Um jogo de idéias: Prólogo de A guerra dos Tronos

A Muralha. Fonte: Winterfell-Altavista
A Guerra dos Tronos creio que se tornou o livro mais lido nas últimas semanas, devido a febre nos sites, ao lançamento recente, ao marketing e a propaganda relacionada a série.
Cada dia aparece gente nova aqui no blog [sejam bem-vindo(a)s] , que ainda não conhece toda a história ou que já leram todos os livros( ou alguns) em inglês como eu ;). Pra esses a espera mais ansiosa é o próximo livro A Dance With Dragons e a série da HBO Game of Thrones.
Eu, apesar de já ter lido a história inteira vou voltar a ler, pra conhecer e avaliar a edição brasileira e também pra relembrar tudo de novo.
Meu volume de A Guerra dos Tronos já passou por várias mãos e agora está com minha irmã, a LizzyCS.
Essa conversa toda foi pra explicar que a partir de agora teremos comentários sobre cada capítulo de A guerra dos Tronos, com três opiniões. 
Uma visão será minha. A visão de quem já conhece a história, os personagens e tudo que acontece no reino de Westeros, até o quarto livro,  A Feast for crows. 
A visão da novidade será introduzida por duas pessoas que estavam ansiosas por ler o livro de tanto me ouvir falar das Crônicas de Gelo e Fogo!
Meus convidados para fazer esses comentários são a LyzzCs e o Matheus Frizon do blog Utopia.
Não se espantem se os comentários demorarem a sair, por que eu tenho que cobrar muito esses textos, pois os espertinhos só querem ler e não querem colaborar tão facilmente! XD
Enfim, serão três visões diferentes. Eu espero que vocês gostem e complementem com as suas opiniões também!
Cuidado com os meus comentários, pois poderão conter SPOILERS, mas quando tiver eu aviso, ok?
Em relação a essa idéia, me interessei por ela quando a vi no site Gestalt Mash.
Eles estão fazendo isso há algum tempo com o primeiro livro e achei que seria legal fazer isso aqui no blog, em português, espero que vocês curtam a idéia e voltem para ler o próximo capítulo e para comentar também!!
Vamos aos comentários!


LizzyCS
A Guerra dos Tronos começa, sem dúvidas, em grande estilo. Com aquele suspense que leva o leitor a especular o que de ruim acontecerá com os personagens. Logo de cara simpatizei com Gared, um homem experiente, cético. A descrição do acampamento, das “pessoas” que lá estão e como estão é de arrepiar! Depois, acontece o que eu já esperava, mas não deixa de ser chocante: não há ninguém no lugar! Então aparecem aquelas criaturas intrigantes as quais atacam justamente o que acreditava que não havia nada de “sobrenatural”. Depois, o autor nos conta o triste fim do pobre Will que só queria voltar para casa. O prólogo termina sem nos contar o que acontece com Gared que tinha ficado um pouco para trás… como ele reagirá quando perceber o que aconteceu? Cenas do próximo capítulo…. 
“Outro”. Fonte: Winterfell-Altavista


Matheus Frizon 

 A Guerra dos Tronos. Só de ler o titulo você já sente o que lhe espera. 
Já no prólogo é possível sentir a tensão dos personagens.
Will é um personagem aparentemente determinado, há 40 anos na Patrulha da Noite, e há 4 na Patrulha da Muralha, então é explicado por que ele é apresentado como ‘o corajoso’. Will foi um caçador antes de se juntar a PN, seu destino era perder uma mão, mas o seu talento silencioso lhe livrara da sua penitência.
       Royce me pareceu um tipo de homem que não aceita ideias divergente com as suas, o que lhe torna completamente arrogante – é uma pena ele ter durado apenas o prólogo. 
        E então surge a incógnita “Eles estão mesmo mortos?”
        Aos meus olhos, o Will perde um pouco do seu talento, sem falar que começa a nascer um ato covarde, ao ver o Royce sendo atacado pelos Outros… Tá, e dai que eles eram dois, e os outros estarem em numero maior?! Will começa a perder créditos comigo a partir deste momento, hum…, eu sei que penso assim apenas por se tratar de um livro, por que se eu estivesse no lugar dele faria a mesma coisa (risos)… Mas na verdade, a pergunta que você se faz após terminar de ler o prólogo é “Quem são os Outros?”  
O início é perfeito, acho que este livro já se tornou o meu número um a partir do momento em que terminei de ler o prólogo.


LidianyCS
Comecei a ler o livro tendo uma idéia do que me esperava: reinos, dragões, mortos que voltavam para espreitar na noite gelada. 
Mas afirmo que ao pegar o livro e me deparar com o Prólogo foi algo como peraí, mas onde estão todas aquelas pessoas? Por que o livro começa com esses três? Eu sabia o que era a Patrulha da Noite, sabia que o inverno está chegando. Mas não esperava que o livro começasse dessa forma. 
Minha leitura, confesso que foi um pouco estranha. Primeiro li todos os POVS de Dany, em A mãe dos Dragões. Isso me fez estranhar muito o Prólogo do livro. Tanto que a minha primeira idéia após terminá-lo foi, se você ler somente o Prólogo terá apenas um vislumbre do que é A guerra dos tronos. Mas já saberá que o escritor é muito bom! Te prende em pouqinhas páginas.
Você começa em uma floresta assombrada, com três caras discutindo sobre um bando de selvagens que eles estão caçando. Minha primeira pergunta foi: quem eram esses selvagens? Naquele clima sombrio, cheio de desconfiança comecei a perceber que havia algo errado naquela floresta gelada. Will e Gared, os mais experientes ainda relutam em obedecer às ordens de Sor Waymar, mas este era um nobre com um nome e um posto, mesmo sendo mais jovem e menos experiente do que os outros dois. Ele não podia ser questionado.
A percepção de que algo cheira mal está no ar, ainda mais quando Will regressa e encontra somente o machado. A partir desse momento já esperava o pior. Me deparei com um conto de terror(!?), sim me lembrei de histórias e filmes de terror, onde as pessoas vão xeretar onde não devem e acabam pagando um alto preço por isso. Pensei que os três seriam atacados e mortos imediatamente por selvagens enloquecidos, mas aí percebi que me enganara, Martin faz um jogo psicológico e deixa o leitor ainda mais apreensivo! Sor Waymar luta contra seres que não são feridos por uma lâmina comum. Will testemunha a morte do seu líder, com os olhos e as mesmas emoções do leitor. Temia agora pela vida de Will, mas não há saída. Sor Waymar agora é um dos Outros e Will também será!
Que final terrível para um capítulo! Nesse momento, acreditei que Gared poderia ter fugido para avisar aos companheiros da Patrulha da Noite, pois a sua morte presumida não fora confirmada. Porém no próximo capítulo você se dá conta de que Gared não foi bem sucedido, que talvez ele talvez tenha visto tudo e ficado louco, ou quem sabe mesmo tenha fugido para o mais longe da floresta que conseguisse e fora apanhado como um desertor!

Até hoje, a cada capítulo relacionado a Muralha que eu leio, me sinto tensa, acho que a qualquer minuto um Outro aparecerá para atacar alguém, que um exército de zumbis enlouquecidos (alô Sam) virá para derrubar a Muralha e reinar em Westeros! O mais aterrorizante e ao mesmo tempo engraçado sobre os Outros é o fato de que ninguém, a não ser quem os vê cara-a-cara acredita na existência dessas criaturas inexplicáveis. 
Isso, para mim é o que as torna mais fortes e mais temíveis! 
Por fim, ao ler AFFC, percebi que quem aparece nos Prólogos e Epílogos das Crônicas sempre morre!
Martin gosta mesmo de matar personagens, né?

Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados

  • Opa…finalmente, a parte mais divertida de blogs sobre livros. Comentá-los e discuti-los.
    Vamos lá:
    O prologo serve exclusivamente para apresentar ao leitor os “Outros”, os inimigos invisíveis da Saga. Apesar de ter como objetivo de criar suspense, muitas pistas sobre os Outros são deixadas no prologo. (obviamente a maioria passa direto por elas já q é a primeira coisa q vc está lendo e não sabe q tem q procurar pistas sobre quase tudo rsrsrs.Eu só peguei essas coisas na segunda ou terceira lida.).
    Nos idos de 2000 (quando viciei nessa maldita Saga perfeita) pensei que os Outros se tratassem de mortos vivos comuns que ao matar suas vítimas a transformassem num deles certo?!Errado. Os outros são descritos detalhadamente e em nada se assemelham aos “Zumbis” que eles criam a partir de suas vítimas.os Zumbis são clássicos com exceção dos olhos q são de um azul esquisitão.Os outros são esguios, altos, com lâminas superfinas e poderosas e armaduras q se mesclam ao ambiente e sobrenaturalmente fazem a temperatura a seu redor cair.
    Outra coisa fácil de esquecer é q eles são seres inteligentes e não uma força da natureza. No prologo eles conversam entre si e até mesmo riem da cara do pobre Waymar. Eles tem uma linguagem, então eles pensam.

    Agora uma pista intrigante, pelo menos pra mim, os Outros são claramente o foderosos. Mas exitam uma única vez no prólogo. Quando Sor Waymar Royce ergue sua espada em desafio, o Outro exita e observa a espada até que relaxa e zomba na lingua maluca deles.
    O q ele estava chequando?…eles temem um tipo de espada ou temia q fosse uma espada específica?

    PS:assim como a Lidiany jah li a série toda, até mais vezes do q seria saudável rsrsrsrs. Deixei de fora futuros spoilers e me concentrei só no prólogo. Acho q consegui.

  • Ah eu acho massa quando eles riem da cara de Sor Waymar!
    Coitado!
    Eles estavam checando mesmo, pra ver se a espada dele oferecia alguma ameaça real, mas…a espada dele era comum né?

    Os Outros são foderosos mesmo!
    Ainda fico tensa quando eles aparecem!
    Samwell que o diga hein???

    😉

  • Isso aí. Mais pistas foram dadas(ate mesmo algumas confirmações) sobre o q o Outro esta checando na arma do Waymar Royce. Mas a discussão sobre o q exatamente pode ser ainda tah ferrenha pora aí.

    Espero q o pessoal daki enbarque nas discussões e que se animem a reler os capítulos. São tantos detalhes que é quase impossível seguir todos de primeira.Quero só ver que novas teorias sugirão das terras brazucas. (cansei de discutir com gringo)
    🙂

  • Quiet Wolf eu tb não gosto muito de comentar em inglês por que não sei me expressar muito bem.
    Ler é uma coisa, mas escrever é mais complicado. Preciso treinar mais.

    Viajando na maionese agora COM SPOILERS .

    O que vc acha que aconteceu com Benjen?
    Eu imaginei zilhões de coisas nessa história e ainda não consigo acreditar que ele não voltará mais. Acho que o sumiço dele tem um propósito! Nem que seja pra voltar como Outro…

    XD

  • SPOILER SPOILER SPOILER SPOILER SPOILER SPOILER.
    .
    .
    .
    .
    .
    .

    Então, o Benjen Stark é bem difícil, mas acredito que ele é o ColdHands e que ele é uma vesão de wight com consciencia criado pelo Three-Eyed-Crow.
    Agora quem ou o q é o Three-Eyed-Crow?(tb tenho teorias mas vai ser spoilers pra vc se não tiver lido os Contos de Dunk and Egg, Já leu?!)

    .
    .
    .
    ..
    Fim do Spoiler

  • ** SPOILERS **

    Quiet Wolf eu pensei no ColdHand, mas o Bran encontra ele né? E como diacho ele tava vivo ainda? Pq ele apareceria ali! Muito estranho.
    Quando Jon encontra aquelas armas de Dragon Glass eu pensei que foi ele quem tinha escondido, mas dps ninguém falou nada…XD
    Esse third eyed crow é uma viagem pra mim… o.O

    Muito estranho, muito mistério…

  • Spoiler spoiler spoiler spoiler
    .
    .
    .
    .
    ..
    Sam descreve o Cold Hands de capuz e talz e de preto,Bran pode não ter reconhecido.
    A teoria em q acredito é a seguinte:
    o Benjen foi morto mesmo pelo outros e se tornou um Zumbi. Só q ou por pura força de vontade ou pela intervenção do Three eyed Crow ele manteve sua vontade e consciencia e cumpre as ordens do Corvo.
    Ele não estaria “vivo”.
    Ele foi encontrar o Bran a pedido do Corvo que se encontra além da muralha para guiá-lo.
    Acho q ele estava ajudando o povo da patrulha das sombras e que o Ghost jah encontrou com ele.
    A muralha parece “barrar” coisas magicas e por isso ele “espera” o Bran do outro lado e não vai buscá-lo pessoalmente.
    ..
    .
    .
    .
    .
    .
    Fim do Spoiler

    Quanto aos Contos de Dunk and Egg devia ler. eles se passam 100 anos antes das Cronicas de Gelo e Fogo e são excelentes! Além de explicar bastante sobre o cenário em que a história “atual” se passa. ela retrata uma westeros ainda governada pela Dinastia Targaryen.Eu recomendo.

  • /** SPOILERS **/
    É eu também achava que foi ele quem “deu” as armas a Ghost e Jon!
    Mas é bem estranho.
    A parte da Muralha ter barrado eu entendi.

    Eu acredito que seja ele, pq Benjen deve ser muito importante pra apenas desaparecer assim!
    Se ele tivesse morto devia ter aparecido o corpo.
    Sobre o ColdHands estar morto eu sabia pq Sam fala né. Que a mãe dele é gelada, o interessante é, pq ele não é um dos “zumbis”. Não entendo essa questão do Corvo, acho que Bran ainda terá um papel muito importante na defesa do norte por causa disso, tavez mais importante que Jon (pq Jon vai estar ocupado! cof cof).
    Bran é muito especial, apesar de eu achar ele chato! UASHAUSH

    =)

    Vou ler o conto assim que eu tiver tempo! =)

  • O Corvo de que eu falo é o Corvo de 3 olhos do sonho do Bran que prometeu ensiná-lo a voar e que “abriu” um terceiro olho na testa do Bran a bicadas.

  • Tou ligada, mas pra mim isso é um mistério….estranho!
    :O

  • Spoiler!
    Quiet Wolf
    A espada que você refere como espeifica seria um tipo especifico de espada (Aço de Valyria) ou a “A Espada”, a da profecia, que Melisandre acha que criou?

  • Outra coisa,nada a ver com o tema da discussão, sou só eu que acho que o primeiro livro revela muito mais coisas que outros a cerca dos mistérios? Não que eu não goste das intrigas e traições, mas me parece que como um todo, apesar de revelações importantes (A história dos irmãos Reed em ASOS, algumas coisas do que diz o Mestre Aemon no AFFC) as mais importantes pistas me parecem estar no AGOT.

  • @ Marcos: Pois é pode ser qq uma das duas situações q vc citou.Só GRRM sabe nós só especulamos. hehe

  • @Marcos acho que ele se referiu às armas de Dragonglass, aquelas que Jon encontra com Ghost…ou a espada que Melissandre procura…

    Também gosto mais de AGOT, nos outros livros temos tantas mortes…
    As coisas mais importantes dos outros livros pra mim são Jaime Lannister, os irmãos Jojeen e Meera, e algumas coisas de Dany =)
    O resto ainda não tem muita explicação, né?
    Muita coisa ainda me parece solta pra ser ligada depois e a gente ainda nem entendeu direito…

  • Sabem o que eu acabei de descobrir?
    Que Lightbringer é tb uma espada que aparece em Final Fantasy, o primeiro jogo de 1997 *_____*

    http://en.academic.ru/dic.nsf/enwiki/658354

  • Correção, jogo de 1987!

  • Ahhhh tb adoro os capítulos sobre a muralha, te deixam super tensa sempre esperando uma aparição dos OUTROS… Eu gostei do primeiro capítulo, te deixa mais nervosa para saber como será a história q te aguarda, mas fiquei triste qdo o garoto morreu…

    http://conversandocomdragoes.blogspot.com/

  • Outra coisa engraçada é que sempre que lia sobre a Lightbringer lembrava de Stormbringer, a espada de Elric da serie de livros do Michael Morcock (outra serie de fantasia legal, que também fica fora dos moldes do Tolkien, pena que li em espanhol)e ficava pensando se ela seria algo bom, ou, assim como Stormbringer, um fardo disfarçado de dadiva(ela mantém Elric vivo, mas as custas de devorar as almas daqueles que ela mata) e como vc mesma disse Lidiany lá no podcast (muito legal por sinal) o Martin é cheio de referências.

  • @Marcos essa espada que vc me falou me lembrou daquela de Arthas de Warcraft *______*