As poderosas mulheres de Game Of Thrones

Vocês podem achar o título/tema da história parecidos com o dessa matéria, eu até comentei ontem no twitter, mas há tempos que quero fazer esse texto, então não abandonei a ideia e decidi fazer mesmo assim. Basta ler os dois para ver que não é um copy/paste.
Posso dizer que a série superou todas as minhas expectativas. Acompanhei a produção desde o início, no ano passado quando li todos os quatro livros. Começando os livros já dá pra perceber que apesar de ser passar em um mundo/tempo medieval a história inteira tem uma presença feminina muito marcante.
Dany, Cat, Cersei, Lysa, Shae, Osha, Arya, Sansa e outras que ainda surgirão dão força e vida aos romances de uma forma que nenhum personagem masculino consegue fazer. Pontos para Martin que conseguiu retratar várias personagens completamente diferentes, realistas e indispensáveis para o desenrolar da trama.
Nas telas, inicialmente fiquei um pouco apreensiva: Emilia Clarke era um pouco sem graça e mais velha que a Dany que imaginei (sim eu sei que todo mundo foi envelhecido, ok?), assim como Cat e Cersei. Michele Fairley foi repudiada por muitos por ser um “saco velho de ossos” e Lena Headey carecia da beleza fatal da leoa dos Lannisters. Mas tudo isso foi a primeira impressão, aquela vinda das fotos.
Com poucos minutos de série deu pra perceber que Emilia não era assim tão ingênua e tinha a idade certa pra fazer o que precisava ser feito. Michele tinha a força necessária pra ser a Lady Stark de Winterfell e Lena conseguiu incorporar toda a soberba da rainha de Westeros.
As meninas nem precisa comentar, né? Sophie se tornou uma Sansa apaixonante, ingênua que acredita em contos de fadas e príncipes encantados. Uma Lady, pronta para seguir seu príncipe direto para o trono e ter vários leõezinhos de cachos dourados. Enquanto Maisie seguiu como a maria-joão da história, não quer ser uma Lady como sua irmã. Como Arya, ela conseguiu interpretar todas as nuances do papel, desde a revolta com os bordados até a rebeldia de atacar o príncipe…
Todas elas cresceram em seu papéis, mostrando quase todo o poder das mulheres em Game Of Thrones.
Enquanto os homens lutavam por terras, honra, dinheiro, amor e poder foram elas que roubaram as cenas da primeira temporada.ATENÇÃO: leia o post completo clicando no link abaixo, mas aviso que há Spoilers para quem não viu a primeira temporada completa.

Catelyn, uma das primeiras que aparece em cena, demonstrando o desprezo que sente pelo bastardo Jon Snow e o apego que tem pelos filhos, que defende se preciso com a própria vida. Ao longo da série toma decisões dificéis, como quando deixa seu marido e filhas partirem com a comitiva do rei, quando ela própria parte para Porto Real (King’s Landing) abandonando o lar e os filhos e quando captura o Duende Tyrion Lannister, dando início a guerra contra os leões. Por fim, é a mesma Catelyn que chora por Ned, o segundo amor que ela perde em Porto Real, é esta Catelyn que consola o filho, o corajoso Robb, agora Rei do Norte. Esta mesma Catelyn que ataca Jaime e jura que após resgatar suas filhas irá se vingar de todos eles, de todos que os traíram, principalmente dos Lannisters. Nesta cena deu pra sentir o ódio e a raiva no coração de Lady Catelyn Stark.

Sansa começa e termina a série como uma Lady, preparada para viver na corte e para ser uma rainha, porém despreparada para as garras dos leões.
A ingenuidade e o amor cego de Sansa por Joffrey deixaram ela cair nas armadilhas da manipulativa Cersei. Logo no segundo episódio vemos ela perder tragicamente sua companheira Lady por fazer o que a rainha pede e ficando contra sua família. Mais tarde, repetindo o mesmo acaba traindo os planos de Ned e o levando diretamente para as Masmorras da Fortaleza Vermelha.
Nos dois últimos episódios vemos que finalmente a máscara de Joffrey caiu e que Sansa deseja apenas voltar para sua família e se vingar daquele que era o seu grande amor.

Arya com sua raiva das agulhas, dos bordados e mais ainda de ter que aprender a ser uma dama, a filha do Senhor de Winterfell. Desde o início deixa claro que essa não é sua vontade, que ela gosta mesmo é de viver perigosamente. Carrega uma espada escondida, começa a praticar com o garoto Mycah e praticamente dá uma surra em Joffrey, ainda no mesmo episódio o chama de mentiroso e o desafia na frente da corte. Já em Porto Real, ao invés de comprar novos vestidos e aprender a moda da corte como sua irmã, Arya começa aulas com o swordmaster Syrio Forel. Em pouco tempo Syrio ensina várias coisas a Arya, melhorando suas habilidades na luta e em outros aspectos que irão ajudá-la no futuro, como já sabemos. Arya, até então filha do segundo homem mais poderoso do reino, passa a ser caçada pela rainha e a mendigar pelas ruas de Porto Real, comendo pombos e qualquer coisa que encontrar. Durante a morte de Ned vemos o desespero espantado na face de Arya, imaginem a dor de uma criança ver seu pai tão nobre e honrado morrer daquela forma. Felizmente Arya é encontrada por Yoren, escondida sob a identidade de Arry o órfão e levada para longe dos olhos de Cersei. Apesar do pouco tempo que teve em cena Maisie conseguiu cativar os fãs de Arya e incorporar perfeitamente o espírito de Arya Stark de Winterfell!

Cersei, apesar de ser odiada por 99% d@s fãs da série/livros conseguiu manter a dignidade nas telas. Mesmo com as várias críticas ao trabalho da Lena Headey, em minha opinião, ela conseguiu transmitir todo o desprezo que Cersei sente por quase todo mundo.
Apesar de seu relacionamento incestuoso com Jaime, ela acreditava na promessa de seu pai de casá-la com Rhaegar Targaryen, porém Cersei sentiu-se humilhada pelo rei louco Aerys Targaryen que a trocou por Elia de Dorne. No final, acabou-se casando com Robert Baratheon, para selar a aliança política de seu pai. Robert nunca a amou e sempre demonstrou seu saudosismo pela falecida Lyanna. Jaime acabou sendo o único aliado e amante da rainha entre tantos inimigos. Não estou tentando justificar as atitudes de Cersei, sabemos que ela cometeu vários crimes e por justiça era a cabeça dela e de sua família que deveria estar lá na muralha da Fortaleza Vermelha. Mas em um mundo onde tantos lutam por dinheiro e poder, acredito que Cersei acabou se transformando de uma Sansa, que sonhava em ser a rainha de Westeros e viver ao lado do seu príncipe amado, à uma mulher amarga, impiedosa e manipulativa. Observem como ela manobra todos à sua volta, incluindo a ingênua Sansa e como ela mesma disse, participa do jogo de tronos arriscando a própria vida.
No fim da temporada, Cersei encontra-se exatamente onde queria estar, como rainha regente, com todos aos seus pés e obedecendo aos seus comandos, com exceção do irascível Joffrey. Lena conseguiu sim mostrar o crescimento da personagem e passar a mensagem da Cersei que ela finge ser diante da corte e da Cersei luxuriosa que ela é por trás dos bastidores.

Lysa, acho que nem precisamos comentar o quanto Kate Dickie incorporou a personagem! Incluindo toda a loucura de Lysa, até a amamentação (WTF?) do filho Robyn. Apesar de destoar completamente da aparência da Lysa dos livros, não conseguirei retirar a imagem de Kate da minha mente. A atuação dela em frente a Michele Fairley negando ajuda e se colocando contra Catelyn foi exatamente como eu esperava, mostrou claramente o quanto Lysa é insana e a relação doentia dela com o próprio filho. Mais uma excelente atuação por parte do elenco feminino de GoT.

Por último, mas nem por isso menos importante Daenerys Targaryen, chamada Daenerys Filha da Tormenta, a Náo Queimada, Mãe de Dragões, Khaleesi dos Dothraki e Primeira do Seu Nome, única filha sobrevivente do Rei Aerys Targaryen e de sua irmã/esposa, a Rainha Rhaella, uma viúva com catorze anos. Tantos títulos são merecidos para a Filha da Tormenta, aquela que começou a temporada tímida, receosa da fúria de seu irmão Viserys e do casamento com o selvagem Drogo. Mas que aceitou ser vendida e abaixou a cabeça diante das ameaças do irmão e da violência do marido.
Porém, tão tímidamente quanto começou, vemos Emilia evoluir junto com a Dany dos livros, de forma ainda mais difícil que nos livros, pelo pouco tempo que tem a série e pelas dificuldades de interpretação. Mas é clara a forma como Dany aprende e cresce, em metade da temporada já desafiava o irmão e mostrava quem é que realmente tinha o sangue do dragão, o antigo sangue de Valyria. Por fim, vemos que Dany toma decisões erradas como quando salva a Maegi Mirri Maz Duur e põe em risco a vida do Khal.
Essas decisões a levam a perder seu sol-e-estrelas, mas esse erro não fez de Dany mais fraca ou mais burra, pelo contrário, este erro é uma das coisas que desencadeiam o renascimento de Dany. Do fogo da pira funerária de Khal Drogo é que renasce Daenerys Targaryen a Não Queimada, junto com seus três filhotes de dragões. Precisa reafirmar que Emilia teve uma das melhores atuações da temporada? Enfim, não resta dúvidas de que apesar de ser morena e um tanto mais velha que a Dany dos livros, Emilia mostrou que tem talento para dominar os Sete Reinos e até mesmo as Cidades Livres! Vamos esperar pelos próximos passos da Filha da Tormenta na segunda temporada!
Então, com esse texto acho que não resta dúvida de que as mulheres de Game Of Thrones são realmente poderosas…só nos resta saber como elas conduzirão as próximas temporadas:
  • Catelyn sem Ned, junto com Robb a frente da Casa Stark;
  • Cersei rainha regente, junto com Joffrey governando os Sete Reinos;
  • Lysa como regente do Ninho da Águia, junto com seu filho herdeiro e guardião do Vale;
  • Sansa e Arya sem a proteção dos pais, da casa e da família, á mercê dos Lannisters e no meio de uma guerra que ficará cada vez pior;
  • Por fim, Daenerys Targaryen, junto com seus três dragões, seu cavaleiro e o que sobrou do khalasar de Drogo, partindo em busca da sua herança!

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados