Mais paralelos entre Westeros e a Europa

Todos tecemos teorias a respeito de que elementos no mundo d’As Crônicas de Gelo e Fogo são baseados no mundo real. Comenta-se sobre como a Guerra das Rosas parece ter inspirado a disputa entre Lannisters e Starks e nós já até postamos sobre de onde veio a inspiração pra Muralhaespeculamos um pouco sobre as dimensões de Westeros. Quais outros pontos de vista podem ser abordados?
Em um post no Quora, o usuário Lucas Mund nos traz uma especulação bastante interessante, traçando paralelos sociais e geográficos entre a Europa e Westeros. Confira na íntegra!

O Norte: Rússia e Leste europeu

Motivo: vasto e com população esparsa. Os portos têm a maior parte da população e do poder (Porto Branco = São Petersburgo). Invernos longos e difíceis. Impossível de se invadir (pergunte a Hitler e Napoleão). Segue uma religião diferente do resto do continente (Cristianismo Ortodoxo = Deuses Antigos e Católicos Apostólicos Romanos = Novos Deuses). Moscou = Winterfell por estar no meio de uma terra vasta e gélida.
O Vale: Alpes Suíços
Motivo: extremamente montanhoso com vales excelentes para plantio. Têm uma costa (Os Dedos) no Mar Estreito.
Terras Fluviais: Países Baixos e Renânia
Motivo: excelente para plantio e muitos rios. Facilmente conquistados por outros países.

Ilhas de Ferro: Escandinávia

Motivo: de longe, a comparação mais fácil por causa dos Homens de Ferro e os Vikings, ambos corsários em característicos barcos longos. Uma terra fria, sem possibilidade de cultivo e é assolada por tempestades terríveis.

Terras Ocidentais: Ilhas Britânicas

Motivo: possuem ricas minas (as Terras Ocidentais possuem ouro e a Grã-Bretanha tem ferro, prata e estanho). País rico e coberto de colinas com muitos bons portos. Separado do resto do continente por colinas ou pelo Canal Inglês.
Motivo: forte dependência do comércio no Mar Estreito = Mar Mediterrâneo. Uma península que se projeta bastante ao mar. Atingida constantemente por tempestades. Roma = Ponta Tempestade porque ambas são cidades antigas, fortificadas e economicamente dependentes do comércio.
Dorne: Espanha
Motivo: terra quente e seca. Produz excelente vinho. Não se envolve com os outros países na maior parte das vezes.
(Game of Thrones BR: Martin já afirmou que Dorne é inspirado na Espanha e no País de Gales)
Terras da Coroa: Alemanha
Motivo: território rico, constantemente disputado e que se situa no meio do continente.
Motivo: pequena ilha no meio do mar (Estreito ou Mediterrâneo). Excelente lugar para uma base naval por conta de sua localização estratégica.
A Campina: França
Motivo: excelente terra para cultivo, com pessoas românticas que amam vinho e flores. País muito poderoso quando se mobiliza. Paris = Jardim de Cima, pois ambas são cidades grandes e extravagantes rio acima.
Como extra, Os Dothraki seriam os Mongóis (nômades corsários que se alimentam de carne de cavalo e bebem leite de égua), As Cidades Livres (Pentos, Bravos, Volantis etc.),  são as várias cidades-estado do Oriente Médio (constantemente lutando umas com as outras e muito ricas econômica e culturalmente) e Valíria seria a Grécia Antiga (um povo antigo e culto que colonizou/ influenciou a maior parte de Westeros/ da Europa, mas com o passar do tempo a maior parte do seu conhecimento se perdeu).

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados

  • Rafael Rodrigues

    Todas imagens dos poust antigos de vcs estão com o link quebrado

  • Todas as imagens aq estão carregando normais. Verifique se não é algum bloqueio da sua rede ou problemas de cache no seu navegador.

  • O q deve ser entendido é o seguinte: os aspectos geográficos e culturais podem estar separados no universo de GoT e no nosso. Dessa forma, entende-se q o norte possua um clima frio como a Rússia, mas tenha habitantes de cultura similar à escocesa. Na verdade, como já foi dito, Martin transferiu caraterísticas geográficas e culturais de toda a Europa para um único grande continente cuja história lembra a da Grã-Bretanha. Assim, os Lannisters são inspirados nos Lancaster, a rosa vermelha e rica e do oeste da Inglaterra; e os Stark nos York, a rosa branca e rebelde da Escócia (norte) conquistada há pouco e com mta dificuldade (lembram de Coração Valente?). As duas casas entram em uma guerra q acaba não com a vitória de uma sobre a outra, mas com a sua união através de casamentos arranjados.

    O norte de Westeros (assim como a Escócia), no entanto, não é tão ao norte qto as terras selvagens pra lá da muralha, q pra mim lembram mto mais a Islândia e as regiões polares, habitada por povos rudes de culturas distintas q as vzs lembram os inuítes do Ártico, as vzs os povos das estepes russas. A cultura escandinava tem mtos paralelos com a dos habitantes das Ilhas de Ferro, como a forte tradição naval, as decisões em assembléias e a participação feminina nessas escolhas. Os Tyrell se estudados mais a fundo, provavelmente guardarão mais semelhanças com alguma dinastia francesa em q antigos vassalos assumiram a posição de suseranos (na verdade isso deve ser fácil de encontrar na história conturbada das sucessões de qqer antiga monarquia européia.) Dorne lembra sim a Península Ibérica, mas tbm o Egito e, conforme disseram tem alguma coisa a ver com o País de gales (cuja história, sinceramente, desconheço por completo). O q eu quero dizer é q não dá pra pegar um mapa da Europa e sobrepor ao de Westeros, já q mtas paisagens e culturas vão estar combinados, deslocados e invertidos.

    Os Dothraki talvez sejam o melhor exemplo dessa situação: um povo cujas tradições, comportamento e localização lembra uma combinação entre hunos, mongóis, partos e outros habitantes do Oriente Médio e Ásia (povos nômades, q em geral não deixaram construções duradouras, dividido em clãs guerreiros as vzs unido em torno de um chefe q provasse sua força em batalha, altamente dependente de seus cavalos e q usavam tatuagens e deformações faciais para intimidar seus inimigos), mas cuja paisagem em q se deslocam evoca a África mediterrânea, com seus rios, desertos e antiquíssimas cidades estado q lhes pagam tributos para não serem invadidas.

    O mesmo raciocínio, aliás, se aplica às próprias cidades livres, q podem possuir canais como Veneza, mas serem habitadas por cidadãos com traços orientais. Ghis, Mereen e Astapor evocam lembranças do Antigo Egito, da Pérsia, da Babilônia. A Harpia e a descrição de seus monumentos lembra os Assírios. Todas sociedades escravagistas q foram derrubadas umas pelas outras ainda na era do bronze (metal utilizado em suas armas conforme algumas descrições dos Imaculados), até sua aniquilação definitiva (enquanto impérios) por inimigos com tecnologia superior (Valíria?).

    Outro fator interessante de análise são as invasões ocorridas em Westeros ao longo dos tempos, q aglutinam elementos de invasões sofridas pela Inglaterra e Europa. Os habitantes originais, os Filhos da Floresta (ETs? Chupa-cabras? Australopitecos? Mitologia religiosa genérica?) foram invadidos pelos primeiros homens q vieram do oeste (Celtas? Homo sapiens?) q foram invadidos pelos Ândalos vindos do leste (Vândalos? Anglos? Saxões? Povos germânicos genéricos?) q foram “invadidos” pelos Roinares (Árabes?) e Valirianos. Ao par de tudo isso, os povos das Ilhas de Ferro saqueavam o continente inteiro (chegando até Essos) com seus navios de baixo calado, da mesma forma q os Vikings. (Só um aparte para lembrar q viking designa não uma etnia, mas uma “filosofia de vida”, um comportamento, um sistema social; tendo existido comunidades vikings em territórios distantes da escandinávia, como a Irlanda, por exemplo.)

    Cada um desses episódios é fonte de reflexões mto interessantes, como por exemplo: os filhos da floresta como mito de fundação nacional; os primeiros homens assimilando a religião tanto do invadido (filhos da floresta) qto dos invasores (ândalos); dos Ândalos como representação do oriente q traz uma religião q se tornará preponderante ao ocidente; dos morenos roinares q trazem novas técnicas de metalurgia em sua migração para um novo continente, assim como o fizeram os morenos árabes ao conquistar a península ibérica.

    Mas tudo isso, (TUDO ISSO!), é apenas o pano de fundo, as pqnas intrigas q dão cor ao embate sugerido já no título da obra. O Gelo e Fogo; Luz e Trevas; Vida e Morte; ou seja, as verdadeiras forças antagônicas em confronto no livro ainda não apareceram com todo o seu poderio. Qdo a obra estiver livre para demonstrar o qto são mesquinhas as conspirações mundanas frente ao embate entre potências de poder incomensurável q apenas insinuaram-se até o momento nas páginas dos livros; qdo os descendentes de Valíria (Atlântida) superarem as ameaças internas de forma a reunir força suficiente para combater a enormidade da ameaça externa q se avizinha, é q a história vai realmente mostrar a sua razão de ser.

    (Pelo menos essa é a minha aposta, já q Martin pode mto bem optar pelo anticlímax.)

  • jorge jardim

    grande muralha=Montes Urais.Alem muralha =Siberia.Isso nao quer dizer que o Norte seja a Russia…A tempera dos Nortenhos lembra mais a dos teutoes. Dos germanos da Alta Idade Media ja parcialmente cristianizados…os germanos medievais sedentarios nao osbarbaros

  • jorge jardim

    lembrar que a Escocia ficava alem do Muro de Adriano e nao aquem..