George R. R. Martin: ninguém usa meus personagens, exceto eu!

Há alguns anos, surgiu uma discussão sobre fanfics em torno da escritora Diana Galbadon por ela ter escrito que era contra a utilização de suas histórias e seus personagens. Em seu apoio George R. R. Martin também escreveu em seu livejournal (aqui e aqui) deixando claro que é totalmente contra a utilização de seus personagens por escritores de fanfics e explicando os motivos de sua posição.

Abaixo traduzimos algumas das passagens mais interessantes em que George discorre sobre o assunto:

Eu, pessoalmente, acho que os escritores que permitem fan fiction estão cometendo um erro. Não estou dizendo aqui que as pessoas que escrevem fan fiction são maus ou imorais ou indignos de confiança. A grande maioria deles são honestos e sinceros e apaixonados pelo o trabalho que eles escolheram para basear as suas ficções, e tem apenas a melhor das intenções para o autor original. Mas (1) há sempre uns poucos, em qualquer grupo, que são talvez menos maravilhoso, e (2) esta porta, uma vez aberta, pode ser muito difícil de fechar novamente.
A maioria de nós trabalhando nos gêneros de ficção científica e fantasia […] conhecemos uma lição sobre os perigos de permitir a fan fiction algumas décadas atrás, cortesia de Marion Zimmer Bradley. Marion foi uma uma autora que não só permitiu a fan fiction baseada em sua série Darkover (informações aqui), mas encorajou-a ativamente … até mesmo leu e criticou as histórias de seus fãs. Tudo era felicidade e alegria, até que um dia ela encontrou em uma história de fã uma idéia semelhante ao que ela estava usando em seu atual romance em andamento. Marion escreveu para a fã, explicou a situação, mesmo oferecendo um pagamento simbólico e um reconhecimento no livro. Esta respondeu que queria plena co-autoria do referido livro, e metade do dinheiro, ou ela iria processá-la. Marion desistiu da novela, ao invés de arriscar uma ação judicial. Ela também parou de incentivar e ler fanfics, e escreveu um relato do incidente para avisar outros escritores dos perigos potenciais do mesmo.
[…]

Muitos anos atrás, eu ganhei um prêmio Nebula por uma história chamada “Portraits of His Children”, que era sobre o relacionamento de um escritor com os personagens que ele cria. Eu não tenho filhos reais. Meus personagens são meus filhos, tenho dito por aí. Eu não quero as pessoas brincando com eles, obrigado. Mesmo as pessoas que dizem que amam meus filhos. Tenho certeza de que é verdade, eu não duvido da sinceridade do afeto, mas ainda assim …
[…]  Ninguém pode abusar das pessoas de Westeros, exceto eu.
[…]Isto não tem nada a ver com dinheiro ou direitos autorais ou a lei. É uma reação instintiva de nível emocional. E é tudo sobre o amor. Em ambos os lados.
Ou, dito de outra forma:

Os textos de Martin são enormes e vale a pena a leitura inteira por que ele comenta sobre suas reações a diversas histórias sobre fanfics que ele já ouviu falar como da Bela e a Fera, O Grande Gastby e Romeu e Julieta, mas o que ele faz questão de deixar bem claro é: ninguém deve mexer com seus personagens, exceto ele próprio!

Imagem: http://xkcd.com/386/

Mesmo assim, alguns fãs continuam ignorando o recado e pode-se encontrar milhares de fanfics por aí, inclusive em português também! Sobre a história de Marion, há controvérsias e muita gente discorda da opinião de Martin, acreditando-se que Marion tentou comprar a história e publicá-la como se fosse sua, como não conseguiu, descreditou a autora e difamou as fanfics por aí.

Em respeito a posição do autor, nós não divulgamos, apesar de já termos recebido várias histórias de fãs. E vocês o que pensam a respeito do assunto? Gostam de fanfics? Escrevem ou leem esse tipo de trabalho? O que acharam sobre a declaração de Martin?

Tags:

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados

  • Lucian Donizetti Maciel

    Robbran é um motivo mais do que suficiente para ser contra fanfics, espero que o martin nunca se depare com isso. (quem não conhece Robbran, da uma googleada)