Resenha do episódio 7: “You Win or You Die” [COM SPOILERS]

ATENÇÃO:
– Esse post é apenas para quem já terminou o Livro I das Crônicas de Gelo e Fogo.
– As opiniões desse review são expressamente particulares.
A série Guerra dos Tronos da HBO até aqui
Ou
Um semi-final season review
O responsável: George Martin

Dessa vez será um pouco diferente. De certo modo, uma crítica (com todo respeito) aos que criticam… Estamos na reta final da primeira temporada, agora faltando apenas 3 episódios para sua conclusão, e me parece que as pessoas ainda não entenderam muito bem a idéia da adaptação. Como fazer um trabalho desses para o cinema (filme de 3 horas?!) a partir de um livro deste tamanho? Impossível… E como deixar uma produção de série de TV por 150 milhões de dólares por temporada? Inviável… A HBO não está segurando dinheiro. É que o padrão, o limite de TV vai até mais ou menos 80 milhões. Muitos, pela internet a fora, estão usando o exemplo de Roma (100 – 110 milhões mais ou menos), mas esquecem que o custo daquela série foi dividido, para quem ainda não sabe, entre a HBO e BBC.

     Com todas essas informações em mãos, precisa-se entender, de uma vez por todas, que a idéia inicial era concentrar no drama das personagens. Só depois vem todo o resto (que também está sendo tratado com carinho e respeito). E não podia ter sido diferente não. O que mais me chamou a atenção (o diferencial), pelo menos neste primeiro livro, desde o seu lançamento, foi o a politicagem entre as casas de Westeros. O “pulo do gato” está aí.
     O início deste episódio é justificado pelo que foi dito acima. A conversa entre Tywin e Jayme Lannister vem mais uma vez nos lembrar, e aos que estão em posição de ataque para com a série e me parecem nunca satisfeitos, que a ganância humana ainda é um dos principais tipos de câncer e Martin quis contar essa história: o reflexo da pequenez humana.
     A conversa entre Ned e Cersey, e que esta acaba dizendo a famosa frase: “Na Guerra (Game) dos Tronos, ou você vence ou você morre”, parece que fecha a questão do início dessa resenha. Quem não entendeu isto até agora, pode reler o livro e depois rever a série de novo e de novo. Quantas vezes forem necessárias. Nem que seja preciso ficar estacionado em algum capítulo ou episódio. Ou você é daquele que pula partes só para poder achar defeitos aqui e ali?
David Benioff: criador da série
     Com relação ao sexo e a nudez, vou ser bastante sincero: para mim, esse é um dos únicos dois pontos fracos da série. Sabemos que as produções do canal são para o público adulto e que costumam ter esse tipo de cena. Contudo, da forma que é feita (e a quase todo episódio), a coisa toda fica forçada e apelativa. No livro você lê, mas passa batido. O visual impregna mais na mente. Mesmo que Mindinho na cena, esteja revelando seu verdadeiro lado sombrio, o mais importante já se perdeu.A respeito das adaptações, como já disse na semana retrasada, a HBO está fazendo um grande trabalho em relação as personagens quando traz partes de Fúria dos Reis (Livro II) para Guerra dos Tronos. É um passo inteligente construir Theon desde agora. Preparar o espectador para o que está por vir em 2012. E as várias cenas que infelizmente ficaram de fora, como por exemplo a dos lobos? Dificuldades de se lidar com os animais, dinamizar a história ou orçamento? Seja qual for a resposta, esse é o outro ponto fraco da série.
     E os atores? É impressionante a qualidade dos escolhidos! Para contar uma história desse calibre, só mesmo com bons atores. Percebam que os principais estão solidificando suas atuações de forma cada vez mais marcante. Um amigo que nunca leu os livros e está acompanhando a série, já está completamente imerso na vida das personagens. Jon, Sam, Dany, Tyrion, Ned (vai ser duro ver ele morrer semana que vem), Arya… Essa é a criação da verdadeira identificação que o público precisa ter como as figuras centrais de uma saga e fica bem exemplificado nos eventos do episódio 7. Quem não ficou com um sorriso no rosto quando Jon e Sam fizeram seu juramento? Quando Ned escreve o “testamento” de Robert? No início da série estavam para lá de ok, mas como Emilia Clarke e Jason Momoa cresceram com suas personagens. É emocionante! A força com que Drogo faz o discurso na tenda após a tentativa de assassinato de Dany é indescritível. Só podemos parabenizar a HBO pelo voto de confiança que depositaram nos atores. Agora nós é que devemos depositar o voto de confiança no canal!

D. B. Weiss: criador da série

No final… Se o leitor amigo do Game of Thrones BR, embarcou nesta história desde o início (domingo a domingo)… Chegou até aqui, realmente inserido dentro de Westeros, dou os parabéns. Você, ao invés de reclamar como muitos por aí, soube aproveitar cada momento. Pois estamos praticamente no final da temporada (reta final da primeira parte desta intrigante história) e afirmo: mesmo que os efeitos visuais da última cena (muitos esperam pelo nascimento dos Dragões) não sejam tão convincentes, não importa. Se eu tinha algum medo até aqui, desde as primeiras notícias da produção da série, ele foi extinguido com “You Win or You Die”.

Comemoremos.

30/05/2011

Felipe Boreli Filho

 

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados