George R. R. Martin visita Portugal – parte I

Como noticiamos aqui, no dia 18 de Abril George R. R. Martin, apresentou no Teatro Villaret, em Lisboa, a antologia O Cavaleiro de Westeros e Outras Histórias, publicada em Portugal pela editora Saída de Emergência. Em 19 de Abril o autor esteve também no Porto, para uma sessão com os fãs.
Esse post apresenta um apanhado geral da visita de GRRM e traz algumas respostas bastante interessantes do autor, tanto sobre os livros, quanto sobre a série da HBO e a própria vida pessoal do autor. As entrevistas, perguntas, respostas e imagens foram retiradas do blog Viagem a Andrómeda de João Campos, onde é possível ler sobre cada detalhe da visita e das sessões, aqui, aqui.
 Em Lisboa foi realizada uma sessão bastante descontraída na qual o autor conversou sobre o futuro da história, “se me acontecer alguma coisa, estão todos sem sorte”. George R. R. Martin respondeu sem hesitar quem é seu personagem favorito: Tyrion Lannister. “O que não significa que ele esteja a salvo”, acrescentou. Sobre a escrita, Martin disse não escrever os capítulos pela ordem que eles estão nos livros. “Gosto de explorar um personagem quando estou dentro da sua cabeça e quando surge um problema, mudo de personagem”.

Sobre o os acontecimentos que precedem As Crônicas de Gelo e Fogo, em resposta a uma pergunta, ele disse que não tem intenção de escrever algo sobre momentos do passado recente da narrativa, como a Rebelião de Robert, ou sobre personagens como Rhaegar Targaryen e Lyanna Stark. “Tudo o que houver de relevante sobre isso será revelado em “A Song of Ice and Fire” quando a história estiver concluída”. Porém, “há outras coisas que quero fazer, como escrever mais sobre o Dunk e o Egg (cujas aventuras acontecem no universo das Crônicas, mas se passam anes de A Guerra dos Tronos), ou mesmo outras histórias de Westeros” – e, claro, “regressar à ficção científica e ao horror”. 
Imagens da Saída de Emergência.
A respeito do fim da série, comentou sobre a possibilidade de um final feliz para as expectativas dos leitores, reforçando a intenção de criar um final que “seja satisfatório, podendo ser bom para alguns e mau para outros”. Resumindo, um final “agri-doce” a que já aludira noutras ocasiões. Como exemplo, citou o final de The Lord of the Rings, que considera ser “extremamente satisfatório e profundo”, e destaca o capítulo The Scouring of the Shire, omitido na adaptação cinematográfica, como fundamental para o livro. Por fim, disse que pretende escrever outras histórias quando “acabar As Crônicas de Gelo e Fogo”, e desabafou: “preciso de imortalidade!” E, numa breve reflexão sobre o seu fandom, concluiu que “a vantagem de ter milhões de fãs é que, se por acaso precisar de um rim…”, para gargalhada geral da sala.

GRRM Entrevistado pela SIC
Como o post sobre a visita estava ficando grande demais, guardei algumas partes contendo detalhes sobre a série para postar em uma segunda parte. Aguardem, pois tem muitas respostas boas para acalmar os fãs mais “exaltados”. Esta é somente a primeira parte do post, ainda há muito mais o que comentar!

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados