Diretor de Game of Thrones diz que pirataria “não importa” e levanta polêmica

Além de levar nas costas a responsabilidade de ser uma das séries de TV a cabo mais elogiadas e prestigiadas por um grande público, Game of Thrones levou a título de uma das séries mais pirateada no mundo por dois anos consecutivos (veja aqui, aqui e aqui). Isso todo mundo já tá cansado de saber. Acontece que recentemente, durante o Festival de Roteiristas na Austrálias, o diretor reponsável pelos episódios “The Ghost of Harrenhal” e “Garden of Bones” David Petraca declarou-se sobre o assunto. Essa seria primeira vez que alguém da produção da série se manifestaria sobre esse tema tão delicado. Olha o trecho do ocorrido extraído diretamente do jornal Sydney Morning Herald:

Rosemary Neill, mediadora do painel, observou que Game of Thrones foi o programa mais pirateado de 2012 e que 10% dos downloads vieram da Austrália. Mas Petrarca encolheu os ombros e disse que os downloads ilegais não importam, porque tais séries prosperam através de “buzz cultural”, aproveitando-se do comentário social que as pessoas geraram.

“É assim que eles sobrevivem”, disse ele à multidão reunida na University of Western Australia.

Falando que a pirataria não importa, ele acabou dizendo que, bem, NA VERDADE ELA IMPORTA SIM. Percebem a ironia? Mais tarde, David complementou o comentário durante entrevista a uma rádio local. Em resumo, ele contou que “não tolera a pirataria, mas que acredita é ótimo o fato de que mais pessoas tenham acesso ao material”. E que “espera que um método legal de distribuição possa ser instituído, e teme que, se isso não acontecer, a TV pode acabar como a indústria da música”.

A declaração do diretor se tornou automaticamente um dos assuntos mais polêmicos da semana. Procurada pelo jornal LA Times a HBO resolveu se pronunciar em um comunicado oficial, dizendo que:

“Game of Thrones é vendida em todo o mundo, disponível legalmente em uma grande variedade de plataformas e é uma das mais populares séries da HBO. Esse tipo de sucesso vem de uma grande quantidade de buzz nas mídias sociais e por isso não podemos dizer que vemos um lado positivo nos downloads ilegais”.

Gostaríamos muito de saber o que o maior contrabandista de todos os tempos acha disso:

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados