Melisandre e Stannis: série X livros

Hoje tanto no blog quanto aqui no facebook apareceram milhares de reclamações sobre Melisandre e Stannis do mesmo jeito que Renly Loras foram alvos dos ‘haters’ na temporada passada.

Aviso: post polêmico, para nossa alegria.

Aviso: esse post contém alguns spoilers relacionados aos próximos episódios da segunda temporada.

Vocês achavam mesmo que eu era assexuado?

Mais atenção aos detalhes dos livros também revelam que Melisandre e Stannis não são invenção de David e Dan. Mas que os escritores apenas estão querendo mostrar que o rei e a feiticeira (que não é nenhuma noviça rebelde) mantinham sim um relacionamento ‘sexy’ e isso pode ser percebido em algumas passagens dos livros. No entanto, como Melistannis Melisandre & Stannis não tem nenhum capítulo com ponto de vista explicito no segundo livro, seria impossível apresentar esse relacionamento de forma tão clara em A Fúria dos Reis.

Catelyn e Brienne sobre a morte de Renly (A Fúria dos Reis, página 327):

– Num momento estava rindo, e de repente havia sangue por todo lado… Senhora, não compreendo. Você viu, você…?
– Vi uma sombra. Pensei a princípio que fosse a sombra de Renly, mas era a do irmão.
– Lorde Stannis?
– Senti-o, Não faz sentido, sei disso.

Melisandre e Davos no momento da concepção da sombra (A Fúria dos Reis, página 401-402:

Davos levantou uma mão para proteger os olhos, e ficou com a respiração presa na garganta.
Melisandre tinha jogado o capuz para trás e saía de dentro da sufocante veste. Por baixo estava nua, e enormemente grávida. Seios inchados pendiam pesadamente sobre o peito, e a barriga projetava-se como se estivesse prestes a estourar.
– Que os deuses nos protejam – Davos sussurrou, e ouviu a gargalhada que ela soltou em resposta, profunda e gutural. Os olhos eram carvões quentes, e o suor que manchava sua pele parecia cintilar com uma luz própria. Melisandre brilhava,
Ofegando, a mulher agachou e abriu as pernas. Sangue escorreu por suas coxas, negro como tinta. Seu grito podia ter sido de agonia, de êxtase ou de ambas as coisas. E Davos viu o topo da cabeça da criança abrindo caminho para fora dela. Dois braços libertaram-se, agarrando-se, com dedos negros que se enrolavam em volta das coxas retesadas de Melisandre, empurrando, até que a sombra deslizou por completo para o mundo e se ergueu, mais alta do que Davos, tão alta como o túnel, pairando por cima do barco. Teve apenas um instante para olhar para ela antes que desaparecesse, contorcendo-se por entre as barras da porta levadiça e correndo pela superfície da água, mas esse instante foi mais do que o suficiente.
Ele conhecia aquela sombra. E conhecia o homem que a lançava.

Sou uma sacerdotisa de R’hllor,
não fiz voto de castidade! 😛

 Já em A Tormenta de Espadas, Davos conversa com Melisandre sobre o que aconteceu em Ponta Tempestade (sem qualquer spoiler do enredo do livro 3, mas peço aos avessos a qualquer comentário que pulem essa parte) pág. 267:

– Estará o bravo Sor Cebolas assim tão assustado por uma sombra passageira? Se é assim,
anime-se. As sombras só vivem quando são geradas pela luz, e os fogos do rei ardem tão fracos que não me atrevo a tirar-lhe mais para fazer outro filho. Isso poderia até matá-lo. – Melisandre aproximou-se. – Mas com outro homem… um homem cujas chamas ainda se erguem quentes… se realmente deseja servir à causa do seu rei, venha uma noite aos meus aposentos. Poderia dar-lhe prazer tal como nunca conheceu e, com seu fogo da vida, poderia gerar…
– … um horror. – Davos afastou-se dela. – Não quero nada com a senhora. Ou com o seu deus. Que os Sete me protejam.
Melisandre suspirou…

Mais uma vez, um grande número de fãs tem apresentado aqui nos comentários do blog o repúdio a forma como a HBO vem conduzindo Game Of Thrones. Ano passado, na época da exibição do episódio com a cena íntima entre Renly e Loras houve uma grande comoção aqui no blog, pois muita gente acreditava que esse relacionamento não existia no livro (mas nós provamos aqui que sim). Entretanto, além disso, é perceptível através de alguns comentários que uma grande parte dos espectadores se sentiu de certa maneira ofendido pela cena que estava assistindo, não apenas por que não acreditavam que esta cena caberia na história. Mas principalmente, por achar uma indignidade (pra não dizer coisa pior) assistir uma cena de sexo gay
Mais uma vez, com as cenas do episódio 2.02 “The Night Lands“, os ânimos se elevaram e a atenção de várias pessoas se voltaram para as cenas de sexo entre Melisandre e Stannis, Theon e a filha do capitão, etc.

Pelos motivos apresentados acima, acredito que caibam aqui alguns esclarecimentos. 

Primeiramente sobre a HBO:

    A HBO (abreviação de Home Box Office) é um canal de televisão por assinatura norte-americano, de propriedade da Time Warner. Em março de 2011, a sua programação era assistida por 28,2 milhões de assinantes nos Estados Unidos, tornando-se a segunda maior rede premium de canais naAmérica do Norte, atrás apenas da Encore, que tem um público de 32,8 milhões.
    […]O canal exibe séries mundialmente aclamadas que contribuem em grande parte para o renome de qualidade do canal. Muitos desses programas são conhecidos, dividindo opiniões, por apresentar com pouca, ou nenhuma, censura temas como sexo, violência, uso de drogas, homossexualidade, entre outros. Séries como From the Earth to the Moon, How to Make It in America, Bored to Death,Hung, True Blood, In Treatment, Big Love, Entourage, The Sopranos, The Pacific, Generation Kill, John from Cincinnati, Roma, Band of Brothers, Satisfaction, Crash e Spawn,Game of Thrones, exibidas atualmente e em anos anteriores estão entre os maiores sucessos do canal. Há também séries produzidas na América Latina como Epitáfios, Carnivàle, Alice, Mandrake, Capadócia e Filhos do Carnaval. […]Em 2012, mesmo com o advento de tecnologias de bloqueio de conteúdo, o canal principal da HBO nos Estados Unidos ainda não exibe conteúdo adulto antes das 20 horas. Wikipédia

Segundo, sobre a classificação de Game Of Thrones:

David Benioff disse em relação a classificação etária da série para o digital spy que  de GoT deveria ser além de “R”, porém como a série será exibida na TV por um grande canal como a HBO ficaria muito difícil seguir fielmente os livros.  
“Aqui, como temos dez horas para contar a história, podemos incluir todos os personagens principais … e somos capazes de fazer isso como George [RR Martin] mas nos livros temos a parte sombria, a violência e a sexualidade, que um grande estúdio nunca iria permitir, mesmo se você tiver sorte suficiente para conseguir uma classificação R. Isso [GoT] está além do R. “A classificação R é usada nos Estados Unidos, o R significa restricted, e a exibição é permitida apenas para maiores de 17 anos ou acompanhados de pais/responsáveis. 


Terceiro é uma adaptação feita por David Benioff & D. B. Weiss. Com os produtores:Bryan Cogman, Jane Espenson David Benioff, D. B. Weiss e ninguém menos que George R. R. Martin. Como o trabalho dos diretores consiste em adaptar a história e trazê-la para a televisão, cabe a eles adequarem o conteúdo dos livros na produção de Game Of Thrones. Lembrando ainda que George R. R. Martin também é um dos produtores da série, e que certamente é consultado quando se trata de apagar um personagem, reduzir ou aumentar uma história.

Quarto, quem disse que no livro não tem sexo? Não brinquem com o velhinho!

Theon, A Fúria dos Reis, pág. 113.

Os olhos da moça abriram-se muito, e não era porque ele tinha desnudado seus seios.– Eu seria sua esposa de sal, senhor.– Temo que esses dias tenham passado – o dedo de Theon moveu-se ao redor de uma mama pesada, numa espiral que se dirigia para o gordo mamilo marrom, – Já não podemos montar o vento com fogo e espada, roubando o que quisermos. Agora arranhamos o solo e atiramos linhas ao mar como os outros homens e consideramo-nos sortudos se tivermos bacalhau salgado e mingau suficientes para nos sustentar durante um inverno.Tomou o mamilo na boca e mordeu-o, até ela arfar.– Pode pôr em mim de novo, se desejar – sussurrou a garota ao seu ouvido, enquanto ele chupava seu seio.Quando afastou a cabeça do seio dela, a pele estava vermelho-escura onde a boca a marcara.– Desejo ensinar uma coisa nova a você. Dispa-me, e me dê prazer com a boca.– Com a boca?O polegar dele roçou levemente nos lábios carnudos da moça.– Foi para isso que estes lábios foram feitos, doçura. Se fosse minha esposa de sal, faria o que eu ordenasse.Ela, a princípio, se mostrou tímida, mas aprendia depressa para uma garota tão estúpida, o que oagradava. Tinha a boca tão úmida e doce como a boceta, e assim não tinha de ouvir sua tagarelice tediosa.Antigamente, teria realmente ficado com ela como esposa de sal, pensou consigo mesmo, enquanto enfiava os dedos no seu cabelo embaraçado. 

Mais explícito do que isso impossível, mas ainda assim adaptado.


“O reino imaginário de Martin transborda com sangue mutilado, sexo abundante, uma política sordidamente intrincada, um elenco enorme de personagens falhos, e camadas de sujeira que emprestam uma sensação de autenticidade a seus cavaleiros, encantamentos e dragões”. Carlo Rotella, em The Gateway to highfantasy. Wikipédia


Mas se ainda assim, com toda essa explicação você acredita que a série tem sexo demais (se tem violência, decapitações, assassinatos, conspirações, qual o problema com sexo?) acredito que você ainda não se deu conta de que não está assistindo TV, está assistindo a HBO, talvez seja  melhor dar uma conferida na programação semanal da TV aberta brasileira, pois você ainda não está preparado para o que os escritores de Game Of Thrones tem em mente…

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados