Resenha do Episódio 1×03: Lord Snow [COM SPOILERS]

Por Felipe Boreli Filho

Se você ainda não leu o livro “A Guerra dos Tronos”, não leia este texto. A resenha sem spoilers estará no blog em breve.

O episódio começa com a chegada de Ned à Porto Real e logo se percebe que a atmosfera que ele irá enfrentar não é das mais puras. O diálogo entre Lord Stark e Jaminho Lannister é tão afiado que ao final a vontade que dá e de bater palmas para os atores. E o primeiro conselho mostra a quantas (des)andas o Reino. Conhecemos Renly Baratheon, Varys e Lixinho (vocês não sabem até onde a ganância dele pode chegar). Tem muito duplo twist carpado vindo por aí, meus amigos (nos livros também).

Logo após esse primeiro momento, temos a chegada de Cat e a informação bombástica de que a adaga do assassino em Winterfell seria (aguardem) de Tyrion. O que torna a situação tensa e perigosa demais para que a Senhora Stark permaneça em Porto Real. Mais uma vez, a atuação dos atores é ímpar. Pois sabemos que ele dois jamais voltarão a se ver.

Do outro Lado do Mundo…

Vemos a parte da história que ainda está sendo trabalhada para eclodir no futuro (e nos próximos livros). Daenerys, bem mais consciente de si e do momento em que se encontra, desafia o irmão Viserys (precisa sair do armário) que acaba sendo humilhado pelo Dothraki Rakharo. Ficamos sabendo que Dany está grávida e por enquanto é só. A série seguindo à risca o livro nos momentos certos de andar com a história. Ponto positivo para a linguagem Dothraki. Esse tipo de respeito dá credibilidade a adaptação da literatura seja no cinema ou fora dele.

Enquanto isso no Norte…

Bran na cama ouvindo as histórias da Old Nan. Robb entra no quarto feliz de ver seu irmão acordado para se deparar com a revolta do menino de que nunca mais voltará a andar. Eu preciso destacar a atuação de Isaac Hempstead-Wright como Bran. Vi que muitos não estão gostando dos atores mais jovens (tirando a Arya). Mas esse menino, no meu prisma, está atuando de uma forma que me agrada e muito. Ainda mais se levarmos em conta que é o primeiro papel da vida dele.

Na Muralha, vemos a diferença entre Snow e seus novos irmãos. A desigualdade entre as pessoas. Enquanto ele, mesmo que bastardo, foi bem criado e teve treinamento, os outros são quase um zero a esquerda. Depois dessa conversa com Jon, Tyrion mais uma vez mostra porque é um dos personagens mais adorados da saga. E porque Peter Dinklage é o melhor ator da série e ponto final. Mais tarde, conversando com Benjen Stark e Yoren, percebemos pelo semblante de Lannister que as coisas além da Marulha podem não ser tão fantasiosas como ele imagina. E o que é Ben e Jon obeservando o norte da Muralha? Ponto para os efeitos visuais da série que foram feitos pela britânica BlueBolt.

De volta à Porto Real, vemos Arya em suas primeiras aulas com Syrio Forel e ao final Ned observando passando de um olhar de pai feliz realizando o desejo de uma filha para um de tensão e, de repente, quase arrependimento? Ou seriam pressentimentos futuros (aguardem os próximos livros)? Os pensamentos de Ned são representados para o telespectador como sons de batalha!

Uma história para ser Épica não precisa mostrar batalha e sange o tempo todo. Como a Fantasia, o lado grandioso desta saga está na periferia e os fatos apenas narrados pelas personagens criam o mundo para você. Essa é uma das maiores marcas de Marin nestes livros e, certamente, os produtores conseguiram captar isso na série.

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados