GRRM fala sobre “The World Of Ice And Fire”, “The Winds Of Winter” e “Game Of Thrones” na Chicon 7

O autor das Crônicas de Gelo e Fogo, George R.R. Martin estava na Chicon 7 em Chicago com o ator Ron Donachie (Sor Rodrik Cassel) e respondeu algumas perguntas relacionadas a seus futuros projetos, incluindo a terceira temporada da série da HBO, o sexto livro da saga, e a enciclopédia da qual um trecho foi lido por ele no evento.

Abaixo seguem os vídeos:

Antes da leitura, ele falou sobre todas as coisas que vêm acontecendo. Existe um novo livro da série Wild Cards em que ele está trabalhando. E ele também falou sobre o livro de mapas “Lands of Ice and Fire” e os desafios implícitos neste. Inicialmente, ele não teria que ter nenhum trabalho adicional no desenvolvimento do livro, mas à medida que os mapas foram sendo desenhados começaram a surgir algumas áreas vazias que precisavam ser preenchidas. Ele também precisou ir mais para o Leste e criar alguns terrenos e cidades. Martin indicou que o livro cobre o Leste até certa distância, mas que não chega ao “extremo Leste”, e por isso ele acredita que vai ouvir algumas reclamações.

Ele também falou, é claro, sobre a enciclopédia The World of Ice and Fire em que ele está trabalhando com a ajuda do Elio e da Linda do westeros.org. George sempre quis explorar melhor a história do seu mundo e isso nem sempre podia ser feito na narrativa dos livros da saga, como ocorre no interesse do Mindinho pela política comercial de Aegon II. A enciclopédia será narrada por uma quantidade de diferentes meistres ao longo dos anos e irá esconder informações que contém grandes spoilers das Crônicas de Gelo e Fogo, algo como uma grande mancha de tinta cobrindo os relatos do que aconteceu em Solarestival ou Solar de Verão (Summerhall), por exemplo.

E então, como o velho não queria ler mais um capítulo do The Winds Of Winter, ele leu um trecho do The World Of Ice and Fire que relata a história da Conquista de Aegon. O conteúdo traduzido da leitura segue logo abaixo:

A História da Conquista de Aegon:

A história começa explicando a controvérsia sobre o começo do reinado de Aegon. Nos anos seguintes, a história foi dividida em AC = Antes da Conquista e DC = Depois da Conquista. No entanto, existe um período de dois anos desde a chegada de Aegon a Westeros até quando ele foi coroado em Vilavelha pelo Alto Septão. Até hoje o debate continua, sobre quando o novo calendário deve se iniciar.

Em Valíria, existiam duas grandes Casas rivais que competiam pelo poder. A Casa Targaryen, no entanto, não era considerada uma Casa poderosa. Daenerys, a Sonhadora, filha do líder da Casa Targaryen, previu a Perdição e convenceu seu pai a deixar Valíria. Seu pai, Aenar, levou sua família para Pedra do Dragão junto aos seus cinco dragões. Em Valíria, isso foi visto como fraqueza. A Perdição aconteceu 12 anos depois que Aenar partiu para Pedra do Dragão.

 Os Targaryen governaram em Pedra do Dragão pelos próximos 100 anos, que foram chamados de Anos de Sangue… Quatro dos dragões morreram em Pedra do Dragão, deixando apenas Balerion. No entanto, dois ovos foram chocados e Vhagar e Meraxes nasceram. “Gaimon”, o Glorioso, governou depois de Aenar e foi seguido por Maegon, seu irmão Aerys, e os filhos de Aerys: Aelyx, Baelon e Daemion. Em 27 AC, Aegon o Conquistador nasceu do casamento de Lorde Aerion Targaryen, o filho de Daemion, com a Lady Valaena da Casa Velaryonand. Mais tarde, ele casou-se com suas duas irmãs, Visenya e Rhaenys. Isso foi considerado incomum embora houvessem alguns precedentes. As histórias comumente afirmam que Aegon nunca pôs os pés em Westeros antes da Conquista mas existem evidências de que ele viajou pelo sul e talvez tenha até mesmo visitado Lannisporto.

Naquele tempo, estavam havendo guerras nas Terras do Rio e na Campina. Os dois lordes mais beligerantes eram Harren Negro, governante das Ilhas de Ferro, e Argilac, o Arrogante. Harren estava terminando de construir sua grande fortaleza e procurando por mais conquistas. Argilac acabou temendo Harren e então propôs uma aliança com Aegon. Acredita-se que o Arrogante queria criar uma “zona tampão” entre ele e Harren. Ele ofereceu a Aegon a mão de sua filha em casamento e algumas terras que, de fato, estavam em posse de Harren Negro. Aegon recusou a oferta e ofereceu a mão do seu melhor amigo e irmão bastardo, Orys Baratheon. Argilac tomou isso como um insulto grave e arrancou as mãos do emissário que tinha levado a proposta. Ele mandou-as para Aegon com a seguinte mensagem: “Essas são as únicas mãos que você vai receber”. Aegon então chamou seus subordinados e formou um conselho com eles e suas irmãs. Quando eles terminaram, corvos voaram para as fortalezas da cada governante nos Sete Reinos. Aegon os informou de que “haveria apenas um único rei” e aqueles que dobrassem o joelho e jurassem lealdade iria poder continuar com suas terras e títulos. Mas aqueles que se recusassem seriam destruídos.

 Acredita-se que o tamanho da força que saiu de Pedra do Dragão era de cerca de 3.000 homens. Outros acreditam que possa ter sido apenas de algumas centenas. Eles desembarcaram na Baía da Água Negra, um lugar que centenas de antigos reis já reclamaram. Nenhum rei governava ali no momento, apenas alguns pequenos lordes viviam por perto, todos governados por Harren e com muito pouco amor pelo seu suserano. Aegon mandou suas irmãs para perto de Rosby e Stokeworth e os castelos se renderam sem derramamento de sangue. Os Darklyn de Dukensdale e os Mooton de Lagoa da Donzela chegaram a lutar. Orys liderou o exército enquanto Aegon montava Balerion alto no céu. Eles ganharam facilmente.

A irmã mais velha de Aegon foi uma guerreira muito mais confortável vestida em cota de malha do que em seda. Ela carregava uma espada de aço valiriano chamada Irmã Negra. Ela era descrita como uma mulher de beleza severa e tinha reputação de ser envolvida com feitiçaria. A irmã mais nova dele, Rhaenys, era tudo que Visenya não era. Brincalhona e curiosa, interessada em música e poesia. No entanto, ela amava voar em seu dragão Meraxes e passava muito mais tempo voando do que os irmãos. Ela vivia cercada por homens muito jovens e os rumores diziam que ela se divertia com eles enquanto Aegon estava com Visenya. Ainda assim, Aegon costumava passar dez noites com Rhaenys para cada noite com Visenya.

O próprio Aegon era visto como um enigma. Ele era uma pessoa solitária cujo único amigo era Orys. Ele era um grande guerreiro que carregava uma espada de nome Blackfyre, mas apenas montava o seu dragão para as batalhas ou para as viagens e nunca participava de torneios. Ele se manteve fiel a suas irmãs e deixou o governo na mão delas apenas comandando quando necessário. Enquanto ele era severo com aqueles que o desafiavam, ele era generoso para aqueles que dobrassem o joelho.

Aegon e suas irmãs Rhaenys e Visenya por Amok

Depois que eles chegaram a Westeros, um palco de madeira foi construído em uma das colinas com vista para a Baía da Água Negra. Aegon nomeou Daemon Velaryon como Mestre dos Navios, Tristan Massey como Mestre das Leis e um Celtigar como Mestre da Moeda. Ele denominou Orys Baratheon como “seu escudo, seu partidário, sua forte mão direita” e Orys se tornou a primeira Mão do Rei. Visenya coroou Aegon e Rhaenys o saudou como rei. Os lordes e cavaleiros aplaudiram-no, mas o povo aplaudiu mais alto.

Orys Baratheon, a primeira Mão do Rei
por  Kwnnos

 Nos Sete Reinos, os reis levantaram seus estandartes e fizeram alianças. Dorne ofereceria uma aliança aos Targaryen, mas só se eles fossem tidos como iguais. O pequeno Rei Ronnel Arryn também ofereceu uma aliança. Aegon também não respondeu. Todos esperaram ver para onde os Targaryens marchariam. Daemon Velaryon iria liderar a frota para o norte, onde enfrentaria os Arryn na batalha e morreria lutando. Orys seria ferido em batalha. Aegon e Balerion queimaram os filhos de Harren em seus navios e todos morreram. Rebeliões começaram a surgir. Os homens da Irmãs se rebelaram, seguidos pelos Senhores do Rio. Edmyn Tully de Correrrio conduziu suas forças para Aegon com outras grandes Casas o seguindo: Mallisters, Brackens, Blackwoods e Freys entre outros. Todos marcharam para Harrenhal, que ficou cercado. As muralhas eram enormes e eles tinham um ilimitado suprimento de água e vastos estoques de provisões.

Aegon chegou e propôs uma conversa com Harren. Meistres estavam presentes e registraram o diálogo.

Aegon: “Se renda agora e eu te nomearei Senhor das Ilhas de Ferro. Eu tenho 8.000 homens aqui”
Harren: “O que são 8.000 homens? Eu tenho muralhas!”
Aegon: “Eu tenho dragões”
Harren: “Pedras não queimam”
Aegon: “Ao anoitecer, vocês estarão terminados”

Harren ofereceu uma vasta recompensa para o homem que matasse o dragão. Aegon montou Valerion e voou alto no céu. Ele então desceu com grande velocidade e aterrissou do outro lado das muralhas. Balerion soltou suas chamas. Pedras podem não queimar, mas madeira, palha e HOMENS queimam. As pedras podem ser quebradas, porém, e as torres de Harrenhal logo estavam parecendo grandes velas. Harren e seus homens realmente foram derrotados. Espadas, negras e destruídas, foram mandadas em carroças para o porto.

Enquanto os homens de Harren se rebelaram contra ele, os homens de Argilac se mantiveram fiéis. Ele jurou que não morreria em seu castelo como um porco assado com uma maçã na boca, mas que morreria em batalha. Ele liderou seu exército para o campo. Visenya observou tudo de cima e relatou seus movimentos para Orys. Enquanto os exércitos se aproximavam, uma grande tempestade caiu sobre eles. Seus homens o aconselharam a esperar mas ele tinha a vantagem de dois pra um e o vento estava carregando a chuva para cima dos Targaryen. Argilac avançou e começou a Batalha da Última Tempestade. Os cavaleiros de Argilac atacaram, mas foram atrasados pela lama. Quando eles finalmente conseguiram avançar, tiveram de enfrentar Rhaenys em Meraxes. O dragão era tão mortal em terra quanto no céu. Na confusão, Argilac foi derrubado do seu cavalo e acabou ficando frente a frente com Orys Baratheon. Os dois se feriram muito, mas logo Argilac conseguiu realizar o seu desejo e morreria em batalha. Sua morte significou o fim da luta.

Em Ponta Tempestade, a filha de Argilac, Argella, declarou-se como Rainha da Tempestade e fechou seus portões. No entanto, seus homens não estavam tão ansiosos para morrer e entregaram-na de presente a Orys, nua e acorrentada. Orys tratou-a com gentileza. Ele removeu as corrente e lhe entregou seu manto, bem como comida e vinho. Ele tomaria o exército e o lema da Casa Durrandon para a sua própria Casa, e casaria com Argella.

Orys e Argella

 No Vale, a Rainha Sharra Arryn planejou seu movimento seguinte. Ela era vista como uma mulher muito bela, e mandou seu retrato para Aegon com propostas de casamento. Sua única exigência era que seu filho Ronnel deveria ser nomeado como herdeiro. Aegon não respondeu. O Rei Torrhen Stark também convocou seus juramentados.

O Rei Meryn Gardener e o Rei Lorren Lannister reuniram um enorme exército de 55.000 homens e marcharam contra Aegon. Os três dragões se aglomeraram no Septo de Pedra. Os aliados tinham 5 vezes mais homens que Aegon, incluindo muito mais lordes e cavaleiros. Meryn Gardener comandava a maior parte dos homens, então ele ficou com a vanguarda. Para Jon Mooton de Lagoa da Donzela, o primeiro lorde a comparecer, foi dado o comando do exército Targaryen. O campo estava seco naquele dia. Os aliados avançaram e começaram a quebrar as linhas dos Targaryen. Os dragões voaram e começaram a colocar fogo por todos os lados, especialmente nas áreas a favor do vento, visto que Mooton e seus homens estavam contra o vento. Dentre os aliados, 4.000 homens morreram no fogo enquanto 10.000 homens sofreram queimaduras. Outros milhares ficaram feridos. Dos Targaryens, menos de 100 homens foram perdidos enquanto Visenya levou uma flechada no ombro. O Rei Meryn de Jardim de Cima e seus filhos morreram em batalha mas o Rei Lorren Lannister conseguiu escapar. Ele foi encontrado no dia seguinte e então dobrou o joelho. Aegon manteve sua promessa e nomeou Lorren como Senhor de Rochedo Casterly e Protetor do Oeste. Aegon voou para Jardim de Cima e o castelo foi rendido pelo intendente Harlen Tyrell. Aegon o nomeou Senhor da Campina e Protetor do Sul. Eles começaram então sua viagem para Vilavelha quando as notícias vieram do Norte.

Torrhen Stark tinha levantado um exército de 30.000 homens e cruzado o Gargalo. Aegon marchou com um exército com metade desse número. Os Starks esperaram em Fosso Cailin e tomaram conselho. O irmão bastardo de Torrhen, Brandon Snow, se ofereceu para infiltrar-se no acampamento de Aegon e matar os três dragões. Ao invés disso, Torrhen mandou três meistres encontrar Aegon depois do Tridente. Torrhen dobraria o joelho e ficaria conhecido para sempre como “O Rei Que Ajoelhou”.

Suas irmãs se dividiram, com Visenya voando para o Vale. Ela aterrissou no pátio interno do Ninho da Águia. A Rainha Sharra veio correndo procurar pelo seu filho, Ronnel, e encontrou-o com Visenya. Ele perguntou: “Mãe, eu posso voar com essa senhorita?”. Sharra se rendeu e Ronnel pôde voar duas vezes com a senhorita.

Rhaenys foi para Dorne, mas encontrou todas as fortalezas vazias no caminho, exceto pelas mulheres e crianças. Quando ela perguntava para onde os homens tinham ido, tudo o que conseguia como resposta era “pra longe”. Finalmente ela partiu para Lançasolar, onde encontrou apenas a Princesa de Dorne, Mirram Martell. Ela tinha 80 anos, era gorda, cega e quase careca. Argilac, o Arrogante, a chamaria de “Sapo Amarelo de Dorne”. Mirram disse a Rhaenys que ela não pretendia se ajoelhar e nem lutar. Ela pediu para que Rhaenys saísse e retornasse por sua própria conta em risco. Rhaenys advertiu-a de que, caso ela saísse, iria voltar com fogo e sangue. Mirram respondeu com as palavras da Casa Martell: Insubmissos, Não Curvados, Não Quebrados.

Aegon partiu para a maior cidade em Westeros, Vilavelha, onde o Alto Septão vivia. Ele rezou por sete dias e foi respondido pela Velha. Ele foi advertido de que, se eles lutassem, Vilavelha cairia. O governante de Vilavelha, Banfred Hightower, era um homem precavido. Ele escutou o Alto Septão e logo Vilavelha se rendeu. No Septo Estrelado, Aegon foi ungido em óleo e proclamado Aegon, o Primeiro de Seu Nome, Rei dos Primeiros Homens, dos Ândalos e dos Roinares. Por que ao meistres estavam presentes nessa coroação, essa é considerada a data correta. Muitos achavam que Aegon fosse escolher Vilavelha como sua capital, ou Pedra do Dragão. Ele os surpreendeu escolhendo seu pequeno forte como sede, Porto Real. E de lá ele reinaria sobre um assento desconfortável chamado Trono de Ferro.

O Trono de Ferro por Marc Simonetti

GRRM afirmou que existirão diferentes narrativas na enciclopédia. Ele mencionou um bobo anão de Viserys I chamado Cogumelo que estava envolvido em um caos. Também haverá um septão que vai raivosamente refutar todas as afirmações do Cogumelo. “Veneno!? Ele não morreu envenenado, morreu enquanto dormia!”

Nós também saberemos um pouco sobre Aegon, o Indigno, em The World Of Ice And Fire. Isso será interessante para aqueles que gostam de histórias promíscuas. Aparentemente, Aegon teve relações sexuais com uma infinidade mulheres interessantes. E então teve sexo com mais três.

Aegon, o Indigno por Amok

Na sessão de perguntas e respostas ele disse não estar certo se vai expandir a história de ASoIaF quando os livros estiverem completos. Ele não sabe o que vai querer fazer depois disso.

Ele disse que ama escrever sobre as aventuras de Arya em Braavos e que ela estará no sexto livro. Ele disse que poderia escrever romances inteiros sobre ela. Nessa hora ele recebeu grandes aplausos, até que fez uma piada onde disse estar pensando em desistir de escrever “Os Ventos do Inverno” para fazer isso.

Também confirmou que vai juntar todas as histórias de Dunk & Egg em um único livro. E quando foi perguntado se a história da morte de Maekar (pai de Egg) contra um senhor fora da lei seria encontrada na enciclopédia ele respondeu que não. Isso irá aparecer eventualmente durante a história de Dunk & Egg. Na enciclopédia, a história da morte de Maekar seria um SPOILER
Segundo ele, músicas são difíceis de se escrever e ele não tem canções suficientes para um livro só delas. Ele afirmou adorar algumas das versões de suas canções que acabaram surgindo, inclusive a versão de Game Of Thrones para Rains Of Castamere. Ele espera sinceramente que Ciarán Hinds tenha uma chance de cantar “A Esposa do Dornês” como Mance Rayder na terceira temporada da série.
E falando na série, quando perguntaram o quanto de influência ele tinha na produção da mesma, respondeu que apenas 37%. “O poder está com a HBO que põe o dinheiro”.
Além de tudo, Martin ainda planeja guardar espaços em sua agenda para trabalhar com alguns ilustradores em projetos como o calendário de 2013 das Crônicas de Gelo e Fogo, ilustrado pelo artista francês Marc Simonetti.

Pra finalizar, ele disse que não, Mindinho nunca será um POV. Na verdade, ele não vai acrescentar novos POV, e confessou que está precisando “eliminar” alguns… Façam suas apostas.

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados

  • Cada dia mais acho incrível como George Martin escreve. Quanta imaginação!
    Sem dúvida vou querer ter um deste!!

    Bjs