Religião em ASOIAF: Os deuses antigos

ASOIAF = “A Song of Ice And Fire” que seria equivalente à “As Crônicas de Gelo e Fogo” 

Os deuses antigos são espíritos da natureza, sem nome, que são principalmente adorados no Norte embora ainda haja adeptos dessa religião nas regiões do sul.
Foram primeiramente adorados pelos crianças da floresta, mas os Primeiros Homens se afastaram das suas crenças anteriores em favor dos espíritos adorados pelas crianças.
Quando os Ândalos (que vieram do oeste) conquistaram o sul de Westeros, eles trouxeram com eles a sua Fé dos Sete (fé nos Sete deuses).

Os espíritos foram então apelidados de Deuses Antigos e a prática do seu culto tornou-se limitada ao norte de Westeros.
A religião dos Deuses Antigos não tem organização, clero, nem movimentos evangélicos ou os textos sagrados, mas algumas tradições são passadas adiante por seus seguidores.
Várias ações, tais como o incesto e o fratricídio, são consideradas ofensivas aos deuses.
Floresta divina (imagem retirada de ASOIAF NWN2 Persistent World)

Existem florestas sagradas, onde crescem “árvores divinas” chamadas weirwood  (que pode ser traduzida como “árvore do destino”) ou árvores-coração. Essas árvores possuem protuberâncias que se assemelham a rostos e olhos esculpidos por onde escorre seiva vermelha. As orações, juramentos  e os casamentos são muitas vezes realizadas na floresta sagrada.
Acredita-se que os rostos foram esculpidos nas weirwoods pelas crianças da floresta, mas o seu significado ou propósito não é completamente compreendido pelos homens.

Antigamente todas as casas nobres tinham um floresta divina com uma árvore de coração em seu centro, mas muitas famílias deixaram de seguir os deuses antigos e converteram suas florestas divinas em jardins seculares.
Fonte: ASOIAF wiki.


Eddard Stark acredita na floresta divina e frequentemente faz orações aos deuses antigos, assim como Jon Snow.



UPDATE:
 Esse é o trecho do livro (na tradução brasileira da LeYa) onde Catelyn descreve o bosque sagrado e fala sobre as árvores de Winterfell e Riverrun(Correrio)



Catelyn nunca gostara daquele bosque sagrado.
Nascera entre os Tully, em Correrrio, mais ao Sul, nas margens do Ramo Vermelho do Tri‑
dente. O bosque sagrado que lá havia era um jardim, luminoso e arejado, onde grandes árvores 
de pau‑brasil espalhavam sombras sarapintadas por córregos que rumorejavam entre as margens, 
aves cantavam em ninhos escondidos e o ar era perfumado pelo odor de fores.
Os deuses de Winterfell mantinham um  tipo diferente de bosque. Era um  lugar  escuro  e 
primordial, três acres de foresta antiga, intocada ao longo de dez mil anos, enquanto o castelo se 
levantava a toda sua volta. Cheirava a terra úmida e a decomposição. Ali não crescia o pau‑brasil. 
Aquele era um bosque de obstinadas árvores sentinelas, revestidas de agulhas cinza‑esverdeadas, 
de poderosos carvalhos, de árvores de pau‑ferro tão velhas como o próprio reino. Ali, espessos 
troncos negros enroscavam‑se uns aos outros, enquanto ramos retorcidos teciam um denso dos‑
sel elevado e raízes deformadas batalhavam sob o solo. Aquele era um lugar de profundo silêncio 
e sombras meditativas, e os deuses que ali viviam não tinham nomes.
Fonte: A Guerra dos Tronos, Gerge R. R. Martin, Ed.  LeYa, Brasil, 2010

UPDATE 2:
Esse é o trecho original:

She had been born a Tully, at Riverrun far to the south, on the Red Fork of the Trident. The godswood there was a garden, bright and airy, where tall redwoods spread dappled shadows across tinkling streams, birds sang from hidden nests, and the air was spicy with the scent of flowers.

The gods of Winterfell kept a different sort of wood. It was a dark, primal place, three acres of old forest untouched for ten thousand years as the gloomy castle rose around it. It smelled of moist earth and decay. No redwoods grew here. This was a wood of stubborn sentinel trees armored in grey-green needles, of mighty oaks, of ironwoods as old as the realm itself. Here thick black trunks crowded close together while twisted branches wove a dense canopy overhead and misshappen roots wrestled beneath the soil. This was a place of deep silence and brooding shadows, and the gods who lived here had no names.

Fonte: A Game of Thrones, George R. R.Martin. 




Eu fui pesquisar sobre o assunto e encontrei o seguinte:
O significado da palavra “redwoods” – pode abranger 

árvores da família das coníferas (desde sequóias a pinheiros) e a família das “broadleafs” (folhas largas?) onde se inclui a árvore pau brasil. Sobre a outra árvore pau ferro, é justamente por causa da “ironwood“. O pau brasil, pela fala de Catelyn, não está em Winterfell, mas em Correrrio (Riverrun), onde o clima não é gelado como em Winterfell, devido a sua localização.



Apesar das árvores serem “tipicamente brasileiras” acredito que se encaixa adequadamente na tradução do texto. 



Quem quiser conferir pode dar uma olhada nos links 😉


Compartilhe:

Ao comentar no site você aceita as regras previamente estabelecidas.

Posts Relacionados

  • Hahaha eu tb achei ridiculo colocarem pau brasil lá… e tem pau ferro tb… ridiculo!!!

  • Estava relendo o PDF aqui e percebi que a weirwood é traduzida como árvore-coração.
    mas Catelyn cita o pau brasil e pau ferro também.
    Não vejo muita lógica pq lá é tipo a Europa medieval (simbolicamente) então não vejo ligação com as as árvores….
    Loucura…

  • esse pau brasil tá na tradução brasileira? O__o

  • Está sim!
    No primeiro capítulo de Catelyn ela fala sobre pau-brasil e pau ferro!
    vou fazer um cópia aqui =)

  • Em espanhol qual o nome dessas árvores?
    Eu não me lembro desse trecho na versão original, vou fazer uma comparação.
    ô tradução tensa viu…

  • Acho q o tradutor deveria ter estudado um pouco de botânica…
    Já acho ridículo colocar o nome de 2 árvores brasileiras mas como boa bióloga tenho q perguntar de onde ele tirou q pau brasil e pau ferro crescem em uma região fria como aquela???

    ok, agora algo q naum tem nada haver com o post, eu quero MATAR a Cersei, parei de ler, minha raiva me sufoca!!!

  • Eu acho que o lance é o seguinte, as árvores são de uma família genérica (não sei nada de biologia, tá?) aí o tradutor colocou esse nome por se tratar de um nome significativo para os falantes da língua portuguesa. Por isso ele usou pau brasil e pau ferro. Mas podia ser pinheiro ou sequóia.
    A questão também é que Westeros é um continente fictício então é possível também imaginar pau brasil lá…

    somente especulações…

  • Por ser um mundo ficticio que fica estranho mesmo. Teria sido melhor colocar algo mais habitual.

    em espanhol esse capitulo dela fala de ” sequoias, tamarindos e robles/carvalhos

    Pode matar a Cersei, eu deixo e ajudo!! XDD

  • Cersei é mto MÀAAAAAAAAAAAAAAAAAAá, vou fazer um post dedicado as maldades dela

    AUSAUSAHSASAHSHA

  • Judah88

    E não é só o pau-brasil que é mencionado nas crônicas cuja origem não é européia. O milho, que salvo engano já citaram, é tipicamente americano, assim como a batata, morangos e o tomate. Até mesmo o tabaco é nativo do nosso continente (Tolkien o levou para a Terra Média, assim como os morangos). Martin fez uma bela mistura, Westeros é predominantemente europeia, mas tbm tem partes asiaticas e americanas. Na verdade creio que Westeros seria como a America caso fosse descoberta uns 1000 anos antes.