Resenha do episódio 1.06: A Golden Crown [SEM SPOILERS]

Sim, eu sei que provavelmente todo mundo já viu o sétimo episódio, mas antes do sétimo, o sexto episódio foi exibido, então antes tarde do que nunca ainda posso postar a resenha desse antes ok?
O sétimo episódio só será exbido oficialmente no domingo, então a resenha deve ser postada semana que vem, essa é a previsão, mas pode ser postada antes…
Como de costume na resenha SEM SPOILERS, eu posto os comentários sobre o episódio e faço algumas explicações das cenas baseada em informações dos livros, SEM SPOILERS é claro.
Enfim, espero que vocês gostem, e comentem o que acharam desse episódio tão antigo…

O sexto episódio começa com Ned acordando de seu sono induzido pelo leite de papoula (muito mencionado nos livros, mas esquecido na série) para aliviar as dores por conta do ferimento daquirido no último episódio. Cersei acusa Ned de ter saído bêbado de um bordel e entrar em choque com Jaime, reclama da leniência de Robert e da “injustiça” que os Lannisters estão sofrendo. Então exatamente como no livro, Robert a honra com um tapa na cara (eu odeio Robert, mas desta vez posso dizer que ele foi justo). Cersei finalmente resolveu honrar o tapa em silêncio e deixa os dois em paz
Robert diz a Ned que ele é seu irmão escolhido e restitui seu posto de mão do rei.

Dany que não apareceu no último episódio voltou com força total. Primeiro testando as propriedades do sangue de dragão e queimando a pobre da escrava. Interessante observar que Dany já entrou na água muito quente no primeiro episódio e agora toca nos ovos de dragão em brasa e não se queima.
Em Winterfell Bran sonha mais uma vez com o corvo de três olhos, dessa vez, o corvo está a caminho das criptas. Então, pela primeira vez desde que caiu da torre vemos ele sorrir (aparentando estar bem abatido, mais magro), quando Hodor lhe traz a sela projetada por Tyrion.
Robb lembra mais uma vez que Theon não é um Stark que ele é apenas um Greyjoy, que ele não faz parte da família, enquanto Bran estréia sua sela nova e acaba se afastando, sendo encontrado por alguns selvagens (alguns são desertores da Patrulha e mencionam Benjen Stark – o tio de Bran e Mance Rayder – o rei para lá da Muralha). Entre os selvagens encontra-se Osha, a Natalia Tena.
Natalia Tena, como Osha
A luta foi legal, já estava gritando pela flecha de Theon, mas achei que os selvagens morreram muito rápido e a falta dos lobos no ataque foi sentida. Seria bem mais emocionante ver Verão e Vento cinzento em ação, dilacerando os selvagens, como acontece no livro. Parece que a HBO está deixando os lobos apenas como animais de estimação comuns, estão tirando a importância deles para os Starks. Não fiquei chateada pela cena em si, que não foi ruim, foi uma luta, Robb e Theon venceram…. Acho que eles estão igualando os lobos a cães domésticos (não que eu não goste de cães, mas os lobos gigantes dos Starks deveriam ser temidos e conhecidos como lobos gigantes!)
Natalia Tena estava praticamente irreconhecível na cena, mas atuou bem, tinha cara de selvagem…a citação de Mance Rayder foi interessante lembram-se que ele foi citado por Benjen e Ned no primeiro episódio? Mance Rayder, o rei pra lá da Muralha.
Tyrion roubou o episódio inteiro! Começa dormindo perigosamente na cela, e acorda e tenta argumentar com Mord que nem lhe dá trela…
Em Porto Real, Arya treina novamente com Syrio, que lhe dá algumas lições importantes para o futuro.
Oi, isso faz bem para o bebê?
Daenerys volta em mais uma cena gore…provando da estranha dieta Dothraki. Ela deve comer o coração do garanhão para que seu filho nasça forte, ágil e destemido, pois é um costume Dothraki. Para realizar essa façanha, ela treinou bebendo tigelas de sangue para se acostumar ao sabor e comendo carne seca para fortalecer as mandíbulas. Nesta cena Emilya Clarke atuou muito bem, mostrou o nojo e a fúria nos olhos de Dany, enquanto a platéia assistia e vibrava ela comia o coração, forte como deve ser uma khaleesi, ela já não é mais a pequena garota do primeiro episódio. No livro, a cena é descrita pelas impressões de Dany, que são bem interessantes:

Sou do sangue do dragão, disse a si mesma quando tomou o coração do garanhão em ambas as mãos, o levou à boca e mergulhou os dentes na carne dura e fibrosa. Sangue quente encheu-lhe a boca e escorreu-lhe pelo queixo. O sabor ameaçou nauseá-la, mas obrigou-se a mastigar e a engolir.Caso se engasgasse com o sangue ou vomitasse a carne, os presságios eram menos favoráveis; a criança podia nascer morta ou, se sobrevivesse, podia vir fraca, deformada, ou mulher. Livro I: A Guerra dos Tronos

Dany nomeia seu primogênito, “o garanhão que monta o mundo”, Rhaego, em homenagem ao seu falecido irmão Rhaegar, o que não fica tão claro já que o nome de Rhaegar não significa muito ainda na série.
Enquanto Dany passa pela prova, Viserys destila seu veneno e se corrói de inveja. Logo após ele tenta roubar os ovos de dragão da irmã, que são extremamente valiosos, para vender e comprar navios, porém é impedido por Sor Jorah, que se põe ao lado de Dany. Nessa cena ficamos sabendo que o cavaleiro tem um interesse por ela.
Mais uma vez no Ninho da Águia, Tyrion levanta o episódio, oferecendo o ouro de Rochedo Casterly, ele espera enganar Mord. Em frente às irmãs Tully e seus convidados,Tyrion confessas seus crimes:

Quando tinha sete anos vi uma serviçal banhando-se no rio. Eu roubei suas roupas. Ela foi obrigada a voltar ao castelo nua e em lágrimas. Se eu fechar meus olhos, ainda posso ver seus peitos balançando.

O melhor foi a forma como ele “confessou os pecados” todo mundo esperando que ele contasse a verdade sobre as acusações de Lysa e Catelyn (ter matado Jon Arryn – marido de Lysa e tentado matar Bran) e ele solta essas pérolas, acho que contrataram a pessoa errada pra Two And a Haf Men, eles só precisavam de Peter Dlinkage!!
Lino Faciolli o ator brasileiro, também me fez rir como Robyn Arryn, deve ser por que achava o personagem dele engraçado nos livros…
De volta à corte, Robert sai para “matar coisas” e beber enquanto abandona as questões do reino por conta da Mão.
Logo vemos Ned sentado no desconfortável Trono de Ferro, recebendo acusações de ataques por parte de Sor Gregor Clegane. Eu achei as acusações fracas pra declarar uma guerra desse tipo, no livro são os aldeões que acusão Gregor e não Ned que sugere, também não há a intervenção de Mindinho, porém assim como no livro, Ned “chuta o balde” e ordena a caça a Gregor Clegane. Ele também intima Tywin Lannister (pai de Cersei, Jaime e Tyrion) a comparecer à corte, declarando guerra aberta aos Lannisters. Para fazer a justiça, ele envia um bando liderado por Berric Dondarrion.
Eu ri muito com Mindinho instigando as decisões de Ned, ele é um enviado do capeta…
Lorde Berric Dondarrion
No Vale novamente, vemos uma das melhores partes do episódio, o campeão de Lysa ser facilmente derrotado por Bronn. Enquanto Sor Vardis lutava com uma pesada armadura, Bron o mercenário luta apenas com sua espada. Bron, aceita lutar por Tyrion por que ele é um mercenário, seguiu Catelyn e o prisioneiro na estrada, mas percebeu que um Lannister poderia oferecer muito mais ouro a ele como recompensa…
Outra coisa interessante de ressaltar é que o julgamento por combate é válido, pois nesse tipo de julgamento considera-se que o vencedor é declarado inocente pelos deuses. Por isso ao vencer a batalha Bron acaba revelando que Tyrion é inocente.
O desfecho dessa parte do episódio mostra o quanto Tyrion é inteligente, apesar de ter sido capturado por Catelyn, ele acaba enganando Mord, pede para confessar seus crimes e no fim das contas consegue arranjar um campeão para lutar por ele em um julgamento por combate. Ele foi preso por causa da língua, mas conseguiu se safar por causa da boa lábia…
No fim ele ainda paga a divída à Mord (um Lannister sempre paga suas dívidas! E ainda leva Bronn com ele.
De volta à Porto Real, até a Septã Mordane percebe o quanto Sansa é fútil. Joffrey, como sua mãe pediu, faz uma coisa gentil para Sansa, dando-lhe um presente e fazendo gentilezas…
Em Winterfell, Ros mais uma vez mostra coisas desnecessárias( só pra não dizer que não teve nudez nesse episódio o.O ). Não vi utilidade nessa cena, além de dizer que os Starks vão à guerra contra os Lannisters?
Em Porto Real novamente, Ned conta os seus planos às filhas e finalmente faz a ligação entre os Baratheons de cabelo preto e os Lannisters de cachos dourados. Finalmente ele descobre a chave para a morte de Jon Arryn e o que ele estava investigando. Jon desconfiava da paternidade dos filhos de Cersei, por todos eles serem louros e os bastardos de Roberth serem morenos, mesmo com mãe loura (como a de Gendry). Além disso, Jon confirmou que a “semente é forte” (por causa dos bastardos)! Ou seja, Robert não é estéril. Como Ned levou tanto tempo pra perceber isso?? E ainda foi graças as garotas…
Em Vaes Dothrak, todos comemoram (quando eles trabalham mesmo?), até que Viserys faz sua entrada nada discreta e reinvindica a coroa prometida por Drogo! A única cena até agora em que Jason Momoa atuou bem de verdade ( e teve falas – brincadeira!!)
Viserys mais uma vez mostrou sua ignorância e desrespeitou os costumes do povo Dothraki. Sem entender a língua, ele acha que finalmente vai receber o pagamento, até ser “segurado” pelos irmãos de sangue de Drogo. Nesta cena, pensei que a HBO ia cortar e mostrar apenas os gritos quando Drogo derramasse o ouro. Mas, como é a HBO, mostraram todos os momentos de agonia do quase último dragão. Até que o episódio termina com Dany percebendo que Viserys não era um dragão, pois os dragões não são feridos pelo fogo…

Não achei o episódio tão bom quanto o anterior, mas as cenas de Tyrion, Dany e Viserys valeram a pena!
Agora falta pouco pra acabar! 😉

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados