A respeito de adaptações…

Fiquei muito tempo sem escrever devido ao trabalho que me tomou quase toda a semanal nesse início de ano. Mas não deixei de ver um só episódio da segunda temporada. E afirmo, sem medo de represálias, que não gostei da adaptação de A Fúria dos Reis. Para mim, ela falhou.

Era óbvio que passagens e personagens iriam sofrer mudanças e/ou seriam cortadas da trama – e talvez a HBO devesse reconsiderar o número de episódios ano que vem – mas os escritores, diretores e produtores têm o dever de deixar coesa a experiência da adaptação.

Muito li pela internet, que, os leitores não sofreram tanto com esse problema na temporada. Mas me pergunto se essa não é uma posição egoísta. Entendam, tudo que é feito fora da obra original precisa fazer sentido na mídia que está sendo proposta. E também porque assistir HBO, é ver cinema na televisão.

Respeito os defensores mas quando alguém que não é leitor da obra de Martin me ligava ao fim de cada episódio nos domingos, perguntando uma série de coisas que não entendeu, a minha teoria ganha força. Adaptação é sim cortar coisas, parágrafos e capítulos para que o entendimento do público geral se torne melhor. Mas não foi isso que eles fizeram em 2012. Vocês podem acompanhar em detalhes nos comentários dos vários posts deste blog.

Por imaginism @ deviantart 

  

A esperança que fica, sim houve pontos positivos, é que o carinho pelo mundo criado pelo Velho Safadão inacretitávelmente permanece. A personagem de Tyrion é o protagonista pós-Ned Stark perfeito e a última cena (sensacional) – quase que pedindo desculpas pelas falhas – te convida a assistir a terceira temporada. E assim, mesmo reclamando, acatamos.

OK, mais do OK, nos vemos em 2013…
Tags:

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados