Resenha do segundo livro: A Fúria dos Reis

Ultimamente tem vindo muita gente no blog pesquisando os termos: A Fúria dos Reis + donwload. Essa pesquisa nem deveria chegar aqui, por que o livro ainda não foi publicado e aqui não tem livro pra download. MAS se você já terminou A Guerra dos Tronos e quer saber como continua a história, a Editora Saída de Emergência disponibilizou uma parte de cada livro lançado, não acho que isso vai diminuir a ansiedade, mas se quiser baixar, o link é esse. 
Para quem aguenta esperar, tenha calma, o livro será publicado pela LeYa em fevereiro e vamos esperar que dessa vez esteja tudo nos conformes. Se você gosta de ler em inglês, o livro pode sair até mais barato que a versão em língua portuguesa (veja aqui e aqui).
No blog Leitura Escrita tem uma resenha muito legal do livro, aliás tem da saga inteira. Quando comecei a ler os livros eu li todas as resenhas da Ana Carolina, para ter certeza se valia a pena começar a ler uma saga que ainda não tem fim, não tinha tradução, etc. Pois, eu descobri a saga, adorei as resenhas dela e li todos os livros =)
Se você ainda não se animou a comprar o livro, no blog Lendo nas Entrelinhas está acontecendo um sorteio do primeiro livro A Guerra do Tronos, eu aproveitava…

Então vamos a minha resenha, sem spoilers pra quem não leu o livro ainda. Mas, se você ainda não leu A Guerra dos Tronos, aconselho a parar por aqui 😉

Em relação ao primeiro livro, teremos novos e diferentes personagens, o que traz consequentemente novos pontos de vista. Parte da mudança ocorre devido a morte de um dos personagens principais (se você leu o primeiro sabe quem é :P). Além disso, teremos mudanças de locais e da trama principal. 
Antes o foco do livro era basicamente a teia de intrigas nos bastidores, com o objetivo de tomar o Trono de Ferro. Agora teremos uma guerra aberta, um choque de reis, em cada canto de Westeros surgirão reis (mais precisamente cinco) alegando seus direitos.
O que aconteceu no primeiro livro vale também para o primeiro, qualquer personagem está sujeito à morte, prisão, humilhação, etc. Mesmo quando ele não merece, ou quando você leitor, ainda não espera o pior.
Este livro, revela ainda mais detalhes em torno dos Starks, agora completamente separados. Acompanharemos Sansa, aprisionada em Porto Real, à mercê de Joffrey e Cersei. Arya em sua busca pelo caminho de Winterfell. Robb Stark sem o apoio de seu pai, assumindo responsabilidades ainda maiores que a herança de Winterfell. Bran agora governante do Castelo, lutando contra as suas limitações e fazendo novas descobertas e Rickon que foi abandonado por todos que partiram para o Sul e nunca regressaram. Além de Catelyn que guarda a dor de ter sido afastada de quase todos os seus filhos, de ter perdido Ned e de estar no meio de uma guerra, tentando guiar Robb da melhor forma possível. 
Veremos uma nova Daenerys, calejada pelas experiências. Agora renascida do fogo com desejo de reclamar seus direitos de nascença. 
Acompanharemos novamente as tramas em Westeros (Pedra do Dragão, Ilhas de Ferro, Porto Real, Ponta da Tempestade, Correrio, Winterfell e na Muralha)  no leste e também, além da Muralha. Certamente, tantos lugares novos e uma mudança de foco torna esse livro bem diferente do primeiro, porém ainda melhor, se isto for possível.
 Um cometa vermelho surge no céu e para cada um dos envolvidos na trama tem um significado especial, ligado às suas ambições.
Uma coisa que merece destaque é o título original do livro: A Clash of  Kings. Que seria algo como Um choque de reis, não fúria. Mas aqui no Brasil será publicado com o mesmo título de Portugal (e quem sabe…o mesmo texto :P).


Abaixo, alguns comentários “famosos” sobre os livros:
“As Crónicas de Gelo e Fogo são a mais importante obra de fantasia desde que Bilbo encontrou o Anel.” 

-SF Reviews.net

“George R. R. Martin apresenta um mundo vibrante e real, personagens soberbamente construídas, enredos complexos mas coerentes, descrições de cortar a respiração e uma prosa muito acima daquilo a que o género nos habituou.”

-Amazon.com

“Agarra-nos e nunca mais larga. Brilhante!

-Robert Jordan

“Martin tem a capacidade de nos arrebatar de uma forma que os outros autores de fantasia não conseguem, talvez porque também não tenham a sua capacidade para desenvolver personagens. Seja nas sangrentas cenas de batalhas ou nos retratos íntimos dos laços familiares, A Guerra dos Tronos possui uma força crua e emocional que não nos deixa indiferentes. Martin também dispensa todos os clichés tolkianos, como elfos, espadas mágicas e dark lords, focando-se antes em pessoas reais e apenas sugerindo o sobrenatural. Acredite: A Guerra dos Tronos é a mais importante obra de fantasia desde que Bilbo encontrou o Anel.”

-SF Reviews.net

“A Guerra dos Tronos é a obra-prima da fantasia moderna e reúne o que de melhor o género tem para oferecer: magia, mistério, intriga, romance e aventura.”

-Locus

“A melhor fantasia dos últimos 50 anos.”

-The Denver Post


E um brevíssimo resumo da trama sem grandes revelações:

No primeiro livro Stannis Baratheon é citado o tempo inteiro mas não sai de Pedra do Dragão (Dragonstone). O segundo livro começa justamente lá. Conhecemos os planos de Stannis, irmão mais velho de Robert, aliado a Sacerdotisa vermelha de R’hllor  Melissandre, Stannis deseja  tomar posse do Trono de Ferro alegando ser o único herdeiro legal do falecido Robert Baratheon. Porém, apesar de ter legalmente esse direito Stannis terá que lutar com todas as suas forças (reais ou sobrenaturais) para provar seus direitos.
Melisandre, Stannis e Davos.
Em Porto Real, como vemos no fim do livro, Joffrey assumiu o Trono de Ferro, também alegando ser o único herdeiro legal do Trono de Ferro. Porém como ainda não atingiu a maioridade, Cersei governa como rainha Regente, esperando o retorno de seu pai Tywin Lannister como Mão do Rei e de seu irmão Jaime Lannister como Chefe da Guarda Real. Entretanto, a história ainda reserva inúmeras surpresas para Cersei, e quem retorna como Mão do Rei sob as ordens do seu pai é Tyrion Lannister, o duende. Tyrion assume o seu devido papel, apesar da fúria de sua irmã e das conspirações da corte e começa a preparar toda a cidade para um possível ataque.

Robb Stark numa tentativa de conquistar o apoio dos Greyjoys na sua vingança contra Joffrey como Rei do Norte, envia Theon Greyjoy para casa, para as Ilhas de Ferro, porém não obtém a reposta que ele esperava. Acontece exatamente o que Catelyn previra e Balon Greyjoy proclama-se novamente o rei das Ilhas de Ferro.

Renly Baratheon, o irmão mais novo de Stannis e Robert, em Ponta da Tempestade contando com mais poder que seu irmão Stannis, tendo o apoio dos Tyrell de Jardim Alto (? Highgarden) e de várias outras casas, também se autoproclama rei de Westeros, alegando ter mais poder e carisma que seu irmão Stannis.
Stannis e Renly
Temos então: Stannis, Joffrey, Balon, Renly e Robb, cinco reis e apenas um trono. Quem deverá tomar o Trono de Ferro e ser o governante de Westeros?

Na Muralha acompanhamos a Patrulha da Noite sob as ordens de Jeor Mormont que decide liderar uma enorme força para além da Muralha, com o objetivo de descobrir o que está realmente acontecendo. Acompanharemos Jon Snow e também Samwell Tarly em aventuras geladas e sombrias na Floresta Assombrada e além.   

No leste, apesar de ter todo o seu exército reduzido a uns poucos velhos, crianças e doentes, Sor Jorah e aos cavaleiros de sangue de Drogo, Daenerys Targaryen é proclamada a Mãe dos Dragões. Seu exército jura então seguir sua Khaleesi em seu caminho até Westeros.
Espero que a resenha tenha ficado legal. 
Agora é só esperar esse tão aguardado lançamento. 😉

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados

  • Ola, assim como você eu sou muito fã da serie e gostaria de saber oque você pensa sobre essa “falta de vontade” na tradução, me refiro as varias frases com traduções digamos duvidáveis.
    Poe exemplo, como você mesmo aponta em seu texo, A Clash of Kings como A fúria dos reis.
    A game of Thrones como Uma guerra de tronos.
    Direwolf como Lobo Gigante.
    Winter is coming como O inverno esta para chegar (apesar que na capa eles fizeram certo, mas no texto erraram.)

    Queria saber se tem mais alguém que se sente P*** da vida com esse descaso da editora e dos tradutores.

  • @Gabriel olá, bem vindo ao blog.
    Eu escrevi sobre isso aqui:
    http://gameofthronesbr.blogspot.com/2010/08/minha-opiniao-sobre-guerra-dos-tronos.html
    e aqui:
    http://gameofthronesbr.blogspot.com/2010/08/minha-opiniao-sobre-guerra-dos-tronos_26.html

    Eles disseram que iam ver isso, então vamos esperar que a tradução do segundo livro seja melhor 😉

  • Ai se eu volto a opinar sobre isso… ¬¬

  • Oi Lidiany!
    Nossa..adorei sua resenha! Me deixou ainda mais ansiosa pelo segundo livro.
    Bjs

  • @Hérida que bom que vc gostou!!! No ritmo que eu tou relendo o primeiro vai sair o segundo antes de eu terminar…
    XD

  • Opa!… só uma coisa.
    O Stannis não é o irmão mais velho do Robert é o irmão um ano mais novo. Incrível como todo mundo (eu inclusive) tende a considerá-lo mais velho. Acho q isso se deve em parte ao jeitão sério dele e aquela carecona.
    Outra, Balon Greyjoy se declara Rei das Ilhas de Ferro não de Westeros. ( ele já tinha feito isso antes e levou uma surra dos Stark e Baratheon.)
    Abs

  • @QuietWolf me confundi com Stannis, se ele fosse mais velho, teria sido rei antes de robert!

  • Balon diz que é rei do Norte também =)

  • Acho que quem diz que é rei do norte é o Theon, não? Balon não está muito interessado naquela terra gelada. Se não me confundo 🙂

  • ele manda atacar a costa e acabar com tudo…

  • realmente, mas é Theon que se proclama “principe de Winterfell”.