[REVIEW] A Guerra dos Tronos HQ – Vol. I

Pra quem não sabe, o primeiro volume da graphic novel lançada no Brasil reúne os seis primeiros volumes que foram lançados mensalmente nos EUA, sendo que cada um deles tem, em média, 30 páginas.

Começamos com um prefácio genial do R. R. Martin que fala da relação dele com as histórias em quadrinhos – desde a infância, quando ele começou a gostar de ler ficção – e nos apresenta o time de responsáveis pelo projeto: Anne Groell (editora), Daniel Abraham (responsável pelo roteiro que já trabalhou em outras adaptações do Martin como Fevre Dream), Tommy Patterson (desenhista), Ivan Nunes (cores) e Marshall Dillon (letreiramento). Inclusive, alguns deles parecer ser mesmo fãs do trabalho do George,  que até mesmo aproveita o texto para traçar um paralelo entre a obra original e suas adaptações tanto para a TV quanto para os quadrinhos, ressaltando as dificuldades encontradas para transmitir aos respectivos públicos toda a complexidade das Crônicas de Gelo e Fogo em cada um desses formatos.
Sor Waymer Royce e um White Walker. Segundo Patterson, o Caminhante foi uma das coisas
mais difíceis de se desenhar
O primeiro capítulo cobre os eventos ocorridos desde o encontro de Will e os Patrulheiros com os Caminhantes Brancos até o momento em que Daenerys conhece Khal Drogo. Uma coisa que me chamou atenção foi a fidelidade ao livro desde o primeiro momento, e não apenas o roteiro, mas também os desenhos dos personagens seguem a risca a descrição dada no texto original onde os personagens também parecem (e são) um pouco mais novos do que na série da HBO.

Desconsiderando todo o lance da pintura nos olhos, alguém mais achou que o Khal Drogo do Tommy Patterson parece um pouco menos “bárbaro” do que o Jason Momoa da HBO?
Cada painel foi muito bem construído. Há inclusive nesse mesmo capítulo uma passagem onde conhecemos a história da queda dos Targaryen em Westeros – muito bem ilustrada e contada pelo narrador – que não utiliza mais do que duas páginas e deixa tudo muito claro, acredito, mesmo para quem não é muito familiarizado com a história dos livros.
O segundo capítulo se inicia com a chegada da corte em Winterfell, depois da morte de Jon Arryn (que foi informada ao Ned no primeiro capítulo). E eu preciso falar. Algo que pode parecer besteira, mas me incomodou bastante, foi o fato do Robert andar pra cima e pra baixo com aqueles cornos de veado. A Cersei realmente deve ter tido muito trabalho pra colocar aquilo na cabeça do pobre coitado, if you know what i mean
Na cena em que o Ned e o Robert descem para as criptas e conversam sobre Lyanna, eu tive esperança de que nós tivéssemos, visualmente, uma pista (por menor que fosse) do que realmente significa a “cama de sangue” mencionada no livro. Mas parece que não foi dessa vez.
Nesse capítulo também vemos a cena de introdução do Tyrion, onde o anão aparece saltando de cima da porta e fazendo piruetas, exatamente como nos é mostrado no livro. Essa é uma das únicas cenas das quais o Martin confessou ter se arrependido de escrever, pois ver um anão fazer esse tipo de acrobacia parece realmente um pouco estranho e irreal. E vendo isso devidamente ilustrado eu devo dizer que ele estava certo.
No capítulo 3 nós acompanhamos o casamento da Daenerys e do Drogo e vemos a cena fatídica onde o Bran é empurrado da janela da torre pelo Jaime.
Bran dando uma espiadinha no incesto alheio
Ler algumas partes da graphic novel, como o diálogo do Jon e do Tyrion a caminho da Muralha no capítulo 4, me fez perceber como a primeira temporada da série, dentro das suas limitações, foi realmente fiel ao primeiro romance da saga.
Mindinho depois de perder o duelo contra Brandon Stark
Outra passagem que merece destaque é a parte que nos mostra o sonho do Bran com o corvo de três olhos, no capítulo 5, que foi muito bem ilustrada pelo Patterson e colorida pelo brasileiro (!) Ivan Nunes.
O sexto e último capítulo termina com a Daenerys descobrindo sua gravidez, o que acontece mais ou menos por volta do segundo capítulo de Game Of Thrones. Isso mesmo, quem esperava que o primeiro volume da HQ fosse cobrir todo o enredo de A Guerra dos Tronos, se decepcionou… Ou não.
Dany em sua Prata
Isso pode ser bom, pois significa que teremos mais volumes da graphic novel pra acompanhar, mas é ruim ao mesmo tempo, pois significa que vamos demorar muito para ver ilustradas em quadrinhos as passagens geniais do segundo, do terceiro livro e assim por diante. Mais ao menos já é mais alguma coisa pra ler enquanto esperamos pelos ventos do inverno que nunca chega.
No final do volume nós temos 44 páginas que nos mostram o Making Of da HQ, com depoimentos de todos os envolvidos, além de sketches e artes conceituais do Tommy Patterson que incluem versões alternativas e descartadas de personagens como Arya, Daenerys e o White Walker.

Sketches de Jon e Tyrion por Tommy Patterson
Em termos de formato e diagramação, o primeiro volume da graphic novel de A Guerra dos Tronos é uma peça realmente muito bem trabalhada, isso sem falar nas ilustrações fantásticas e cheias de detalhes com as quais nos deparamos ao virar cada página. E a história do primeiro livro das Crônicas de Gelo e Fogo, que dispensa comentários, é adaptada de maneira extremamente satisfatória, com um roteiro redondo e muito bem explicado.
Enfim, pra quem é fã de quadrinhos e/ou das Crônicas de Gelo e Fogo (não necessariamente nessa ordem), vai valer a pena conferir.
A HQ pode ser adquirida clicando aqui.
O segundo volume deve estar saindo no Brasil quando as próximas edições mensais terminarem de ser publicadas nos Estates (segundo o que eu li em alguns fóruns, isso deve acontecer em meados de dezembro. No entanto se alguém tiver uma confirmação, este um agradeceria muito). Vamos esperar e agradecer a editora Barba Negra, que em parceria com a Leya nos trouxe mais esse ótimo presente.

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados

  • Só compro quando sair o próximo HQ. Medo de não sair mais no Brasil e ter apenas o 1° volume.

  • Julio Caio

    Se nao sair mais compra em ingles mesmo! =p

  • estrelisia

    Bem bacana o white walker da hq – muito melhor que o da série, que ficou parecendo uma coisa meio caquética >.<

  • Rodrigo Oliveira

    Foi o que eu achei ruim. Os white walkers são undeads, pô!

  • Danielle Priscila

    Na tv tá seguindo a tendencia zumbi…

  • Não são não.

  • Rodrigo Oliveira

    Sério? O que são então? Em nenhum lugar dos cinco livros diz o que realmente são, apenas diz que, ao norte da muralha, deve-se queimar os cadáveres para que não voltem como white walkers. Ou seja, brilho azul nos olhos ou não, morrendo apenas para fogo ou vidro do dragão, ainda são são undeads.

  • Existe uma diferença entre os mortos vivos e os Caminhantes Brancos, quer saber? Pesquise no site, na wiki ou leia os livros.

  • Rodrigo Oliveira

    Tenho os cinco livros, todos lidos exaustivamente. Acho que dar uma de entendida não pegou legal para vc. Se não sabe, melhor assumir e não pagar de fodona!

  • Seguinte, existe um post no site somente para explicar que os cadáveres não são iguais aos Caminhantes Brancos e lá tem explicado exatamente por que. Também existe essa informação na wiki. Não vou perder meu tempo explicando tudo novamente, para alguém que aparentemente quer mostrar que é o sabe tudo e que já “leu exaustivamente os livros”.
    Se vc não se dá ao trabalho de pesquisar, mas vem aqui procurar briguinha e “pagar de fodão” não é problema meu.
    Pesquise e se informe antes de vir procurar confusão.
    Aproveite o tempo depois de banido e vá ler os livros exaustivamente de novo.

  • Rindo alto, com a pessoa que pensa que o “Rafael me botou aqui” pra moderar os comentários.
    Vc chegou aqui desde o início criando caso, como se fosse o dono da verdade, já que tá com tanto tempo livre, usa as infinitas opções de busca que vc tem e vá se informar melhor antes de criar caso.

    Basta ver o nível dos seus comentários no perfil do disqus pra ver o tipo de troll que vc é, além de obviamente machista. Banido de novo e continuará sendo, enquanto continuar criando caso, nem adianta ficar criando perfil e voltando… aproveita e vai conhecer a equipe do site primeiro, já que nem isso vc conhece. Ou como sugeri antes, leia exaustivamente os livros, só que dessa vez pra valer.

    😉