Resenha do episódio 8: “The Pointy End” – [COM SPOILERS]

Pra quem não ficou sabendo, esse episódio foi escrito pelo prório George R.R. Martin. Então, apesar de haver algumas coisas diferentes do livro, é o autor que vos fala! O título é uma referência à espada de Arya, Agulha, cuja extremidade a ser usada deve ser a pontuda.


No início, vemos Arya treinando com o Syrio Forel. Esse personagem é espetacular, uma pena que essa parece ser a última participação dele nessa temporada. Nela, Syrio dá uma importante lição para a Arya: veja com os olhos. No livro, essa cena é acompanhada de um comentário de Syrio contando sobre como ele se tornou a Primeira Espada de Bravos: um gato muito grande que todos esperavam ser um gato exótico, mas não era nada mais além de um gato comum que engordou bastante. Ao perceber o truque, Syrio se tornou a Primeira Espada.

Os guardas Lannister aparecem para levar Arya à força, mas a sagacidade de Syrio a salva e ela foge enquanto ele ainda derrota alguns soldados com espadas de madeira! Em determinado momento, um soldado parte sua espada, mas Arya já está longe. Se essa foi a morte dele, foi uma tremenda perda.

Nos estábulos, Arya vê pessoas mortas e prevê que o perigo também esteja ali. Um garoto aparece e ela, extremamente por impulso, mata-o com a Agulha, que ela tinha acabado de reencontrar. No livro, ficamos sabendo que ela foge pelas masmorras em que ela ouviu os homens misteriosos (Illyrio e Varys) comentando sobre a Mão e os bastardos. Apesar de parecer estranho à primeira vista que a Agulha estivesse bem ali, lembrem-se: os Stark estavam de saída e Ned mandou aprontar as malas. Então, faz sentido que as malas estejam lá.

Na próxima cena, vemos Varys levando a Ned um pouco de água. Varys vai levar notícias e um tremendo “eu avisei” para o Ned. Além disso, ficamos sabendo que Tyrion não mais é prisioneiro, ou seja, Ned não é mais moeda de troca no atual panorama dessa contenda. Além disso, uma de suas filhas está desaparecida. Um homem honrado e íntegro como o Ned merecia mais que isso, mas ele devia ter sido mais vivo.

A seguir, Homens da Patrulha da Noite chegam carregando os corpos de dois patrulheiros, ambos patrulheiros de Benjen Stark. No livro, sabemos que esses corpos são um problema para carregar, pois os cavalos ficam agitados e são os próprios patrulheiros que os carregam. Sam mostra alguma utilidade e comenta que há algo estranho com os corpos, por não exalarem mau cheiro. Ainda assim, em vez de queimá-los, os homens da patrulha guardam os corpos para que meistre Aemon posteriormente os examine.

A próxima cena certamente é famosa entre os leitores: Sansa está na presença da rainha Cersei, que a convence a escrever uma carta para sua família, além de informar que Ned está preso por traição. Nela, ela deve pedir a Catelyn e a Robb que vão a Porto Real reconhecer Joffrey como legítimo Rei. No episódio, tive a impressão de que Sansa foi retratada como sendo um tanto inocente, em vez da menina que ambiciona se tornar rainha.

Após receber a carta da Sansa, Robb convoca os vassalos. Vemos então uma cena muito bonita, com vários e vários corvos partindo de Winterfell em direção às várias casas menores do Norte. Catelyn, em Ninho da Águia, irrita-se com sua irmã Lysa, por ter ocultado informações tão importantes. Lysa também afirma que não cederá seus vassalos para marchar junto a Robb.

Tyrion caminhava (!) com Bronn em direção ao acampamento Lannister, saindo do Ninho da Aguia. Vemos então um personagem por quem eu esperava muito: Shagga, filho de Dolf! Espero que esse personagem tenha mais cenas, mas vamos dar mais tempo. Através de muita lábia e perspicácia, Tyrion convence os selvagens a acompanhá-los, da mesma forma que Bronn o faz: sem lealdade, na base da promessa de posses. Não sei vocês, mas eu esperava mais gente e uma explicação melhor: Homens Queimados? Orelhas Negras? Talvez seja o caso de coisas que serão explicadas mais oportunamente na série, como uma daquelas cenas que não está no livro, que só serve pra explicar coisas pro espectador.

Voltamos à Muralha, onde vemos Jon Snow preocupado com sua família enquanto Alliser Thorne o provoca. Jon o ataca e é reprimido por Mormont, que o ordena a ficar no quarto. Fantasma (este mini lobo gigante) fica muito agitado e Snow decide soltá-lo e segui-lo. O lobo vai até o quarto de Mormont, onde um dos patrulheiros que eles encontraram os ataca. Rapidamente, Jon joga a lanterna na mão de Mormont sobre o zumbi, que queima e… morre?

Essa cena ficou um tantinho diferente do livro, especialmente em relação à queimadura de Snow. No livro, a queimadura parece ser mais severa, enquanto que na TV, ele parece ter queimado somente de leve a palma da mão. Além disso, eu senti falta da cena em que Jon foge da Patrulha da Noite para ajudar Robb na guerra e é convencido a voltar pelos seus amigos da Muralha.

Em seguida, vemos Dany na cidade do povo Lhazareno, ao sul do Mar Dothraki. Os Dothraki os invadiram e agora estão tomando escrevos, pilhando seus bens e estuprando suas mulheres. Ao ver a cena, Dany decide intervir e toma as mulheres como escravas para si. Mago, ao reclamar com Drogo, insulta-o, dizendo que ele obedece às ordens de uma estrangeira, Dany. Chamar alguém de estrangeiro é também um insulto para os Dothraki. Ao desafiar Drogo, Mago recebe uma morte digna de um Fatality de Mortal Kombat: com as mãos nuas, Drogo arranca sua traquéia e sua língua pela garganta.

Nessa cena, conhecemos Mirri Maz Duur, uma maga dos Lhazarenos, que aprendeu artes de cura em Asshai. Ela se oferece para limpar o ferimento que Drogo sofreu quando Mago o ameaçava com seu arakh. Depois tomar alguns tapas de um irmão de sangue de Drogo, Mirri Maz Duur é autorizada a ajudar Drogo.

Essa cena teve a motivação alterada, uma vez que o khalasar de Drogo não estaria atacando os Lhazarenos, mas o khalasar de Khal Ogo, que estaria atacando os Lhazarenos. Além disso, no livro, está ferido da luta com Ogo, e não do desentendimento com Mago que, segundo consta, não morreria agora. Além disso, o ferimento de Drogo era muito mais severo que um mero corte.

Em Winterfell, os vassalos estão reunidos e Grande Jon Umber deseja liderar o exército. Robb o confronta, alegando perjúrio se ele não o seguir. Grande Jon se irrita ainda mais e é atacado por Vento Cinzento, que lhe arranca dois dedos, o que parece ser o suficiente para convencer Umber, que ri da situação (macho é isso aí). Enquanto isso, Bran está rezando na árvore-coração, quando Osha vem lhe falar dos gigantes de além da muralha. Hodor aparece nu e Osha constata, com razão, que se trata de um homem grande.

No acampamento dos Lannister, Tyrion chega com os selvagens, apresentando-os a seu pai. Tyrion é pequeno mas, na presença de Tywin, ele fica desimportante. Tyrion é informado da prisão de Ned e da revolta da Robb. Tywin promete aos homens de Tyrion o que eles desejam se eles o seguirem em luta. No livro, é a astúcia de Lorde Tywin que os convence a lutar, sugerindo que eles estariam com medo. No acampamento Stark, um batedor é capturado. Quando Robb Stark o questiona a respeito do que viu, ele afirma ter contado 20 mil nortenhos. E Robb o manda falar a Tywin que 20 mil nortenhos ele viu, e que eles estão chegando para verificar se ele realmente caga ouro. Posso estar enganado, mas não lembro desse batedor nos livros.

Voltamos a Porto Real, onde a corte está reunida com o Rei Joffrey. Tywin é nomeado (novamente) mão do Rei e Janos Slynt recebe Harrenhal. Na série, Sor Barristan Selmy é deposto de suas atividades como Chefe da Guarda Real e abandona o salão do Rei, enquanto que no livro, em adição a isso, ele sugere que Stannis Baratheon seria o verdadeiro rei em vez de Joffrey e, em resposta a isso, Joffrey manda capturá-lo. Adiante, Sansa faz um apelo por Ned, pedindo misericórdia do Rei. Joffrey se comove mas, diferente do livro, nada é dito em relação a Ned ter que aceitar o negro e partir para a Patrulha da Noite.

Por fim, gostaria de dizer: este foi o episódio que menos gostei até agora. Talvez eu estava esperando uma coisa e outra aconteceu, simplesmente isso. Obviamente houve trechos que realmente prenderam minha atenção, como a parte dos corvos voando de Winterfell, que achei lindo, e a luta de Drogo, mas no mais, achei o resto um tanto fraco. O final foi o menos expressivo até agora. Mas acredito que este foi o prelúdio de dois episódios excelentes que estão por vir.

Imagens: Slideshow do Episódio no site da HBO

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados