George R. R Martin fala para EW, parte II

Imagem HBO, via EW
ATENÇÃO: A entrevista contém comentários sobre os livros 5 e 6, se você tem alergia ao mínimo spoiler, não leia.
Você foi avisado!


Você sente como se devesse algo a seus fãs? No fim do dia, há uma responsabilidade?
Penso que dever é a palavra errada. Tento dar a eles uma boa história. E eu gosto de meus fãs- a grande maioria é ótima. Eu provavelmente tenho mais interAção com fãs do que qualquer autor que conheço. Geralmente, sou bem agradável com eles. E se eu quisesse me afastar, acho que seria meu direito. Com certeza acredito que é meu direito tirar domingos para ver futebol da NFL, ir a convenções e trabalhar em outros projetos- é o que os trolls mais pesados desaprovam. Você se encontrou com Ty[assistente dele]. Ele acha que o problema é de gerações. Que as pessoas chateadas[pelo livro 5 ter demorado seis anos] são mais jovens, é o que ele chama de A geração do Direito. Elas querem gratificação instantânea- algo com que estão acostumados por causa da internet. Eu sou da geração Baby boomer( crianças nascidas na explosão demográfica após a 2ª Guerra.), e tínhamos que esperar, cara. Se eu ouvia falar sobre um livro, ele poderia nunca vir para a inconstante prateleira da farmácia. Se quisesse ver um filme, teríamos de esperar que ele fosse para a Tv algum dia. Esta é a teoria de Ty, não a minha. Mas talvez seja verdade.


Você tinha a intenção de que o livro 5 fosse mais longe, estou certo?
Sempre é difícil saber onde vai parar cada livro. Você está andando sobre uma linha tênue. Como Senhor dos anéis, você está escrevendo uma história. Ao mesmo tempo, eu quero que cada livro represente uma fase da jornada. Eu tentei finalizar cada personagem com uma situação limite ou com algum tipo de resolução. E eu tento fazer dos dilemas a menor parte- Não quero oito situações limite. [Dance] tem mais dilemas do que eu gostaria.


Então com o próximo livro, você chegou a conclusão de que não precisa mais ter as personagens em livros separados?
Esta é, certamente, a minha esperança, sim. Daqui a três anos, quando eu estiver sentado em 1800 páginas de manuscritos, sem final à vista, quem diabos sabe?

Qual episódio de Game of Thrones você escreverá na próxima temporada?
A batalha de Blackwater, que Deus me ajude. David e Dan devem me odiar.
Este é o que você mais tem consciência das decisões orçamentais.
É bem difícil porque não temos orçamento para a batalha no livro. Apenas não temos.
Bem, tem que ser suficiente para mostrar os navios e o que acontece com eles, certo?
Espero que sim. Veremos. Eu estou ecrevendo-o. Cortando certas coisas. Veremos quando eu tiver terminado, se podemos fazer isto. Quando você olhar Roma da HBO…

Amei Roma.
Eu também, mas o que dizer das batalhas?

Nós vemos Cesar sair da tenda e ir para a guerra, então ele volta e cai desacordado.
Cesar deixa a tenda. Pompeu deixa a tenda. Então vemos o estandarte de Pompeu na lama. E Cesar volta para a tenda. No próximo episódio, Pompeu descreve a batalha para Pullo e Vorenus desenhando na areia com uma vara para explicar o que aconteceu. Para a batalha de Actium, eles abrem com Marco Antônio boiando num pedaço de madeira- e Roma tinha um orçamento maior do que o nosso. Tenho tentado dizer isto aos fãs. Em algum nível eles estão esperando pela Batalha dos Campos de Pelennor[de O Retorno do Rei de Peter Jackson].

Fãs não fazem tanta distinção entre os meios agora.
Não. E a televisão estabeleceu isso como sendo cada vez melhor. Nos anos 60 ou 70, você diria se era uma série de TV ou um filme em três quadros apenas pelo jeito que foi sequenciado e divulgado. Mas hoje em dia não dá.

Há muitos debates a cerca de Game of Thrones ser feminista ou anti-feminista. Você ficou surpreso com essas reações?
Na verdade não. Penso que é bom as pessoas debaterem essas questões. Obviamente, não acho que eu seja misógino ou racista como alguns críticos dizem. Eles estão simplificando demais a leitura. Com certeza, eu sou um homem branco de 62 anos e nenhum de nós escapa inteiramente dos valores inoculados enquanto jovens, mesmo se os rejeitássemos- como eu deixando o Catolicismo. Eu não me apego em um paradigma feminista. Mas estou muito satisfeito- apesar daquela crítica idiota do New York Times- de fato eu tenho inúmeras fãs mulheres que amam minhas personagens femininas e eu tentei fornecer uma variedade de personalidades do sexo feminino. Com todas as minhas personagens, eu tento mostrar que somos todos humanos.

Tem uma enorme quantidade de cenas de sexo explícito na série e alguns fãs os livros foram pegos de surpresa.
Um dos motivos pelos quais quis trabalhar com a HBO foi que eu queria manter o sexo. Tivemos alguns problemas porque Dany tem apenas 13 anos nos livros, e é baseado em história medieval. Eles não tinham esta concepção de adolescência e anos de juventude. Você era criança ou adulto. E o início da maturidade sexual significava que você era um adulto. Então eu refleti isso nos livros. Mas então quando se vai filmar, tem pessoas que ficam loucas sobre a pornografia infantil e há leis efetivas a cerca de como você não pode descrever uma criança de 13 anos tendo sexo, mesmo se tiver uma jovem de 18 anos atuando- é ilegal no Reindo Unido. Então, acabamos com uma de 22 anos retratando uma de 18, ao invés de uma de 18 atuando como uma de 13. Se tívessemos decidido deixar o sexo de lado, poderíamos ter mantido as idades originais. E uma vez que se muda a idade de uma personagem, tem que mudar a de todos, e mudar a data da guerra[que destronou o Rei louco]. O fato de termos feito tantas mudanças indica o quanto o sexo é importante para nós.
A reação dos espectadores com a morte de Ned foi maior do que você esperava?
Foi. Foi fascinante a ver a intensidade da reação. Você tem que lembrar que escrevi esta cena em 1994 e ela saiu em 1996. E as pessoas ficaram extremamente chocadas em 2011 com algo que tem sido marca registrada dos livros. Por um lado foi bom, você não gostaria de matar um grande personagem e ninguém se importar. Você deve se lamentar quando uma personagem morre. Eu diria que sua coluna após a morte de Ned e uma semana depois sobre a audiência do episódio, foram notícias que eu fiquei feliz em ver. Porque haviam pessoas dizendo que não veriam mais a série.


A grande questão é se acontecerá algo com a audiência entre as temporadas. Mas eu suspeito que, se algo ocorrer, será para voltar ainda maior.
Bem, Natalie Dormer[como Margaery Tyrell] é uma ótima escolha para começar. Ela foi a melhor parte de The Tudors a melhor Ana Bolena que já vi.
Há alguma mudança na série de TV que você gostou particularmente?
Eu adorei algumas das cenas novas que eles adicionaram. Como romancista, eu tenho certas ferramentas como o monólogo interior e o dispositivo do narrador não confiável. Eu posso ter flashbacks e sonhos, os quais são um belo obstáculo numa série de TV. Então eles tem que inserir novas cenas. Amei a interação entre Mindinho e Varys, o que nunca ocorreu nos livros já que nenhum deles tem POV. Adorei a cena de Drogo arrancando a língua de Mago, o que foi completamente inédito. Mas isso terá consequências se formos até o final. Eu falei com Dan e Dave sobre o efeito borboleta- o clássico conto de Ray Bradbury é familiar para você?

A Sound of Thunder. Um dos meus favoritos.
Piso numa borboleta na Era Pleistocena e isso muda tudo no ano 2000. [ATENÇÃO! SPOILER LEVE DO LIRVO 6] Então, Mago não está morto nos livros. E, na verdade, ele será uma personagem recorrente no Winds of Winter. Ele é particularmente um irmão de sangue desagradável para um dos outros Khals que se separaram após a morte de Drogo. Este será um desafio que a série encontrará quando avançarmos. Haverá divergências, eles estão tentando ser fiéis e Dan e David estão fazendo um trabalho maravilhoso. Mas os livros são organizados tão intricadamente que você pisa em uma borboleta na primeira temporada e na quarta você terá de lidar com isso. Há também outra personagem, [o cantor] Marillion, que também tem sua língua cortada na primeira temporada, o que não acontece nos livros. Joffrey toma esta decisão [no livro], mas é com um bardo qualquer. Marillion[tem mais a fazer]. Deveríamos chamar isso de Efeito língua ao invés de Efeito borboleta.

Teve algo do livro de que você sentiu falta?
Eu gostaria que o torneio tivesse sido bem maior. Originalmente, tinham no primeiro rascunho do roteiro um desfile de cavaleiros e uma dúzia de justas que tiveram que cortar devido ao orçamento. E eu teria gostado se a multidão tivesse sido muito maior. Isso é como o Super Bowl nos livros e atrai pessoas de todos os sete reinos.

Sansa não mais conta a Cersei sobre os planos do pai em fugir- tudo bem para você esta mudança?
Isto não me incomodou.

Os espectadores podem nunca perdoá-la.
Muitos leitores não a perdoaram. Uma outra coisa deixada de lado foi Catelyn dizendo para Jon Snow, “Deveria ter sido você” [após o acidente com Bran].
Para mim, vendo ela na série, o jeito que ela agiu em direção a ele, o visual adicionou muita frieza mesmo sem essa passagem.
Sim, apenas a expressão dela, o que você não pode fazer nos livros. Acabou dando no mesmo.

Há alguma perfomance na série que fez você pensar diferente sobre alguma personagem?
As perfomances estão sendo ótimas, mas elas estão sendo ótimos em capturar as personagens como eu as vejo. A única exceção é Natalia Tena com Osha. Porque ela é muito diferente do que é no livro, mas eu acho ela mais interessante. Quando eu trazer Osha de volta em Winds of Winter, eu terei Natalia em minha mente e talvez darei coisas mais interessantes para a personagem fazer.

Uma grande preocupação tem sido se a série pode ultrapassar você nos livros. Por um momento, ela pareceu prematura. Agora que a primeira temporada está feita, vale a pena perguntar.
Há duas questões aqui. A primeira é: quanto tempo eu levarei para escrever o próximo livro. Winds of Winter passará sem problemas ou será tudo de novo, como Feast e Dance? Eu certamente espero que ele não seja o mais atrasado. A outra problemática é: o que a HBO fará se tivermos uma terceira temporada e além? A Tormenta de Espadas é um livro gigantesco. Eu esperava que eles nos dessem 12 episódios para A Fúria dos Reis. Então eu não sei como eles conseguirão inserir tudo. Mas não há chances de obter Tormenta em 10 ou até mesmo em 12 episódios. Minha esperança é de dividí-lo em duas temporadas. Não existe lei alguma dizendo que cada temporada deve cobrir um livro. O único problema de me alcançarem é que se fizermos tudo de Tormenta, Festim e Dança terão que ser recombinados. Então, haveria o perigo de eles me alcançarem. Eu acho que terei Winds antes deles, poderão me alcançar antes do livro 7, A Dream of Spring.

Há algo que você gostaria de acrescentar?
Eu gostaria de ver mais fantasia na TV. Tem havido resistência quanto a isso, as forças que muitas vezes não acreditam que pode fazer sucesso. A maioria é aventura e ação para crianças. Eu apreciava Xena A princesa guerreira, mas fantasia pode ser muito mais que isto. Eu adoraria ver alguém fazer Nine Princes in Amber de Roger Zelazny. Que fantástica série da HBO seria.

Eu não leio muita fantasia, mas as Crônicas de Amber é a única que eu acompanharia também. Esta tem tido seu desenvolvimento chutado para sempre; Syfy tinha direitos para isso por um tempo. Então, quão firme você está de que Ice and Fire terá sete livros?
Eu estou.
[..]
O final da entrevista está disponível somente na versão impressa da EW. =(
Tags:

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados