cenas e alguns simbolismos que podem haver em certos detalhes delas. Parabéns!

  • Excelente análise, aguardei ansioso por ela. Através das análises, fiquei com muita vontade de ler os livros, o que, certamente, farei, após terminar de ler Dexter.
    Abração.

  • Realmente não sei Laís! Ele é mesmo super simpático, deu pra ver que estava sendo muito “ele” mesmo. E quando a gente olha o Theon… Bom, acho que seria ainda mais chocante se ele estivesse com o cabelo igual, pelo menos isso ajudou a distinguir bem os dois haha

  • Wellington Rodrigo Quitério

    “E então, com a trilha sonora perfeita batendo nos ritmos dos nossos corações (hahaha que brega)” – Eu ri muito rsrsrs… Olha, foi muito bom o ep. mesmo, mas como eu havia comentado no face (e foi apagado por ser spoiller rsrs)… na hora em que Margarey conta a Sansa a história sobre sua prima Allana… é praticamente tudo aquilo que acontecerá com Sansa após fugir… e adotar o nome da mesma. As partes da Guarda da noite ainda são as menos ineteressantes, só eu acho isso?

  • Cássia Bezerra Santos

    Ja estava aqui em casa “choramingando” pensando que não teria analise nessa semana! rs

    Como sempre tudo muito bem escrito, parabéns! Estou meio viciada no site e nas suas resenhas!

    Acabei de ver a reprise na HBO signature e no final tive a mesma reação: euforia!!

    Quando li que a Dany daria o Drogo eu fiquei louca… joguei o livro de lado e andei de um lado para o outro no meu quarto xingando fervorosamente ela e o GRRM!!
    Nem consigo descrever meu alivio quando li que ela bota fogo em tudo! A serie conseguiu ser bem fiel nessa cena, estou muito feliz com o resultado!

    Mas so 1h de duração é maldade para uma historia tao ampla…eu sei que o custo disso tudo é elevadíssimo e por ai vai, mas seria tao bom se tivéssemos 2h!! xD

  • Só tenho duas coisas a dizer..

    – Episódio FANTÁSTICO
    – Resenhas cada vez melhores <3

  • Como assim o pior ainda está por vir pra Brienne?? Eu não quero que ela morra!!!! :O

  • Realmente, aquele final pareceu muito “a marcha para Porto Real”. Como a Geografia não é muito bem explorada na série também, na cabeça do povo ela poderia chegar lá rapidão hahaha

  • Cássia Bezerra Santos

    Mas algo que esta me desagradando MUITO é esse lance de todo mundo conhecer os planos do Mindinho. Esse era um dos mistérios mais legais do livro e eles estragaram logo no 1° epi… agora estão simplesmente descaracterizando o personagem, pq o verdadeiro Mindinho nunca se descuidaria ao ponto de deixar um inventario tao comprometedor perto de mãos alheias!

  • Valéria Cardoso

    parabens a resenha ficou muito boa de verdade

  • Emanuel J Santos

    Me odiei profundamente por ter lido os livros.

  • Samuel Costa

    Tambem fiquei triste por estragar a baita surpresa do fim do tormenta e a outra no meio do festim, na série até os Lannisters sabem do plano do mindinho, um tanto quanto “nedicente” da parte deles confiar tanto nele.

  • Calvin

    Eu era da opinião que nada do que Varys dissesse (fosse com quem fosse), era confiável; no entanto, parece que ao menos uma vez ele foi honesto (o que já acho muito), a história de como se tornou eunuco é mesmo verdadeira. Ou pelo menos parte dela é. Um bom mentiroso como a Aranha com certeza saberia que uma mentira funciona melhor quando tem um fundo de verdade, por isso pra mim é quase certo que ele não contou tudo: Afinal, por que especificamente precisava ser Varys naquele ritual?
    Há sim, estava quase esquecendo, há um tempo vi uma teoria curiosa, que acho podemos descartar, de que o homem que o havia castrado era ninguém menos que o Maester Marwyn, o Mago. Uma pena, eu gostava dela admito, apesar de sempre a achar meio forçada.

  • Stenio Camara

    Porque?

  • RenanRCV

    Sim, a série está sendo fiel aos livros. Mas está conseguindo dar peso aos fatos importantes? Não.

    Somente a Dany e Brienne/Jaime estão aparecendo bem, mas os núcleos de Jon, Sam e principalmente Robb estão muito “empurrados de barriga”.

    Neste eps o Mormont morreu. Quem não leu o livro deve ter achado uma morte super besta. Próximo eps, o Jon provavelmente ficará com a Ygrite. Quem não leu, nem deve achar a cena legal, com o romance em seu ápice. Acho que eles enxergarão a ruivinha só como um peguete.

    E o Casamento Vermelho… Digo, afirmo e reforço (=p): Não vai impactar, não vai deixar os fãs histéricos ao ponto de desistirem de assistir a série. Nos livros, Robb está ganhando a guerra, ele é a nossa esperança. Fez cagada ao casar com a guria, mas “conseguiu” remediar de forma inteligente naquele capítulo em que ele anuncia o casamento dele e também perdoa a Cat. Na série? Passou a temporada passada atrás de um rabo de saia. Nesta temporada, está sendo um insensível com a própria mãe e prezando só pelas batalhas, seguindo os passos do Tywin. Cadê a semelhança com o nosso querido Ned Stark? A morte deste sim foi chocante, pq ele era tido como o principal da série. Robb está muito coadjuvante…

    Espero estar errado e a série dê a volta por cima, claro. Mas ainda acho que os grandes acontecimentos para os não-leitores serão na proxima temporada: a morte do Joff e do Twin.

  • Romulo Cesar Maximiano DeSousa

    Que absurdo alguem falar isso! Os livros são infinitamente superiores à série! Se fosse o caso de eu não ter uma mente desenvolvida o suficiente pra separar as coisas eu me arrependeria era de assistir a série!

  • Romulo Cesar Maximiano DeSousa

    Já repararam que as mudanças mais bizarras da série estão relacionadas sempre ao Mindinho e à Catelyn? Bizarro o Varys passeando abertamente com a Olenna… O personagem que na minha opinião é o verdadeiro vilão nos livros, o mais malvado dos malvados, está sendo descaracterizado violentamente. E não é culpa do ator!

  • Romulo Cesar Maximiano DeSousa

    O pior pra ela vai ser ter que entregar o Jaime pra “Coração de Pedra” (mas isso é beeeeeeem mais pra frente).

  • Lucas Emanoel Janke

    Esse é o momento em que dany é a conquistadora, o momento em que eu acho que ela deveria ser a rainha dos sete reinos.
    Aí chega Meereen e eu não tenho mais certeza.

  • Lucas Emanoel Janke

    Porque? +1 :O

  • Rafael

    A cena do Pod, é apenas aquilo mesmo, não tem mais nada lá, ele fez algo com as garotas que ninguem fez por lá, como o Jon Snow vai fazer algo no proximo episodio que ninguem faz em Westeros, rs

    Vou ser chato com a cena da tomada de Astapor, a unica coisa que não gosto é a forma que a Dany fala “dracarys”, acho muito canastrona a forma que ela diz essa palavra, e na minha opinião ela deveria falar alto e como uma ordem que um soldado da na guerra, mas enfim o interessante da cena é que os mestre criaram bons robos só esqueceram de colocar a regra de não atacar nenhum outro mestre, Asimov não participou da criação dos Imaculados.

    O nojo que a Dany sente em Astapor é bem mostrada, ela de certa forma foi uma escrava vendida, então ela sabe mais ou menos o sentimento de estar por baixo, o que sinto falta na serie é quando ela fala “se eu olhar pra trás estarei perdida”, da mesma forma que senti o “prometa-me Ned”, mas isso é meio impossivel de colocar na serie.

    Jaime e Theon….é estranho o quanto eu gosto do Jaime e rejeito o Theon, talvez seja pq Jaime tem aquela confiança e sarcasmo e Theon é mais invejoso, todos os dois são vitimas de circunstancias, Jaime foi mau interpretado por matar o Rei Loco e Theon se sentia abandonado pelo pai…Jaime começa sua mudança agora, ele quer ser Arthur Dayne (alguem reparou que ele é um dos unicos personagens que tem um nome com a grafia igual a grafia original do nome? E além disso tem a espada), Theon, receio que não terá essa chance, minha teoria é que ele vai ser usado para tirar o tio dele do trono das ilhas de ferro.

    Patrulha da Noite, de longe o nucleo mais zuado de toda serie, falta tempo, falta mostrar mais, o Velho Urso merecia uma morte melhor, Sam nesse episodio deveria ser mais covarde e depois recuperar a coragem para fugir, espero que no proximo eles nao errem a mão…

  • Anderson Lima

    Cara, um dos melhores episódios da temporada, sem dúvida. Mas não ficou meio estranho a Dany falando e tipo, tinha muitos imaculados, e com certeza só os da frente conseguiram ouvir o que ela estava dizendo. Nem mesmo todos viram que ela estava com o chicote, porque eram filas e mais filas. No livro, ela monta no cavalo e sai pelas fileiras de imaculados, mostrando o chicote e dizendo “Eu os comprei, vocês são meus!”, o que fica muito mais natural quando todos obedecem-na. O que vocês acham?

  • Anderson Lima

    pior que é vdd… ela ainda tem um longo caminho pela frente e nem imagino como ela vai atravessar o mar com todos esses imaculados…

  • Bruno Silva

    Pra min o melhor momento dela ate agora e a ultima passagem dela em dança,quando ela encontra o kal pono(acho que e isso),estou esperando ansioso para saber o que vai acontecerr,e eu nem gosto muito dos POVs dela.

  • Lu

    Excelente resenha, Ana! Valeu a pena esperar!

    Achei muito interessante o que você disse sobre redenção. A gente viu isso acontecer no Tormenta com o Jaime e a redenção do Theon no Dança. Mas uma coisa que fica muito clara pro leitor e pro expectador: nada fica sem resposta no mundo do Martin. Seja a maldade, a estupidez ou a ingenuidade. E o preço costuma ser extremamente alto. Veja Sansa apanhando dos guardas a mando de Joffrey, ou tendo que lidar com sua tia completamente maluca. A pena da garota por contar a Cersei e ao Conselho dos planos de Ned simplesmente não acaba. Então, mesmo não tendo um julgamento formal e uma justiça… a punição é tão grave, que fico com a impressão de que se restabelece uma espécie de equilíbrio.

    Sobre o episódio, eu gostei muito.A série segue sua curva ascendente de qualidade. Mas ainda acho que o núcleo dos Patrulheiros, que era tão legal na primeira temporada, ainda não encontrou seu lugar nesta temporada. Tá tudo muito picotado. Espero, sinceramente, que o próximo traga do Jon que eu tanto gosto nos livros. Ele deu uma sumida na temporada passada.

    Outra coisa que me dá nervoso é esta constante descaracterização do personagem do Mindinho. É uma pena, pois ele é um dos melhores personagens da série.

    Por outro lado, o núcleo dos Tyrell está muito bom. Tanto Margaery, quanto Olleana. E ver Cersei receber o mesmo tratamento do Tyrion é algo que não tem preço.

  • GILMAR CARDOSO

    SÓ UMA PALAVRA RESUME ESTE EPISODIO : DRACARYS!!!

  • Flavio Vasconcelos

    Excelente análise, as usual. Não me canso de render elogios à dupla Nicolaj-Gwendoline, que atores! E já que o mote é vingança, vale transcrever a citação do Mastermind Littlefinger:
    “Revenge… I have always found that to be the purest of motivations”.

  • Gleydson Cavalcante

    Exatamente! Hahahaha, é interessante e meio ingênuo ver as pessoas pensando que ela já vai pra Westeros. Ela iria, se isso não fosse os incríveis livros do Martin, que lida com complicações bem mais reais do que ter um exército e lutar. Pelo contrário, ele aborda toda a questão de ter alianças pra isso, o fato dela ta mexendo com uma economia escravista secular e gigantesca, e de todos os recursos que precisam pra ela lutar pelo trono. Amo isso!

  • Flavio Vasconcelos

    Excelente análise, as usual! Não me canso de render elogios à dupla Nicolaj-Gwendoline, que atores! E já que o mote é vingança, vale transcrever a citação do Mastermind Littlefinger:
    “Revenge… I have always found that to be the purest of motivations”.

  • Jose Leitao

    Estragaram também o personagem, esse cara aí, não tem nada do Mindinho do livro. Tá parecendo um babaca presunçoso. É um disperdicio do ator que, tenho certeza, faria uma exelente atuação se o roteiro fosse mais fiel.

  • Tesla

    Eu só penso ‘oh, sweet summer child’

  • Tesla

    A Dany jogando o chicote no chão e os imaculados pisando nele foi uma das simbologias mais lindas que eu ja vi na TV.

  • Como assim?? Sansa se casa com Tyrion??? :O

  • Vitor Hugo Thimoteo Ramos

    Eu sou forçado a esconder meu olhar de “pobre criança inocente, ainda tem muito pra aprender…” quando um amigo faz isso comigo por perto. Na dúvida eu espero ele sair de perto e rio sem parar.

  • Calvin

    Acho que a explicação pra isso, como já disse anteriormente, é uma só: Os produtores querem dar a impressão que o Mindinho não é tão esperto ássim, dessa forma não parecerá exagerado quando sua pupila lhe puxar o tapete.

  • Calvin

    Você não é o único que tem essa opinião, nunca engoli aquele negócio de “eu sirvo ao Reino” dele (embora não duvide que o próprio acredite nisso); acho que é um dos poucos que merece, sem sombra de dúvida, a definição de vilão nessa história. E o pior, ao contrário dos demais não temos a menor idéia da motivação de Varys, portanto não sabemos o que esperar dele.

  • HU3zileiro

    Quando George Martin vai matar a Dany? :3

  • lidianycs

    Pois é, todo mundo tb pensa isso quando termina de ler o terceiro livro e quando chega o quinto fica tipo wtf?

  • Messinho’

    kkkkkk vige, acredito que isso possa não acontecer, mas há rumores que ela e Jon são Fogo e Gelo, respectivamente, e que Jon seria Azor Azhai renascido, e para ele ativar sua espada de fogo, teria que empurrá-la no peito de sua amada, que no caso seria Dany, e então ela morreria e ele salvaria o mundo. É brega, mas é isso. Então vai demorar muitos e muitos anos ainda para acontecer… Eles ainda nem se conhecem…

  • Messinho’

    Ele pode atuar muito bem, mas eu tenho agonia por causa do jeito de falar dele, meio que sussurrando, dá raiva, é feio e eu não gosto :X

  • Messinho’

    Nesse caso você não leu os livros e está na análise errada. Sai fora antes que seja tarde…

  • Messinho’

    Se ela errou ou não, você deveria agradecer a ela pois ela tirou um pouco de seu tempo para redigir seus PENSAMENTOS e suas OPINIÕES sobre o episódio. Se não gosta, não leia, ou quem sabe, nem entre no site porque quem desenvolveu isso aqui foi ela, junto de seus colaboradores. Por favor, use a sua liberdade de expressão para fazer algo de bom e proveitoso, e não simplesmente degradar alguém…

  • Messinho’

    Eu tenho um pouco desse sentimento também, mas estou aguardando fielmente o restante da temporada, porque esses 4 primeiros episódios foram somente introdutórios, e isso pode ter custado caro a série, perdeu dinamismo em algumas coisas, mas eu já comentei isso e repito: a série engatou todas as marchas e agora só irá acelerar chegando ao seu ápice no RW, coisa que eu também espero bem ansioso.

  • Calvin

    Talvéz só no último livro.

  • lidianycs

    Esse idiota vem aq toda semana, perder tempo tentando ofender quem está nesse site. Felizmente a opinião desse tipo de gente não nos interessa. Azar o dele se tem tanto ódio das pessoas que trabalham no site a ponto de vir aq toda semana regularmente nos ofender. Deve ter uma vida muito vazia e desocupada, pobre diabo….

  • Calvin

    Esqueci de comentar uma coisa: realmente ficaria melhor se tivessem colocado as palavras finais do Mormont pro Jorah, no entanto como consideraram isso dispensável, podemos deduzir que nunca Sam terá chance de entregar a mensagem.

  • Fernanda Reis

    Oi Ana!

    Só para variar, ótima resenha. Sempre que leio as suas eu fico com uma invejinha (boa) e penso como as minhas são pobres e como você percebe bem mais detalhes que eu.

    E falando em invejinha, de novo, outra por você ter conhecido o Alfie pessoalmente! Mas fico muito contente que você tenha conseguido, porque eu sei o quanto você se dedica ao blog e o trabalho que você tem para fazer as resenhas, e outros textos maravilhosos. Recompensa mais do que merecida.

    Não vou dizer que este foi o melhor episódio porque ainda teremos o famoso nono episódio que eu aguardo com um misto de excitação, horror e tristeza.

    Beijos, querida!

  • Samara Imad

    Acho que sou a unica que ama osTyrells..hehe São inteligentes,articulados, manipuladores e elegantes ..Na minha opiniao só perdem para os Martells e suas serpentes que virei ã depois de ler o quinto livro

  • Samara Imad

    Acredito que o Varys tenha sangue real ..Provavelmente é um bastardo targaryen ou Blackfire..explica muita coisa

  • Messinho’

    Tomara que os Outros o carreguem…

  • Laís Batista

    Aqui os spoiler são liberados…

  • Laís Batista

    Fazendo uma analogia grotesca, foi mais ou menos o Harry Potter quebrando a varinha mais poderosa do mundo… Só que a cena da Dany foi 3575 vezes mais foda

  • Júlio

    Os comentários são bem escritos, sempre coerentes. Uma ótima preparação e reflexão para o próximo episódio.

    Dessa vez, porém, não concordo com o trecho: “… e Ollena não poupa ao dizer na cara da rainha que seu filho provavelmente vai morrer, que ele vai merecer e que provavelmente vai ser a própria Ollena que vai dar um jeito nisso. Isso é, no mínimo, brilhante. Não só a cena, como a cara que Cersei faz.”.

    Depois do comentário de Cersei, Olenna comenta do filho, assim como já havia feito antes, dando a impressão de que ela não aprova as atitude e a pose de seu filho, de que o mesmo não tem muito bom senso. Ela complementa dizendo que ela tenta instruí-lo quanto possível, como mãe, mas que, como sabemos, isso esbarra no título do filho, um Lorde, que claramente afeta as suas decisões, e origina sua postura e manutenção de uma figura que não condiz com sua personalidade e atributos, além é claro do poder residir, por lei, nele.

    Bem, Cersei se identifica com ela, na figura também de uma mãe preocupada com o destino do filho. E mais, se identifica porque – e aí está a boa pitada da personalidade gananciosa dela, que finalmente ganha mais força na série, refletida nas cenas com a Olenna e com seu pai – julgando-se mais sensata e sábia que o filho, é frustrada por não ter mais poder, na sua forma maior, como Rainha, e, sobre o filho, consequentemente e simultaneamente, como mãe. É claro que nos livros vemos como esse entrelaçamento dos dois tipos de poderes torna-se cada vez mais conflituoso para Cersei depois da morte de seu primogênito, na medida em que ela justifica seus comportamentos na sua preocupação com a vida dos filhos, mais especialmente na de Tommen, que está ali a seu alcance. Mas, essa justificativa em prol da vida dos filhos é genuinamente de uma mãe comum, ou de uma Rainha que tem o poder derivado do poder do filho? Esse dilema pessoal é o que, pra mim, torna a Cersei uma personagem incrível.

    Assim, a cena tem a sua carga dramática maior, para quem já leu os livros, na cara de Cersei, no final dessa parte do diálogo, pois sabe-se que essa breve identificação e concordância das duas personagens é o que, fatalmente, levara Olenna a conjurar o assassinato do Rei e a consequência devastadora disso para o afloramento das nuances, ainda contidas, de desconfiança, ganância e covardia da Cersei.

  • Pamela Debastiani

    “Nyke Daenerys Jelmazmo hen Targario Lentrot, hen Valyrio Uepo anogar iksan. Valyrio muño engo ñuhys issa.”

  • gabriel

    aquele banana do João das Neves tem mais cara de Nissa Nissa que a Dany, rs

  • Calvin

    Já ouvi isso, e só posso dizer que tudo é possível. Ele pode mesmo ser descendente dos Blackfire (como a maioria parece acreditar), mas também pode ser de Aerion Chamaviva (essa parece ser mais recente). Ou ainda ser somente um órfão sem nenhuma gota de sangue real (ilegítimo ou não).

  • Lena

    E isso é o auge dela… =/
    Exatamente o que se pensa quando lemos esta parte no livro… ” Ahhh muleque… Agora a porra ficou seria!! Westeros que aguarde!”
    Só que não ¬¬

  • Messinho’

    KKKKKKKKKKK pegou pesado. Embora quem sabe né, já que João não sabe nada…

  • Fernando Costa

    Eu acho que devo ter lido o livro MUITO apressado, mas acontece tudo isso com o Theon mesmo ?

  • Fernando Costa

    Eu só leio por causa do Bran e da Arya. O Bran sem dúvidas é o personagem mais ‘mitico’ de toda a saga.

  • Ótima resenha!! Me fez perceber coisas que eu não tinha visto no episódio.

  • R.g.S

    A Casa Tyrell é a minha preferida; identifico-me muito com eles (conspiradores, astutos). Por isso, não gostei da objeção da resenhista nessa questão. Porém, a qualidade do texto é indubitável.

  • João Victor Paz

    Gosto dos Tyrell também, fico impressionado com a inteligência dessa família que na sua origem eram insignificantes.

  • Calvin

    Acho que uma das medidas que Varys tomará em Winds of Winter é de algum modo revelar a autoria do assassinato de Joffrey, o que colocará uma pá de cau na aliança Lannister/Tyrell.

  • Murilo Negrello

    Esse não é necessariamente o auge dela, também tem uma grande cena dela no quinto livro.

  • isadora gonçalves

    Na conversa entre o varys e a olenna, parece que é ele quem coloca na cabeça dela que eles devem manter a sansa em porto real pra que os tyrells se aproveitem dela, mas eu lembro de que no livro um dos primeiros capítulos da sansa, quiça o primeiro dela, já se tratava de uma conversa dela com as Rosas sobre o joffrey e casá-la com o willas. agora por que tiveram que usar o varys pra que essa ideia fosse colocada na cabeça delas? pra mostrar como ele é influente? ou assim como a olenna sugeriu, acabar com os planos do mindinho por uma rivalidade?

  • Cid D´Avila

    Só eu ou alguém mais achou essa Missandei muito velha? Tudo bem. Ela é bonitinha, mas que tá velha pra Missandei, tá

  • Cid D´Avila

    Eu esperava um Beric mais zumbificado… Mas ficou legal

  • Cid D´Avila

    “Posso sentar?”
    “Não.”
    Um dos melhores diálogos já feitos na TV em todos os tempos.

  • Rodolfo Basso de Araújo

    Todos os personagens são bem mais velhos que nos livros. A Sansa por exemplo deveria ter uns 13 ou 14 anos, a Daenerys devia ter uns 16, então não vejo nenhum problema em envelhecer a personagem.