Entrevista com David Benioff e D.B Weiss no Westeros.org

D.B Weiss e David Benioff
O maior site gringo sobre ‘A Song Of Ice and Fire‘, Westeros.org, realizou essa entrevista com os produtores executivos e criadores da série de TV Game Of Thrones, David Benioff D.B Weiss, e nós traduzimos pra vocês. Na entrevista eles falam da relação deles com o Martin, dos planos para o futuro da série, orçamento, corte de cenas e de personagens, Brienne, Ros, Água Negra e muito mais (não MUITO, mas algumas coisas mais). Excelente entrevista, vale a pena dar uma conferida. Especialmente se você é daqueles que gostam de discutir as diferenças entre a adaptação e os livros da saga.


O quão fiéis vocês querem ser às histórias dos livros? 
DAVID: Estamos com o mesmo impulso da primeira temporada: tentar ficar tão fiéis o quanto podemos estando cientes de que é uma adaptação. Nós estamos tratando agora como uma adaptação de A Song of Ice and Fire como um todo, em vez de filmar isoladamente cada um dos livros, por isso há certos elementos do terceiro livro que estão indo para a segunda temporada, e certos elementos do segundo livro que vão para a terceira temporada.
Qual o maior desafio dessa adaptação?
DAVID: Apenas a escala.Os livros são tão enormes: há tantas histórias, tantos personagens. Nós temos dez horas, o que é ótimo, quando os livros foram enviados para nós pelo agente do George, ele estava sugerindo alguns extras. Esta foi a sugestão do agente, não do George. Nós imediatamente percebemos que não era possível. Mesmo com dez horas há muito que não podemos fazer. Se tentássemos empurrar cada personagem  presente nos livros, teríamos cerca de 45 segundos por episódio pra contar suas histórias.
Como tem sido a reação dos fãs? 
DAN: Estamos realmente satisfeitos com a resposta extremamente positiva por parte dos fãs que amam e leem os livros. Eles entendem que a TV não é um filme e nem um livro, e que opera pela sua própria lógica, mas que nós amamos o material, tanto quanto eles.
O que vocês mais amam nos livros?
DAVID: Para mim são as personagens, em primeiro lugar. Lembro-me de ler o primeiro livro e no momento em que Bran foi empurrado pela da janela, percebi que estava lendo algo muito diferente de qualquer outro romance de fantasia que eu já tinha lido, muito diferente de qualquer romance que eu tinha lido, ponto final. Você se torna tão imerso nesses personagens e desenvolve afeto por eles, e até mesmo se interessa pelos personagens que você não gosta de fato. E depois estas coisas terríveis acontecem a eles. George é um Deus tão cruel. Faz você muito tenso. Quando Ned morre nos livros, isso é completamente chocante para nós, porque você espera que o herói não morra. Depois de perceber que os heróis morrem neste mundo, isso o torna muito mais aterrorizante. Ele torna-se um bom drama.

DAN: É a oportunidade de ir para um incrível mundo de fantasia épica onde existem personagens que você quer (ou não quer!) levar pra jantar, digo, eles são tão reais que você sente como se fossem as pessoas que você conhece na vida cotidiana. É uma experiência muito rara.

Você acha que é por isso que os espectadores respondem tão bem, porque os personagens são relacionáveis?

DAN: Sim, as suas preocupações são muito parecidas com as nossas preocupações. Não é o tipo de história onde eles estão procurando a espada mágica, por exemplo.

DAVID: Sim, todos os dias eu penso sobre como alimentar meus dragões.

Com a notícia de que Alan Ball decidiu parar de escrever True Blood, vocês podem ver a si mesmos escrevendo para a série durante todo o tempo em que ela durar, ou podem imaginar vocês afastando-se do papel de escritores em algum momento?

DAVID: Você sabe, nós amamos nosso trabalho desde o início, e quando nós encontramos a HBO e armamos o projeto que dissemos que teria potencialmente oito ou nove temporadas – é toda uma história, com um começo, um meio e um fim. Praticamente em todas as séries na televisão, mesmo nas grandes séries do passado, a equipe de roteiristas vem com uma bíblia para a próxima temporada. Pode haver algumas exceções, eu acho que Matt Weiner (Mad Men) e o Vince Gilligan (Breaking Bad) têm um final em mente, mas estamos contando uma história que potencialmente terá 80 ou 90 horas e que adoraríamos ver até ao fim.

DAN: Eu imagino que, enquanto estivermos autorizados a seguir em frente, nós nunca vamos parar.

Posso perguntar quantos episódios vocês escreveram para esta temporada?

DAVID: Para 2 ª temporada?

Isso.

DAVID: Seis episódios, Vanessa Taylor escreveu dois, Bryan Cogman e o George escreveram um cada.

Se o George é Deus, o que isso faz de vocês?

DAVID: O que isso faz de nós?

DAN: Discípulos? Apóstolos? Eu não sou inteligente o bastante no início da manhã.

Você tem um personagem que você mais gosta?

DAVID: É como tentar escolher seu filho favorito – Eu não posso dizer, porque as crianças são realmente filhos do George, mas se há um na segunda temporada que eu realmente amo, eu diria que é o Theon Greyjoy. Seu arco ao longo dessa temporada é tão fascinante, e o Alfie Allen o interpreta maravilhosamente. Eu realmente amo todos eles, mas o Theon é particularmente cativante.

Quando vocês esquematizam a temporada e escrevem os scripts, com que frequência vocês tem que manter em mente o orçamento?

DAN: O tempo todo. No final do dia há sempre coisas que você quer fazer mas que você não pode ser capaz de fazer, então você tem que decidir o que é mais importante.

Então são principalmente batalhas que são cortadas?

DAVID: Para a segunda temporada, sabíamos que realmente queríamos mostrar a Batalha da Baía da Água Negra, mas não poderíamos fazê-lo exatamente como está nos livros, porque isso teria significado meses de tempo de gravações e 50 milhões dólares que não tínhamos, mas queríamos mostrar uma batalha ao invés de fazer outro corte. Às vezes a gente vai ser obrigado a fazer isso, mas nesta temporada tudo realmente constrói em direção à Batalha da Água Negra e muitas das histórias que se aglutinam em torno da batalha, de modo que mostrar tudo isso fora de campo ou ter Lancel Lannister relatando os fatos que estão acontecendo lá fora para Cersei dentro da Fortaleza Vermelha sem mostrá-los era algo que estava fora de questão.
Então tentamos mantê-la [a batalha], o que significa que nós preservamos tempo na agenda para ela e dólares suficientes para isso … e também voltamos à HBO para pedir mais dinheiro porque percebemos que não tínhamos o suficiente para fazê-lo. E mesmo a versão que tínhamos não era tão grande como a dos livros.

DAN: A HBO foi muito generosa quando estendemos os nossos chapéus.

Blackwater: série x livros

 Então vai ser algo como a batalha no Abismo de Helm?

DAN: É interessante porque sentimos – e não apenas por razões orçamentais, mas por razões de tom e sensação da série – que a maneira grandiosa como as batalhas são mostradas em filmes como O Senhor dos Anéis são um grande espetáculo, o que não é realmente o estilo da nossa série. Eu amo esses filmes, mas a sensação da série é mais sobre o ponto de vista ao nível do solo. Às vezes você não quer coisas realmente gigantes, lances de câmera radicais que podem afastar você do mundo em vez de fazer você se sentir imerso. Queremos que as pessoas se sintam como se estivessem no meio da batalha, cobertas com a lama e a sujeira e o sangue que existe nela.

DAVID: [Senhor dos Anéis] É realmente algo gigantesco, mas eles querem lhe dar a visão dos olhos de Deus. Na nossa batalha, estaremos com Tyrion, Davos, ou Stannis, e vemos a batalha de suas perspectivas.

Como vocês decidem quais personagens manter e quais descartar?

DAN: Existem tantos personagens nos livros que já dissemos ao George que se mostrássemos todos os personagens do livro, usaríamos todo o orçamento com o elenco, ficando sem nenhum dinheiro para as câmeras ou para a equipe ou para os sets.

DAVID: Uma coisa que importante a se pensar é que nós estamos fazendo isso para um público que tem alguns espectadores que leram os livros, e muitos que não. Queremos agradar a ambos os grupos. Há um número enorme de personagens. Eu não acho que há um grande elenco na televisão.

DAN: Eu acredito que isso é um fato.

DAVID: Eu não acho que ninguém pode pedir ao telespectador para processar tantas histórias e personagens… Existem personagens do segundo livro que não aparecem nesta temporada, mas estão chegando mais tarde. São tantos personagens novos introduzidos na segunda temporada, que por isso, guardamos alguns para a próxima temporada. Eles não estão sendo omitidos, eles estão apenas sendo adiados.

DAN: Muito disso depende apenas de quando é que alguém realmente torna-se central para a história, e não podemos nos dar ao luxo de ter pessoas esperando a história do personagem começar.

Existem personagens que vocês podem usar para condensar a história? Vocês podem dar um exemplo?

DAN: [Na primeira temporada] Eu acho que o Grande-Jon Umber é um exemplo. Robb tinha um monte de vassalos diferentes, e não podemos seguir a todos, por isso decidimos nos concentrar em um deles para substituir os vassalos como um todo.

DAVID: Ou o Jory. Ned trouxe um número de guardas nomeados com ele do Norte, e muitos deles têm diálogos nos livros. Mas nós queríamos nos concentrar em um personagem, e assim, quando ele morreu, eu acho que teve um significado maior para os telespectadores.

Tanto na primeira quanto na segunda temporada podemos ver personagens já
existentes que acabam ‘tomando os lugares’ de outros em algumas situações…

George mencionou o efeito borboleta sobre pequenas mudanças que levam a resultados inesperados. Obviamente, as mudanças são necessárias para a adaptação, mas em que grau vocês olham para o plano inteiro de 80-90 horas? Ou as necessidades da atual temporada superam todo o resto?
DAN: Você tem que manter um olho no grande esquema e um olho na história em mãos. Se a história a cada momento e cena a cena não está funcionando, então você nunca vai chegar ao ponto onde 75 horas é um problema. Então, nós queremos fazer do momento o mais satisfatório possível, mas ao mesmo tempo não queremos destruir nada descendo a estrada.

Eu realmente amo o caráter de Robb Stark e o que o ator trouxe para a tela. Nos livros, o personagem não é um ponto de vista, sendo assim como vocês fizeram para apresentá-lo?

DAVID: Nós vemos muito Robb através dos olhos de outros personagens nos livros, mas nunca estamos em sua cabeça. Parte da razão de termos aumentado o papel foi que eu gostei do personagem, mas honestamente, a outra parte foi que Richard Madden foi tão chocantemente bom que não queríamos ficar longe dele durante a maioria da segunda temporada. Ele é um personagem fundamental, filho de Ned Stark, o líder do Norte, de modo que queria passar mais tempo com ele. Espero que estejamos sendo fiéis ao personagem criado pelo George.

Há personagens que não estão nos livros e que vocês inventaram? Acredito que a Ros seja uma invenção.

DAVID: Ela não está nos livros. Ela é praticamente a única que eu me lembro.

Será que ela vai voltar?

… a Ros também é um ótimo exemplo.
(E põe ótima nisso).

DAVID: Sim, ela vai. Há personagens de prostitutas nos livros e Ros é uma combinação delas de certa forma.

DAN: Esmé Bianco começou como um convidada de uma única cena, mas nós realmente amamos o que ela fez na cena e nós percebemos que ela tinha uma maneira de representar uma classe de pessoas que a história não se concentra no geral, e ela pode servir a todos os tipos de funções diferentes na estrada já que existem cinco ou seis personagens diferentes.

Alguns dizem que parece haver mais sexo na série do que nos livros…

DAVID: Não, há mais sexo nos livros do que há na série.

DAN: Se nós mostramos todo o sexo nos livros, você estaria falando com a gente atrás das grades da prisão.

DAVID: Eu estou pensando em uma cena de A Dance with Dragons e … bem, eu não posso nem imaginar como nós filmaremos isso. E há cenas dos livros que não fizemos por razões legais e morais, que apresentam personagens menores de idade. Existem, certamente, cenas da série que não existem nos livros, mas acho que o nível de conteúdo sexual e conteúdo gráfico é o mesmo. E é uma das coisas que nós amamos sobre os livros do George – eu não acho que Bilbo Bolseiro jamais teve uma ereção, mas nestes livros os personagens pensam em sexo, o que parece real para nós.

Vocês conversam com o George RR Martin regularmente?

DAN: George escreve um episódio a cada ano, e nós consultamos ele bem de perto sobre os assuntos da história. Fazemos um monte de perguntas, mas não queremos distraí-lo do seu trabalho de escrever estes enormes e fantásticos livros. Mas sim, George está envolvido no processo.

DAVID: George assiste todos os vídeos de audições em um site seguro de teste de elenco – eu espero que seja um site seguro – e escolheu um dos principais personagens novos nesta temporada, que é a Brienne. Quando ele viu audição da Gwendoline Christie, bem, foi um caso em que houve unanimidade completa. Era apenas, “Ela é a única.”
DAN: Nós dissemos “Ela é a única” antes mesmo dela falar qualquer coisa. Foi mais pelo jeito que ela entrou e ocupou o espaço. Ficamos pensando: “Por favor, não tenha uma voz muito engraçada.”
DAVID: Esse foi um papel que nos deixou nervosos quanto a intérprete. Para muitos dos papéis, há uma aparência física dos livros que tentamos manter fiéis, mas se um ator vem, e ele tão bom, por exemplo, o Liam Cunningham não é nada como como Davos é descrito nos livros; francamente , ele é muito mais carismático e podia conseguir um papel de liderança com isso. Mas para Brienne, é importante que ela tenha uma certa semelhança física. Se ela não for grande e não tiver o olhar poderoso, você não vai acreditar. Então, quando Gwendoline entrou na sala, você sabe, ela é mais alta que eu e estava olhando para mim. Então nós estávamos: “Deus, espero que ela seja boa.” E ela não era apenas boa, ela foi fenomenal. Foi um alívio grande.
Muito ansioso pra ver ela atuando no domingo.

O que podemos esperar da segunda temporada?

DAVID: O mundo se torna maior. No primeiro livro, tantos personagens começam no mesmo lugar e depois se espalham para fora. Igualar isso na tela, era imensamente desafiador. Mas nós conseguímos em parte porque nós filmamos em três diferentes locais, na Islândia, na Irlanda do Norte e na Croácia, e esses locais são fenomenais. E então os membros do elenco que retornaram vieram a conhecer os seus personagens melhor, e sabemos como escrevê-los melhor, e depois temos os novos personagens, bem como os novos atores, que são ótimos. É um conjunto muito maior, e eu acho que é mais bonito, parece melhor do que o que fizemos na temporada passada.
DAN: E o romance. Há muito mais romance na 2ª temporada. Não só sexo, romance. Um romance sexy.
___________________

Muito boa a entrevista. D&D parecem animados como sempre, e de quebra tiraram várias dúvidas com relação à personagens/adaptações e etc. O que acharam? 



Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados